Veja o que você precisa saber sobre os riscos e cuidados na compra de carros atingidos por enchente
Connect with us

Geral

Veja o que você precisa saber sobre os riscos e cuidados na compra de carros atingidos por enchente

Publicado

em

portal plural carros enchente rs
Foto: Miguel Noronha/Enquadrar/Estadão Conteúdo

FAST AÇAÍ15 topo humberto pluralAcademia PersonaNuverabanner plano0 gold

A enchente que atingiu o Rio Grande do Sul em maio danificou milhares de veículos, levando a uma corrida para vender esses automóveis e minimizar os prejuízos dos proprietários. Para os compradores, essa situação pode representar uma oportunidade de negócio, já que muitos carros estão sendo vendidos por valores bem abaixo da tabela Fipe. No entanto, é essencial ter cautela ao adquirir um veículo usado ou seminovo, pois o preço baixo pode esconder problemas sérios.

Paulo Fernando Paim, presidente do Sindicato da Indústria da Reparação de Veículos e Acessórios (Sindirepa-RS), recomenda que a primeira ação após a compra de um carro seja levá-lo a uma oficina mecânica de confiança para uma revisão completa.

— Um leigo não consegue identificar se a higienização foi bem feita. Sem a devida inspeção, problemas decorrentes do alagamento podem passar despercebidos. Por isso, todo carro comprado deve ser levado a uma oficina para uma revisão. É importante que o mecânico verifique os módulos de injeção e os sistemas eletrônicos e elétricos do carro, pois esses componentes costumam ser afetados pela água — explica Paim.

Paim destaca que, mesmo que o veículo pareça em boas condições, ele pode apresentar problemas futuros se os reparos não forem realizados corretamente. Ele detalha que os principais danos geralmente não estão na lataria, mas na parte elétrica e no motor.

— As placas eletrônicas atingidas pela água podem desenvolver zinabre, uma substância que indica corrosão. Embora o carro funcione, ele pode apresentar problemas em um mês, seis meses ou um ano. É certo que problemas surgirão, mas é incerto quando — completa Paim.

Apesar dos riscos, a compra de um veículo atingido pela enchente pode ser vantajosa para o comprador, pois o desconto no valor do automóvel pode compensar possíveis despesas com reparos.

— Se você agir corretamente, a compra pode ser segura. Você terá garantia e poderá substituir peças defeituosas, desde que uma avaliação adequada seja realizada. Com uma vistoria bem-feita, a compra pode valer muito a pena, pois você pode adquirir um carro por 50% a 60% do valor de mercado em um leilão. Mesmo com os custos de revisão e manutenção, ainda assim pode ser um bom negócio — conclui Paim.

O que verificar ao suspeitar que um carro foi alagado?

Se você não tiver conhecimento técnico, busque ajuda de um mecânico de confiança. A seguir, confira algumas dicas do Sindirepa-RS para uma análise preliminar:

Interior

  • Presença de odores desagradáveis, como mofo. Desconfie também de um cheiro excessivo de perfume.
  • Manchas nos tecidos dos bancos e revestimentos das portas.
  • Puxe os cintos de segurança retráteis e observe se há manchas ou mau cheiro na fita.
  • Marcas no revestimento do teto.
  • Deslize os bancos para frente e verifique a presença de oxidação nos trilhos e alavancas.
  • Use um celular para fotografar a coluna de direção a partir da posição dos pedais e observe marcas de oxidação nas partes metálicas expostas.
  • Resíduos de terra ou poeira no interior dos instrumentos do painel.
  • Abra o porta-malas e verifique a oxidação no alojamento do pneu estepe.

Exterior

  • Incrustações de terra ou poeira em superfícies de difícil acesso, próximas aos frisos, molduras, grades e alojamentos dos vidros.
  • Terra ou poeira no interior dos faróis, faroletes e lanternas.

Parte Inferior

  • Oxidações em partes de metal e alumínio.
  • Restos de lama ou terra.

Cofre do Motor

  • Incrustações em partes de alumínio, como radiadores e condensadores.
  • Presença de lama ou terra em pequenos nichos ou cavidades.
  • Coloração ou sujeira na vareta de medição do óleo do motor.

    Fonte: GZh

Compartilhe

Esportes

Ex-segurança de Schumacher exigia R$ 81 milhões para não divulgar fotos e histórico médico

Publicado

em

portal plural ex segurança de schumacher exigia r$ 81 milhões para não divulgar fotos e histórico médico
Crédito: Alexander Hassenstein/Bongarts/Getty Images
Nuvera15 topo humberto pluralbanner plano0 goldFAST AÇAÍAcademia Persona

Um ex-segurança de Michael Schumacher tentou extorquir a família do heptacampeão de Fórmula 1, ameaçando vazar fotos e o histórico médico do ex-piloto, que não é visto em público desde dezembro de 2013, após sofrer uma grave lesão cerebral em um acidente de esqui nos Alpes Franceses.

Segundo o diário alemão Bild, um homem identificado como Markus F., de 52 anos, exigiu 15 milhões de euros (cerca de R$ 81 milhões) da família de Schumacher para não divulgar o material. De acordo com documentos da investigação acessados pelo jornal, Markus tinha aproximadamente 1.500 arquivos da vida privada do ex-piloto. Ele trabalhou como segurança da família por pelo menos cinco anos e foi dispensado em 2021.

Markus F., dono de uma empresa de consultoria em TI (Tecnologia da Informação), estava endividado e buscava se recuperar financeiramente aplicando o golpe na família de Michael Schumacher. Para isso, ele contratou um colega segurança, Yilmaz T., de 53 anos, que foi responsável por contatar a família com a ameaça.

Yilmaz foi preso pela polícia alemã junto com seu filho Daniel, de 30 anos. Durante o depoimento, Yilmaz revelou o envolvimento de Markus F., o mentor do golpe. Daniel foi liberado na última segunda-feira (8) após pagar uma fiança de 10 mil euros (aproximadamente R$ 59 mil). Markus e Yilmaz permanecem sob custódia das autoridades alemãs.

Fonte: CNN Brasil
Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Câmara analisa projeto para conceder meia-entrada a alunos de cursinhos e escolas de idiomas

Publicado

em

portal plural alunos de cursinhos e de escolas de idiomas também poderão ter meia entrada; câmara analisa
Foto:Getty Images
Academia Personabanner plano0 goldFAST AÇAÍ15 topo humberto pluralNuvera

Na Câmara dos Deputados, está em análise um projeto de lei que propõe modificações no Estatuto da Juventude, visando ampliar o benefício da meia-entrada para inscritos em cursos de idiomas e cursos preparatórios para concursos públicos, Enem e outros vestibulares. Atualmente, o desconto em eventos culturais e esportivos é concedido a estudantes, idosos, pessoas com deficiência e jovens carentes entre 15 e 29 anos.

O deputado Túlio Gadêlha (Rede-PE), autor da proposta, destacou nas redes sociais que mais de 5 milhões de pessoas se inscreveram para o Enem 2024, ressaltando a necessidade de garantir o acesso à cultura para essa categoria de estudantes, que abre mão de diversas atividades durante os estudos.

O projeto seguirá em tramitação em caráter conclusivo, passando pelas comissões de Educação, Cultura e Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, antes de ser avaliado pelo Senado.

Fonte: CNN Brasil

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Conselho Nacional veta internação de menores em comunidades terapêuticas

Publicado

em

portal plural o conselho nacional dos direitos da criança e do adolescente divulgou uma resolução nesta sexta feira (12), proibindo a internação de crianças e adolescentes em comunidades terapêu
Foto: Divulgação
15 topo humberto pluralAcademia PersonaFAST AÇAÍbanner plano0 goldNuvera

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente divulgou uma resolução nesta sexta-feira (12), proibindo a internação de crianças e adolescentes em comunidades terapêuticas. Este conselho, vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, tomou essa medida considerando denúncias de violações graves nessas instituições, como trabalho forçado, uso de contenções físicas e casos de intolerância.

A partir de agora, apenas adultos poderão ser admitidos nessas entidades privadas sem fins lucrativos, que historicamente acolheram pessoas com transtornos decorrentes do uso ou dependência de drogas. A resolução destaca que a internação de menores em comunidades terapêuticas constitui uma privação de liberdade, infringindo seus direitos fundamentais à liberdade, participação e convivência familiar, além de violar as proteções previstas na Constituição.

O conselho recomendou que, em situações de atendimento de urgência e emergência, o acolhimento seja preferencialmente realizado em Centros de Atenção Psicossocial (Caps), hospitais ou em Unidades de Acolhimento Infanto-juvenil de Saúde (Uais). O Executivo deverá identificar todas as crianças e adolescentes atualmente internados nessas comunidades terapêuticas e elaborar um plano para encaminhá-los a serviços adequados de atendimento.

Fonte: G1

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Compartilhe

[DISPLAY_ULTIMATE_SOCIAL_ICONS]

Trending

×

Entre em contato

×