Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Setrem implanta modelo pedagógico inovador – Portal Plural
Connect with us

Ensino

Setrem implanta modelo pedagógico inovador

Pável Bauken

Publicado

em



 

Proporcionar um mundo de oportunidades com uma base consistente de formação é o propósito da Setrem, que oferece um modelo pedagógico inovador para o estudante viver experiências, ser a inovação e conquistar! Pesquisas atuais na área da educação comprovam que o processo de aprendizagem é único e diferente para cada ser humano. Cada um aprende o que é mais relevante e faz sentido para si, o que gera conexões cognitivas e emocionais. “Por isso, a Setrem considera a participação efetiva dos estudantes na construção dos seus conhecimentos, desenvolvendo a prática pedagógica por meio de metodologias ativas, ou seja, transformamos as aulas em experiências vivas de aprendizagem”, destaca Mauro Nüske, vice-diretor de Ensino Superior da instituição.

A Setrem, conectada com as ideias de grandes pensadores da educação, incentiva seus estudantes para um mundo de interações, colaboração e convivência entre as pessoas, de diversidade cultural, respeito às ideias, às perspectivas e aos diferentes valores. Desta forma é fortalecida a consciência de que suas vidas serão afetadas por questões que transcendem as fronteiras onde vivem. O estudante vai aprender a conhecer (por meio do desenvolvimento de uma visão sistêmica e da capacidade criativa), aprender a fazer (através do protagonismo e do conhecimento técnico), aprender a conviver (nas interações com o outro) e aprender a ser (muito mais do que um indivíduo, mas um ser humano integral).

“Diante disso, desenvolver experiências de aprendizagem que proporcionem o desenvolvimento de soluções para os problemas do cotidiano torna-se um dos maiores desafios pedagógicos da Setrem. “Para tal, investimos em visitas técnicas, ambientes inovadores, formação continuada de professores e suporte pedagógico intenso. Iniciativas que têm nos mostrado resultados importantes e que ficam evidentes pela aproximação de empresas pela rapidez com que os egressos ocupam lugares de destaque no mercado de trabalho”, explica Renati Fronza Chitolina, coordenadora pedagógica da instituição.

Qualificação e inovação

Para chegar até este momento de mudanças de elevada importância, foi necessário planejamento, qualificação e, acima de tudo, inovação nos ambientes, no processo pedagógico e nas pessoas. “A partir da constatação de que havia um distanciamento cada vez maior entre as instituições de ensino superior e um mercado em evolução constante, como com a indústria 4.0, o Ministério da Educação (MEC) publicou, em dezembro de 2018, resolução que trata da necessidade de todos os currículos de cursos superiores implementaram, num período de três anos, 10% da carga horária em atividades curriculares de Extensão, através da Curricularização da Extensão. Esta resolução gera maior proximidade do que se ensina e pesquisa no meio acadêmico com a realidade local e regional.

“Na prática, o MEC busca com isso a efetividade do tripé Ensino, Pesquisa e Extensão, para que de fato os estudantes coloquem em prática o que aprendem em seus cursos. Para tanto, essas atividades devem ser realizadas no contraturno das aulas, com o estudante sendo protagonista da atividade, de cunho social. Nessa direção, a Setrem já vem se destacando, tendo conquistado destaque na atuação em empresas e em eventos”, aponta Nüske, citando a presença de acadêmicos da instituição em equipes vencedoras de Hackatons realizados na região e obtendo destaque em programas de estágio de grandes indústrias do Noroeste do RS.

“Essas são algumas das evidências de práticas que confirmam o quanto a Setrem está cada vez mais próxima do mercado, se destacando através da experiência e inovação, características essenciais para quem vislumbra se diferenciar dentre os demais. Para chegar nesse patamar, além da qualidade em tudo que faz, os investimentos têm sido importantes para esse reconhecimento”, complementa o vice-diretor.

Inovando nos ambientes

Ambientes inovadores vêm sendo implantados gradativamente na Setrem, como a Sala de Inovação Pedagógica e o Espaço Maker. “Destaque também para a Incubadora Tecnológica, o Laboratório de Pesquisas Avançadas para Computação em Nuvem (LARCC), a Sala de Robótica, o Laboratório de Agentes de Controle Biológico (Lacobios), a Área Experimental, a Escola Fazenda e mais de 20 outros espaços de aprendizagem utilizados pelos docentes para atividades que ultrapassam a sala de aula.

Inovação no processo pedagógico

Segundo Renati, todos os cursos superiores passam a ter projetos estratégicos voltados para o mercado e a comunidade, definidos a partir do Planejamento Estratégico Institucional. “Eles têm o propósito de gerar aproximação com empresas, instituições e organizações, buscando as demandas reais de cada local ou região. Isso possibilitará aos acadêmicos a identificação de situações-problemas, sendo analisados dentro de cada um dos cursos, com retorno às empresas com sugestões de solução”, detalha. Todo o corpo docente foi capacidade em Metodologias Ativas, proporcionando subsídios para a estruturação de aulas diferenciadas, com criatividade e o uso de diferentes metodologias e ferramentas, instrumentalizando-os para inovar no processo pedagógico.

Como ingressar na Setrem

Para ingressar em um dos nove cursos superiores oferecidos pela Setrem – Administração, Agronomia, Direito, Enfermagem, Engenharia de Computação, Engenharia de Produção, Pedagogia, Psicologia e Sistemas de Informação, é preciso participar do Vestibular Setrem 2020. As inscrições vão até o dia 22/11 e a prova é em 23/11, às 14h, no Campus Setrem, somente redação. Também é possível ingressar utilizando a nota da redação do Enem. Mais informações e inscrições em setrem.com.br/vestibular

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ensino

5 vantagens de escolher um curso técnico

Reporter Plural

Publicado

em

Ilustração Google

Muita gente enxerga a graduação como um dos únicos caminhos para conquistar uma carreira profissional de sucesso. No entanto, fazer um curso técnico é uma excelente oportunidade de ingressar no mercado de trabalho de forma mais rápida, além de ser uma forma de sair do ensino médio já com uma profissão e conhecimento prático sobre determinada área. Para mostrar por que vale a pena investir em um curso com esse perfil, o escritor e professor Luis Piemonte mostra cinco vantagens do ensino técnico. Confira:

1 – Acelera a entrada no mercado de trabalho

O aluno que escolhe fazer um curso técnico simultaneamente ao ensino médio, garante uma formação ampla e direcionada para o mercado de trabalho. Logo que deixa a escola, ele tem mais chances de obter uma boa oportunidade profissional. Segundo pesquisas da ESSA (Escola Técnica Profissionalizante), 70% dos estudantes técnicos conseguem emprego após o primeiro ano de formação.

2 – Maior qualificação e produtividade

A escassez de mão de obra qualificada faz com que requisitos técnicos sejam altamente valorizadas pelo mercado, habilidades que trazem melhor produtividade, inovação e competitividade no ambiente profissional. ‘Outra vantagem é que em muitas profissões, como na área de tecnologia da informação, por exemplo, as demandas são cobertas por profissionais que fizeram apenas cursos livres, programas que muitas vezes não tem o mesmo nível de especialização. Na prática, o ensino técnico ajudaria a cobrir esta lacuna por mão de obra qualificada que temos no Brasil’, analisa Piemonte.

3 – Rapidez

Enquanto uma faculdade tradicional tem duração média de cinco anos, o curso técnico costuma ser feito em um período entre 18 e 30 meses. Outro benefício são os custos bem mais acessíveis, se comparados ao ensino superior.

4 – Aproveitamento de matérias

Para quem planeja entrar em uma faculdade após a conclusão do ensino técnico, este tipo de curso pode significar uma base para a futura graduação, oferecendo duas grandes vantagens. A primeira é o aproveitamento de matérias, como acontece em cursos como informática e radiologia, em que a formação técnica anterior possibilita a conclusão da faculdade em média 50% mais rápida. A segunda é a maior chance de financiar uma graduação já empregado, considerando que a impossibilidade de pagar uma universidade particular é um dos principais fatores que fazem os estudantes interromperem uma graduação.

5 – Valorização pessoal

Apesar da curta duração, a educação técnica inclui uma variedade de experiências práticas, sem deixar de lado o conhecimento teórico Essa capacidade de simular o que ocorre na rotina de trabalho permite que o profissional esteja mais preparado para desenvolver sua carreira dentro de uma organização. ‘Enquanto no ensino médio a pessoa sai sem nenhum valor para o mercado, nos cursos técnicos o estudante já sai com uma profissão’, lembra o professor.

 

FONTE CONTEUDO ESTADÃO

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

Fies reabre inscrições para vagas remanescentes a partir desta segunda

Reporter Global

Publicado

em

Foto: Marcos Santos / USP Imagens / CP

 

Estudantes matriculados em instituições particulares que buscam financiamento terão até o dia 27 de novembro para acessar o site

 

Estudantes interessados no Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) devem acessar, a partir desta segunda-feira, o site do programa para fazer inscrição para as vagas remanescentes. As vagas remanescentes são aquelas que não foram ocupadas no decorrer do processo seletivo regular, por desistência dos candidatos pré-selecionados ou falta de documentação na contratação do financiamento, por exemplo.

Devido a falhas no sistema, o Ministério da Educação (MEC) suspendeu o processo de inscrições e ampliou os prazos. Os estudantes que fizeram a inscrição não serão prejudicados. O calendário do Fies varia um pouco de acordo com o perfil do estudante.

 

Confira o calendário

• 26 e 27 de outubro: apenas candidatos de áreas de conhecimento prioritárias (cursos de saúde, engenharias, licenciaturas e ciências da computação);

• 28 de outubro a 3 de novembro: candidatos ainda não matriculados em instituições de ensino superior;

• 28 de outubro a 27 de novembro: candidatos que desejam financiar as mensalidades no curso e turno em que já estão matriculados atualmente.

 

Fies

O Fies é o programa do governo federal que tem o objetivo de facilitar o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior oferecidos por instituições privadas. Criado em 1999, ele é ofertado em duas modalidades desde 2018, por meio do Fies e do Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies).

O primeiro é operado pelo governo federal, sem incidência de juros, para estudantes que têm renda familiar de até três salários mínimos por pessoa; o percentual máximo do valor do curso financiado é definido de acordo com a renda familiar e os encargos educacionais cobrados pelas instituições de ensino. Já o P-Fies funciona com recursos dos fundos constitucionais e dos bancos privados participantes, o que implica cobrança de juros.

 

 

Correio do Povo

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

Curso de Engenharia de Computação da Uergs é o melhor do Estado na avaliação do Enade

Reporter Global

Publicado

em

Foto: Mauricio Farias / Divulgação

 

Graduação oferecida na unidade Guaíba da Uergs está entre as 10 melhores do país

 

O curso de Engenharia de Computação da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs) está em primeiro lugar no ranking das universidades que ofertam a graduação no Estado, de acordo com os resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2019 divulgados esta semana. Essa graduação na unidade Guaíba da Uergs também está entre as 10 melhores do país.

Para a professora Adriane Parraga, coordenadora do curso de Engenharia de Computação da Uergs, os principais fatores que colaboram para o sucesso são o estímulo ao desenvolvimento de projetos, a qualificação do corpo docente e a dedicação dos alunos, alcançada graças aos vínculos que vão se criando ao longo do curso. “A gente cria um vínculo com os alunos da Uergs e essa forma como a gente se relaciona desenvolve uma parceria. Isso faz a diferença”, afirma.

“Eles estão sempre envolvidos em algum projeto de pesquisa, de extensão ou de monitoria, e isso é um fator importante. A qualidade dessa nota também se reflete na inserção profissional, pois a maioria dos nossos estudantes e egressos está realizando bons estágios e estão bem empregados”, acrescenta.

As pesquisas desenvolvidas no âmbito do curso estão relacionadas principalmente às áreas de processamento de imagens, sistemas embarcados, transmissão de dados em tempo real, desenvolvimento de aplicativos, inteligência artificial e aprendizado de máquinas, sistemas de detecção e tolerância a falhas. Alguns desses projetos são realizados em parceria com outras instituições de Ensino Superior, como a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

“Esta avaliação reflete o trabalho extraordinário do corpo docente do curso de Engenharia de Computação, que tem estimulado a participação dos estudantes em seus projetos de pesquisa, nas ações de extensão e nas atividades de monitoria, criando um importante vínculo acadêmico. Além disso, as boas oportunidades de estágios acrescenta muito na formação. O reflexo está na empregabilidade de nossos egressos, conquistando espaços não só no Rio Grande do Sul, como também em outras regiões do Brasil e no exterior” enfatiza o reitor da Uergs, Leonardo Beroldt.

“É importante reconhecer que ainda não possuímos a estrutura necessária e precisamos continuar trabalhando para isso. Mais um motivo para creditarmos aos professores e alunos o mérito por este resultado”, acrescenta o reitor.

Entre os demais cursos da Universidade que participaram da avaliação, o curso de Agronomia da Unidade em Cachoeira do Sul é o terceiro melhor do Estado. O curso de Agronomia, em Três Passos, e o curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia da unidade em Porto Alegre figuram entre os 10 melhores do Rio Grande do Sul.

Na edição anterior do Enade, o curso de Administração em Sistemas e Serviços de Saúde, da Uergs em Porto Alegre, obteve a nota máxima, 5.

De acordo com a coordenadora de Avaliação Institucional da Uergs, Jaqueline de Mattia, a universidade vem trabalhando na criação de novas estratégias para melhorar a cada ano os índices, pois essa avaliação é vista como um instrumento de melhoria da qualidade acadêmica e científica da universidade.

“Ficamos muito felizes com os resultados, pois temos um compromisso em consolidar a qualidade do ensino na Uergs. Esses números são importantes para colocar a universidade na vitrine da qualidade do ensino público no país. Nas avaliações em que ainda não atingimos o índice esperado, vamos trabalhar para um diagnóstico mais preciso para que possamos traçar estratégias que possibilitem melhorias futuras para a reestruturação das atividades de ensino, de pesquisa e de extensão”, afirma.

 

 

Estado.rs.gov

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×