Plantio de hortaliças contribui para inclusão social e segurança alimentar em Boa Vista do Buricá – Portal Plural
Connect with us

Agro

Plantio de hortaliças contribui para inclusão social e segurança alimentar em Boa Vista do Buricá

Pável Bauken

Publicado

em



Com o objetivo de promover a socialização e a inclusão social de pessoas com deficiência que recebem atendimento na Apae de Boa Vista do Buricá, assim como contribuir para a autonomia e melhoria na qualidade de vida destes alunos e de seus familiares, desde 2016, a Emater/RS-Ascar desenvolve o projeto “Cidadania e Inclusão Social na Apae”. Entre as atividades planejadas para este primeiro semestre está o plantio de hortaliças, realizado na quinta-feira (14/05), com o engajamento de extensionistas de Boa Vista do Buricá e de Nova Candelária, bem como de professores e funcionários da escola. Todos os participantes seguiram as recomendações de uso de máscaras e distanciamento social para proteção e prevenção à contaminação pelo coronavírus. O trabalho também é feito de forma escalonada, para evitar aglomerações.

Em um primeiro momento a atividade havia sido planejada para oportunizar o envolvimento direto dos alunos, no entanto, em virtude das medidas preventivas à Covid-19, optou-se por envolver um número restrito de pessoas. Os professores e funcionários, que realizaram o plantio, receberam também orientações sobre adubação e demais cuidados referentes ao manejo da horta, sendo também responsáveis pela rega e pelo acompanhamento do desenvolvimento das plantas e o monitoramento de pragas e invasoras.

Com a ação, a horta da Apae passa a contar com maior diversidade de hortaliças, entre elas, couve de várias espécies, salsa, cebolinha, rúcula, cenoura, beterraba, brócolis, couve flor, repolho, assim como mudas de morangos. A proposta é que estas olerícolas sejam aproveitadas na alimentação dos alunos e em atividades do Clube de Mães, como demonstrações de métodos de processamento e conservação de alimentos, após o retorno das aulas. Caso não seja possível o retorno das aulas antes da colheita, os produtos serão doados para as famílias dos alunos.

As orientações sobre o manejo e adubação foram também compartilhadas com alguns pais e os alunos que estiveram presentes, por meio de um vídeo, onde se apresentou recomendações para o plantio de hortaliças em suas casas. A atividade foi realizada pelos extensionistas da Emater/RS-Ascar, de Boa Vista do Burica, Ângela Dudar Petter, e de Nova Candelária, Ana Carolina Schittler e André Weber.

Esta ação faz parte de um projeto maior de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters) voltado a Pessoas com Deficiência (PCD’s), sendo que neste ano, a proposta central é auxiliar nas ações de recreação, lazer e integração que estimulem a inclusão social, o desenvolvimento de habilidades manuais e de atividades de segurança e soberania alimentar de forma sustentável, assim como promover ações voltadas à educação e promoção da saúde e estímulo à autoestima, através de embelezamento de arredores.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro

Secagem e armazenagem de grãos na propriedade avançam no Noroeste gaúcho

Pável Bauken

Publicado

em



Está em fase final de execução mais uma obra com projeto técnico elaborado pela Emater/RS-Ascar de silo para secagem e armazenagem de grãos em Tuparendi, no Noroeste gaúcho. Com isso, na região administrativa de Santa Rosa já existem aproximadamente 420 silos secadores e armazenadores com projetos elaborados pela Instituição, parceira da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), somando uma capacidade estática de 330 mil sacas, no total.

A proposta de construir silos de alvenaria na propriedade do tuparendiense Ilizeu Reips, localizada em Três Fazendas, teve início em março de 2020, quando o agricultor procurou o Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, sendo agendada visita para avaliação técnica do local e capacidade da estrutura. Com isso, iniciou-se a elaboração do projeto, hoje em execução, que comporta quatro silos secadores, com capacidade estática total de 4 mil sacas, além de moega para 350 sacas, conjunto de movimentação de grãos (dois elevadores), roscas helicoidais para retirada dos grãos dos silos, rosca varredora e uma máquina de pré-limpeza.

A Emater/RS-Ascar procura incentivar os produtores para que estes possam avaliar a viabilidade e o interesse de realizar a secagem e o armazenamento de grãos na propriedade, conquistando assim maior autonomia. O extensionista Albino Motter destaca que também é uma oportunidade de evitar perdas, manter a conservação e a qualidade do produto, garantir diferencial nos preços na safra e entressafra e diminuir a dependência externa. “Os produtores interessados em adotar a tecnologia devem procurar orientações na Emater, para que o sistema possa ser dimensionado de acordo com a necessidade da propriedade, levando em conta a pressão e vazão do ventilador, umidade relativa do ar, umidade do grão, temperatura do ar, temperatura do grão e limpeza do produto”, acrescenta.

A capacidade das estruturas já existentes ou em fase final de execução, no município, varia de 150 a 38 mil sacos de capacidade estática, sendo projetadas de acordo com a necessidade de cada propriedade. Os primeiros projetos de Tuparendi, neste sistema, foram implantados em 2004, com a finalidade de armazenamento do produto, principalmente milho, utilizado na propriedade para a alimentação de bovinos, suínos e aves. O município possui atualmente 54 estruturas em 25 propriedades, sendo que este número deve aumentar neste ano.

O sistema adequado de secagem e armazenamento de grãos na propriedade tem como base o uso do ar ambiente, e é essencial para manter a qualidade dos grãos. Além da secagem e armazenamento de milho, as estruturas podem ser aproveitadas para outros tipos de grãos, como a soja e o trigo.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Agro

Programa troca-troca de sementes de milho e sorgo safra 2021/2022

Pável Bauken

Publicado

em

Foto: Fernando Dias/Seapdr

De 10/05/2021 até o dia 28/06/2021 a Prefeitura Municipal de Santa Rosa, através da Secretaria de Agricultura, estará realizando reservas de semente de milho e sorgo para a safra 2021/2022, e do dia 31 de maio ao dia 04 de junho o milho safrinha.

As reservas visam atender os agricultores do município, que terão a sua disposição híbridos de milho convencionais e com a tecnologia transgênica, além de sementes de sorgo. Cada agricultor poderá fazer a reserva de até 04 sacas de sementes, sendo que o prazo para pagamento será no mês de abril de 2022.

Os agricultores que optarem pelo milho transgênico deverão realizar o pagamento no valor de R$ 260,00 no momento do pedido, referente a tecnologia. Os interessados devem comparecer na Secretaria de Agricultura ou na Sub-prefeitura da Vila Sete de Setembro. Os condicionantes para realizar a reserva são possuir Bloco de Produtor Rural em Santa Rosa e não possuir débitos com a Prefeitura.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Agro

Colheita da soja se encaminha para o final no Estado

Pável Bauken

Publicado

em



A cultura da soja no Rio Grande do Sul se encaminha para o final do ciclo. De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido e publicado nesta quinta-feira (06/05), pela Gerência de Planejamento da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricutlura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), já estão colhidos 87% dos cultivos desta safra. Outros 12% das lavouras estão em maturação e 1% ainda em enchimento de grãos.

Em regiões onde a colheita da soja está mais adianta, cerealistas abrem o silo e produtores dão atenção à continuidade da colheita do milho. No RS, 84% das lavouras estão colhidas. Outros 10% das lavouras estão em maturação e 6% ainda em enchimento de grãos.

Restam apenas 3% das lavouras de arroz a serem colhidos, que estão em fase de maturação. Com a safra praticamente concluída (97%), o Rio Grande do Sul colhe boa produção. Nas áreas colhidas, produtores conduzem bovinos de corte.

BOVINOCULTURA DE CORTE

Apesar da intensificação do vazio forrageiro devido à falta de chuvas, ainda não há perda significativa de peso dos rebanhos de bovinos de corte, principalmente nas propriedades onde são realizados manejos com lotação adequada, fazendo-se rotação entre piquetes e utilizando-se dietas com volumosos conservados e suplementação de minerais. As áreas de resteva de arroz, soja e sorgo são utilizadas como alternativas para alimentação dos rebanhos, somadas à suplementação com sal mineral proteinado, que aumenta o aproveitamento de dietas com plantas mais fibrosas.

A fase predominante do rebanho bovino é de gestação das matrizes, em geral com bons índices de prenhez. Em relação ao aspecto sanitário, são severas as infestações de carrapatos, com relato de dificuldade no controle devido à resistência dos parasitos aos produtos carrapaticidas.

Os pecuaristas aproveitam a redução da temperatura para fazer a marcação, castração e dosagem dos animais, diminuindo o estresse e a possibilidade de inflamações ou bicheiras. Outro manejo realizado neste período é a imunização obrigatória das terneiras de três a oito meses de idade contra a brucelose bovina.

Os extensionistas da Emater/RS-Ascar seguem orientando os produtores rurais sobre a necessidade de fazer a declaração anual do rebanho nas Inspetorias de Defesa Agropecuárias da Seapdr até 31 de maio.

OLERÍCOLAS

A cada ano, aumenta a área de cultivo de abobrinha em sistema de estufim em Feliz, município produtor onde é grande o número de famílias que mantêm a produção durante o inverno na regional de Lajeado. A cultura de ciclo curto dessa cucurbitácea encontra-se em plena colheita, com muitas áreas em final de ciclo, que se renova constantemente. A variedade mais plantada é a Italiana, seguida da Tronco. Nessa safra, não houve problemas fitossanitários que comprometeram o desempenho da cultura, embora os relatos de mosca branca e tripes.

FRUTÍCOLAS

Na região de Santa Rosa, as condições climáticas de março e abril foram favoráveis ao desenvolvimento das frutíferas e permitiram a realização dos tratos culturais. Nas videiras, está em andamento a semeadura de coberturas de inverno, como a aveia. As videiras estão perdendo as folhas. Morangos produzidos em sistema semi-hidropônico ainda estão em frutificação. Em andamento os tratos culturais de poda de limpeza e de inverno para fortalecer as plantas. O preço da fruta é de R$ 20,00/kg e a demanda é muito grande. Vem sendo concluído o plantio das mudas da Espanha e da Patagônia, encomendadas através dos escritórios municipais da Emater/RS-Ascar.

CEASA

Dos 35 principais produtos analisados semanalmente pela Gerência Técnica da Ceasa/RS, 15 produtos ficaram estáveis em preços, 15 tiveram alta e em cinco ocorreu baixa. Observamos que são analisados como destaques em alta ou em baixa somente os produtos que tiveram variação de 25% para cima ou para baixo. Um produto se destacou em alta, o morango subiu de R$ 15 para R$ 20 o quilo (+33,33%), e nenhum em baixa.

Dois fatores principais influenciaram a elevação nos preços do morango neste último período. Um deles foi o clima com temperaturas mais amenas e dias sombrios, o que diminui os volumes ofertados; o outro foi a maior procura para o evento do Dia das Mães que ocorrerá no próximo domingo (09/05). Conforme alguns produtores, os preços poderão se elevar mais ainda até o final desta semana.

 

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×