Os Zombeteiros – Portal Plural
Connect with us

Estrada Iluminada

Os Zombeteiros

Publicado

em



Existe uma infinidade de crenças e cada um se comporta com o que é pregado onde frequenta. Mas tem pessoas que vão a tudo, e a vida acabada indo sempre de mal a pior, e não é de admirar, pois não podemos ter mais de uma crença! Lembram-se do que Jesus falou sobre servir a Deus e a Mamon?(Lucas 16:13). Devemos seguir os parâmetros do crédulo que acreditamos ser o certo e cada um tem o direito de escolher o que melhor lhe convém.

Temos um amigo que vai a tudo embora se diga seguidor de uma só religião, mas me disse que quando as “coisas” se complicam tem de procurar “algo mais forte”. Eu acho hilariante, pois é uma fé de vários parâmetros, e fico imaginando como se divertem os espíritos de menos evolução que gostam de zombetear. Sim, pois os que se foram e eram debochados, irresponsáveis quando estavam aqui, e ainda não se encontraram na espiritualidade, continuam da mesma maneira agora sem o corpo carnal praticando caçoadas, “pregando peças” como se diz, perturbando invisivelmente os que aqui ficaram!

O ato de praticarmos rituais, adorar imagens, figas, ferraduras, pé de coelho, ter amuletos pendurados no pescoço, fitas em braços, venerar tatuagens, estátuas, monumentos, ou promover espetáculos de exorcismo e tantas outras práticas, só dificultam a vida que temos de trilhar aqui na Terra.

Sempre digo que somos espíritos que já vivemos muitas e muitas vidas, pois fomos criados pelo Pai para sermos eternos e desde que saímos das cavernas, há bilhões de anos, adotamos costumes e rituais que até hoje temos dificuldades de nos livrar. Isso é considerado normal e cada um tem o direito de em comunhão compactuar do mesmo pensamento e seguir tais costumes e doutrinas.

Interessante é que Jesus o Ser mais perfeito que passou pela Terra nunca se utilizou de qualquer tipo de amuleto, adorno, ou acessório. Limitou-se apenas a nos ensinar uma oração para que nos conectássemos com o Pai, visando aliviar dores nos momentos necessários. Portanto qualquer ritual diferente ou paramento é mera necessidade que através dos tempos foi adotado para fortificar a fé, e compreendemos que muitas pessoas necessitam de algo palpável para se religarem a Deus, mas muitas crenças já passaram dessa dependência e se utilizam apenas da prece para entrar em sintonia com o Altíssimo, mas considerando que Deus ama incondicionalmente acolhe todos os pedidos que são realizados das mais diversas maneiras aclamadas, desde que estas saiam do coração, e nos dizem os espíritos amigos que nenhuma prece se perde quando é feita com fervor e compromissada no bem.

Um dia todas as crenças se unirão numa só voz, nos padrões que Jesus nos ensinou, pois Deus é único.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estrada Iluminada

O Poeta falou há 42 anos.

Publicado

em



Em 1979, num dos momentos de inspiração, um poeta escreveu: “o que será o futuro que hoje se vai, a natureza as crianças e os animais…; quem briga com a natureza envenena a própria mesa…; quem sabe um museu no futuro vai guardar em lugar seguro, um pouco de ar puro relíquia, do ano passado…”. Certamente ele teve a visão do futuro da Terra, este Planeta que habitamos e que há muito tempo temos maltratado, agindo como se houvesse outro nos mesmos moldes para nos mudarmos depois de destruirmos tudo aqui.

Certa ocasião participamos de um dos Encontros Verde das Américas, e tivemos a satisfação de conhecer o Cacique Raoni, o qual palestrou no evento, e uma das alegações dessa personalidade era de que via com tristeza a maneira pela qual estavam tratando a Terra, com destruição de florestas, poluição de rios e desvio de seus cursos.

Felizmente nos dias atuais a maioria dos chefes de estado das grandes potências chegaram à conclusão de que se faz necessário redução na emissão de gazes poluidores da atmosfera.

Mas foi necessário que a natureza se vingasse mostrando efetivas reações e até catastróficas, para que o homem finalmente tomasse um rumo na preocupação com assunto tão fundamental à sobrevivência da raça humana.

Grandes frigoríficos hoje já recusam-se abater bovinos que tenham procedência de regiões que foram palco de destruição de área florestal para criação dessa espécie.

As queimadas ainda acontecem, mas em menor quantidade. O saneamento básico já tem marco regulatório, as baleias já desfilam sua exuberância pelos mares sem serem abatidas, já podemos notar os resultados dos reflorestamentos e a reciclagem é uma realidade, esta que foi vislumbrada pelo químico Lavoisier no século XVII, ocasião que disse: “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

Por outro lado se somos espíritos Criados para sermos eternos, e muitas reencarnações deveremos estar aqui neste Planeta, temos de conservá-lo, enterrando o mínimo de lixo, pois dado o tempo que levam alguns resíduos sólidos para decompor-se, certamente poderemos no futuro ter uma Terra evoluída moralmente e com tecnologia, mas porém com um solo bastante poluído e contaminado por certos tipos de agrotóxicos.

Que bom que o poeta teve uma visão há 42 anos e nos alertou! Cabe agora continuarmos a perseverar na qualidade do Planeta para o bem da humanidade.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Estrada Iluminada

Lei. Reparação obrigatória.

Publicado

em



Sempre que transgredimos a Lei estamos gerando situação de penalidade. A princípio pode não ocasionar prisão em um determinado presídio ou casa de detenção, mas sim passarmos a ser prisioneiros na nossa própria mente, pois a sensação de que de um momento para outro poderemos ser descobertos ou ter nosso lar alvo de buscas nos gera insegurança e muitas noites sem sono.

Mas pode acontecer de praticarmos delitos e não sermos descobertos, isto em razão da má investigação feita e não por habilidade da autoria, pois como se diz “não existe crime perfeito e sim mal investigado”, e pode passar muito tempo para sermos penalizados, mas “a justiça tarda mas não falha” como dizem.

A capacidade do ser humano em maquiar fatos delituosos por ele mesmo praticado é surpreendente, e fica mais fácil quando envolve crime com participação de bando ou quadrilha, pois esta parceria se protege mutuamente. Certo é que a máxima “o crime não compensa” é uma grande verdade, e se soubéssemos que iríamos ser descobertos por ocasião da prática delituosa não praticaríamos deslizes, pois nem a pena de morte inibe o criminoso, pois quando o crime é cometido ele acredita que não vai ser identificado, pois do contrário não o cometeria!

Mas realmente quem comete delito, seja de conotação desonesta ou contra a vida deve ser identificado e punido pela Lei, cumprindo-se assim o que o próprio homem deliberou.

Temos visto vários crimes do tipo “colarinho branco”, este que é gravíssimo pois envolve dinheiro público que poderia ser destinado a ajudar os necessitados e em obras sociais, inclusive o exemplo do que aconteceu em um Estado do nosso País foi muito comentado, pois envolveu governadores de várias legislaturas, os quais foram denunciados e condenados por desonestidade.

Mas efetivamente é atraso cometer crimes pois somos abraçados pela Lei do homem caso sejamos descobertos, e muita tristeza e frustração toma conta de nós, pois nossa moral cai por terra, perdemos a posição social, poder e até nossa liberdade pode ser tolhida. Mas se do ponto de vista da Lei humana sofremos, também nos deparamos com a Lei Divina! Esta aplicada na medida certa, e que tem um ingrediente a mais. O reparo! Isto mesmo, a reparação será necessária, e se não for ou não tivermos oportunidade nesta vida de repararmos, será numa próxima.

Portanto lembremos antes de cometer deslize por menor que seja, e que possa prejudicar outrem, pois na nossa lei existem abrandamentos e protelações, ao contrário da lei de causa e efeito do Altíssimo. Se temos entre os homens os favores da lei; a lei, e os rigores da lei de acordo com quem pratica, na justiça Divina temos simplesmente a Lei.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Estrada Iluminada

Provação

Publicado

em



Existem situações na vida que a nós são impactadas, e a provação é uma delas. É algo que de um momento para outro nos acomete e que temos de enfrentar, pois que faz parte de nossa trajetória na vida.

As provações podem vir individualmente ou coletivamente. Individual quando acontece apenas com uma pessoa e coletivamente quando atinge um grupo, um país, ou até mesmo o mundo como está acontecendo agora em meio a pandemia.

Mas as provações não quer dizer que sejam apenas coisas desagradáveis. Pode acontecer que algo se apresente a nós que não seja angustiante. Um exemplo? Temos dificuldades financeiras e somos promovidos no emprego com um bom salário, ou ganhamos uma soma grande na loteria. O dinheiro que aportará em nossa vida possibilitará nossa melhoria, mas ao mesmo tempo teremos uma responsabilidade a mais, administrar a quantia perante outras pessoas que passam dificuldades. Esta importante tarefa de administrar é que enseja a provação.

Nos dias de hoje nossa provação coletiva tem sido bastante angustiante, pois se não bastasse a ansiedade de tentar sobreviver a pandemia, pois está sendo longa a espera para que as vacinas chegue até nós, também enfrentamos o isolamento, a tristeza de nos separarmos das pessoas que amamos, seja por não poder visitá-las, abraçá-las ou pelo passamento, afinal até agora temos no Brasil quase 540 mil mortos, mas cada uma dessas vítimas representa no mínimo mais três com angústia e tristeza da separação, concluindo então que choram o passamento muito mais pessoas. É também agravada pela longa trajetória de recuperação dos doentes e sequelas que ficam, agravado ainda por saber que muitas vacinas foram aplicadas com validade vencida e outros irmãos faleceram por falta de oxigênio, ou pela espera de um leito especializado.

Certamente os que dão causa as provações que temos de passar serão responsabilizados pela Lei de causa e efeito contida nos desígnios do Criador, pois se somos obrigados a enfrentar com resignação as provações, aqueles que as geram em cada modalidade pelas quais se apresentam a nós, tem a responsabilidade da ação.

As provações não podem ser deixadas de ser passadas, e não adianta nos rebelarmos pois que seria o mesmo que ir contra o que o Pai permite que aconteça. Somos os impulsionadores de nossas provações em razão de atitudes equivocadas que tomamos nesta vida.

Cabe apenas cumprir e pedir a Deus a força para transpor o fardo que chega até nós. Fé acima de tudo.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

PLURAL AGÊNCIA DE PUBLICIDADE LTDA
ME 33.399.955/0001-12

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×

Powered by WhatsApp Chat

×