Morre aos 64 anos Paolo Rossi, carrasco do Brasil na Copa de 1982 – Portal Plural
Connect with us

Esportes

Morre aos 64 anos Paolo Rossi, carrasco do Brasil na Copa de 1982

Publicado

em



 

Paolo foi o primeiro jogador da história a ser, no mesmo ano, artilheiro da Copa, campeão e eleito para receber a Bola de Ouro

 

 

Paolo Rossi se surpreendeu com quanto era odiado no Brasil. Ele chegou a São Paulo em 1989 para jogar a Copa Pelé, torneio de veteranos organizado pelo narrador Luciano do Valle (1947-2014).

Relatou ter sido maltratado por taxistas e foi vaiado impiedosamente cada vez que pegava na bola de uma competição amistosa.

O artilheiro italiano, morto nesta quarta-feira (9), aos 64 anos, foi o inimigo número um do povo brasileiro durante boa parte dos anos 1980.

Seus três gols que eliminaram a seleção de Telê Santana no Mundial de 1982 ainda povoam a imaginação dos torcedores que assistiram à partida que ficou conhecida como “A Tragédia do Sarriá”.

Não por acaso, quando publicou sua autobiografia na Itália, em 2002, o título foi: “Ho fatto piangere il Brasile” (Fiz o Brasil chorar).

A causa da sua morte não foi divulgada. Segundo o jornal italiano La Gazzetta dello Sport, o ex-atacante tinha uma doença incurável.

Paolo Rossi foi o primeiro jogador da história a ser, no mesmo ano, artilheiro da Copa, campeão e eleito para receber a Bola de Ouro, o troféu oferecido pela revista francesa France Football para o melhor jogador da temporada. Depois dele, apenas o brasileiro Ronaldo atingiu esse feito, em 2002.

Ele conseguiu tudo isso em 1982, na Espanha. Seus seis gols foram fundamentais para a Itália conquistar seu terceiro título mundial.

Na época, a Bola de Ouro era o equivalente a ser escolhido o melhor do mundo. A Fifa ainda não havia criado sua própria premiação.

Um atacante de área por excelência, Rossi se divertia mesmo anos depois quando perguntado sobre o que o técnico da seleção italiana, Enzo Bearzot, havia lhe dito depois de sua atuação no Sarriá.

“Nada. Ele não me disse nenhuma palavra”, resumiu.

Paolo Rossi mudou os rumos do futebol brasileiro. Seus três gols fizeram nascer a discussão no país quanto a jogar bem, mas perder, ou fazer todo o possível pelo resultado, mesmo que para isso seja necessário ficar na retranca.

Até antes daquela tarde no estádio em Barcelona, o atacante havia feito quatro jogos sem marcar nenhum gol na Copa do Mundo de 1982. Depois do Brasil, anotaria mais dois contra a Polônia e um na final, diante da Alemanha. Foi uma reviravolta para uma Itália que não havia vencido nenhum jogo na fase de grupos e tinha se classificado com três empates.

O elenco comandado por Enzo Bearzot vivia em guerra com a imprensa desde o início do torneio.

“Sinto cheiro de esterco vindo de fora”, gritou o lateral Antonio Cabrini para os jornalistas que esperavam os jogadores saírem do vestiário após o triunfo contra o Brasil. A maior revolta era com a divulgação de boatos sobre a vida pessoal de alguns jogadores. Paolo Rossi entre eles.

O título na Espanha foi o momento de redenção também para o atacante. Ele havia sido suspenso por dois anos por envolvimento no escândalo de apostas clandestinas no futebol italiano entre 1979 e 1980. Por causa disso, ficou fora da Eurocopa-1980 e voltou a jogar a menos de dois meses do Mundial de 1982, em 29 de abril.

Revelado pela Juventus, em 1973, Rossi teve problemas com sucessivas lesões em seus primeiros anos. O momento em que explodiu no futebol foi durante empréstimo para o Vicenza, quando foi artilheiro da Série B na temporada 1976/77 e levou o time à elite com 21 gols.

Convocado para a Copa do Mundo de 1978, fez três gols. Com nove marcados no total, é o maior artilheiro italiano em mundiais, ao lado de Christian Vieri e Roberto Baggio.

Depois do título mundial com sua seleção, em 1982, conquistou mais duas ligas nacionais com a Juventus e, em 1985, fez parte do elenco vencedor da Copa da Europa, a atual Champions League. Ele ainda atuou pela Hellas Verona antes de encerrar a carreira em 1987.

Após pendurar as chuteiras, Rossi se aventurou na política e como dirigente, sem sucesso. Tentou se eleger para o parlamento europeu em 1999 e, no ano seguinte, para a presidência da liga de futebol feminino na Itália. Não venceu nenhum dos pleitos.

No centenário da Fifa, em 2004, foi incluído na lista dos 125 melhores jogadores da história.

Na última década, trabalhou como comentarista dos canais Mediaset, Sky e Rai. Rossi deixa a mulher, Federica, e três filhos: Alessandro, Maria Vittoria e Sofia Elena.

 

 

Noticias ao Minuto

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

Sojão retoma as escolinhas de basquete

Publicado

em



A iniciação ao basquete é aberto para crianças a partir dos 05 anos. As oficinas ocorrem no Ginásio do Instituto Sinodal da Paz, nas segundas e quartas, das 18h10 às 19h, sob orientação dos Professores Giovani Assis e Pedro Immig.

O clube conta ainda com as categorias Sub 8, 10, 12, 15, 17 e 19, masculino e feminino. Os campeonatos estaduais das categorias de base iniciam em agosto.

Todas as medidas de segurança para combate ao COVID-19 estão sendo adotadas. As categorias de base contam com o apoio do programa Pro Esporte RS do Governo do Estado de incentivo ao esporte amador.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Esportes

Presidente afastado da CBF se diz inocente em acusação de assédio e promete voltar

Publicado

em



 

Rogério Caboclo se manifestou nesta segunda-feira (7) pela primeira vez desde que foi afastado temporariamente da presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no domingo (6).

 

Ele disse ser inocente quanto à acusação de assédio moral e sexual, negou qualquer intenção de demitir o técnico Tite, na seleção brasileira, e afirmou que retomará suas funções na presidência da entidade que rege o futebol brasileiro.

Em entrevista ao site ESPN.com, Caboclo disse que não houve conversas sobre um possível boicote dos jogadores à Copa América, que terá início no Brasil no domingo (13). A competição estava agendada inicialmente para Colômbia e Argentina, mas os dois países desistiram de sediar o evento, que acabou sendo oferecido ao Brasil pela Conmebol.

E, diante da resposta positiva da CBF, jogadores e comissão técnica entraram em conflito com Caboclo, que negou qualquer animosidade no grupo nesta segunda. “Os jogadores nunca falaram em boicotar a Copa América, em nenhum momento isso aconteceu (reunião com os atletas). E eu nunca quis trocar o Tite, a comissão técnica. Nós estaremos todos juntos na Copa de 2022, e para vencer”, declarou.

Questionado sobre a acusação de assédio moral e sexual a uma funcionária da CBF, Caboclo disse apenas que era inocente, sem se aprofundar no assunto. “Não posso falar nada sobre isso porque tudo será tratado na minha defesa. Eu sou inocente. Tenho absoluta certeza de que vou provar isso.”

Ele descartou ainda qualquer possibilidade de renúncia, rejeitando a ideia de que estaria sendo pressionado pela própria família para deixar o cargo de forma definitiva. Seu mandato se encerra em 2023. “Não há dúvida nenhuma de que voltarei (à presidência da CBF). A minha família toda está me apoiando, minha mulher, meu filho, meus pais, minha ex-mulher.”

 

FONTE: O Sul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Esportes

Jogadores da Seleção não querem participar da Copa América no Brasil

Publicado

em



 

Segundo apuração da reportagem da TNT Sports, os jogadores da Seleção não estão se sentindo a vontade para disputar a Copa América no Brasil.

 

Os atletas já teriam externado para a direção e comissão técnica insatisfação e o desejo de não jogar a competição, que mudou às pressas para solo brasileiro.

Os jogadores que atuam na Europa são os que mais se preocuparam e dividiram o desejo de não disputar o torneio. Durante a semana, houve silêncio sobre o assunto. Nesta quinta-feira (03), o início do treino atrasou, e a coletiva de imprensa começou com duas horas de atraso.

Volante da Seleção e do Real Madrid, Casemiro, que também participaria da coletiva, não acompanhou Tite. O treinador disse que os jogadores vão externar suas opiniões na hora certa.

“Pedimos para trabalharem e ficarem focados, exclusivamente na preparação para o jogo contra o Equador, nos atenderam, na sequência solicitaram uma conversa com o presidente falando a ele suas opiniões porque a opinião dos atletas está muito clara e foi externada ao presidente diretamente. Nós gostaríamos de externar isso a eles (público), não vamos externar agora pois a prioridade é jogar bem e ganhar o jogo amanhã, entendendo também que ao término da data FIFA as situações irão ficar claras. Jogadores vão externar a opinião deles em momento oportuno”, disse Tite.

 

FONTE: TNT SPORTS

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

Trending

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×