Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Pátio do presidio Estadual deverá ser coberto – Portal Plural
Connect with us

Destaque

Pátio do presidio Estadual deverá ser coberto

A ação será realizada através de uma parceria com uma empresa privada

Reporter Cidades

Publicado

em



O Objetivo é evitar os arremessos de objetos ilícitos para dentro da casa prisional

Na última quarta-feira, 13 de maio, o Diretor do Presidio Estadual de Santa Rosa, Rubesmar Antônio Goebel foi o entrevistado do Programa Plural Entrevistas, onde falou abertamente sobre os problemas ocorridos no complexo prisional.

A tensão no local começou no domingo de Dia das Mães, 10 de maio, com a ocorrência de uma briga no pátio entre dois apenados utilizando armas brancas (Estoques artesanais), uma briga que chamou a atenção da sociedade pela violência e contesto em que aconteceu, ou seja, durante o banho de sol de apenados.

A briga foi filmada por um detento e postado nas redes sociais, onde rapidamente virilizou deixando a população atônita e preocupada. O presidiário ferido com golpes de estoques foi conduzido pelos próprios agentes penitenciários até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA24h), onde recebeu atendimento e horas depois foi liberado.

O outro detento acabou sendo transferido no mesmo dia para a Penitenciária Modulada de Ijuí. Após alguns dias do ocorrido, a Superintendência do Serviços Penitenciários (Susepe) com seu agentes, apoio da Brigada Militar e reforço de cães, realizou uma operação na galeria A que resultou na apreensão de armas, drogas e aparelhos celulares.

Na última segunda-feira, 11 de maio, um segundo vídeo feito por apenados chocou mais uma vez a sociedade e desta vez sem cenas de violência, mas, com depoimentos preocupantes, onde os presos agradeciam ao Diretor do Presidio pela devolução das drogas e armas apreendidas na operação realizada.

A resposta da Susep foi rápida e já na manhã de terça-feira, 12 de maio, ocorreu uma segunda operação de revista em todas as galerias do presidio, onde foram apreendidas as armas exibidas no vídeo, porém, a droga não era real. Segundo o Diretor Rubesmar Antônio Goebel, para fazer as imagens foram utilizados farinha de trigo e açúcar.

A comunidade após assistir ambos os vídeos fez vários questionamentos, um deles foi: De que forma as armas, drogas e celulares podem chegar até as mãos dos detentos? Conforme o diretor geral, através de arremessos realizados sobre a tela que cerca o pátio, inclusive flagrados em imagens das câmeras de segurança. Os arremessadores utilizam o terreno de uma montadora de máquinas agrícolas para efetuar a ação.

Visando acabar com essa prática, está ocorrendo uma negociação com a empresa privada próxima para que haja um suporte na contenção e vigilância do terreno que dá acesso ao pátio do presidio.

A conversação estava avançada, porém, com a pandemia do Coronavirus, a negociação sofreu uma pausa, no entanto, de imediato a empresa se prontificou a fazer uma contenção na tela ampliando sua altura para evitar a facilidade do arremesso e na sequencia instalar uma cobertura metálica total no pátio com telhas de aluzinco pondo um fim nos arremessos.

Seria um primeiro caimento com o aluzinco e um segundo com uma sobre tela. Rubesmar Goebel explicou que já ocorreram várias prisões em flagrante de pessoas que estavam jogando material ilícito para dentro do presidio. O material cai em cima da tela de proteção e os presidiários fazem uma pirâmide humana para resgatar os materiais.

É uma corrida dos detentos para evitar que os agentes da Susepe confisquem os objetos. Antes os arremessos eram realizados da frente do presidio, mas como havia certa dificuldade, a maneira mais fácil de ter êxito no arremesso foi usar o terreno da montadora. A maioria dos arremessos é realizado a luz do dia durante as visitas. O projeto está sendo ainda orçado em valores para após ser concretizado.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Fernando Vannucci, apresentador, morre aos 69 anos em São Paulo

Reporter Global

Publicado

em



 

Jornalista foi âncora de telejornais da Rede Globo, como o Globo Esporte. No ano passado, sofreu um infarto.

 

O apresentador e jornalista Fernando Vannucci morreu aos 69 anos, em Barueri, na Grande São Paulo, na tarde desta terça-feira (24). Vannucci deixa quatro filhos.

Segundo Fernandinho Vannucci, filho do apresentador, na manhã desta terça, ele passou mal em casa, em Alphaville, e foi levado para o hospital.

De acordo com informações da Guarda Civil Municipal de Barueri, Vannucci foi levado ao Pronto-Socorro central da cidade, onde morreu.

No ano passado, Vannucci sofreu um infarto e ficou internado no Hospital Oswaldo Cruz, onde passou por uma angioplastia coronária. Ele chegou a colocar um marcapasso. Em 2001, foi operado do coração e , em 2004, colocou um stent.

Nascido em Uberaba, Vannucci começou a trabalhar em rádio ainda adolescente. Na década de 70, entrou na TV Globo, em Minas Gerais, e depois foi transferido para a Globo do Rio de Janeiro. Na emissora, apresentou jornais como o Globo Esporte, RJTV, Esporte Espetacular, Gols do Fantástico, entre outros.

Na passagem pela Globo, Fernando Vannucci cobriu seis Copas do Mundo: 1978, 1982, 1986, 1990, 1994 e 1998 e ficou marcado pela criação do bordão “Alô, você!”.

Ele também trabalhou em TV Bandeirantes, TV Record, Rede TV. Desde 2014, ele atuava como editor de esportes na Rede Brasil de Televisão.

Vannucci deixa Fernandinho, Frederico, Júlia e Antônio Henrique.

O apresentador Fernando Vannucci, em imagem de arquivo  — Foto: Reprodução/TV Globo

 

 

O jornalista esportivo Fernando Antonio Vannucci Braz, nascido em Uberaba, Minas Gerais. — Foto: Reprodução/Youtube

 

 

G1

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Santa Rosa: Audiência Pública debateu diagnóstico do Plano Municipal de Saneamento Básico

Pável Bauken

Publicado

em



A Audiência Pública aconteceu no Centro Cívico Cultural Antônio Carlos Borges com a presença de autoridades, representantes do Conselho Municipal de Meio Ambiente e Saneamento, Corsan, Agencia de Desenvolvimento, representantes da UFRGS, entre outros.

A atualização do PMSB começou a ser elaborado em 2019 pela Prefeitura Municipal, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FAURGS).

Com a finalidade de aprimorar a qualidade no serviço oferecido à população nas áreas de abastecimento de água potável;  esgotamento sanitário;  drenagem e manejo de águas pluviais urbanas e limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos, o documento mostra quais os caminhos o município deverá seguir, além de definir as ações e metas de saneamento.

O Plano Municipal de Saneamento Básico pode ser acessado no site da Prefeitura; www.santarosa.rs.gov.br

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Pix movimenta R$ 11,8 bi na 1ª semana de operação e chaves vão a 83,490 milhões

Pável Bauken

Publicado

em



O Pix, sistemas de pagamentos instantâneos do Banco Central, movimentou cerca de R$ 11,8 bilhões na primeira semana de operação, conforme dados divulgados nesta segunda-feira, 23, pela autoridade monetária. O volume considera as transações realizadas entre o dia 16 de novembro, início da ferramenta, até ontem, dia 22.

O maior movimento transacionado no Pix foi visto na sexta-feira, dia 20, quando o sistema somou mais de R$ 2,6 bilhões. Na ocasião, era feriado em algumas cidades por conta do Dia da Consciência Negra. Já no fim de semana, o volume financeiro se reduziu, retomando o patamar visto nos primeiros dias da novidade.

O número de chaves no Pix chegou a 83,490 milhões, considerando pessoas físicas e jurídicas. A quantidade total de usuários, porém, é menor. Isso porque, no caso das pessoas físicas por exemplo, um mesmo indivíduo pode ter até cinco chaves. Assim, a quantidade de usuários no Pix já soma 36,635 milhões. A maioria são pessoas físicas, num total de mais de 34,474 milhões. Os outros 2,161 milhões equivalem a cadastros de pessoas jurídicas

Se considerado o volume financeiro transacionado durante a fase de testes do Pix, o volume financeiro total chega a cerca de R$ 12,6 bilhões. A fase anterior à oficial, porém, foi restrita, conforme lembra o BC, contendo apenas transações liquidadas no Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI). Questionado pelo Broadcast, o BC explicou que nesse período – que totalizou R$ 783,604 milhões -, estão apenas as transações feitas entre clientes de uma mesma instituição financeira.

De acordo com a autoridade monetária, os dados do Pix são enviados diariamente ao BC pelos participantes do sistema. Assim, explica, os números podem sofrer alterações retroativas.

Amanhã, o BC realiza uma coletiva de imprensa, às 9 horas, com o chefe e o chefe-adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro, Ângelo Duarte e Carlos Eduardo Brandt, para comentar a primeira semana do Pix.

Estadão

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×