Traficante que tentou escapar de presídio vestido de mulher é encontrado morto em cela no Rio – Portal Plural
Connect with us

Geral

Traficante que tentou escapar de presídio vestido de mulher é encontrado morto em cela no Rio

Reporter Global

Publicado

em



O preso que tentou fugir do Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, vestido de mulher foi encontrado morto, na manhã desta terça-feira (6), em sua cela no presídio de segurança máxima Bangu 1.

Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Clauvino da Silva, de 42 anos, conhecido como Baixinho, teria se enforcado com um lençol.

O corpo de bombeiros foi chamado, e será realizado o registro de ocorrência. Também será instaurada uma sindicância para apurar os fatos. A Seap informou que todas as celas de Bangu 1 são individuais.

Tentativa de fuga

Na semana passada, Clauvino tentou sair pela porta da frente vestido de mulher. Segundo a Seap, o preso iria deixar a sua filha dentro da cadeia e vestiu a roupa dela para tentar a fuga.

Os inspetores penitenciários perceberam a atitude suspeita e interromperam o plano de fuga. O traficante, a sua filha e mais sete visitantes foram encaminhados à delegacia. Entre eles, estava uma grávida. Os agentes suspeitam que a máscara e os óculos entraram no presídio com ela, já que gestantes não são revistadas.

Clauvino estava condenado a 73 anos e 10 meses de prisão e tinha outra fuga em seu histórico no sistema penitenciário. Em fevereiro de 2013, Baixinho estava entre os 31 presos que fugiram do Instituto Penal Vicente Piragibe, em Gericinó. Na ocasião, ele conseguiu deixar a unidade pelo esgoto.

Fonte: G1

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Escolas terão que oferecer curso de primeiros socorros

Reporter Global

Publicado

em



 

 

Aprovada por unanimidade pelo Senado, a Lei 13.722/2018, mais conhecida como Lei Lucas, torna obrigatória a capacitação em noções básicas de primeiros socorros de professores e funcionários de estabelecimentos de ensino públicos e privados de educação básica e de estabelecimentos de recreação infantil.

 

 

O curso deverá ser ofertado anualmente para a capacitação e/ou a reciclagem de parte dos professores e funcionários dos estabelecimentos de ensino e recreação.

O nome da nova legislação, Lei Lucas, presta homenagem ao menino Lucas Begalli Zamora de 10 anos que morreu engasgado, com um lanche durante um passeio escolar, sem que ninguém pudesse socorrê-lo.

De acordo com Luiz Guilherme Calderon, CEO do Instituto Terzius, um centro de treinamento que oferece cursos para profissionais da área da saúde e capacitações em primeiros socorros para leigos, quanto maior o número de pessoas treinadas e prontas para o primeiro atendimento em primeiros socorros, melhor é o prognóstico das vítimas.

Segundo ele, no caso de obstrução das vias aéreas, o reconhecimento precoce por um corpo estranho é essencial. Em casos de obstrução parcial ainda pode existir uma boa troca de ar, ou seja, nesse cenário os socorristas devem incentivar a vítima a tossir e é muito importante estar ao lado monitorando a situação, já que se a obstrução parcial evoluir para uma obstrução total o serviço médico de emergência deve ser acionado imediatamente.

Nos casos em que a obstrução é total a vítima fica impossibilitada de falar, chorar, a troca de ar fica insuficiente ou inexistente, a tosse é ineficaz, além da possibilidade de ocorrer a cianose (“lábios roxos”). Nesse tipo de situação, se a vítima for um adulto ou uma criança a partir de um ano, é fundamental acionar, imediatamente, o serviço médico de emergência e iniciar manobras de desobstrução com aplicação de força na região abdominal no sentido para dentro e para cima até que a vítima volte a falar. Caso ela perca a consciência, deve-se iniciar as ressuscitações cardiopulmonares.

As ações em bebês – menores de 1 ano – são diferentes de adultos e crianças. Em caso de obstrução parcial da via aérea, remova a roupa do bebê, sente-se em uma cadeira ou ajoelhe-se no chão e segure-o de barriga para baixo, apoiando-o em seu antebraço, com a cabeça um pouco mais baixa que o resto do corpo. Você pode apoiar o seu cotovelo em sua perna para dar mais segurança. Dê cinco “tapas” nas costas no sentido do bumbum em direção a cabeça e depois vire o bebê de barriga para cima e realize, com dois dedos, cinco compressões no meio do tórax. Essa manobra deve ser executada até que o objeto seja removido ou até que a vítima comece a chorar ou pare de responder. Caso ela pare de responder, coloque-a em uma superfície rígida e plana, pode ser no chão, e inicie compressões cardíacas, completa Luiz Guilherme Calderon.

Os estabelecimentos de ensino de educação básica e de recreação infantil terão até o início de abril deste ano para se adequarem às normas da Lei 13.722/2018. O não cumprimento pode acarretar em notificação, multa, e até cassação do alvará de funcionamento ou da autorização concedida pelo órgão de educação, quando se tratar de creche ou estabelecimento particular de ensino ou de recreação, ou a responsabilização patrimonial do agente público, quando se tratar de creche ou estabelecimento público.

O Instituto Terzius oferece o curso Heartsaver (Salva-corações) para qualquer pessoa que precisa aprender a atender e lidar com uma emergência de primeiros socorros. No formato do curso, os alunos participam de simulações de situações clínicas e de estações de aprendizagem que incluem temas como Ressuscitação Cardiopulmonar, o uso do desfibrilador externo automático (DEA), Desengasgo e Sangramento (Bleeding Control) em adultos, crianças e bebês.

Website: http://www.terzius.com.br

 

 

FONTE: Estadão

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Marketing Digital: a Era dos Ads chega aos Micro e Pequenos Negócios

Reporter Global

Publicado

em



 

 

Quem acompanha minimamente as notícias sobre economia deve ter se surpreendido com o último relatório de impacto econômico do Google Brasil, divulgado no dia 18 de março.

 

 

Nele, a plataforma indica a movimentação financeira de R$41 bilhões em mecanismos como o Google Ads, considerando apenas o mercado brasileiro. O documento ainda dá destaque para cases de sucesso de pequenas empresas, que têm apostado nas ferramentas digitais para ampliar os negócios.

Outro dado importante vem da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), indicando que vendas em plataformas digitais no Brasil devem chegar a R$79,9 bilhões em 2019 – um crescimento de 16% na comparação a 2018. Facebook e Instagram captam o olhar de milhões de consumidores por meio de anúncios que se inserem sutilmente entre textos e imagens compartilhadas.

Diante desse panorama, pequenos empresários e profissionais liberais – psicólogos, advogados, engenheiros, entre outros – têm investido cada vez mais nessa forma de divulgação e comunicação de produtos e serviços. Alexandre Carvalho, consultor especialista em marketing digital para micro e pequenas empresas, tem acompanhado esse movimento e as novas oportunidades abertas aos empreendedores. “Há um grande potencial de crescimento para pequenas empresas e profissionais liberais. O baixo custo para investir em anúncios desse segmento, junto ao retorno significativo, tornam a possibilidade ainda mais atrativa” analisa o consultor, que atua na área há 15 anos e conta com as certificações do Google e do Facebook.

Momento certo para o sucesso digital

De fato, os números não mentem. E, de acordo com Carvalho, quem estiver atento ao que se passa no mercado digital pode aproveitar uma onda de sucesso para estabelecer de vez os negócios ou aprimorar os que já estão em curso. Grandes empresas destinam 10% do orçamento em divulgação para os meios digitais, e os pequenos empreendedores podem apostar inteiramente nas redes sociais e mecanismos de busca para a publicidade. Dessa forma, há uma redução de custos significativa, especialmente em comparação com meios tradicionais como o rádio e a TV. Além de um investimento mais baixo, o raio de alcance é muito mais amplo: os “Ads” (sigla para “anúncios”, em inglês) possibilitam segmentar o público-alvo de forma detalhada, direcionando os conteúdos para onde eles devem chegar.

Essa ampliação nas possibilidades de divulgação pelas plataformas condiz com o aumento do consumo digital. Segundo dados do IBGE, divulgados em 2017, o Brasil já conta com 126,7 milhões de pessoas conectadas à internet via smartphones, tablets, computadores e SmartTVs. E quem investiu desde o início dessa ascensão já está colhendo os frutos, pois 70% dos consumidores costumam pesquisar na internet quais empresas podem melhor atendê-los.

Um caso de sucesso atendido por Carvalho é a empresa GEMTE Seguros, corretora de seguros de São Paulo. Apenas em Janeiro de 2019 teve cerca de 1000 leads (clientes em potencial) com campanhas de Seguro e Consórcio de Imóveis, superando a média de 650 ao mês. Ainda junto ao Google Ads, foi desenvolvido uma landing page que atrai clientes potenciais todos os dias por meio de um conteúdo atrativo que prende a atenção do usuário e mostra exatamente o que ele procura. “Normalmente, as empresas que anunciam no Google ou Facebook anunciam o site institucional com problemas, com conteúdo ruim, fazendo com que o usuário desista de entrar em contato. Isso afeta drasticamente a conversão e o empresário perder dinheiro”, avalia. Ao fim de cada mês, um relatório detalhado indica quais foram os melhores anúncios e quais as possibilidades de otimização da campanha.

Segundo Carvalho, este serviço de consultoria no Google Ads e Facebook Ads, deve ser feito por um profissional certificado e com experiência, para o seu dinheiro não ser desperdiçado em campanhas mal gerenciadas.

Explorando essas ferramentas digitais de forma integrada, o pequeno empreendedor consegue trilhar um caminho mais lucrativo, seguro e confiável para construir uma clientela fiel. “É importante aproveitar esse momento de ascensão para crescer junto ao mercado digital.”, conclui Carvalho.

Por isso se você precisa aumentar suas vendas e atrair mais clientes todos os dias através da internet, é interessante seguir alguns desses itens passo a passo:

– Ter um Site de Qualidade para apresentar seus serviços e produtos

– Criar Perfis do seu negócio, seguindo a mesma identidade visual nas Redes Sociais como Facebook, Instagram e LinkedIn

– Anunciar no Google Ads e no Facebook

Se tiver dúvidas sobre como iniciar e alavancar suas vendas pela internet, o consultor Alexandre Carvalho poderá te ajudar. Com mais de 15 anos de experiência, é certificado pelo Google e Facebook, tendo experiência na consultoria e planejamento do marketing digital para micro e pequenas empresas.

Website: https://www.alexandrecarvalho.com

 

 

FONTE: Estadão

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Tribunal abre brecha para reduzir pena tricentenária de Sérgio Cabral

Reporter Global

Publicado

em



 

 

Ao reduzir a pena de Cabral em uma das 17 condenações que já sofreu, o juiz federal Abel Gomes, relator da Lava Jato no TRF-2, afirmou que a punição ali imposta “pode ser compreendida naquela maior”, decidida na primeira sentença contra Cabral, de 45 anos e 9 meses

 

 

O julgamento de um recurso de Sérgio Cabral no TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) abriu a primeira brecha para que a pena de mais de 300 anos imposta ao ex-governador do Rio seja significativamente reduzida no futuro.

Ao reduzir a pena de Cabral em uma das 17 condenações que já sofreu, o juiz federal Abel Gomes, relator da Lava Jato no TRF-2, afirmou que a punição ali imposta “pode ser compreendida naquela maior”, decidida na primeira sentença contra Cabral, de 45 anos e 9 meses.

Em seu voto, aprovado por unanimidade pela Primeira Turma Especializada em outubro, Gomes considera que, “pelos meios empregados, condições de tempo, forma de execução e finalidade, os atos de lavagem aqui tratados e os demais examinados no processo Operação Calicute [primeiro contra Cabral] foram simultaneamente praticados, a indicar continuidade entre os processos”.

Ao considerar um crime continuado, a pena não é mais somada. Apenas a mais alta passa a ser levada em conta, com um acréscimo de, no máximo, dois terços. A interpretação pode levar a punição por lavagem de dinheiro, que atualmente somada supera 131 anos, se reduzir a pouco mais de 16 anos, a depender dos critérios adotados.

O cálculo final, contudo, ficará a cargo da Vara de Execuções Penais após o trânsito em julgado da condenação. Ele depende de uma complexa combinação e interpretação das condenações.

Também será objeto de discussão nos tribunais superiores.

Cabral já foi condenado 17 vezes em ações penais decorrentes da Operação Lava Jato e responde a outras 17 ações penais ainda sem sentença. As penas por seis crimes somadas já alcançam 332 anos, quatro meses e 18 dias.

Ele está preso preventivamente desde novembro de 2016. Em 2019, fechou acordo de delação com a Polícia Federal, sem pena ou regime de cumprimento estabelecidos.

O TRF-2 já julgou três apelações de Cabral, tendo publicado dois acórdãos acompanhados dos votos vencedores.

O voto em que Gomes reconhece o crime continuado refere-se ao processo da Operação Mascate, na qual o ex-governador é acusado de lavagem de dinheiro por meio de concessionárias de automóveis. Nessa ação, os juízes da turma especializada decidiram reduzir a pena de 13 anos para 10 anos e 10 meses.

A interpretação do colegiado sobre o cálculo da pena se refere apenas ao crime de lavagem de dinheiro, que atualmente representa cerca de 40% do somatório da condenação de Cabral (131 anos, 7 meses e 15 dias).

A decisão é uma mudança em relação ao acórdão do TRF-2 que confirmou a primeira condenação de Cabral feita pelo juiz Marcelo Bretas. Nele, o tribunal considerou separadamente três formas de lavagem de dinheiro, que somadas impuseram uma pena de 24 anos e 4 meses.

A mudança de critério gerou dúvidas entre procuradores sobre o efeito total nos mais de 131 anos de pena por esse crime. Um dos cálculos indica que o volume pode ser reduzido a cerca de 16 anos e 8 meses.

A decisão, porém, deixou membros da força-tarefa da Lava Jato preocupados sobre o que pode ocorrer nos próximos julgamentos também em relação às condenações por corrupção. Teme-se que a mesma interpretação sobre o cálculo da pena se dê nesse crime, que representa quase metade do total aplicado ao ex-governador.

O advogado Márcio Delambert, que representa Cabral, afirmou que “o TRF2 reconheceu pela primeira vez que a condenação nesses autos da Operação Mascate já estava compreendida no processo da Operação Calicute e as penas deverão ser unificadas quando do seu trânsito em julgado”.

A redução da pena é um objetivo de longo prazo da defesa de Cabral. O somatório impacta na progressão do regime, como ida para o semiaberto.

A principal meta, atualmente, é a soltura do ex-governador. Há quase um ano, Delambert vem tentando a liberdade em razão do acordo de colaboração premiada firmado com a PF, homologado pelo ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal).

O acordo não estabeleceu a pena a ser cumprida nem em que regime, porque a PF não tem o poder de definir esses requisitos em suas delações. Contudo, o advogado busca argumentar que, pelo fato de Cabral ser um colaborador reconhecido pelo STF, não há mais risco de cometimento de novos crimes –motivo para a prisão preventiva.

A delação do ex-governador, contudo, se enfraqueceu após o ministro Dias Toffoli, do STF, determinar o arquivamento dos inquéritos abertos a partir do acordo, sem qualquer investigação.

Pesam contra Cabral quatro mandados de prisão preventiva, que devem ser derrubados um a um para que ele seja solto.

Em sua delação, Cabral confessou que cobrava 5% de propina sobre os grandes contratos do estado durante sua gestão (2007-2014).

Ele reconheceu ser dono dos cerca de US$ 100 milhões depositados em contas no exterior em nome de doleiros. Também devolveu 24 joias que estavam escondidas desde a operação que o prendeu, em novembro de 2016.

 

 

FONTE: Noticias ao Minuto

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


error: Conteúdo protegido, para ter acesso seja nosso parceiro entre em contato no whats (55) 984161736
×