Segue o bom desenvolvimento do trigo no Estado – Portal Plural
Connect with us

Agro

Segue o bom desenvolvimento do trigo no Estado

Publicado

em



 

De modo geral, as lavouras de trigo apresentam bom desenvolvimento e começam a entrar no chamado período crítico em razão de a cultura estar na fase de espigamento. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar, nesta quinta-feira (12/09), 33% das lavouras do Estado encontram-se na fase de desenvolvimento vegetativo (perfilhamento e alongamento do colmo), 47% na fase de floração e 20% delas na fase de enchimento do grão. Nesta safra, a área estimada pela Emater/RS-Ascar para o cultivo do trigo é de 739,4 mil hectares. A área de cultivo de trigo no Rio Grande do Sul corresponde a 37% da área brasileira de plantio com o grão.

A área cultivada com canola no RS corresponde a 92,9% da área estimada para o Brasil pela Conab em agosto de 2019. A estimativa da Emater/RS-Ascar para o plantio de canola nesta safra é de 32,7 mil hectares, com rendimento médio de 1.258 quilos por hectare. Entre as lavouras do Estado, 24% delas se encontram na fase de floração, 58% na fase de enchimento do grão, 11% maduro por colher e 7% colhido.

A área cultivada com cevada no RS corresponde a 36,6% da área estimada para o Brasil pela Conab em agosto de 2019. O levantamento da Emater/RS-Ascar para a área implantada com a cultura no Estado é de 42,4 mil hectares, com rendimento médio de 2.073 quilos por hectare. Em 36% das lavouras, a fase é de desenvolvimento vegetativo, 43% delas estão em fase de floração e 21% na fase de enchimento do grão. De modo geral, o desenvolvimento das lavouras no Estado é considerado bom.

Na região Nordeste, região administrativa da Emater/RS-Ascar de Passo Fundo, as lavouras de alho estão em estádio de desenvolvimento vegetativo. Não foi mais necessário usar irrigação nas lavouras. Produtores realizam tratamentos fitossanitários preventivos. Na região Nordeste, a cebola está em desenvolvimento vegetativo, evoluindo normalmente. Na região Sul, o transplantio desta cultura está praticamente finalizado, chegando a 98% da área. As lavouras já transplantadas seguem com bom desenvolvimento e estado sanitário satisfatório.

Nas regiões da Fronteira Noroeste e Missões, produtores iniciaram o plantio da mandioca; no entanto, foi interrompido em virtude do excesso de chuva e será retomado em condições ideais para realização da atividade. Produtores seguem a colheita das lavouras. No Planalto Médio, as lavouras de batata estão em estádio de desenvolvimento vegetativo; evolução normal após as últimas chuvas. As geadas ocasionaram danos nas primeiras áreas plantadas que estavam em brotação ou em desenvolvimento vegetativo inicial, mas ainda não é possível dimensionar como esses danos virão a influenciar a produção.

Na região do Vale do Caí, ao mesmo tempo em que a colheita das frutas cítricas se aproxima do final, nova produção começa a se formar com a floração das laranjeiras e bergamoteiras. Já foram colhidos 60% das frutas da bergamota Montenegrina e 25% do híbrido Murcott. A partir de agora, os citricultores que têm câmara fria começam a armazenar a fruta madura. Esta prática resguarda a fruta de qualquer evento climático prejudicial, como chuvas excessivas ou granizo, e conserva a fruta para comercialização quando terminar a colheita normal, período em que o valor recebido pelas frutas cítricas é maior.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro

RTC e cooperativas iniciam projeto pioneiro na prevenção de doenças da soja

Publicado

em



Com o objetivo de aprimorar o conhecimento técnico e prático na área da fitopatologia, a Rede Técnica Cooperativa – RTC promoveu o treinamento sobre a utilização de coletores de esporos para monitoramento de oídio e ferrugem na cultura da soja.

O treinamento simboliza o início de um projeto pioneiro conduzido entre a RTC e as cooperativas, baseado em uma rede de coletores de esporos distribuídos pelo Estado, com o propósito de monitorar a flutuação do inóculo de Phakopsora pachyrhizi e Microsphaera diffusa, fungos causadores de ferrugem e oídio, respectivamente.

O evento ocorreu no dia 05 de outubro, na área de pesquisa e tecnologia da CCGL, e contou com 12 das cooperativas associadas participantes da primeira fase do projeto.

Participam da primeira fase do projeto as cooperativas: Coopatrigo, Cotripal, Agropan, Cotrijal, Cotriel, Cotrisal, Coopermil, Cotricampo, Cotrisul, Cotrijuc, Cotribá e Coasa, além da CCGL, cooperativa que coordena a iniciativa por meio do projeto da RTC.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Agro

Otimismo marca abertura oficial da colheita do trigo no RS

Publicado

em



Em meio a um cenário positivo para a safra de trigo, com aumento de área e de preço, foi aberta oficialmente nesta segunda-feira (18/10) a colheita do trigo no Rio Grande do Sul. A cerimônia aconteceu na Fazenda Santa Terezinha, em Cruz Alta. Até o momento, as máquinas já colheram mais de 5%, ou seja, aproximadamente 60 mil hectares de uma produção estimada pela Emater/RS-Ascar em 3,59 milhões de toneladas.

Puxado pela demanda aquecida, o preço do trigo subiu. A saca de 60 kg, em média, vale R$ 80,70. No mesmo período do ano passado o produto era cotado em R$ 62,13.

A confiança dos produtores no cereal elevou o trigo à principal safra de inverno, à frente da aveia branca grãos (799.714 t), cevada (129.934 t) e canola (55.672 t). A área cultivada com o grão no Estado superou um milhão de hectares, o que não acontecia desde 2014. Dos 915,7 mil hectares cultivados na safra do ano passado neste ano a área cultivada foi de 1.177.487 hectares.

Em que pesem perdas registradas, principalmente no Noroeste gaúcho, o cenário é “positivo”, na avaliação de Tarcísio Minetto, coordenador da Câmara Setorial do Trigo, uma das 23 câmaras setoriais da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Agro

Massey Ferguson lança revista da Turma da Mônica sobre a evolução da agricultura no Brasil

Publicado

em



Publicação será distribuída gratuitamente para produtores rurais

A história da Massey Ferguson no Brasil será contada em quadrinhos pela Turma da Mônica. Referência no mercado agrícola brasileiro, a marca lança no mês das Crianças um gibi especial sobre a trajetória e a evolução da agricultura brasileira. A iniciativa é parte das celebrações dos 60 anos da inauguração da sua primeira fábrica no Brasil.

Com o título “Plantando tecnologia e colhendo boas histórias”, a aventura se passa no sítio de Chico Bento, que também comemora 60 anos em 2021. Cebolinha, Mônica e Magali conhecem um pouco do dia a dia do campo e a importante contribuição da marca para o processo de mecanização agrícola e desenvolvimento da agricultura de precisão no país.

A produção da revista especial em quadrinhos, pelo estúdio Mauricio de Sousa, teve assessoria da equipe da empresa de tratores e equipamentos agrícolas passando, em uma linguagem simples e bem humorada, esta história que se mistura com o desenvolvimento da agricultura no Brasil.

As publicações serão distribuídas gratuitamente a partir de outubro para produtores rurais, filhos de funcionários e escolas de algumas regiões do país. Os gibis ainda estarão disponíveis, também gratuitamente, nas concessionárias da Massey Ferguson.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

PLURAL AGÊNCIA DE PUBLICIDADE LTDA
ME 33.399.955/0001-12

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×

Entre em contato

×