Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Vereadores expõem opiniões sobre a atual situação causada pelo Covid-19 – Portal Plural
Connect with us

Destaque

Vereadores expõem opiniões sobre a atual situação causada pelo Covid-19

Reporter Cidades

Publicado

em



Na manhã deste sábado, 28 de março, os vereadores de Santa Rosa, Marcos Migue Knorst, Renato Scheafer, Aldair Melchior, Sônia Conti, Rodrigo Bürkle, Osório Antunes dos Santos e Claudio Schmidt foram os grandes protagonistas do Programa Plural Entrevistas do Portal Plural apresentado por Silvio Brasil e Leonardo Vicini com a Direção de imagens e cortes de Gelson Waier.

Sonia Conti (PCdoB)

Em sua explanação sobre o tema, a Vereadora Sonia Conti (PCdoB), pediu para que as pessoas respeitem a área técnica e vamos ouvir quem sabe sobre o que está acontecendo. “Não podemos pensar apenas em nos salvar, mas pensarmos também nos profissionais da área de saúde que são os grandes heróis. Eu acho que nós temos “a sorte” de sermos um dos últimos países, aconteceu com a China, Itália, França e outros países, vamos aprender com os erros e acertos dos outros países. Vamos dar um tempo, a economia é importante, mas eu não consigo imaginar o crescimento da economia em tempos de guerra e o que vivemos agora é um tempo de guerra. Todos devem pensar da mesma forma ouvindo quem entende do assunto, não é no achismo, de maneira nenhuma, não vai ser para sempre e prorrogar mais dez, quinze dias, entendemos que vai ser difícil, mas vamos estar todos juntos no mesmo barco, vamos respeitar em nome dos profissionais de saúde, uma vez que corremos um grande risco de chegar em algum momento e não termos profissionais para nos atender e nós vamos estar doentes ou mortos como está acontecendo em outros países. Então! Ouvir quem entende do assunto e não pensarmos nesse momento só em nós mesmos”. Ainda conforme Sonia Conti, tranquilidade não existe nesse momento, ela disse que apoia o prefeito Alcides Vicini, que já tiveram várias divergências, mas ele está fazendo o correto, ou seja, de estar ouvindo a área técnica. A vereadora acrescentou que enquanto a área técnica não manifestar a liberação das pessoas, ela acha que todos devem acatar em nome da vida de cada um e do planeta.

Renato Scheafer (MDB)

O parlamentar iniciou sua fala expressando o parabéns ao Prefeito Alcides Vicini e a direção da Fundação Municipal da Saúde (Fumssar) pelo segundo ele, belíssimo trabalho que estão realizando na cidade, pois estão fazendo a diferença. Renato Scheafer fez a seguinte explanação ao Plural Entrevistas: “Eu tenho uma colocação diferente ao que foi dito pela vereadora Sonia Conti e peço que a minha colocação seja respeitada porque eu respeito muito a colocação das outras pessoas. A gente não pode fazer do nosso problema uma guerra interna na nossa cidade e começar a ter uma reação agressiva sobre qualquer posição pessoal. Eu desde a primeira noite quando tivemos esse problema. Eu me coloquei dizendo dos problemas que nós teríamos depois do Coronavirus. Quero dizer que tenho um posicionamento um pouco contrário. Eu acredito que essas pessoas de risco realmente tem que se cuidar, se resguardar porque são as mais atingidas, mas nós hoje não somos Itália, Estados Unidos e nem Espanha, para nós aguentarmos uma parada de 15, 30 dias, é impossível! Logo ali na frente nós vamos pagar com mais vidas faltando comida e muitas outras coisas, eu acredito que vai faltar suporte até para a área da saúde do Estado e da União após essa situação e acredito que vai piorar ainda mais a situação! Eu tenho há 24 anos uma empresa, estou muito preocupado mesmo, não sei qual vai ser a reação daqui pra frente, estou muito preocupado também com o meu futuro, a gente está nervoso, não deveria, mas eu acredito que nós devemos voltar ao trabalho, quem pode voltar tem que voltar! Nosso país não aguenta, nosso país não tem suporte para ficarmos parados tantos dias, inclusive acredito que a vigilância, Sest /Senat deveriam fazer um trabalho de apoio aos Postos de Combustível ao redor da cidade que é muito importante. Os caminhoneiros não podem parar, tem muitas pessoas em outras cidades que não tem suporte para andar na estrada, não tem peças. As lojas de peças poderiam colocar um plantonista nos postos ou deixar disponível um número de telefone para dar suporte aos caminhoneiros, banheiros limpos, é nessa direção que a gente vai! A gente quer que as coisas funcione, que as coisas principais tinham que funcionar porque atrás daqueles que não tem Coronavirus também tem vida!  Então! Eu vejo desse lado. As concessionárias do estado já estão se preocupando estão fazendo equipes de apoio para o almoço porque não há restaurantes abertos, é preocupante! Então eu acho que nessa linha que o país tem que retomar o trabalho, quem pode trabalhar volta e o restante, pai avô, avó, fiquem em casa se cuidem!

Rodrigo Bürkle (PP)

Eu penso que as medidas foram tomadas desde o começo dessa pandemia! O governo Municipal agiu rápido, a câmara de vereadores também, nós autorizamos a contratação de seis médicos de maneira emergencial para colaborar com a população. A juíza do trabalho autorizou a abertura do Hospital Abosco. Todo mundo acompanha as redes sociais e a gente acaba tentando tirar informações da parte técnica e cientifica que isso é muito importante. Eu acho que aglomerações deveriam ser impedidas, mas o pequeno comércio não deveria pagar esse preço hoje e quem vai defende-los daqui a três ou quatro meses? Eu não sei! O único que tem capacidade de fazer isso é o governo federal que já tomou algumas atitudes, mas o governo municipal não teria recursos para sanar todos esses problemas, pois, quem trabalha como prestadoras de serviços como o pequeno comércio estão dos parados! Então! Isso é bem problemático. A economia é importante sim! A vida das pessoas é importante sim! Mas nós deveriam fazer um isolamento vertical! Os grupos de riscos sim! Ficarem isolados, shows e outras aglomerações sim! Mas, o pequeno comércio, aquela pessoa que tem uma pequena loja de vestuário, calçados e outras tomando todas as precauções possíveis, eu acho que teria condições de abrir o comércio dele e tentar tocar em frente, eu sei que é difícil, os serviços essenciais estão todos funcionando, estamos colocando em riscos algumas pessoas para deixar outras a salvo. Então! Só estou fazendo uma analogia dessas duas situações porque caminhoneiro não pode parar! Posto de Combustível, farmácias, Supermercados e as indústrias de alimentos não estão paradas e o pequeno comércio, de repente aquele que mais precisa, onde não tem aglomerações de pessoas estão isolados! Eu acho que isolando todo grupo de riscos e com escalonamento tentar fazer uma reabertura, não sei se na semana que vem, uma vez que o governador poderá rever sim na segunda-feira sua posição, os municípios já estão tomando outras direções. O governo do estado não mandou fechar os comércios deixou esse peso a cargo dos prefeitos, não mandou! Está lá no decreto, então, os prefeitos estão sendo pressionados, onde tem comércio que não pode dar errado nenhum dia para poder pagar as contas no final do mês. O governo federal sinalizou um recurso de R$ 600 reais para as pessoas que não trabalham com carteira assinada, mais R$ 1,200 para uma mãe solteira, mas é durante três meses! Será que isso vai chegar? Depois dos três meses o que vai acontecer? Adiantaram para não pagar a Luz, água, não vai ser cortado, então, daqui a noventa dias de repente nós vamos beirar o caos, mas o caos econômico onde as pessoas não vão ter empregos isso poderá gerar muito mais mortes do que o próprio Coronavirus! Quem tem filhos pequenos e tem idoso na família, estamos tomando todas as precauções, eu por exemplo, faz uma semana que não vejo minha mãe! Minha vó tem 85 anos, está se isolando pra tentar combate, mas, eu acho que quem tem comércio não pode pagar o preço! O Vereador Renato tem comércio, a minha mulher tem uma prestadora de serviços (Salão de beleza), faz duas semanas que praticamente não trabalhou! Na última semana não fez nada! Então isso é preocupante sim! As vidas são preocupantes sim! O governo municipal tomou todas as precauções, mas eu acho que está na hora de devagar, de maneira bem organizada o pequeno comércio voltar a funcionar! O pequeno salão de beleza, comercio varejista em si porque ele não tem quarenta, cinquenta pessoas dentro do espaço e tomar as precauções. O Vicini nunca passou por isso! Nenhum de nós passou por isso! É preocupante sim! Mas eu acho que o comércio não deve pagar esse preço e manhã ou depois as pessoas ficam desempregadas e vamos ter muito mais problemas do que o próprio Coronavirus!

Marcos Migue Knorst (PCdoB)

Olha! O que Rodrigo Bürkle resumiu é muito interessante! Nós poderíamos ficar um dia inteiro debatendo, nós temos opiniões diferentes. Eu trabalho no comércio, minha esposa também trabalha no comércio, e o Rodrigo falou o que está acontecendo e que infelizmente o Brasil não está se entendendo. Começa de cima para baixo, as pessoas estão sem saber para que lado vão, porque o presidente fala uma coisa, o Ministério da Saúde fala outra e nós aqui embaixo na ponta estamos sem vida! Nas últimas duas semanas o comércio não vendeu nada, vai adiantar nos abrirmos se o Brasil todo está parado? Santa Rosa vai abrir! Eu falei com vários empresários sobre a expectativa de Santa Rosa abrir o comercio! O que vai adiantar abrir em Santa Rosa se os municípios em volta e o Brasil todo ficar parado? O primeiro passo é o Brasil tomar uma decisão! È muito fácil, você vai na rede social hoje é todo mundo dando seu palpite, isso virou uma guerra política! Então! Ficou muito difícil a gente se expressar sobre o Coronavirus porque as pessoas estão enxergando de outra forma. Eu acredito que nós junto com o prefeito sentar, conversar e tentar achar uma saída será a melhor forma, mas primeiramente o Brasil terá que se entender! Os técnicos falam uma coisa no meio dia o Presidente fala outra! Nós aqui embaixo na ponta do Rio Uruguai o que nós vamos fazer? O Ministério de saúde fala uma coisa, a nossa Fundação Municipal de Saúde fala uma coisa e nosso presidente fala totalmente o inverso. E como nós vamos dar opinião? Eu trabalho no comércio, Renato no Comércio, a Sônia é Psicóloga, é fácil nós falarmos, mas certamente os órgãos competentes dizem uma coisa e nós falamos outra. Então, primeiramente eu acho que nós temos que tomar rumo, decisão em nível nacional, não adianta nós de Santa Rosa querer abrir o comércio, se os municípios em volta continuarem fechados! O comércio não vai andar! Nas últimas duas semanas, o comércio parou! O pessoal está com medo de sair nas ruas, a situação é complicadíssima, mas eu tenho uma solução! Nesse momento o próprio Prefeito Alcides Vicini tem que sentar e conversar. Sou totalmente a favor voltar, as universidades ficarem paradas até o fim do decreto municipal, e o comércio diminuir as pessoas que trabalham (Escala) e as Escolas ficarem paradas! Sou totalmente contrário as escolas voltarem, porque as crianças não tem o cuidado que um adulto tem. Então eu acho assim, o comércio é quem gira a economia. Sou favorável de sentar e conversar achar um entendimento. O comércio abrindo com quem vai ficar as crianças? Vão ficar com vô, com a avó, a tia e ai é que está o problema. Então! Para vocês verem, a situação é muito mais complicada do que a gente pensa. Também quero dar os Parabéns ao prefeito Vicini, muitas vezes a gente crítica e fala, mas dar os parabéns pela condução através da Fundação Municipal de Saúde da forma como estão agindo em Santa Rosa. Eu tenho recebido elogios da comunidade em geral dando os Parabéns para o prefeito, Fundação Municipal de Saúde Dr. Benvengnú, pela forma como estão enfrentando a situação porque ela é complicada, no Facebook todos estão dando sua opinião, xingando, levando colapso político que é em nível mundial! Então ficou muito complicada a situação!

Aldair Melchior (PP)

Pelo o que eu estou vendo, essa situação ela é muito preocupante, nós tivemos a confirmação de casos aqui na região, na nossa cidade, então, o vírus já está circulando aqui. Até então nós não tínhamos a confirmação da circulação do vírus. Porém, o que eu vejo, é que muitas pessoas tem nos procurado com a preocupação do pagamento de suas contas, principalmente dos autônomos que não tem a garantia de seu salário no final do mês. Então, a minha opinião é a seguinte: Eu acho que as pessoas que estão no grupo de risco, os imunossuprimidos, os idosos, eles deveriam ficar dispensados de suas atividades, permanecendo em casa, as escolas, eu acho que as aulas ainda não deveriam reiniciar, porém, o comércio eu acho que gradativamente poderia voltar a funcionar porque senão nós teremos grandes complicações financeiras com relação a economia aqui da nossa cidade. Então, acredito que tomando todos os cuidados necessários, o comércio gradativamente deveria voltar a funcionar.

Osório Antunes dos Santos (PDT)

O vereador começou falando de sua vida profissional dizendo: “ A vida toda eu trabalhei na área da saúde, tanto eu como a minha esposa, então, eu praticamente converso muito com colegas da área da saúde! Tenho acompanhado demais profissionais médicos opinando, uma falação ao Coronavirus. Se quiser posso dar depoimentos e números de profissionais tanto da cidade de Passo fundo como também Porto Alegre, enfim! Todos os profissionais eles tem agido de uma maneira muito prudente. Qual é a maneira prudente? Eles pedem para que a população permaneça em casa, a população acima de 60 anos de idade, é quase um confinamento, só que em nenhum momento eu vi profissional da área da saúde se manifestar para fechar comércio! Eles estão se posicionando como eles são, ou seja, profissionais médicos. Agora! Uma situação de fechar comércio, isso ai, é trazer um colapso. Eu tenho um amigo que tem três empresas, dois dias antes de acontecer tudo isso ai, começou a baixar muito o movimento em virtude desse “apavoro”, porque as pessoas estão muito apavoradas. O que acontece? Ele não pagou os profissionais, fechou o comercio e o resto o futuro a Deus pertence ou me cobre na justiça! Ai eu pergunto, se o comércio que mais emprega na cidade quebrar quem vai recuperar a nossa população? Quero parabenizar ao prefeito Alcides Vicini, sua equipe, n a saúde o Dr. Luis Antônio Benvengnú que é médico, trabalhei com ele de 1997 a 2000. A posição deles naquele momento de desespero era tomar uma atitude, sim! Mas agora não dá para sair na rua, eu principalmente sou da Comissão da Saúde, saio na rua as pessoas me atacam “pelo o amor Vereador tome uma posição lá na câmara”. O comércio tem que abrir no mais tardar do dia 1º ao dia 5 de abril. Porque? O foco é agora! Quando encostava um ônibus na rodoviária ninguém ficavam investigando, agora como surgiu um caso aqui e tem mais um caso de um homem internado em Porto Alegre com a doença que é daqui, e se acontecer novos casos de Coronavirus, ele vai estar normal, vai aparecer ou lá na Auxiliadora ou na Agrícola, Jardim Petrópolis, até já teve um caso suspeito aqui na minha vila! Ao ser interrompido por Leonardo Vicini, quando o mesmo questionou se o vereador estava deixando bem claro que sua opinião era a favor da abertura do comércio, Osório Antunes dos Santos continuou dizendo que era bem claro nisso porque pessoas foram em uma farmácia, eu também fui, pessoas foram em supermercados, eu também fui então qual é o problemas irmos em uma empresa que tem quatro ou cinco funcionários? O que muda isso? Não muda nada! Agora, nós temos que ter consciência sim! O hospital Dom Bosco está se preparando se houver algum caso vai ter onde internar e se tratar! Meus Parabéns para quem se mobilizou e a Juíza Dra. Raquel Nene Santos da Vara do Trabalho que autorizou o funcionamento do Dom Bosco. Vou atentar para outro assunto, nós estamos focados no Coronavirus e tem algo meio que tomando conta da nossa cidade, a Dengue com vários casos confirmados. A Imprensa é importante nisso, nós estamos cuidando muito no caso do Coronavirus que é importante e temos que abrir os olhos com a Dengue que está vindo a todo vapor.

Claudio Schmidt (MDB)

Quero aqui expor minha opinião não como vereador de Santa Rosa, mas, como cidadão que vive em Santa Rosa, ama essa região Noroeste. Nós vivemos uma situação muito preocupante nesse momento que é o Coronavirus. Mas, as medidas que foram tomadas, que estão tomadas, elas foram um pouco extremas. Temos sim que se precaver! Temos sim que ter esse cuidado, isolar as pessoas que tem uma faixa etária de 60 a 80 anos, que tem a imunidade mais baixa, mas, não podemos parar toda uma região Noroeste por situações aparentemente isoladas. Nós temos na região do estado do Rio Grande do Sul, uma média de 100 casos em uma população de quase 11 mil pessoas. Não se isola 99,9% da população em suas casas por uma situação de meio por cento. Existe uma conta a ser paga e quem irá pagar essa conta? Quem irá pagar a água do cidadão, a luz do cidadão, a refeição de seus filhos? O Coronavirus, é uma epidemia que vai passar tantas quantas outras já passaram. Nós tivemos o H1N1, que morreu mais de 30 pessoas em Santa Rosa na UTI e não se deu uma ênfase tão grande da mídia em cima de uma situação que vivemos lá em 2010 e não se parou a economia. Eu acho que temos que voltar a fazer a máquina a trabalhar, temos que ter sim prevenções, precauções, mas o caminho de parar toda uma região noroeste, onde temos meia dúzia, o H1N1 matou 870 pessoas, nós temos até agora 60 pessoas que morreram com o Coronavirus. Então, esse processo ele está errado! Se escutou todas as pessoas, opinaram, deram sugestões, mas, não estão escutando alguém que passou por duas epidemias que é o nosso Deputado Federal e médico, Osmar Gasparine Terra. Ele deveria ser ouvido e ele coloca que não é esse o caminho. As pessoas tem que voltar aos seus trabalhos, temos que voltar as aulas e quando surgirem fatos reais se isola essa pessoa, se isola seus familiares e precisamos tocar sim em frente a vida. Não podemos parar porque a depressão por falta de emprego, por falta de trabalho, irá matar muito mais gente no futuro que o próprio Coronavirus. Essa é uma opinião de um cidadão de Santa Rosa, que ama essa cidade e ama essa região noroeste.


A vereadora Márcia Carvalho não participou da entrevista por questões de trabalho, ela é funcionária da Fundação Municipal da Saúde. O Vereador Miro Jesse, não conseguiu participar porque devido a recomendações médicas está recolhido em sua casa de veraneio as margens do Rio Uruguai.

O Vereador Paulo Roberto dos Santos (Paulinho do Cidadania) não respondeu aos convites. A Vereadora Lires Zimmermann Fürh disse que não podia participar por problemas particulares. O Vereador Máximo Altemir Martins (Timirinho PP) disse que corona não era com ele e que portanto não participaria. Os Vereadores Dado Silva (PT) e Aldemir Urich nossa reportagem não conseguiu contato. Após o programa e com os números dos mesmos, o Vereador Dado Silva aceitou participar do programa na segunda -feira, já Aldemir Urich (MDB) disse que não participaria.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Santa Rosa permanece na bandeira vermelha

Uma bandeira laranja e 20 vermelhas no mapa preliminar da 31ª rodada do Distanciamento Controlado

Pável Bauken

Publicado

em



Apenas uma região não foi classificada com alto risco epidemiológico no mapa preliminar da 31ª rodada do Distanciamento Controlado. A região de Taquara e seus oito municípios receberam bandeira laranja (risco médio). Todo o restante do Rio Grande do Sul aparece em vermelho na divulgação feita pelo governo nesta sexta-feira (4/12).

Veja a classificação prévia da 31ª rodada: https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br

A cor predominante do mapa preliminar reforça o alerta emitido há semanas pelo governador Eduardo Leite, devido à mudança do cenário de estabilização para aumento de internações por Covid-19 no Estado, e que foi ampliado por meio de decreto. Publicado na segunda-feira (30/11), o documento traz medidas válidas por 14 dias, como a suspensão do sistema de cogestão do Distanciamento Controlado, para unificar as restrições e obrigando todos os locais com alto risco epidemiológico a segui-las para conter a contaminação, e alterações em protocolos de bandeira vermelha.

“Precisamos reforçar a necessidade de cuidados e reduzir a circulação de pessoas e conter a propagação de coronavírus no RS. Agora, o que queremos é que as pessoas se encontrem menos, em festas e confraternizações, ou mesmo em parques e locais públicos, onde tendem a se cuidar menos. Não é hora de aglomerações. Reduzir contatos é muito importante nesse momento, porque quebramos o ciclo de contágio”, afirmou Leite ao anunciar as medidas.

No mapa preliminar anterior, todas as 21 regiões Covid apareceram, pela primeira vez, em vermelho – depois, a análise do Gabinete de Crise acatou dois pedidos de reconsideração e o mapa definitivo ficou com 19 em alto risco. Nesta rodada, foram 20 bandeiras vermelhas no cálculo prévio, mas não quer dizer que houve melhora. Pelo contrário.

Para o total do Rio Grande do Sul, houve piora em todos os indicadores. Entre as maiores variações estão o número de casos de Covid-19 ativos (aumento de 20%), os internados em leitos clínicos com Covid-19 registrados nos últimos sete dias (+15%) e os óbitos nos últimos sete dias (+29%).

As regiões com maior número de novos registros de hospitalizações na semana, por local de residência do paciente, são Porto Alegre (267), Caxias do Sul (162), Passo Fundo (111), Novo Hamburgo (92), Pelotas (76) e Canoas (73).

Contabilizando os pacientes internados por outras causas nesta semana, houve praticamente estabilidade no número de leitos de UTI ocupados. Com a manutenção do total de leitos e o aumento de 3% nos pacientes confirmados internados em UTI, houve nova redução da razão de leitos livres para cada ocupado por Covid-19, chegando ao menor nível desde o início do Distanciamento Controlado: 0,62.

O governo do Estado já anunciou que serão abertos mais 113 leitos nos próximos dias, totalizando 1.986 leitos de UTI SUS adulto – aumento de 113% ao total antes da pandemia, que era de 933 unidades.

Até as 6h de domingo (6/12), municípios e associações ainda podem enviar pedidos de reconsideração ao mapa preliminar para o governo através do formulário https://forms.gle/jX5T1sQA6Djnh5xE8. Depois de analisados pelo Gabinete de Crise na segunda-feira (7/12), receberão as bandeiras definitivas, vigentes de 8 a 14 de dezembro.

Alertas

A equipe que monitora os indicadores do modelo de Distanciamento Controlado chama atenção para a contínua redução de leitos livres de UTI para atender Covid no Estado.
Há duas semanas, havia 626 leitos de UTI livres para pacientes contaminados pela Covid-19. Na semana passada, eram 522 e, nesta semana, o número caiu para 496.

Já são duas semanas consecutivas que o indicador da Mudança da Capacidade de Atendimento, mensurada no Estado, apresenta taxas de variação negativa.

Mudança de bandeiras

Em bandeira vermelha na rodada vigente, a região de Taquara foi a única que passou para bandeira laranja neste mapa preliminar da 31ª rodada. Houve redução nos registros de hospitalizações para Covid-19 nos últimos sete dias – de 14 para nove, queda de 36%, e estabilização no número de óbitos (cinco em cada semana). O indicador de Ativos sobre Recuperados registrou 634 ativos para 1.506 recuperados, representando uma piora no valor dado pela razão em comparação à semana anterior.

As regiões de Cachoeira do Sul e Guaíba, as duas únicas em laranja na rodada vigente, após obterem o deferimento dos pedidos de reconsideração, apresentaram piora e passaram novamente para risco alto. Em Cachoeira do Sul, houve redução nos registros de hospitalizações para Covid-19 nos últimos sete dias – de cinco para quatro, queda de 20%, e não houve óbitos nesta semana, mas com o indicador de estágio de evolução no vermelho, a região ficou com bandeira mais restrita. No caso do indicador de Ativos sobre Recuperados, a região registrou 152 ativos para 240 recuperados, o que também representa uma piora no valor dado pela razão em comparação à semana anterior.

Guaíba, por sua vez, apresentou aumento significativo de hospitalizações para Covid-19 nos últimos sete dias – de 17 para 26, crescimento de 53%. O número de óbitos permanece estável – nove em cada uma das duas últimas semanas. No caso do indicador de Ativos sobre Recuperados, a região registrou 537 ativos para 1.516 recuperados, representando uma melhora no valor dado pela razão em comparação à semana anterior.

Regra 0-0

Conforme o mapa preliminar da 31ª rodada, 489 municípios (do total de 497) estão classificados em bandeira vermelha, somando 11,1 milhões de habitantes, o que corresponde a 98% da população gaúcha (total de 11,3 milhões de habitantes).

Desses, 193 municípios (930,7 mil habitantes, 8,2% da população gaúcha) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

• Clique aqui e acesse a lista de municípios que se encaixam na Regra 0-0

RESUMO DA 31ª RODADA

Regiões que apresentaram piora (2)

LARANJA > VERMELHA
Guaíba
Cachoeira do Sul

Regiões que continuaram iguais (18)

VERMELHA
Bagé
Canoas
Capão da Canoa
Caxias do Sul
Cruz Alta
Erechim
Ijuí
Lajeado
Novo Hamburgo
Palmeira das Missões
Passo Fundo
Pelotas
Porto Alegre
Santa Cruz do Sul
Santa Maria
Santa Rosa
Santo Ângelo
Uruguaiana

Região que melhorou (1)

VERMELHA > LARANJA
Taquara

• Clique aqui e acesse a nota técnica com as justificativas de classificações das regiões.

DESTAQUES DA 31ª RODADA

• número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com Covid-19 aumentou 12% entre as duas últimas semanas (de 1.047 para 1.174) no RS;
• número de internados em UTI por síndrome respiratório aguda grave (SRAG) aumentou 4% no Estado entre as duas últimas quintas-feiras (de 928 para 966);
• número de internados em leitos clínicos com Covid-19 aumentou 15% entre as duas últimas quintas-feiras (de 1.183 para 1.1357);
• número de internados em leitos de UTI com Covid-19 aumentou 3% entre as duas últimas quintas-feiras (de 775 para 799);
• número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 no RS reduziu 5% entre as duas últimas quintas-feiras (de 522 para 496);
• número de casos ativos aumentou 20% entre as duas últimas semanas (de 21.348 para 25.656);
• número de registros de óbito por Covid-19 aumentou 29% entre as duas últimas quintas-feiras (de 276 para 357);

Comparativo: situação entre 6 de novembro e 4 de dezembro

• número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com Covid-19, no RS, aumentou 49% no período (de 790 para 1.174);
• número de internados em UTI por SRAG aumentou 32% no Estado no período (de 732 para 966);
• número de internados em leitos clínicos com Covid-19 aumentou 82% no período (de 747 para 1.357);
• número de internados em leitos de UTI com Covid-19 no RS aumentou 41% no período (de 568 para 799);
• número de casos ativos aumentou 93% no período (de 13.277 para 25.656);
• número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 no RS reduziu 35% no período (de 767 para 496);
• número de óbitos por Covid-19 acumulados em sete dias aumentou 62% no período (de 220 para 357).

Clique aqui e acesse o levantamento completo da 31ª rodada do Distanciamento Controlado.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Após 12 dias internado com Covid-19, Osmar Terra deixa hospital

O deputado federal recebeu alta médica às 11 horas desta sexta-feira; nas redes sociais, Terra agradeceu o apoio recebido durante o tratamento

Pável Bauken

Publicado

em



O deputado federal Osmar Terra, do MDB, recebeu alta médica nesta sexta-feira, 4. Diagnosticado com Covid-19, ele havia sido internado em 22 de novembto no Hospital São Lucas, da PUC-RS, em Porto Alegre. Sem detalhes sobre o quadro de saúde do deputado federal, a unidade hospitalar confirmou em nota a liberação, que aconteceu às 11 horas desta sexta-feira. Em suas redes sociais, Terra direcionou abraços aos seguidores e amigos, agradeçendo às “manifestações de carinho e apoio” que recebeu durante o tratamento.

Osmar Terra também usou suas contas nas redes para confirmar o diagnóstico da Covid-19. No dia 13 de novembro, através de uma postagem, afirmou estar com a doença. “Já iniciei tratamento precoce com hidroxicloroquina e ivermectina. Comecei o isolamento em casa e cumprirei minha agenda de forma remota nos próximos dias, seguindo as intruções médicas”, diz a publicação. Ainda de acordo com o parlamentar, a internação foi necessária para “acelerar a volta ao trabalho”, já que “realizou exames de avaliação e fisioterapia” no hospital. Segundo estudos científicos, a hidroxicloroquina não possui eficácia no combate ao coronavírus. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por sua vez, analisa que não há estudos conclusivos sobre o uso da ivermectina no tratamento contra a doença.

Confira a publicação do deputado federal Osmar Terra sobre a alta médica:

Jovem Pan

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Luísa Sonza leva Vitão para conhecer Tuparendi

Cantora compartilhou fotos da viagem em seu perfil do Instagram

Reporter Cidades

Publicado

em



Na noite desta quinta-feira (3), a cantora Luísa Sonza compartilhou várias fotos em seus Stories do Instagram de uma visita feita no último final de semana a Tuparendi, cidade do noroeste gaúcho, a cerca de 500 quilômetros da Capital, onde ela nasceu e passou grande parte da vida. Dessa vez, a gaúcha de 22 anos levou companhia: o namorado Vitão.

— Para quem não está entendendo nada de por que estou postando essas coisas, já estou em São Paulo, mas esses dias fiquei na casa do meu pai, no interior, onde vivi minha vida toda, e o Vitor foi junto — disse a cantora em vídeo.

Nas fotos, Vitão aparece interagindo como pai de Luísa, o agricultor Cezar Sonza, e a irmã mais nova da cantora, a pequena Sofia. O casal aproveitou o interior para pescar, descansar na rede e até dirigir um trator.

Os cantores tornaram seu relacionamento público em setembro com uma galeria de fotos em clima de romance em suas redes sociais. Desde a parceria em Flores, cujo clipe foi lançado no Dia dos Namorados, circulam os rumores de que os dois se tornaram mais do que bons amigos.

Na época, eles negarem o relacionamento e afirmaram que a proximidade era fruto da parceria profissional, e o clima de romance, uma estratégia para a divulgação do novo trabalho. Ainda assim, não faltaram críticas à gaúcha, que se divorciou do youtuber Whindersson Nunes em abril deste ano.

Gaúcha/ZH

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×