Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Previsão indica possibilidade de chuva no fim de semana e queda nas temperaturas a partir de segunda (15) – Portal Plural
Connect with us

Clima/Tempo

Previsão indica possibilidade de chuva no fim de semana e queda nas temperaturas a partir de segunda (15)

Pável Bauken

Publicado

em



 

Nos próximos setes dias, devem haver chuva expressiva e queda nas temperaturas no RS, de acordo com Boletim Meteorológico Semanal da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

Nesta quinta-feira (11/7), o tempo permanecerá seco, com grande amplitude térmica ao longo do dia e temperaturas acima de 25°C em algumas regiões. Entre a sexta-feira (12/7) e o domingo (14/7), o deslocamento de uma frente fria provocará chuva em todo o Estado, com possibilidade de temporais isolados.

A partir da segunda-feira (15/7), o ingresso de uma nova massa de ar frio e seco afastará as instabilidades e garantirá o tempo firme em todo o RS, mas provocará o declínio das temperaturas, com valores de temperatura mínima inferiores a 5°C e formação de geadas na maioria das regiões.

Os totais de precipitação esperados para o período deverão oscilar entre 10 e 20 mm na maioria das localidades. Nas faixas Leste e Nordeste, os índices previstos deverão variar entre 25 e 40 mm, podendo superar 50 mm em alguns municípios da Zona Sul.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima/Tempo

La Niña mais forte

Reporter Plural

Publicado

em



A última atualização dos órgãos de previsão climática do mundo, incluindo a Noaa (Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos) e o Iri (Instituto Internacional de Pesquisa Climática da Universidade de Columbia), mostram que o fenômeno climático “La Niña” ganhou mais força do que o esperado inicialmente.

grafico_SST

Gráfico de temperatura na superfície do mar na região “Niño 3.4”

Segundo os institutos, a anomalia de temperatura da superfície do Oceano Pacífico em sua faixa equatorial, região conhecida por Niño 3.4, está em torno de 1,5°C abaixo da média, o que indica a uma forte intensidade.

 

sst_noaa

Anomalia de temperatura da superfície do mar, os tons em azul e roxo representam registros

abaixo da média climatológica

O que importa a La Niña para o Brasil?

A La niña causa alterações as temperaturas e também no regime de chuva em diversas áreas do planeta. No Brasil, a Região Sul sofre um impacto direto no regime de chuva que passa a ser mais irregular e com menos volume, ou seja, os produtores agrícolas da região terão de ficar bem atentos às previsões de chuva nos próximos meses a fim de minimizar os impactos na próxima safra.

No Sudeste, o principal impacto fica para as temperaturas que devem ficar levemente abaixo do normal, esse tipo de fenômeno climático não trás um impacto direto para chuva na região, mas a La Niña também faz com que mais Zonas de Convergência do Atlântico Sul se formem, por conta da nebulosidade, a temperatura diminui, só que mais nuvens nem sempre significa mais chuva.

 

lanina_impactos

“La Niña forte, mas não por muito tempo”, essa foi a frase dita pela especialista em clima Patrícia Madeira, da Climatempo, que ainda completou: “estar forte agora, não significa que vai continuar com a mesma intensidade. A previsão indica que ela deve ficar com intensidade moderada até o final do verão, depois se desfaz”.

 

 

FONTE CLIMA TEMPO

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Clima/Tempo

Ciclone extratropical atinge o Rio Grande do Sul nesta terça-feira

Reporter Global

Publicado

em

Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

 

Porto Alegre e Litoral estão entre as áreas de risco de chuva forte

 

Um ciclone extratropical se forma sobre o Rio Grande do Sul nesta terça-feira. O fenômeno se forma na costa, e traz instabilidade para a parte Leste do Estado.

De acordo com a MetSul Meteorologia, o tempo fica mais aberto e seco nas regiões Oeste, Noroeste e Norte, com sol. Um ar mais frio ingressa no território, e o dia deve ser ameno.

Em Porto Alegre, sol aparece, mas deve haver chuva forte. A mínima deve ser de 17°C, e a máxima de 24°C, na Capital.

 

Mínimas e máximas no RS

Passo Fundo 15°C / 25°C
Capão da Canoa 17°C / 22°C
Uruguaiana 13°C / 26°C
Vacaria 13°C / 20°C
Erechim 15°C / 25°C
Pelotas 15°C / 23°C
Santa Rosa 17°C / 27°C

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Clima/Tempo

Dois ciclones ao mesmo tempo na costa do Brasil

Reporter Plural

Publicado

em

metsul

, , ,

 

Dois ciclones vão atuar na costa do Brasil nas próximas horas. Um já está formado no litoral da Região Sudeste e outro vai se originar amanhã no Sul do Brasil. Nenhum dos sistemas traz ameaça maior de vento e o risco em ambos é a ocorrência de chuva com volumes altos.

A Marinha do Brasil confirmou em sua carta sinótica das 21h do domingo (25), publicada em seu sítio na madrugada de hoje, a formação da tempestade subtropical Mani na costa do Sudeste do Brasil, indicando uma pressão mínima central do sistema de 1006 hPa com 22ºS de latitude Sul e 39º de longitude Oeste, movendo-se lentamente na direção Leste-Sudeste, afastando-se do continente.

Ao evoluir do status de depressão subtropical (não é nomeada) para uma tempestade subtropical pela intensificação do vento, o sistema acabou nomeado e recebendo o nome de Maní.

Em seu aviso de mau tempo para a navegação, a Marinha do Brasil adverte para vento com força 7 a 8 (50 a 70 km/h) e rajadas de até força 9 na escala Beaufort (88 km/h) na área marítima, com o vento mais forte se concentrando sobre o Oceano Atlântico junto ao Sudeste do Brasil e a área costeira da Bahia, mais ao Sul.

A última tempestade subtropical no Atlântico Sul antes de Mai foi a Kurumí, que atuou entre os dias 23 e 25 de janeiro deste ano, e se formou na mesma região em que agora está Mani. Normalmente, estes sistemas considerados anômalos ou atípicos se formam nos meses de verão e do outono, quando as águas do Atlântico estão mais aquecidas, logo uma tempestade subtropical ainda no mês de outubro foge ao que normalmente é observado.

A tempestade subtropical Maní traz chuva forte para pontos do Sudeste do Brasil. Sua circulação de umidade ao interagir com o ar tropical quente e úmido pode causar chuva localmente forte e volumosa em parte de Minas Gerais, no Rio de Janeiro e no Espírito Santo. O estado mais atingido, entretanto, deve ser o Espírito Santo com chuva volumosa e que pode exceder 100 mm em diversos municípios. Por efeito de orografia (relevo), algumas áreas podem ter mais.

No Sul do Brasil, um vórtice ciclônico vai se formar na terça-feira sobre o Leste do Rio Grande do Sul com o centro de baixa pressão avançando para o Atlântico a Sudeste do Chuí.

Este sistema vai impressionar nas imagens de satélite porque o eixo do ciclone (a espiral) estará sobre o continente e justamente na parte Leste do Rio Grande do Sul, que inclui Porto Alegre.

Este vórtice ciclônico da terça pode trazer vento moderado e ocasionais rajadas no Leste gaúcho, mas a MetSul não espera que seja um sistema gerador de vento intenso. O grande risco associado a este sistema será chuva forte e volumosa com possibilidade de alagamentos em pontos do Leste e do Nordeste gaúcho, sobretudo na área da Lagoa dos Patos e seu entorno, o Litoral, os vales, a Grande Porto Alegre e a Serra.

Os acumulados de precipitação apenas da noite de hoje e da terça-feira podem ficar perto ou mesmo podem superar os 100 mm em pontos do Leste gaúcho, especialmente na área da Lagoa dos Patos e seu entorno. Porto Alegre e a região metropolitana estão entre as áreas com risco de chuva forte.

 

FONTE: METSUL

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×