Produtos da ceia de Natal ficam 38% mais caros em três meses – Portal Plural
Connect with us

Economia

Produtos da ceia de Natal ficam 38% mais caros em três meses

Publicado

em

Se possível, pesquise antes de comprar Félix Zucco / Agencia RBS


 

 

Levantamento do Procon de Porto Alegre mostra variação alarmante nos itens mais comprados para o jantar da data

 

 

Se você ainda não começou as compras para a ceia de Natal, a hora é essa. Um levantamento feito pelo Procon de Porto Alegre ao longo de três meses mostra como os preços dos itens natalinos têm subido cada vez mais com a aproximação da data. A média de aumento dos itens pesquisados foi de 38,51%, em três meses. E a variação, comparando os produtos, pode chegar a até 151%.

A primeira pesquisa saiu em outubro, a segunda em novembro. E, nesta semana, o órgão divulgou os preços para dezembro. A tabela apresentada pelo Procon traz dados pesquisados em 16 estabelecimentos da Capital. Das mais variadas regiões e faixas de preço, o levantamento traz o custo de 24 itens que comumente aparecem na mesa dos brasileiros durante as refeições do Natal.

Somando todos os preços mais baixos encontrados, o consumidor desembolsaria, em outubro, pouco mais de R$ 210 para adquirir todos os itens. No levantamento desta semana, o valor foi para R$ 291 – um aumento de 38,51% em três meses.

Um exemplo da variação entre a primeira e a última pesquisa já aparece num item simples: a farofa pronta. Em outubro, o preço mais baixo encontrado pelo Procon foi de R$ 2,39 para o pacote de 250 gramas. Neste mês, o valor mínimo já subiu para R$ 2,50 nos locais pesquisados.

As frutas cristalizadas poderiam ser compradas por R$ 1,05 em outubro, na embalagem de 100 gramas. Agora, no mesmo tamanho, o valor mínimo encontrado entre 16 estabelecimentos que o Procon pesquisou foi de R$ 1,55. E quem quiser comprar uma quantidade maior, irá encontrar valores bem mais salgados. O pacote de 200 gramas chega a custar R$ 12,99 – por sinal, a enorme variação de preços entre os estabelecimentos mostra a importância da pesquisa na hora da compra.

 

Dupla tradicional

Em outubro, o panetone tradicional de 400g poderia ser comprado por R$ 6,09. Agora, o mesmo produto está com valor mínimo de R$ 5,99. Mas, esse preço mais barato foi encontrado em apenas um local, na Zona Sul. Nos demais pontos, o valor é acima do mínimo pesquisado em outubro.

Entre as aves natalinas, o frango comum ganha com folga em seu preço por quilo, podendo ser encontrado R$ 6,88, agora, em dezembro. Quem vai desembolsar mais são os fãs do peru, que está com valor mínimo por quilo de R$ 18,50. A comparação com outubro é mais complicada, pois no primeiro levantamento do Procon, somente um estabelecimento já vendia todas as quatro opções presentes na pesquisa. Mas, para se ter ideia, naquela data o peru poderia ser encontrado por R$ 12,98 o quilo, uma variação de 42,52% em três meses.

 

 

CONFIRA O LEVANTAMENTO DE DEZEMBRO

PRODUTO MENOR PREÇO MAIOR PREÇO
Farofa pronta 250g R$ 2,50 R$ 5,39
Farinha de mandioca 500g R$ 1,98 R$ 8,39 (200g)
Azeitona Verde (vidro) 200g com caroço R$ 2,99 (500g) R$ 14,50
Panetone tradicional de frutas R$ 5,99 (400g) R$ 14,25 (400g)
Panetone com gotas de chocolate R$ 5,99 (400g) R$ 14,69 (400g)
Pernil suíno com osso kg R$ 14,98 R$ 25,99
Tender kg R$ 14,98 R$ 68,90
Ave tipo Chester kg R$ 12,99 R$ 24,90
Frango resfriado kg R$ 6,88 R$ 13,98
Peru kg R$ 18,50 R$ 25,90
Bacalhau kg R$ 26,37 (800g) R$ 119,90
Pêssego em calda 450g R$ 6,60 (430g) R$ 9,99
Abacaxi em calda 400g R$ 7,49 R$ 11,99
Figo em calda 400g R$ 7,99 R$ 20,89 (350g)
Cereja em Calda 100g R$ 7,97 R$ 12,99
Nozes R$ 7,05 (35g) R$ 23,60 (110g)
Castanha de Caju R$ 7,69 (50g) R$ 19,99 (120g)
Frutas Cristalizadas R$ 1,55 (100g) R$ 12,99 (200g)
Uva Passa Preta R$ 1,78 (100g) R$ 9,99 (250g)
Uva Passa Branca R$ 3,79 (100g) R$ 12,99 (200g)
Fios de Ovos R$ 3,99 (100g) R$ 22,90 (400g)
Azeite de Oliva R$ 5,99 (200ml) R$ 18,05 (250ml)
Espumante Frisante 660 ml R$ 9,99 R$ 25,90 (750ml)
Espumante Sidra 660 ml R$ 5,99 R$ 16,59

 

Em relação ao tender – pernil de porco defumado e processado –, a diferença entre outubro e dezembro assusta ainda mais. A variação é de 150% – em outubro, o valor do quilo era R$ 5,99. Agora, o preço mais barato encontrado pelo Procon foi de R$ 14,98.

Para aliviar o peso na consciência depois de extrapolar na dieta nesta época do ano, os espumantes aparecem na mesa. E, neste ano, se você não aproveitou para se adiantar, o peso não será na consciência e sim, no bolso. Em outubro, um espumante frisante de 660ml poderia ser encontrado por R$ 3,98. Agora, o preço mínimo é R$ 9,99 – uma variação de impressionantes 151%. Ao menos o espumante sidra variou bem menos que isso. Em outubro, o preço mínimo era R$ 5,95. E na pesquisa divulgada essa semana, o menor preço encontrado era apenas R$ 0,05 maior: R$ 5,99. Assim, optando pela sidra, a dor de cabeça pode ser pela ressaca, e menos pelos gastos.

 

Dicas de compra

Planejamento prévio e corte de despesas desnecessárias. Estas são duas das principais dicas do Procon para quem vai fazer suas compras de Natal. E isso não é só para a ceia: a pesquisa e escolha pelos presentes também pode seguir estas orientações.

Na hora de pagar, o consumidor pode negociar dependendo da forma de quitação: dinheiro ou cartão. Se o local praticar preços diferentes entre as duas formas de pagamento, isso deve estar exposto em um ponto visível. Na hora de ir comprar, a pesquisa é uma dica importante. Conforme a variação de preços, vale a pena o deslocamento.

É indicado, também, substituir produtos para economizar. O peru, por exemplo, pode dar lugar a aves mais em conta, como o frango resfriado – explica a diretora do Procon Porto Alegre, Fernanda Borges.

 

 

ClicRBS

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Promulgada lei que define valor do salário mínimo em R$ 1.100 em 2021

Publicado

em



 

No fim do ano passado, o governo enviou uma medida provisória sobre o tema e, com isso, o montante já está em vigor desde o dia 1º de janeiro

O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), promulgou a lei que define o valor do salário mínimo em R$ 1.100 em 2021. No fim do ano passado, o governo enviou uma medida provisória sobre o tema e, com isso, o montante já está em vigor desde o dia 1º de janeiro.

Neste ano, o valor diário do salário mínimo corresponde a R$ 36,67 e, o valor horário, a R$ 5.

 

FONTE: NOTICIAS AO MINUTO

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Economia

Saiba o que fazer se você perdeu o prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda 2021

Publicado

em



 

Terminou às 23h59 desta segunda-feira (31) o prazo para enviar a declaração do Imposto de Renda à Receita Federal.

 

Quem era obrigado a declarar e perdeu o prazo da entrega agora está em dívida com o Leão.

Segundo a Receita, quem não entregou dentro do prazo pode enviar a declaração a partir das 8h desta terça-feira (1º), mas já estará sujeito ao pagamento de multa. A multa mínima por atraso para envio da declaração é de R$ 165,74, mas pode atingir até 20% do imposto devido. A recomendação é para que o contribuinte regularize a situação o quanto antes.

Além de pagar multa, quem é obrigado mas não declara o Imposto de Renda no prazo corre o risco de ter o CPF bloqueado, o que pode impedir a contratação de empréstimos, tirar passaportes, obter certidão negativa para venda ou aluguel de imóvel e até prestar concurso público até a regularização da situação.

A Receita Federal recebeu neste ano, até as 11h20 desta segunda-feira (31), 31.247.387 declarações de Imposto de Renda. A expectativa era receber ao todo 32,6 milhões, cerca de 2,2% a mais que no ano passado, quando o órgão recebeu 31,9 milhões de declarações.

O que fazer para regularizar a situação?

Quem perdeu o prazo para envio da declaração terá que baixar o programa da Receita Federal e mandar a declaração do Imposto de Renda.

Assim que emitir a declaração, o contribuinte receberá a “notificação de lançamento de multa” e a Darf da multa. O contribuinte terá 30 dias para efetuar o pagamento e regularizar sua situação.

Como a multa é calculada?

A multa para quem faz a declaração fora do prazo é de no mínimo R$ 165,74, mas pode chegar a 20% do imposto devido.

Quem não tem imposto a pagar terá R$ 165,74 descontados da eventual restituição a que teria direito. Já aqueles que terão que pagar o imposto de renda, a multa é de 1% ao mês sobre o valor do imposto devido, começando a contar a partir de maio. O valor máximo é de 20% do imposto a pagar.

O que acontece com quem não faz a declaração?

Além do prejuízo financeiro com a multa, o contribuinte fica com o CPF “sujo”, o que pode lhe impedir de empréstimos, tirar passaportes, obter certidão negativa para venda ou aluguel de imóvel e até prestar concurso público até a regularização da situação.

Quem enviou a declaração no prazo com erro e quer retificar paga multa?
Não. A declaração retificadora não está sujeita à multa por atraso na entrega.

 

FONTE: O Sul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Economia

Câmara dos Deputados aprova medida provisória que fixa o salário mínimo em R$ 1,1 mil em 2021

Publicado

em



 

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (26) a medida provisória que fixa o o salário mínimo em R$ 1,1 mil para 2021. A matéria seguirá para o Senado.

 

O texto foi editado em 31 de dezembro de 2020 pelo Executivo e já está em vigor desde 1º de janeiro deste ano. Mas precisa ser aprovado em até 120 dias pelas duas Casas do Congresso. No ano passado, o salário mínimo era de R$ 1.045.

Para o reajuste, o governo usou uma previsão de alta de 5,22% para o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), estimativa do fim do ano passado. Contudo, em meados de janeiro, o INPC oficial de 2020 fechou com aumento de 5,45%, o que reajustaria o salário mínimo para R$ 1.102.

Alguns parlamentares tentaram adequar o piso salarial a esse percentual por meio de uma emenda à medida provisória. O relator da matéria, deputado Newton Cardoso Jr. (MDB-MG), contudo, rejeitou a alteração e manteve o parecer na forma como veio do governo.

Apesar do pequeno valor, uma elevação de R$ 2 no salário mínimo resultaria numa despesa extra para o governo de mais de R$ 700 milhões. Isso porque os benefícios previdenciários não podem ser menores que o valor do mínimo.

De acordo com o secretário da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, a cada R$ 1 de aumento do salário mínimo, cria-se uma despesa em 2021 de aproximadamente R$ 351,1 milhões.

 

FONTE: O Sul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

Trending

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×