Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Região pode perder 41 policiais – Portal Plural
Connect with us

Destaque

Região pode perder 41 policiais

Pável Bauken

Publicado

em



 

Com votação final prevista para terça-feira (22), no Senado, a reforma da Previdência deve ter impacto na gestão do serviço público estadual. Servidores que por anos ocuparam postos de liderança e gerência, tendem a encaminhar o pedido de aposentadoria, por receio de perder benefícios.

Na região do CRPO Fronteira Noroeste, 41 policiais da Brigada Militar estão aptos a solicitar aposentadoria, mas continuam na ativa, o que gera benefícios na carreira. Com a reforma previdenciária alguns benefícios podem ser retirados, com isso funcionários estaduais estão antecipando a aposentadoria. A região pode sofrer uma redução de 6% no efetivo. Em Santa Rosa 27 policiais estão aptos a solicitar aposentadoria, 4 em Frederico Westphalen e 10 em Três Passos.

Sindicatos do funcionalismo e a Secretaria de Planejamento do Estado reconhecem a debandada, mas têm avaliações divergentes sobre seu tamanho. Hoje no estado quase 8 mil funcionários civis e militares estão em condições de se aposentar e que, por continuarem na ativa, recebem algum tipo de adicional de permanência do Estado.

O principal motivo de atenção em torno desse grupo é um dos pontos da proposta de emenda à Constituição (PEC) em discussão no Senado, que prevê o fim da incorporação de vantagens de caráter temporário às aposentadorias.

Embora Estados e municípios tenham ficado fora do texto, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) sustenta que, nesse caso, todos os servidores serão atingidos de forma automática. A interpretação é questionada por sindicalistas, que acusam o discurso oficial de “terrorismo” e dizem que os colegas temem o pacote que o governo Eduardo Leite planeja enviar para a Assembleia Legislativa nas próximas semanas.

– As pessoas estão se aposentando agora para evitar prejuízos depois, mas essa briga vai acabar na Justiça – prevê o presidente da Federação Sindical dos Servidores (Fessergs), Sérgio Arnoud.

Na dúvida, entidades estão orientando filiados a encaminharem os papéis. Na área da segurança, pelo menos 2,3 mil PMs cumprem os requisitos para ingressar na reserva. Eles recebem uma gratificação específica de permanência, que Leite quer reduzir.

– Nos últimos dias, tivemos mais de 700 pedidos protocolados na diretoria administrativa da Brigada Militar. Calculamos que o número pode chegar a 2 mil. Considerando que 9 mil policiais atuam na linha de frente, é muita gente. Quem vai aplaudir é o crime – diz José Clemente da Silva Corrêa, presidente da Associação Beneficente Antonio Mendes Filho (Abamf), de cabos e soldados da BM.

O contingente de inativos contará, inclusive, com o comandante-geral da corporação, coronel Mario Ikeda, para o presidente da Abamf, a decisão do oficial de 53 anos comprova a gravidade da situação:

– O comandante é um servidor como qualquer outro. E ele está certo no que está fazendo. Todos temos de garantir nossos direitos. Não temos alternativa.

Entre professores, o sentimento é o mesmo. À frente do Cpers-Sindicato, Helenir Schürer diz que as consultas à assessoria jurídica da entidade se multiplicaram.

– A falta de professores na rede estadual é crônica. Estamos em outubro e está faltando gente. Infelizmente, isso vai piorar e muito diante dos ataques que estamos sofrendo – lamenta Helenir.

“Corrida por aposentadorias era esperada”, diz secretária de Planejamento

Titular da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos afirma que o governo do Estado já esperava a reação do funcionalismo frente às mudanças previdenciárias:

— É natural. Sempre que há reforma, há corrida por aposentadorias. Sabíamos que isso iria ocorrer. O que nos surpreendeu foi perceber que os sindicatos se deram conta só agora de que o fim das incorporações terá aplicação imediata.

Embora reconheça o risco de debandada, a secretária faz ressalvas. Ela diz que, dificilmente, os 8 mil aptos a se aposentar buscarão esse destino de forma imediata por, pelo menos, três razões (leia mais no fim do texto). Ela também discorda de que PMs e professores sejam amplamente afetados.

— Vai haver uma corrida, sim, mas a maioria dos servidores não recebe vantagens que podem ser incorporadas. Vai se aposentar quem está na gestão, em atividades-meio. Eu mesma vou perder muita gente boa aqui — diz.

Nos primeiros 17 dias de outubro, chegaram até a Secretaria de Planejamento 577 pedidos. Como as solicitações são feitas nos órgãos de origem, leva alguns dias até a contabilização geral. Além disso, a tendência é de que, com a aproximação da votação, o volume aumente. Ainda que nem todos deixem suas funções, Leany prevê dificuldades, porque as saídas serão concentradas em curto prazo. Em razão de dificuldades financeiras e de limitações legais, será impossível repor as vagas na mesma velocidade.

— Vamos ter de dar conta com as pessoas que temos — sintetiza.

A secretária reconhece que há forte resistência dos servidores às alterações federais e ao pacote do governo Eduardo Leite, que replica as mudanças na Previdência. Apesar disso, reafirma que não há saída.

— Ou a gente faz o que tem de ser feito, ou o Estado entra em colapso — adverte a secretária.

A polêmica em quatro pontos

1) Até agora, havia entendimento de que as mudanças previstas na reforma da Previdência (PEC nº 6 de 2019) não atingiriam Estados e municípios.

2) Mas, segundo a PGE, um ponto atingirá a todos, relacionado ao artigo 39 da Constituição, que trata da remuneração dos servidores da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios.

3) Se a PEC for aprovada, o artigo receberá novo item: “É vedada a incorpo­ração de vantagens de caráter temporário ou vinculadas ao exercício de função de confiança ou de cargo em comissão à remuneração do cargo efetivo”.

4) Segundo a PGE, isso valerá para todos os servidores, civis e militares. Exemplo: quem tem função gratificada (FG) há cinco anos consecutivos ou há 10 intercalados não poderá mais levar o valor para a aposentadoria. O mesmo vale para quem recebe a gratificação de incentivo às atividades sociais, administrativas e econômicas (Gisae), paga em diferentes secretarias.

Categorias mais afetadas, de acordo com o governo

– A maioria dos servidores com vantagens “incorporáveis” atua nas chamadas “atividades-meio” (de gestão), nas mais diversas áreas.

– Professores e brigadianos só serão afetados nesses casos (exemplos: direção de escola, comando de batalhão, etc.).

O que dizem os sindicatos

Argumentam que há temor generalizado de perda de direitos, não só pela reforma federal, mas também devido às propostas do governo Eduardo Leite, entre as quais a redução de gratificações de permanência.

Prometem ir à Justiça, mas informam que, na dúvida, os servidores que podem já estão encaminhando pedidos de aposentadoria.

O que pode atenuar a debandada, segundo o governo

– Nem todos os aptos a se aposentar ganham vantagens de caráter temporário que seriam incorporadas (número não divulgado). Nesses casos, poderá ser mais vantajoso seguir trabalhando e recebendo abono de permanência (que é diferente das gratificações citadas acima). O abono é pago a todos os servidores civis que poderiam estar em casa e prosseguem no exercício de suas funções, de forma indistinta (são 5.641 pessoas). O adicional tem valor igual ao desconto da Previdência no contracheque.

– O governo Leite pretende cobrar alíquotas de contribuição dos aposentados que ganham até R$ 5,8 mil (teto do INSS). Hoje eles não contribuem. Se a proposta for aprovada, aqueles que se aposentarem terão de avaliar se vale a pena, pois perderão o abono e poderão ser descontados da Previdência.

Portal Plural / Gaúcha ZH

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro

Chuvas animam produtores e contribuem para retomada dos plantios de soja

Pável Bauken

Publicado

em



As chuvas dos últimos dias animaram os produtores de soja, que em várias regiões realizaram plantios, mesmo sem condições adequadas de umidade. Na sequência, as chuvas ocorridas em todas as regiões contribuíram para a retomada das operações de plantio – que já atinge 61% no Rio Grande do Sul – para o desenvolvimento da cultura e também para o início das operações de tratos culturais.

De acordo com o Informativo Conjuntural produzido e divulgado pela Gerência de Planejamento, nesta quinta-feira (03/12), na região de Soledade, o  quadro geral da cultura é de normalidade. A ocorrência de chuva na última semana em grande parte da região aumenta o teor de umidade do solo e permite avanços no plantio da cultura que atinge 85% da área prevista, com 30% dos cultivos em germinação/emergência e 70% em desenvolvimento vegetativo.

As precipitações de distribuição irregular e volumes variados no Estado ocorridas durante a última semana contribuíram para amenizar o déficit hídrico ocasionado pelo longo período de tempo seco e para retomar os plantios e os tratos culturais do milho. Até esta quinta-feira (03/12), já chegam a 1.646 as comunicações de ocorrência de perdas para cobertura do Proagro.

A sequência de dias de tempo seco no RS foi interrompida por chuvas que ajudaram no desenvolvimento dos cultivos e na implantação final das lavouras de arroz, que já chega a 98%. E nas regiões de Frederico Westphalen, Porto Alegre, Soledade e Pelotas, a falta prolongada de chuvas vem comprometendo o desenvolvimento das lavouras do feijão primeira safra.

A ocorrência de chuvas com distribuição desuniforme e volumes variados no Estado não atrapalhou o avanço das colheitas de trigo, em fase de finalização, nas regiões de Bagé, Pelotas e Caxias do Sul, que ainda somam 1% restante de lavouras cultivadas no Estado a serem colhidas.

Acesse o Informativo Conjuntural em https://bit.ly/2JxNd8S

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Últimos dias para se inscrever no Vestibular de Medicina da Unijuí

Pável Bauken

Publicado

em



Encerra-se neste domingo, dia 6 de dezembro, o período para inscrições no Vestibular de Medicina da Unijuí. Os candidatos vão concorrer a 50 vagas para o curso, ofertado em turno integral e com duração de seis anos. Interessados podem acessar o site www.unijui.edu.br/vestibularmedicina para se inscrever.

Diferente do Vestibular de Verão, cujas provas serão aplicadas de forma virtual no domingo, dia 6, o Vestibular de Medicina terá seu processo seletivo presencial, no dia 13 de dezembro, junto à Sede Acadêmica da Unijuí. A Instituição adotará todas as medidas de segurança e distanciamento, evitando, assim, a propagação da covid-19.

Conforme consta no edital, o candidato do grupo de risco pode, inclusive, solicitar a realização da prova em sala com organização especial. Para isso, basta encaminhar uma solicitação e atestado médico via e-mail [email protected].

A prova do Vestibular de Medicina compreende uma redação e 40 questões objetivas, sobre quatro áreas do conhecimento: Matemática e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; e Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Os candidatos terão das 13h às 17h para finalizá-la.

Neste processo seletivo, o candidato também pode utilizar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de anos anteriores – 2016, 2017, 2018 ou 2019. Lembrando que, para utilizar a nota, o candidato deve ter concluído o Ensino Médio. Neste ano, em função da pandemia, o Enem será realizado somente no mês de janeiro de 2021, por essa razão não será possível utilizar a nota dessa edição do Exame.

O curso de Medicina da Unijuí prepara o aluno para atuar nas áreas de atenção à saúde, gestão e educação em saúde, nos sistemas público e privado, atendendo às necessidades individuais e coletivas. O curso conta com metodologia de ensino-aprendizagem diferenciada, baseada em metodologias ativas e com uma rede integrada de laboratórios de ensino, os quais permitem que o estudante vivencie as atividades profissionais desde o início do curso. Também propõe formação interdisciplinar, evidenciando a importância de cada área da saúde no desenvolvimento de competências, habilidades, valores e atitudes que constituem o médico enquanto agente de transformação na área de sua atuação profissional e cidadã.

Destaques do dia:

Mestrado em Atenção Integral à Saúde lança editais especiais

Vestibular de Verão Unijuí: confira tudo o que você precisa saber sobre a prova

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Hospital Vida & Saúde intensifica treinamentos, focando na qualificação dos profissionais

Pável Bauken

Publicado

em



Quando se tem a vida e a saúde de pessoas em suas mãos, é preciso manter uma rotina de treinamentos com as equipes assistenciais. Em algumas situações, como na pandemia, faz-se necessário intensificá-los, a fim de garantir toda a assistência possível no atendimento ao paciente e promover a segurança necessária ao trabalhador. E assim tem sido o trabalho do Núcleo de Educação Corporativa, (NEC) juntamente com o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) do Hospital Vida & Saúde.

Vários treinamentos têm sido realizados em diversas áreas do Hospital, como na UTI Adulto, Pediatria, Setor de Emergência, Unidade COVID, Unidades de Internação Abertas, entre outros. Em todos os setores, o Núcleo tem promovido a revisão da técnica de reanimação cardiopulmonar. Utilizando um manequim, os profissionais aliam mais rapidamente a teoria com a prática do seu dia a dia. Alguns treinamentos tiveram a participação integrada de Técnicos de Enfermagem, Enfermeiros e Médico das respectivas áreas.

Na UTI Adulto, para revisar as medidas e ações de prevenção de Lesões por Pressão, foram apresentadas simulações com situações realísticas para facilitar o entendimento sobre a importância da avaliação diária da pele, o correto posicionamento do paciente no leito, o reconhecimento dos diferentes estágios das lesões e medidas a serem adotadas para preveni-las, ou impedir seu avanço. Outra tarefa do NEC é enfatizar junto aos profissionais da assistência a importância da educação dos familiares cuidadores, preparando-os para dar continuidade dos cuidados necessários ao seu ente querido no período pós alta hospitalar.

Todos os treinamentos são planejados e organizados com base em protocolos atuais e preconizados por associações de referência. “O Núcleo de Educação Corporativa atua na coordenação dos treinamentos a partir do Levantamento de Necessidades de Treinamento de cada área, de acordo com o que as equipes julgarem necessário e com as sugestões do próprio Núcleo”, explica a enfermeira Jacinta Spies, coordenadora do NEC.

Além da qualidade dos treinamentos, a satisfação dos participantes também é uma das prioridades do Núcleo, e tem sido percebida através do preenchimento, via Google Forms, da Avaliação de Reação de Treinamento, atingindo níveis altos de aprovação.

 

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×