Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
‘Modão do Tchêco’ estreia no Portal Plural – Portal Plural
Connect with us

Destaque

‘Modão do Tchêco’ estreia no Portal Plural

Pável Bauken

Publicado

em



 

Na quarta-feira (03/07), ocorreu a estreia do novo programa do Portal Plural o ‘Modão do Tchêco’. Um programa musical aonde o internauta pode interagir com os convidados do Tchêco pedindo música e mandando seu recado, além de escutar boas histórias.

Na estreia o programa já mostrou sua grande audiência foram mais de 5,5 mil visualizações, 2042 envolvimento, 86 comentários e 30 compartilhamentos, alcançando um público de 18 mil pessoas.

Na primeira edição os convidados foram Cris e Maninho do SAN Marino, Álvaro Froes e Edson Forigo, que cantaram um vasto repertório como clássicos ‘A força do amor’ do San Marino na abertura, também músicas de Cristian e Ralf, Bruno e Marrone, João Paulo e Daniel, César Passarinho entre outras.

Com duração de quase duas horas o programa foi repleto de modão, confira:

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima/Tempo

Temporais que rumam pro Sul do Brasil trazem estragos na Argentina

Pável Bauken

Publicado

em



Uma frente fria avança pela Argentina e encontra na sua dianteira ar muito quente que elevou a temperatura a mais de 40ºC na tarde deste domingo (25) em províncias do Norte e do Nordeste do país como Chaco, Santiago del Estero e Formosa. Em Misiones, a temperatura passou de 37ºC. Ao encontrar o ar quente, o sistema frontal tem formado frentes de rajadas com vendavais.

Na sua passagem por Trebol, província de Santa Fé, no Centro da Argentina, a frente fria trouxe tempestade severa com vento destrutivo que fez muitos estragos como quedas de árvores, postes, destelhamentos e destruição de silos na zona rural.

A frente avança para o Norte e o Nordeste argentino, além do Sul do Brasil, provocando mais temporais fortes a severos de vento e granizo

O risco é maior para as partes Norte de Santa Fé e Entre Rios, e as províncias de Corrientes, Misiones, Chaco e Santiago del Estero entre domingo e a segunda-feira.

Alguns temporais na Argentina devem ser fortes a severos com danos por vento e queda de granizo, não se descartando tornados isolados.

Os temporais vão atingir também o Uruguai. As condições meteorológicas devem se deteriorar muito neste final de domingo no território uruguaio a partir do chamado Litoral Oeste e as tempestades devem seguir em parte do país ainda na segunda-feira.

A MetSul Meteorologia antecipa chuva localmente forte e volumosa e alta probabilidade de tempestades fortes a severas com risco de danos por vento e granizo.

Alguns vendavais isoladamente podem ser intensos e há risco de “turbonadas”, nome dado pelos uruguaios para eventos isolados e severos de vento com característica de microexplosão. Montevidéu está na área de risco de tormentas fortes.

Amanhã, segunda-feira, as fortes tempestades devem atingir também o Paraguai à medida que o sistema avança pelo Norte da Argentina e o Sul do Brasil.

Uma linha de temporais muito intensa e organizada deve avançar pelo Nordeste argentino e áreas a Oeste do Sul do Brasil, devendo alcançar o Paraguai ao longo da segunda. É muito alto o risco de tormentas fortes a severas de granizo e, especialmente, de vento forte com probabilidade de danos.

MetSul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Clima/Tempo

**ALERTA** Temporais isolados e vórtice ciclônico no Rio Grande do Sul

Pável Bauken

Publicado

em



A MetSul Meteorologia alerta que uma frente fria avançará pelo Sul do Brasil neste começo de semana com chuva mais ampla e alto risco de temporais nos três estados do Sul. O sistema frontal de forte intensidade já começou a ingressar no Rio Grande do Sul pelo Oeste agora no final deste domingo com probabilidade de chuva localmente forte a torrencial e ainda a possibilidade de tempestades de vento (vendavais) e granizo, como já ocorreu na Argentina.

A máxima atividade frontal deste sistema deve ocorrer no Oeste do Sul do Brasil. Por isso, a MetSul Meteorologia antecipa que o risco de temporais mais fortes é valido para a Metade Oeste do Rio Grande do Sul, o Oeste e o Meio-Oeste de Santa Catarina e a Metade Oeste do Paraná, apesar da possibilidade de tempo severo isolado em outras áreas dos três estados.

No Rio Grande do Sul, nesta segunda-feira, o sistema frontal traz chuva, trovoadas e temporais isolados desde cedo para a Metade Oeste e o Sul. No Leste e no Nordeste do Estado, em muitas áreas o sol chega a aparecer com nuvens e abafamento antes da mudança do tempo. Será o caso de Porto Alegre que começa o dia com tempo firme e abafado, mas depois deve ter chuva, especialmente da tarde para a noite.

Ao longo da segunda, a frente avança e traz chuva para todas as regiões. Serão precipitações irregulares, mas, isoladamente, ocorrem pancadas fortes com risco de temporais localizados de vento forte e granizo. Na Metade Oeste, depois de um começo de dia chuvoso, o tempo melhora da tarde pra noite e o sol pode aparecer em muitas cidades à tarde.

A chuva, apesar de ampla, será irregular. Em muitos locais deve chover menos de 10 mm ou 20 mm na passagem desta frente e é possível que em alguns poucos a precipitação até “falhe”, mas muitos locais terão chuva de 20 mm a 30 mm na passagem do sistema e em algumas cidades os acumulados podem ficar perto ou acima de 50 mm.

Esta frente fria, diferentemente do que é comum nesta época do ano e mais normal de se ver no inverno, conseguirá avançar pelo interior do continente e vai alcançar com chuva e temporais, alguns fortes a severos de vento e granizo, os estados do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso entre segunda-feira e terça. Também parte do estado de São Paulo pode ter chuva e temporais associados a esta frente, mas o sistema frontal deve enfraquecer ao se deslocar pelo Sudeste do Brasil.

Aviso de vórtice ciclônico

A MetSul antecipa que um vórtice ciclônico vai se formar na terça-feira sobre o Leste do Rio Grande do Sul com o centro de baixa pressão situado sobre o mar e que depois vai avançar para a área da Lagoa dos Patos. Este sistema vai impressionar nas imagens de satélite porque o eixo do ciclone estará sobre o continente e justamente na parte Leste do Rio Grande do Sul, que inclui Porto Alegre.

Este vórtice ciclônico da terça pode trazer vento moderado e ocasionais rajadas no Leste gaúcho, mas a MetSul não espera que seja um sistema gerador de vento intenso. O grande risco associado a este sistema será chuva forte e volumosa com possibilidade de alagamentos em pontos do Leste e do Nordeste gaúcho, sobretudo na área da Lagoa dos Patos e seu entorno, o Litoral, os vales, a Grande Porto Alegre e a Serra.

MetSul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Cenário para 2021 prevê queda de mais de R$ 850 milhões na receita dos municípios

ICMS previsto no Projeto de Lei Orçamentária é menor do que em 2020 como reflexo da pandemia e o fim das alíquotas majoradas

Pável Bauken

Publicado

em

Reunião entre governo, parlamentares e sociedade foi organizada para entendimento sobre alternativas diante do déficit do Estado - Foto: Divulgação / Cristiano Guerra / ALRS

A perda de arrecadação das prefeituras gaúchas em 2021, estimada em R$ 857 milhões após o fim da vigência das alíquotas majoradas de ICMS, foi tema da segunda reunião proposta pelo deputado Mateus Wesp, relator do Projeto de Lei Orçamentária para 2021. O encontro, na tarde desta terça-feira (20/10), entre governo, parlamentares e sociedade, ocorreu para viabilizar o entendimento sobre alternativas diante do déficit projetado para o Estado, de R$ 8,1 bilhões. O objetivo foi discutir a situação dos municípios, que deverão ter receita de ICMS menor do que em 2020 nos cenários projetados para o próximo exercício.

Ao abrir a sessão, Wesp citou as dificuldades atuais de investimentos nos municípios, exemplificando com a situação das 54 cidades ainda sem acesso asfáltico, o que prejudica suas perspectivas de desenvolvimento. “Para 2021, o horizonte é ainda mais sombrio, com perda de arrecadação para grandes cidades, como Porto Alegre – com queda projetada em R$ 63 milhões –, Caxias do Sul, Rio Grande, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Passo Fundo e Uruguaiana, mas também para cidades de pequeno porte. São números expressivos, que não podem ser ignorados pelo parlamento e pela sociedade gaúcha”, avaliou, afirmando que os resultados das reuniões serão considerados na elaboração do seu relatório.

Pelo governo do Estado, participaram o procurador-geral, Eduardo Cunha da Costa, os secretários de Planejamento, Governança e Gestão, Claudio Gastal, da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso, representantes da Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios e da Secretaria Extraordinária de Relações Federativas e Internacionais, além das equipes técnicas envolvidas com a elaboração do Orçamento para 2021.

Ao apresentar dados financeiros, o secretário da Fazenda reafirmou as análises feitas ainda durante as discussões da Reforma Tributária sobre as perdas dos municípios estimadas para 2021, que estão previstas no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), fruto do movimento econômico deste ano e da previsão de não renovação das alíquotas majoradas de ICMS.

O PLOA prevê receita bruta de ICMS do Estado de R$ 34,5 bilhões em 2021, valor abaixo do que deve ser confirmado em 2020 (projeção de fechamento em R$ 35,4 bilhões) e menor também do que era previsto antes da pandemia na Lei Orçamentária Anual (LOA) 2020 (R$ 37,5 bilhões). Segundo o secretário Marco Aurelio, o ICMS regredirá ao patamar de 2016 e 2017 corrigido pela inflação. “Mesmo que haja efeitos do crescimento econômico no ano que vem, não devem ser suficientes para repor as perdas deste ano e com a redução provocada pelas alíquotas menores. O crescimento do próximo ano se dará sobre uma base mais corroída”, acrescentou.

O presidente da Federação das Associações de Municípios (Famurs) e prefeito de Taquari, Maneco Hassen, destacou o diálogo como importante e disse que prefeitos estão preocupados em achar alternativas para evitar essa queda de arrecadação, especialmente pelo início de novos mandatos no pós-pandemia. Nos estudos apresentados por Cinara Ritter, do setor de Receitas da Famurs, os municípios já perdem R$ 532 milhões neste ano. No total, as perdas em 2021 serão de 5,5% em relação a 2020. Com a manutenção das alíquotas, a perda seria menor, mas ainda no patamar de 0,09%, o que aponta um ano crítico, na projeção da entidade.

Prefeitos como o de Santa Rosa, Alcides Vicini, de Pelotas, Paula Mascarenhas, de Harmonia, Carlos Alberto Fink, e a secretária da Fazenda de Porto Alegre, Lisiane Baum, enfatizaram a importância do ICMS para a composição das receitas das prefeituras. Na capital, a perda representa um terço do investimento da cidade. O vice-presidente do Conselho dos Secretários Municipais de Fazenda e Finanças (Consef), Jônatas Weber, avaliou que o ICMS é uma das maiores fontes de receita dos municípios e é importante para todos, em maior ou menor grau. “As perdas não pouparão nenhum município e temos recomendado cautela aos secretários municipais na elaboração das suas leis orçamentárias, considerando o cenário complexo do ano que vem”, avaliou.

Sobre os precatórios, outro tema que preocupa Estados e municípios, o procurador-geral disse que o assunto é um dos mais expressivos que o Rio Grande do Sul vem enfrentando, tendo de buscar o ajuizamento de ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para manter o pagamento de 1,5% da Receita Corrente Líquida, somado a outros mecanismos do regime especial, totalizando valores que ainda assim são insuficientes para quitar todo o passivo até 2024. “Fomos ao STF e, pela adesão ao Regime Especial de Precatórios, foi possível obter cautelar suspendendo bloqueio no Estado”, explicou Eduardo Cunha da Costa.

Participaram da reunião representantes de associações municipalistas, Tribunal de Justiça, Defensoria Pública e Associação Gaúcha Municipalista, entre outros.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×