Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
RGE lança pagamento de contas com cartão de débito a domicílio – Portal Plural
Connect with us

Economia

RGE lança pagamento de contas com cartão de débito a domicílio

​Ação será realizada em algumas cidades do RS a partir desta quarta-feira, 15 de abril

Pável Bauken

Publicado

em



Para facilitar o pagamento das contas de energia, a RGE lança a partir de 15 de abril, o pagamento por meio do cartão de débito Visa e Mastercard.

Para colocar em prática no Rio Grande do Sul o modelo piloto que já está sendo bem-sucedido nas demais distribuidoras do Grupo CPFL, a RGE, além de sua equipe própria, também firmou uma parceria com a empresa Mercúrio. A ação prevê que o colaborador vá até as residências selecionadas, portando uma máquina de cartão de débito (nessa modalidade, não aceitará dinheiro e nem cartão de crédito) para pagamento tanto da conta atual, como das contas em atraso. Por ser um projeto piloto, apenas algumas residências serão visitadas neste primeiro momento e o pagamento via máquina de cartão é opcional. E, para que o cliente se sinta totalmente seguro no momento da visita, poderá entrar em contato com a RGE através do 0800, solicitando a conferência dos dados de identificação (CPF e/ou RG) do colaborador.

Para realizar o pagamento, o cliente precisa apenas ter a fatura em mãos. Caso não tenha, pode obter, a qualquer momento, a segunda via pelo aplicativo CPFL Energia, pelo site (www.rge-rs.com.br) ou ainda solicitar via SMS (enviando a mensagem com a palavra CONTA e o código do cliente para 27350). 

A fim de garantir a integridade de todos, o agente comercial, que segue todas as recomendações do Ministério da Saúde por conta do novo coronavírus, estará de moto, uniformizado e identificado a serviço da RGE.

Atualmente, são 33 cidades que compõem a área de concessão da RGE que contarão com essa facilidade: Cruz Alta, Santa Maria, Santo Ângelo, Santa Rosa, Alegrete, Santana do Livramento, Uruguaiana, Erechim, Nova Prata, Passo Fundo, Guaporé, Veranópolis, Gravataí, Canoas, Cachoeirinha, Caxias do Sul, Gramado, Vacaria, Canela, Flores da Cunha, São Francisco de Paula, São Marcos, Santa Cruz do Sul, Cachoeira do Sul, Venâncio Aires, Bento Gonçalves, Farroupilha, Lajeado, Feliz, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Taquara e Sapiranga.

Canais Digitas da RGE

  • Site rge-rs.com.br
  • Aplicativo CPFL Energia (disponível para Android e iOS)
  • SMS grátis. Basta enviar CONTA e o CÓDIGO DE CLIENTE para o número 27350

Call Center: RGE 0800 970 0900

  • Ou opção caso o cliente queira ter acesso a 2ª via da conta é enviar um SMS grátis com a palavra CONTA e o CÓDIGO DE CLIENTE (número presente na conta de energia) para o número
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Campos Neto(Presidente do Banco Central): Pix vai gerar inclusão e reduzir custos para população

Reporter Global

Publicado

em

Marcelo Camargo/Agencia Brasil

 

Presidente do BC concedeu entrevista à Voz do Brasil

 

Em funcionamento total há quase dez dias, o Pix, novo sistema instantâneo de pagamentos, vai gerar inclusão financeira e reduzir custos para a economia. A avaliação é do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, que concedeu entrevista ao vivo hoje (25) ao programa A Voz do Brasil.

Segundo Campos Neto, o Pix está tendo alta adesão, com R$ 10 bilhões em transações na primeira semana e mais de 82 milhões de chaves cadastradas atualmente, por causa da praticidade e da transparência. Ele explicou que o novo sistema está em linha com a evolução do processo de pagamentos em todo o mundo e atende à demanda por um modelo rápido, barato, seguro e aberto.

“O Pix tem essas características. Tem uma característica de ser uma transferência muito barata, vai gerar novos modelos de negócio, vai baixar o custo operacional de pequenas empresas. Então, entendemos que o Pix veio para ficar e continuará crescendo. Vai ser uma forma de pagamento que vai gerar inclusão, melhoria no custo operacional das pessoas e das empresas”, declarou Campos Neto.

 

Agenda

O presidente do BC informou que a pandemia do novo coronavírus acelerou a adoção da Agenda BC#, conjunto de medidas para modernizar o sistema financeiro brasileiro. Ele explicou que as ações têm três objetivos principais: aumentar a inclusão bancária, gerar competição entre as instituições para baixar os juros e estimular a educação financeira.

Para 2021, Campos Neto disse que, além das medidas de avanços tecnológicos, aceleradas durante a pandemia, o Banco Central pretende expandir a Agenda BC# em outras vertentes. Ele citou a ampliação do open banking (compartilhamento de informações entre as instituições financeiras), o incentivo ao cooperativismo de crédito e ao microcrédito e o estímulo a medidas de sustentabilidade, que permitam criar instrumentos financeiros que beneficiem o meio ambiente.

Sobre o open banking, Campos Neto explicou que a troca de informações entre as instituições financeiras resultará em redução de custos, à medida que os bancos deixarão de cobrar mais caro por desconhecerem o risco de cada cliente. “Como hoje temos um mundo avançando muito na produção de dados, o open banking diz que as informações tão valiosas para os bancos são informações suas. Então, você vai poder usar essas informações para seu próprio benefício em termos de aquisição de produtos mais baratos e mais adequados para seu perfil”, declarou.

 

Educação Financeira

Campos Neto comentou sobre a Semana de Educação Financeira, promovida nesta semana pelo BC. Ele destacou que o evento nasceu da necessidade de incentivar o acesso ao conteúdo disponível na internet, mas que não chega aos consumidores.

“Nós chegamos à conclusão de que o problema na educação financeira nem é tanto o conteúdo. Tem muito conteúdo disponível na internet, mas a gente precisava incentivar as pessoas a ter exposição a esse conteúdo. Porque, olhando os dados, chegamos à conclusão de que parte do superendividamento das pessoas é por consumir produtos financeiros de forma equivocada”, justificou.

 

 

Agencia Brasil

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Economia

Petrobras quer investir US$ 46 bi em exploração e produção até 2025

Reporter Global

Publicado

em

Tãnia Rego/Agencia Brasil

 

Para 2021, estima-se variação da produção de 4%

 

 

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou o Plano Estratégico para o quinquênio 2021-2025 (PE 2021-25). Entre as metas figura o investimento de US$ 46 bilhões em exploração e produção de petróleo nos próximos cinco anos, dos quais US$ 32 bilhões (ou 70%) serão direcionados à camada pré-sal. A decisão foi tomada ontem (25), no Rio de Janeiro.

“A alocação está aderente ao nosso posicionamento estratégico, com foco em ativos de classe mundial em águas profundas e ultraprofundas, as quais somos donos naturais, tendo em vista a qualidade do capital humano, estoque de conhecimento tecnológico e capacidade de inovar”, informa a nota divulgada pela estatal.

Nos próximos cinco anos, está prevista a entrada em operação de 13 novos sistemas de produção, sendo todos alocados em projetos em águas profundas e ultraprofundas.

Para 2021, estima-se uma variação da produção de 4% (para mais ou para menos) em relação a 2020. Para esse cálculo, estão sendo considerados as vendas de ativos deste ano e os impactos associados à covid-19.

A Petrobras informou ainda que se compromete a reduzir as emissões de gás carbono, por meio de medidas como reinjeção de dióxido de carbono nos reservatórios petrolíferos, ganhos de eficiência energética nas refinarias e redução da queima de gás natural em flare (ou seja, a queima do gás associado ao óleo retirado do subsolo).

 

 

Agencia Brasil

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Economia

Faturamento do setor de máquinas cresce pelo 5º mês seguido, diz Abimaq

Pável Bauken

Publicado

em



O crescimento de 16% do faturamento líquido total do setor de máquinas e equipamentos em outubro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, mostra a quinta expansão seguida, de acordo com o Departamento Econômico da Abimaq, entidade que congrega as empresas do setor. É também a maior alta da série.

O aumento está sendo puxado pelo mercado doméstico, especialmente pelo setor de alimentos e, posteriormente, pelo setor automotivo.

Outro indicador de melhora do mercado doméstico no setor de máquinas e equipamentos é o Indicador de Consumo Aparente. Cresceu 3% em outubro ante setembro, 4,9% na comparação com outubro do ano passado e 7,1% no acumulado do ano.

Isso, segundo a Abimaq, deve-se ao aumento dos investimentos no Brasil com máquinas e equipamentos fabricados localmente. A variação cambial ajuda porque reduz as importações de componentes estrangeiros e de produtos terminados.

Por Francisco Carlos de Assis – Estadão

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×