Quase do Avenida, Galo com um pé nos grupos e marco histórico na Champions. Saiba como foi a semana no futebol.

Apoiadores:

Corinthians 4×2 Avenida-RS

A expectativa de uma classificação tranquila do Corinthians diante do antepenúltimo colocado do Campeonato Gaúcho durou apenas três minutos. O Timão, de novo, errou na marcação em uma bola cruzada pelo alto. Flávio Torres cabeceou, Cássio falhou, e os visitantes abriram o placar. A equipe de Fábio Carille sentiu a desvantagem. Apática, teve pouco poder de ataque para reagir ainda no início do jogo. Pior, sofreu o segundo o gol, aos nove, em erro de Henrique que Tito aproveitou. Carille, então, tirou Ralf e colocou Vagner Love para tentar sufocar. Gustagol, de letra, e Pedrinho, em chute de fora da área, assustaram. Mas foi Henrique, aos 46, que descontou com desvio na pequena área e alimentou a esperança de uma virada.

O Corinthians voltou do intervalo empurrado pela torcida, mas levou um susto logo de cara. Tito carimbou a trave de Cássio e quase fez o terceiro dos gaúchos. Mesmo sem jogar bem, o Timão foi para cima. Love parou em Fabiano e pouco depois carimbou a trave direita do goleiro. O empate saiu aos 31, em falta batida por Sornoza que Danilo Avelar desviou para o gol. Apesar de não exercer uma grande pressão, o Corinthians conseguiu a virada. Júnior Urso, aos 42, chutou com desvio na entrada da área e tirou o Timão do sufoco. Nos acréscimos, aos 46, Gustagol ainda fez o oitavo gol dele na temporada e fechou o placar.

 

Champions

Essa semana na Uefa Champions League tivemos quatro jogos. A terça-feira foi de empate nos dois jogos, pela primeira vez na história das oitavas de final, os dois jogos do mesmo dia terminaram empatados sem gols.

O Lyon empatou com o Barcelona e o Liverpool empatou com o Bayer de Munique.

Talvez não era para ser. O Barcelona criou um caminhão de oportunidades, mas falhou miseravelmente no que costuma ser ótimo. Em péssima noite de Suárez, e também abaixo da média de Dembélé e Messi, os catalães não saíram do 0 a 0 com o Lyon em jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões, mesmo tendo finalizado 25 vezes. A volta, no Camp Nou, acontece daqui a três semanas. E o peso do gol fora deixa o confronto vivo…

Em um dos jogos mais aguardados das oitavas de final da Liga dos Campeões também terminou 0 a 0, mas isso não significa que Liverpool e Bayern de Munique não tenham correspondido às expectativas. Ficaram, sim, devendo gols, mas fizeram uma partida repleta de chances e emoções na tarde desta terça-feira, no Anfield. A postura do time alemão, que terminou com mais posse de bola (53% a 47%), talvez tenha surpreendido um pouco: o Bayern não abriu mão de jogar em momento algum. As ofensivas do Liverpool, geralmente tão fatais, é que parecem não ter funcionado perfeitamente – embora Neuer tenha sido obrigado a trabalhar por duas vezes para levar a vantagem para a Alemanha.

Na quarta-feira, para compensar, tivemos 7 gols em dois jogos. O Manchester City de tão acostumado a superar seus adversários com facilidade, o drama de uma vitória de virada no fim, fez o Manchester City experimentar um gostinho diferente. Num mata-mata como a Liga dos Campeões, que não costuma perdoar a desatenção, o 3 a 2 sobre o Schalke, na Alemanha, com um a menos, é um resultado a ser comemorado. Agüero abriu o placar, Bentaleb virou ainda no primeiro tempo em dois pênaltis, e Sané e Sterling definiram a vantagem dos ingleses nas oitavas de final.

Regida por Cristiano Ronaldo, a Juventus é uma das favoritas ao título da Liga dos Campeões – e não é a derrota desta quarta-feira que derrubará esse rótulo. Mas beira o inacreditável a capacidade que tem o Atlético de Madrid de jogar com o coração. A multidão colchonera empurrou a equipe de Diego Simeone para cima do adversário de modo que a Juve, fria e calculista por essência, em determinado momento sentiu-se acuada. Os comandados de Allegri não sabiam o que fazer. Quase como um lapso, o suficiente para o Atlético fazer 2 a 0 com gols dos seus zagueiros Godín e Giménez, abriu vantagem providencial na briga por uma vaga nas quartas de final.

 

Defensor 0x2 Atlético Mineiro (Pré Libertadores)

O Atlético-MG se impôs, foi muito superior e conseguiu um resultado importantíssimo no Uruguai, nesta quarta-feira, contra o Defensor. Venceu por 2 a 0 (gols de Réver e Cazares) e leva uma vantagem enorme para o jogo da volta, na próxima quarta-feira, em Belo Horizonte, às 21h30 (de Brasília). O Galo, que venceu todos os jogos no Independência nesta temporada, pode até perder por um gol de diferença que, mesmo assim, avança para a fase de grupos.

 

Fonte: GE

Apoiadores:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui