Foragidos quebram 8 barreiras de segurança para escapar da penitenciária de Mossoró
Connect with us

Plantão 24H

Foragidos quebram 8 barreiras de segurança para escapar da penitenciária de Mossoró

Publicado

em

portal plural penitenciária mossoró

  • Academia Persona
  • FAST AÇAÍ

A fuga histórica de um presídio federal exigiu dos presos — agora foragidos — a superação de pelo menos oito barreiras de segurança que deveriam ter evitado sua saída da Penitenciária Federal de Mossoró. As informações foram confirmadas por fontes ligadas ao sistema prisional brasileiro.

Para escapar, os detentos tiveram que transpor diversas barreiras:

  • A porta da cela;
  • Duas portas da gaiola que protege cada ala;
  • O monitoramento por câmeras locais;
  • Supervisão da Sala de Controle em Brasília;
  • Rondas e postos fixos de agentes;
  • Quatro torres externas;
  • Uma cerca dupla de 10 metros de altura;
  • E a revista diária das celas.

O primeiro desafio era ultrapassar a porta da cela, geralmente trancada o dia inteiro, exceto para atividades como banho de sol ou visitas médicas. Em seguida, os presos enfrentaram as duas portas da gaiola, que protegem cada ala, onde cada pavilhão abriga 52 detentos distribuídos em quatro alas, totalizando 13 celas por ala.

As câmeras de vigilância eram monitoradas internamente no presídio e externamente em uma Sala de Controle em Brasília, garantindo uma observação constante. Além disso, agentes realizavam rondas e ocupavam postos fixos dentro do presídio para monitorar as atividades.

Externamente, agentes também estavam posicionados em quatro torres, cada uma nos cantos do complexo penal. Para escapar, os detentos precisavam ainda superar duas cercas altas de arame com concertinas (arame farpado) no topo.

Cortar o arame exigiria ferramentas como facas, estiletes ou alicates, itens que seriam descobertos durante a revista diária das celas quando os detentos saíam para o banho de sol.

O especialista em segurança pública Rafael Alcadipani enfatiza a necessidade de uma investigação rigorosa, pois há possibilidade de envolvimento de funcionários do presídio. Se confirmado, é crucial revisar os protocolos de segurança em todos os presídios federais brasileiros.

Os fugitivos, Deibson Cabral Nascimento, de 33 anos, e Rogério da Silva Mendonça, de 35 anos, estão ligados ao Comando Vermelho, predominante em seu estado de origem, o Acre.

Fontes do governo do Acre afirmaram que os dois tiveram papel central em uma rebelião ocorrida em 26 de julho de 2023 no Complexo Penitenciário de Rio Branco, o que levou o governo estadual e o Ministério Público a solicitarem suas transferências, juntamente com outros 12 presos envolvidos na ação.

As medidas tomadas incluem o afastamento da direção da penitenciária de Mossoró, determinado pelo ministro Ricardo Lewandowski, e uma ampla revisão dos equipamentos e protocolos de segurança em todas as cinco penitenciárias federais, conforme ordenado pelo Ministério da Justiça. Uma equipe liderada pelo secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia, foi enviada a Mossoró para investigar os fatos, com a mobilização das Forças Integradas de Combate ao Crime Organizado (Ficco), Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, contando com mais de 100 agentes.

Fonte: CNN Brasil

Compartilhe

Geral

Após liberdade concedida, Erika Souza fala sobre a morte de seu tio Paulo

Publicado

em

portal plural após liberdade concedida, erika souza fala sobre a morte de seu tio paulo
Foto: Reprodução/ Redes Sociais
  • FAST AÇAÍ
  • Academia Persona

Erika de Souza Vieira Nunes, de 42 anos, é sobrinha de Paulo Roberto Braga, falecido aos 68 anos. Ela se tornou protagonista de uma imagem que chocou o Brasil inteiro. No vídeo, Erika é vista levando seu tio em uma cadeira de rodas até o banco para sacar um empréstimo de 17 mil reais, enquanto Paulo Roberto já estava sem vida.

Após duas semanas de prisão, Erika foi libertada na quinta-feira (2). “Foram dias horríveis longe da minha família. Vivi momentos da minha vida que não suportava mais. Muito difícil. Foi horrível eu não perceber que meu tio estava morto. Eu não sou essa pessoa que estão falando, não sou esse monstro”, desabafou emocionada.”

Erika detalhou que sua relação com Paulo Roberto era excelente e que ele era independente. “Ele tinha uma mente boa. Não era cadeirante e eu não era sua cuidadora”, esclareceu. Ao ser questionada se notou que Paulo Roberto estava frágil demais para sair de casa, ela afirmou: “Não, porque ele me pediu para ir”.

A respeito do momento dentro do banco, Erika relatou que não conseguia lembrar-se muito bem devido ao uso regular de medicamentos controlados, como zolpidem. Ela explicou que, às vezes, tomava mais do que a dose prescrita.

Quanto à condição de saúde de Paulo Roberto, Erika revelou que ele havia sido internado em uma unidade de saúde estadual por uma semana antes da ida ao banco, mas não recebeu orientações claras dos médicos após a alta. “Me deram uma receita de um remédio de cinco dias, eu comprei o remédio e a fralda. Eu pensei que ele ia ter uma melhora, que era só uma pneumonia”, contou.

Na semana seguinte, o Ministério Público denunciou Erika, alegando que ela agiu de forma consciente e voluntária, demonstrando total desprezo e desrespeito por Paulo Roberto. A juíza Luciana Mocco aceitou a denúncia e Erika se tornou ré por tentativa de estelionato e vilipêndio de cadáver. No entanto, a prisão preventiva foi revogada pela magistrada, considerando que Erika é ré primária, possui residência fixa e não representa risco para a ordem pública em liberdade. Além disso, a juíza mencionou que Erika tem problemas de saúde mental e precisa cuidar de sua filha, que tem necessidades especiais.

Paralelamente, a Polícia Civil do Rio de Janeiro abriu outro inquérito para investigar se Erika cometeu homicídio culposo, quando não há a intenção de matar.

Fonte: G1

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Plantão 24H

Tragédia na ERS 342: Vítima fatal em colisão de caminhões em Três de Maio

Publicado

em

portal plural homem morre em acidente entre caminhões na ers 342 em três de maio
Foto: Paulo Marques Notícias
  • FAST AÇAÍ
  • Academia Persona

Na manhã desta segunda-feira (29), um grave acidente de trânsito na RS-342, em Três de Maio, envolvendo dois caminhões resultou em uma morte. O incidente ocorreu por volta das 7h20min, próximo à lombada física próxima ao bairro Carolina.

Os caminhões, um pertencente a uma empresa de bebidas de Independência e o outro da Banda Corpo e Alma, de Horizontina, estavam seguindo no sentido de Independência para Três de Maio quando houve uma colisão traseira que afetou o caminhão de bebidas. Em decorrência do impacto, o veículo girou na pista e acabou colidindo com uma árvore à beira da rodovia.

As duas pessoas a bordo do caminhão foram socorridas por equipes do Corpo de Bombeiros e do SAMU. Infelizmente, o motorista de 44 anos não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Os membros da equipe de som da Banda Corpo e Alma estavam retornando da cidade de Sobradinho. Felizmente, os quatro ocupantes não sofreram ferimentos.

A Brigada Militar está controlando o tráfego na área para permitir o registro posterior do Comando Rodoviário da Brigada Militar.

Fonte: Paulo Marques Notícias

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Plantão 24H

Traficante expulsa a própria mãe de casa e usa local para atividades criminosas no RS

Publicado

em

portal plural traficante expulsa a própria mãe de casa e usa local para atividades criminosas no rs

  • Academia Persona
  • FAST AÇAÍ

Um traficante expulsou a própria mãe de casa para usar o local como ponto de tráfico de drogas, na região central de Canoas. A atividade ilícita estava sob investigação da Polícia Civil, que nesta quinta-feira (25), deflagrou a Operação Retomada.

Durante cumprimento de mandado de busca e apreensão a Polícia Civil prendeu três indivíduos em flagrante e apreendeu 7,7kg de maconha em tijolos e diversas porções; 320g de cocaína; 88g de crack; 80g de haxixe; 72 comprimidos de ecstasy; R$273 em dinheiro; uma pistola calibre 9mm; três carregadores; um revólver calibre .38; 55 munições; duas balanças de precisão; cadernos com anotações do tráfico; e um carro, apontado como sendo utilizado para tele-entrega de drogas.

O nome da operação foi definido por conta da expulsão da mulher da própria residência. A casa teria sido escolhida por ser um ponto estratégico e chamaria pouca atenção para as atividades de depósito, distribuição e venda ilegal de entorpecentes e de armas.

 

Fonte: Grupo Independente.
Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Compartilhe

[DISPLAY_ULTIMATE_SOCIAL_ICONS]

Trending

×

Entre em contato

×