Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Temporais que rumam pro Sul do Brasil trazem estragos na Argentina – Portal Plural
Connect with us

Clima/Tempo

Temporais que rumam pro Sul do Brasil trazem estragos na Argentina

Pável Bauken

Publicado

em



Uma frente fria avança pela Argentina e encontra na sua dianteira ar muito quente que elevou a temperatura a mais de 40ºC na tarde deste domingo (25) em províncias do Norte e do Nordeste do país como Chaco, Santiago del Estero e Formosa. Em Misiones, a temperatura passou de 37ºC. Ao encontrar o ar quente, o sistema frontal tem formado frentes de rajadas com vendavais.

Na sua passagem por Trebol, província de Santa Fé, no Centro da Argentina, a frente fria trouxe tempestade severa com vento destrutivo que fez muitos estragos como quedas de árvores, postes, destelhamentos e destruição de silos na zona rural.

A frente avança para o Norte e o Nordeste argentino, além do Sul do Brasil, provocando mais temporais fortes a severos de vento e granizo

O risco é maior para as partes Norte de Santa Fé e Entre Rios, e as províncias de Corrientes, Misiones, Chaco e Santiago del Estero entre domingo e a segunda-feira.

Alguns temporais na Argentina devem ser fortes a severos com danos por vento e queda de granizo, não se descartando tornados isolados.

Os temporais vão atingir também o Uruguai. As condições meteorológicas devem se deteriorar muito neste final de domingo no território uruguaio a partir do chamado Litoral Oeste e as tempestades devem seguir em parte do país ainda na segunda-feira.

A MetSul Meteorologia antecipa chuva localmente forte e volumosa e alta probabilidade de tempestades fortes a severas com risco de danos por vento e granizo.

Alguns vendavais isoladamente podem ser intensos e há risco de “turbonadas”, nome dado pelos uruguaios para eventos isolados e severos de vento com característica de microexplosão. Montevidéu está na área de risco de tormentas fortes.

Amanhã, segunda-feira, as fortes tempestades devem atingir também o Paraguai à medida que o sistema avança pelo Norte da Argentina e o Sul do Brasil.

Uma linha de temporais muito intensa e organizada deve avançar pelo Nordeste argentino e áreas a Oeste do Sul do Brasil, devendo alcançar o Paraguai ao longo da segunda. É muito alto o risco de tormentas fortes a severas de granizo e, especialmente, de vento forte com probabilidade de danos.

MetSul

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima/Tempo

A temporada recorde de furacões em uma única imagem

Reporter Global

Publicado

em



 

2020 supera o recorde de 2005 de 28 tempestades nomeadas com 30 ciclones tropicais

 

 

A temporada hiperativa de furacões no Atlântico Norte de 2020 chegou oficialmente ao fim no dia de ontem com um recorde de 30 tempestades nomeadas. Mesmo que a temporada oficial tenha se encerrado em 30 de novembro, existe a possibilidade de um sistema ou outro ainda ser nomeado até 31 de dezembro, aumentando o tamanho do recorde.

As NOAA antecipava uma alta probabilidade de uma temporada acima do normal, com uma forte possibilidade de ser extremamente ativa. No total, a temporada de 2020 produziu 30 tempestades nomeadas, das quais 13 se tornaram furacões, incluindo seis intensos (categoria 3 ou superior). Este é o maior número de tempestades já registrado, ultrapassando as 28 de 2005, e o segundo maior número de furacões já registrado. A NOAA publicou pela sua divisão de satélites um mosaico com imagens das 30 tempestades nomeadas neste ano.

 

 

A temporada já começou muito ativa com um recorde de nove tempestades nomeadas de maio a julho, e então esgotou rapidamente a lista de 21 nomes do Atlântico quando a tempestade tropical Wilfred se formou em 18 de setembro. Pela segunda vez na história, o alfabeto grego foi usado pelo restante da temporada, estendendo-se até o nono nome da lista, Iota.

Este é o quinto ano consecutivo com uma temporada de furacões no Atlântico acima do normal, com 18 temporadas acima do normal nos últimos 26 anos. Este aumento da atividade é atribuído à fase quente da Oscilação Multi-Decadal do Atlântico (AMO) que começou em 1995 e tem favorecido tempestades mais fortes e mais duradouras desde então. Essas eras ativas de furacões no Atlântico duraram, historicamente, cerca de 25 a 40 anos. Uma temporada média tem 12 tempestades nomeadas, seis furacões e três grandes furacões.

“Como previmos corretamente, um conjunto de condições atmosféricas e oceânicas ligadas à oscilação na sua fase quente esteve novamente presente este ano. Estes incluíram temperaturas da superfície do Atlântico mais altas do que a média e uma monção mais forte do Oeste africano, junto com cisalhamento vertical do vento muito mais fraco e padrões de vento vindos da África que eram mais favoráveis ​​para o desenvolvimento de tempestades. Essas condições, combinadas com o La Niña, ajudaram a tornar possível essa temporada de furacões recorde e extremamente ativa ”, disse Gerry Bell, Ph.D, responsável pela previsão de furacões sazonais do Centro de Previsão do Clima da NOAA.

A temporada teve recorde de tempestade nomeadas que tocaram terra na área continental dos Estados Unidos. Foram 12. Isso superou o antigo recorde de 9 estabelecido em 1916. As tempestades a alcançar os Estados Unidos em d2020 foram Bertha, Cristobal, Fay, Hanna, Isaias, Laura , Marco, Sally, Beta, Delta, Zeta e Eta.

 

PlanetaClima

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Clima/Tempo

Sol predomina em todo o RS nesta terça-feira

Reporter Global

Publicado

em

Sol vai predominar em todo o Estado | Foto: Alex Rocha / PMPA / Divulgação CP

 

Em Santa Rosa, mínima será de 18°C e máxima deve chegar aos 32°C

 

 

Depois de dias de instabilidade, o Rio Grande do Sul terá um terça-feira de sol em todo o Estado. Brevemente, períodos de maior nebulosidade devem ser registrados nas áreas do Nordeste gaúcho, entre a Serra e o Litoral Norte.

De acordo com a MetSul Meteorologia, a temperatura será agradável para os padrões de dezembro. No Oeste e no Noroeste o clima estará mais aquecido. Durante a tarde, as máximas se aproximam dos 30°C.

Em Porto Alegre, o dia terá sol entre nuvens. A máxima na Capital será de 27°C e a mínima de 18°C.

 

Mínimas e máximas no RS

Torres 19°C / 23°C
Vacaria 14°C / 23°C
Ausentes 13°C / 22°C
Santa Rosa 18°C / 32°C
Erechim 17°C / 28°C

 

 

Correio do Povo

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Clima/Tempo

RS terá sol entre nuvens, mas segunda ainda será de instabilidades

Reporter Global

Publicado

em

Porto Alegre terá aberturas de sol e abafamento | Foto: Alex Rocha / PMPA / Divulgação CP

 

Tempo segue abafado com máximas próximas dos 30ºC

 

 

O sol chega a aparecer com nuvens em parte do Rio Grande do Sul nesta segunda-feira, mas o tempo ainda não estará firme no Estado. No Sul gaúcho e região da Lagoa dos Patos, tempo será mais aberto e predominantemente seco.

No Oeste, no Noroeste e na Metade Norte são esperadas áreas de instabilidade que trazem períodos de chuva no decorrer do dia. Há a possibilidade de pancadas fortes isoladas e algum risco de temporais localizados, mais no Noroeste e no Norte gaúcho. A temperatura não se eleva muito e sobe menos do que no domingo, mas a sensação de tempo abafado permanece.

A passagem de linha de tempestades pelo Rio Grande do Sul entre a noite de sábado e a madrugada de domingo trouxe transtornos em diversas regiões. A instabilidade trouxe rajadas fortes em muitos locais, com falta de luz em diversos municípios.

As mínimas rondam os 15ºC em São José dos Ausentes e os 18ºC em Bagé. As máximas, por sua vez, podem chegar a 27ºC em Santa Cruz do Sul e 28º em Livramento. Em Porto Alegre, os termômetros variam entre 21ºC e 27ºC.

Na região de Uruguaiana e Quaraí, as rajadas mais fortes ficaram entre 80 km/h e 95 km/h com queda de árvores, falta de luz e danos em estufas. Em Bagé, as rajadas chegaram a 83,5 km/h. Tupanciretã teve vento de 74 km/h. Outras localidades, que não contam com estações meteorológicas, igualmente tiveram vento forte.

Na BR-290, entre São Gabriel e Rosário do Sul, árvores caíram na pista devido ao temporal. Houve queda de árvores também na Serra. Ainda no Norte, bombeiros de Não-Me-Toque atenderam diversas ocorrências para desobstrução de ruas por queda de árvores.

Em Marau, houve destelhamentos, quedas de árvores e poste. Os volumes de chuva das últimas 72 horas ficaram perto ou acima de 50 mm em muitas cidades das Metade Oeste e Norte do Rio Grande do Sul com acumulados isolados acima de 100 mm, como na região de Alegrete e no Noroeste gaúcho. No Noroeste foi tanta chuva que os arroios que estavam muito baixos pela estiagem subiram rapidamente a ponto de transbordarem em alguns pontos. A instabilidade nesta semana se concentrará na Metade Norte.

 

 

Santa Rosa 20ºC / 26ºC

 

 

Correio do Povo

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×