Milho e girassol estiveram em pauta na região de Santa Rosa – Portal Plural
Connect with us

Agro

Milho e girassol estiveram em pauta na região de Santa Rosa

Reporter Cidades

Publicado

em



Foi a campo que agricultores e técnicos puderam visualizar e discutir aspectos da produção e manejo das culturas do milho e do girassol, na região de Santa Rosa. O Dia de Campo sobre as culturas foi realizado nesta sexta-feira (21/02), no campus da Sociedade Educacional Três de Maio (Setrem), resultado da iniciativa de diversas entidades que se reúnem periodicamente para a realização de atividades técnicas e extensionistas: Emater/RS-Ascar, Setrem, Cotrimaio, Sicredi, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Sindicato Rural. Neste evento contou-se também com o envolvimento da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e de diversas empresas de híbridos de milho.

Os participantes acompanharam as estações sobre materiais genéticos de milho e de girassol apresentados pelas empresas Agricomseeds, Morgan, Pionner e Advanta.

Informações sobre novas normas no uso de agrotóxicos também estiveram em pauta na estação coordenada pelos fiscais agropecuários da Seapdr, Márcio Amaral Albuquerque e André Ebone, com destaque para as Instruções Normativas 05, 06, 08 e 09/2019. As normas estabelecem a criação de um cadastro de aplicadores de produtos agrotóxicos hormonais, a declaração de aplicação por parte dos produtores rurais e o Termo de Conhecimento de Risco e de Responsabilidade. As regras levam em conta os impactos causados por casos de deriva do herbicida 2,4-D em culturas sensíveis.

A Seapdr, com o apoio de entidades parceiras, está promovendo capacitações nos municípios em que laudos da secretaria confirmam a presença de resíduos de 2,4-D em culturas sensíveis como da maçã e da uva. O armazenamento de embalagens de agrotóxicos também foi orientado.

O extensionista rural do escritório municipal da Emater/RS-Ascar, Fábio Karlec, orientou sobre o funcionamento do Programa Troca-troca de Sementes, da Seapdr, que disponibilizou, no último ano, 41 variedades de sementes de milho híbrido e transgênica e sorgo, com 28% de subsídio aos produtores rurais. Foram em torno de 9 mil sacas disponibilizadas aos produtores. Karlec orientou sobre as variedades existentes e os aspectos que devem ser levados em conta no momento de sua escolha.

O Dia de Campo seguiu na estação sobre manejo de nitrogênio em milho, prática importante para atingir altas produtividades, com orientações do pesquisador da Embrapa Trigo, Fabiano Debona. Também destacou fatores que influenciam a resposta do milho à aplicação de nitrogênio.

O controle biológico, com a liberação de inimigos naturais com uso de drones, foi tema da estação conduzida pelo engenheiro agrônomo da Geoplan, Cristiano Costalunga Gotuzo.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro

Plantio de soja é finalizado no Rio Grande do Sul

Reporter Global

Publicado

em

Mesmo esparsas e em baixos volumes, precipitações auxiliaram na evolução dos cultivos de soja Foto: Marcela Buzatto/Emater/RS-Ascar

 

 

O plantio da soja no Rio Grande do Sul foi concluído nesta semana. As chuvas, apesar de esparsas e em baixos volumes, têm contribuído para a evolução dos cultivos.

 

 

De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado na quinta-feira (14) pela Gerência de Planejamento da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, 69% da área cultivada está em germinação/desenvolvimento vegetativo; 24% em floração; e 7% em enchimento de grãos.

As precipitações no Estado têm contribuído para o desenvolvimento dos cultivos nos municípios produtores de milho e para o avanço no plantio do segundo cultivo. Nas áreas onde não tem chovido, há registro de prejuízos e perdas. O plantio do milho também se encaminha para o final, atingindo 96% da área total estimada; 15% da cultura já está colhida; 24% em fase de maturação; 24% em enchimento de grãos; 16% em floração e 21% em germinação e desenvolvimento vegetativo.

A predominância de tempo firme, com elevadas temperaturas e dias ensolarados, e a disponibilidade de água via irrigação contribuem para o desenvolvimento do arroz. No entanto, a ocorrência de chuvas esparsas e de baixo volume no Estado tem acarretado menor capacidade de recarga dos níveis de água dos mananciais. A cultura encontra-se 73% em germinação e desenvolvimento vegetativo; 21% em floração e 6% em enchimento de grãos.

 

 

FONTE: O Sul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Agro

Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões

Reporter Global

Publicado

em

É a maior da série histórica desde 1989. Foto: CNA/Wenderson Araujo/Trilux

 

 

O VBP (Valor Bruto da Produção Agropecuária) de 2020 alcançou R$ 871,3 bilhões, tornando-se o maior da série histórica desde 1989.

 

 

O crescimento real foi de 17%. O segundo melhor resultado ocorreu em 2015, com R$ 759,6 bilhões. Os dados já incluem as estatísticas de dezembro do ano passado.

As lavouras tiveram faturamento de R$ 580,5 bilhões, alta de 22,2%, e a pecuária, de R$ 290,8 bilhões, incremento de 7,9%. De acordo com nota técnica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, os produtos que mais contribuíram para o resultado foram o milho, com crescimento real de 26,2%, a soja, com 42,8%, a carne bovina, com 15,6%, e a carne suína, com 23,7%.

O faturamento da soja, do milho e da carne bovina foi de R$ 243,7 bilhões, R$ 99,5 bilhões e R$ 126,3 bilhões, respectivamente. Destaca-se ainda a contribuição positiva da produção de ovos em 2020.

Segundo a pasta, as variáveis determinantes para os resultados estão relacionadas aos preços dos produtos no mercado interno, às exportações favoráveis para grãos e carnes e à produção da safra de 2020.

 

 

Produção

As primeiras estimativas para 2021 indicam crescimento do VBP de 10,1% (R$ 959 bilhões). Os principais destaques são arroz (17,3%), batata inglesa (22,1%), cacau (14,7%), mandioca (10,9%), milho (17,7%) e soja (24,4%). Há ainda boas expectativas para a pecuária, em especial bovinos, suínos, frangos e leite.

O ranking dos principais produtos em 2021 aponta para a soja, o milho, café e algodão, responsáveis por 82,6% do faturamento esperado para as lavouras.

Na pecuária, bovinos, frangos e leite devem liderar os resultados do VBP, com participação de 85,9% no faturamento.

A lista dos Estados campeões na agropecuária deve permanecer com Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

 

 

VBP

O Valor Bruto da Produção Agropecuária mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. É calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil.

O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna) da Fundação Getulio Vargas. A periodicidade é mensal, com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês.

 

 

 

FONTE: O Sul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Agro

Abacaxi tem boas expectativas para esta safra

Pável Bauken

Publicado

em



Terra de Areia tornou-se um referencial na produção de abacaxi no Rio Grande do Sul em razão de 95% da produção estadual ser proveniente do município. O abacaxi pérola já é conhecido no Estado como “abacaxi de Terra de Areia”, apesar de outros locais também terem o cultivo desta variedade. O diferencial é o sabor muito doce e isto acontece em função da fruta ser colhida madura, na hora certa, afirma o extensionista da Emater/RS-Ascar em Terra de Areia, Wolnei Fenner, diferentemente do que acontece com abacaxis que vêm de outros estados e que foram colhidos mais verdes em função da logística.

Neste ano, o clima está contribuindo e o calor está fazendo com que o fruto seja de excelente qualidade. Por isto, a expectativa é que sejam colhidas 6,5 mil toneladas de abacaxis, o que gera uma receita considerável ao município, em torno de R$ 9 milhões por ano. “É uma fruta economicamente significativa para nós”, salienta Fenner.

Em Terra de Areia, 330 hectares são cultivados com o abacaxi pérola e cerca de 130 famílias são envolvidas diretamente. De acordo com o extensionista, o cultivo tem muita potencialidade para a região já que ela possui um microclima diferenciado e o cultivo tornou-se uma tradição, pois há muitos anos o pessoal cultiva e tem habilidade para isto.

A Emater/RS-Ascar, vinculada à secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), tem contribuído para trazer inovações para que os produtores consigam melhorar os resultados tanto em quantidade quanto em qualidade e também para que o trabalho seja menos oneroso. “Temos incentivado novas técnicas e tecnologias e o uso de equipamentos para tornar o trabalho mais leve para o agricultor e sua família”, ressalta.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


error: Conteúdo protegido, para ter acesso seja nosso parceiro entre em contato no whats (55) 984161736
×