Senac-RS inscreve para cursos técnicos EAD – Portal Plural
Connect with us

Ensino

Senac-RS inscreve para cursos técnicos EAD

Pável Bauken

Publicado

em



 

Um em cada cinco estudantes matriculados no ensino superior estuda a distância, de acordo com o Censo da Educação Superior divulgado em 2018 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Segundo as informações publicadas pela Agência Brasil, as matrículas em EAD cresceram 17,6% de 2016 para 2017. Os estudantes de educação a distância (EAD) chegaram a quase 1,8 milhão em 2017 – o equivalente a 21,2% do total de matrículas em todo o ensino superior.

Comprometido em proporcionar a melhor experiência aos alunos, o Senac vai além das características comuns do setor, oferecendo o melhor ensino a distância do país. Entre seus diferenciais, está a ampla oferta em diversos níveis de ensino e áreas de conhecimento. Adequados às exigências do mundo profissional, os cursos técnicos do Senac EAD estão focados em proporcionar rápida inserção no mercado de trabalho, além de garantirem flexibilidade para que o aluno estude onde e quando quiser. Ao todo, são 58 polos espalhados pelas cidades do Rio Grande do Sul.

A metodologia de ensino a distância do Senac é centrada no aluno, enfatizando o desenvolvimento de competências valorizadas no mundo do trabalho, como organização, proatividade e responsabilidade, além de apresentar menor custo com deslocamento e a possibilidade de conciliar os estudos e a vida profissional. Os materiais didáticos estão disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem e são compostos por podcasts, vídeos, animações, simuladores, games, objetos de aprendizagem, e-books e recursos tecnológicos. Os recursos em mídias diversas estimulam diferentes formas de aprendizagem, que possibilitam ao aluno se envolver com conhecimentos abordados no curso e sentir a prática virtual em qualquer local e horário.

As inscrições podem ser feitas pelo site www.ead.senac.br, até o dia 02 de março de 2020. Vagas disponíveis para cursos de diversas áreas. Confira:

Comércio
Técnico em Transações Imobiliárias

– Design
Técnico em Design de Interiores

– Gestão
Técnico em Administração, Técnico em Logística, Técnico em Qualidade, Técnico em Recursos Humanos e Técnico em Secretariado

– Informática
Técnico em Informática para Internet (novo) e Técnico em Programação de Jogos Digitais

– Meio Ambiente
Técnico em Meio Ambiente

Segurança
Técnico em Segurança do Trabalho

– Turismo
Técnico em Guia de Turismo

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ensino

MP diz que decisão sobre retorno presencial às escolas cabe ao governo do RS

No entanto, órgão determinou que calendário de volta às aulas não seja submetido à cogestão do Distanciamento Controlado

Pável Bauken

Publicado

em

ilustrativa

Após ser consultado pelo governo do Estado sobre a possibilidade do retorno presencial às aulas em creches e pré-escolas a partir de 31 de agosto, o Ministério Público do Rio Grande do Sul afirmou que a decisão e o calendário de volta às atividades escolares cabe exclusivamente ao Poder Executivo. Em nota pública, divulgada nesta sexta-feira, o órgão destacou a necessidade de garantir a “necessária conciliação entre o direito à educação de qualidade e o asseguramento do direito à saúde.”

• Leia a nota do MP-RS na íntegra

Dessa forma, as 10 Promotorias de Justiça Regionais de Educação, do MP-RS, defenderam que o retorno das atividades escolares presenciais deve ser precedido pela análise técnica das autoridades sanitárias, em nível estadual e local. Na mesma nota, o grupo compreende que o decreto estadual, que venha a autorizar o retorno, deva estabelecer que a atividade educacional não é submetida à cogestão do sistema de Distanciamento Controlado, estabelecido pelo decreto 55.435/2020. Ou seja, que o retorno presencial às escolas tenha critério fixadas pelo governo estadual, não podendo ser flexibiliado pelos gestores municipais.

Em resposta ao pedido de análise da proposta, o Ministério Público ainda apontou, como condição à reabertura das escolas, a necessidade das instituições de ensino terem alvará sanitário válido ou certificação técnica de atendimento às exigências sanitárias. Também que seja garantida em todas as redes de ensino, como medida sanitária, a manutenção do ensino remoto, concomitantemente ao presencial, assegurando aos pais o direito à opção, independentemente do aluno pertencer a grupo de risco.

Por fim, entendem os 11 promotores de Justiça signatários que não deve haver diferenciação entre redes públicas e privadas no que diz respeito à autorização de retorno de atividades presenciais com alunos. “Manifestamos confiança na precaução e atuação colaborativa dos gestores públicos gaúchos, em todos os níveis, e nos colocamos sempre à disposição da sociedade gaúcha, no cumprimento de nosso estrito dever constitucional de defesa de seus interesses sociais e individuais indisponíveis”, salientam em nota.

Na próxima quarta-feira, o Executivo se reúne com a Famurs para tratar da mesma alternativa.

Correio do Povo
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

“Não arriscaremos um retorno precipitado”, reiterou Leite sobre o retorno das aulas presenciais

Governador explicou que aulas da Educação Infantil seriam alternativa para pais deixarem filhos em locais seguros

Pável Bauken

Publicado

em

"A retomada iniciaria pela Educação Infantil porque, nessa rede, o cumprimento de dias letivos não é obrigatório", disse Leite - Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

O governador Eduardo Leite aproveitou a transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta quinta-feira (13/8) para reforçar o caráter inicial da discussão sobre a retomada presencial das aulas no Rio Grande do Sul. Na terça-feira (11/8), uma reunião entre o governo do Estado, a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e presidentes das 27 associações regionais deu início à conversa, que ainda envolverá encontros com o Ministério Público do Rio Grande do Sul, o Tribunal de Contas do Estado e os próprios prefeitos.

“Ao lado do governo do Estado, as prefeituras são as grandes mantenedoras das redes de ensino. Por isso, os prefeitos precisam se organizar, seja o retorno no início de setembro ou mais adiante. Precisam identificar os protocolos demandados, os cuidados exigidos, fazer contratação de equipe, compra de materiais e de equipamentos necessários ao retorno seguro. Por isso, chamamos os prefeitos para dar início ao debate”, explicou Leite.

A sugestão inicial apresentada pelo Estado propõe o retorno gradual e escalonado das aulas a partir de 31 de agosto para as redes pública e privada. O primeiro nível a voltar seria o Ensino Infantil. O Ensino Superior retornaria em 14 de setembro, o Médio e Técnico, em 21 de setembro, os anos finais do Ensino Fundamental, em 28 de setembro e os anos iniciais, em 8 de outubro. O retorno às aulas presenciais ocorrerá, pela proposta do Estado, somente nas regiões que estiverem em bandeira amarela e laranja.

“A retomada iniciaria pela Educação Infantil justamente porque, nessa rede, o cumprimento de dias letivos não é obrigatório. O envio dos alunos pelos pais, portanto, não seria compulsório. Nos Ensinos Fundamental e Médio, os alunos estão estudando por meio remoto, porque as crianças já têm autonomia para acessar as aulas. O mesmo não ocorre na Educação Infantil, onde crianças de zero a cinco anos têm pouca condição de terem estímulos e de se manterem atentas por meio remoto”, detalhou o governador.

Como as aulas remotas não funcionam da mesma forma – inclusive, o governador reiterou que, do ponto de vista pedagógico, a aula remota não tem capacidade de substituir as aulas presenciais no sentido de manter o estímulo e a transferência de conhecimento para crianças e jovens – na Educação Infantil, pais e responsáveis estão deixando de pagar a mensalidade das escolas, que acabam quebrando. “Se essas escolas para essa faixa etária deixarem de existir, a rede pública não terá capacidade para suportar a demanda que surgirá”, ponderou Leite.

Além disso, como a economia está, aos poucos, retomando, pais e responsáveis podem não ter opção segura para deixar os filhos. “Acabam deixando com algum vizinho ou pessoas que se dispõem a cuidar das crianças por um valor, mas sem que haja estrutura para isso e sem que protocolos de segurança contra o coronavírus estejam sendo observados”, apontou.

O governador ressaltou que a retomada da Educação Infantil será, antes de tudo, uma opção de prefeitos e pais. “Trata-se de retirar a restrição imposta pelo Estado. Os prefeitos poderão avaliar se seus municípios têm condições, e os pais que preferirem manter as crianças em casa inclusive devem fazê-lo. Queremos dar uma opção aos pais que não têm onde deixar as crianças e que precisam retornar ao trabalho”, reforçou.

Se os indicadores de contágio por coronavírus começarem a subir (número de internações e de mortes, por exemplo), todo o cronograma inicialmente proposto será adiado. “Não arriscaremos um retorno precipitado. Há uma série de condicionantes. Nada será feito sem a convergência dos prefeitos e dos especialistas e sem a segurança de que os indicadores apontam para um momento de estabilidade”, reiterou.

As aulas tampouco serão retomadas da mesma maneira como eram conhecidas. O modelo proposto é híbrido e envolve o ensino remoto (Google Classroom e plataformas, além das plataformas do ensino privado) e o ensino presencial, em turmas e horários reduzidos, com distanciamento em sala de aula e com uso de todos os equipamentos de proteção individual e adoção de medidas de higiene.

Investimentos

O valor estimado para investimento na rede estadual em aprendizagem, capacitação, equipamentos de proteção e materiais de desinfecção e contratação de professores e profissionais de apoio (serventes e merendeiras) para professores e alunos terá um custo extra de R$ 270 milhões.

Um dos investimentos do Estado é a aquisição de chromebooks (modelo de notebook) para os professores. Serão 50 mil equipamentos, dos quais 25 mil já foram adquiridos e devem chegar até o final de setembro. A entrega dos outros 25 mil se dará até o fim do ano.

Para garantir a segurança dos alunos e dos professores, o Estado prevê a compra de equipamentos de proteção individual para alunos e professores da rede estadual, como mais de 9,8 mil termômetros de testa, mais de 328 mil máscaras de uso infantil, mais de 1,9 milhão de máscaras de tamanho infanto-juvenil e mais de 1,3 milhão de máscaras para adultos (alunos e funcionários). No total, o investimento somente em EPIs será de cerca de R$ 15,3 milhões.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

Secretaria de Desenvolvimento Educacional inaugura obras de revitalização da EMEI Vovó Shen

Pável Bauken

Publicado

em



A secretaria de Desenvolvimento Educacional, através de uma parceria com o Frigorífico Alibem, entregou na manhã desta terça-feira (11) a revitalização e a nova denominação da EMEI “Vovó Schen”, na Avenida Inhacorá, em frente ao Frigorífico Alibem. A unidade recebeu reforma do piso, instalação de toldo na entrada, portão eletrônico, reforma dos banheiros, pintura geral, novo parquinho com piso sintético, entre outros serviços. Durante a solenidade, registraram presença o prefeito Alcides Vicini; a secretária de Desenvolvimento Educacional, Maria da Graça Zimmermman, o conselheiro do Alibem, Juscelino Gonçalves; o diretor administrativo do Alibem, Ângelo Meneguetti; o diretor do Alibem, Alexandre Turra; a diretora Jurídica do Alibem, Inês Cademartori; a diretora da Escola, Tanise Vedoin; a gerente Pedagógica da SDE, Josiane Heck; a mãe de aluno Marlene Pinheiro, e demais assessores do Governo Municipal e do Frigorífico Alibem.

Ao fazer o uso da palavra, o prefeito ressaltou a parceria com o Frigorífico Alibem que investiu na revitalização da EMEI com melhorias necessárias. “Um ambiente agradável contribui com o aprendizado das crianças e essa parceria é louvável, pois além de investir com mais de dois mil empregos o Alibem também investe na educação, assim como também tem contribuído nas ações de enfrentamento a COVID-19. É uma justa homenagem que o município presta a memória da Vovó Shen que por muitas vezes esteve aqui em Santa Rosa e cativou inúmeras amizades”, destacou o prefeito..

A Vovó Shen, (Che Ying Shen Shen), nasceu na China em 1921. Chegou ao Brasil em 1963, onde, em Porto Alegre, fixou residência e construiu sua vida. Mãe de 6 filhos, sempre zelou pela família e educação. A filha mais nova, Sra Ângela, casou com o Sr. Carlos Lee, fundador da Alibem. Em maio de 2010, esteve pela última vez em Santa Rosa participando do Dia do Trabalhador. Faleceu no dia 03 de maio, aos 88 anos.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

×