Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Melancolia – Portal Plural
Connect with us

Estrada Iluminada

Melancolia

Nilton Moreira

Publicado

em



O poeta cantou assim: “tem dias que a gente se sente, como que partiu ou morreu…”. De fato às vezes nos desligamos do mundo como se não estivéssemos mais aqui. É uma tristeza tão profunda que nos invade que parece que nada mais tem sentido e até esquecemo-nos das pessoas que nos cercam e nos amam.

Um grande egoísmo se apossa de nós, pois demonstramos que o nosso sofrimento é maior do que qualquer o de outra pessoa. Isto se chama melancolia. Diz que é o espírito/alma que almeja sair do corpo, aspirando à felicidade e à liberdade, corpo este que lhe serve de prisão, mas reconhecendo inúteis esses esforços, cai no desânimo e, como o corpo lhe sofre a influência, toma-nos a lassidão, o abatimento, uma espécie de apatia, e nos julgamos infelizes.

Devemos resistir com tenacidade a essas impressões que nos enfraquecem a vontade, pois que esse sintoma passa no momento que o espirito que somos se conscientiza de que deve permanecer no corpo material, já que têm objetivos a cumprir na Terra.

Nunca podemos perder as forças e a vontade de viver. Devemos resistir a qualquer influência que nos coloque para baixo e tente nos derrubar. Temos conosco sempre a nos cuidar e torcer por nós um espírito guardião ou anjo da guarda como queiram chamar, que desde antes mesmo do nosso nascimento, quando no Plano Espiritual preparávamos a nossa vinda ao Planeta, nos acompanha, nos intui e vibra quando acertamos.

Mas os aconselhamentos desse Amigo invisível só são possíveis de serem ouvidos intimamente quando estivermos receptivos, isto é, com vontade de lutar pela vida, mesmo que nos reste pouco tempo em razão de moléstia grave. Mesmo nestes momentos nunca deixemos o desanimo nos tomar conta.

Se a saudade dos nossos queridos que já partiram for o motivo da tristeza, façamos uma prece pedindo a Jesus que os acolha em Seu ombro amigo e certamente essa partícula de energia de amor chegará até eles. Enquanto isso, sigamos nossa trajetória aqui na Terra até o dia que chegar a hora de todos nos reencontrarmos, pois fomos Criados pelo Pai para sermos eternos e resistir diante da melancolia.

Temos em nós a capacidade de enfrentar os problemas que nos atinge, basta pra isso que resistamos ao momento que a melancolia se acerque de nós. Recorramos a prece sempre nos momentos melancólicos.

Força a todos.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estrada Iluminada

Abreviar a vida é solução?

Nilton Moreira

Publicado

em



Neste mês as preocupações se concentram no denominado setembro amarelo. Isto tem a ver com a preocupação com aqueles que ainda persistem em acreditar que o abreviar a vida é a solução de tudo.

Pelo mundo sempre houve guerras que ensejaram milhões de mortes, cujas guerras se iniciam pela imprudência de conquistas que ao serem analisadas não teriam razões de existirem se não fosse à intransigência, e Isso faz com que a aura planetária contenha resíduos influentes de extermínio nos envolvendo a resolver os problemas e ansiedade pelo extermínio.

Então, parece que dando cabo à vida tudo se resolve para quem se vai. Mas não é assim não! Muito pelo contrário! Partindo-se do princípio que a morte não existe e sim morre apenas o corpo material, pois que somos espírito/alma que ocupamos temporariamente um corpo que se decompõe, só agravamos a situação, pois após o suicídio vamos nos deparar com a realidade de que a vida continua e que ainda teremos de retornar em uma nova vida para reparar nossos erros, agora agravado pela lesão que cometemos ao nosso corpo astral, que é uma cópia do corpo material que tínhamos antes de cometer o ato.

Este corpo invisível que é uma cópia do nosso que estamos utilizando agora, também vai ser ferido da mesma maneira, e numa próxima vida estará com sérios problemas por ocasião de um novo nascimento, através da reencarnação, para quem acredita.

Vemos em torno de nós muitas pessoas mutiladas, com sérios defeitos físicos e normalmente não encontramos explicações plausíveis, mas certamente em vidas passadas ouve algo que aconteceu e foi então o corpo perispiritual lesado, e ao reencarnarem essas dificuldades afloram. Reflitamos por exemplo, qual seria a consequência de os chamados “homem bomba”? Como seria na atualidade o corpo desses que numa outra vida se explodiu conscientemente? Portanto, acreditar que o suicídio é uma solução para alguma situação, é um vão engano.

Existe sim um suicídio que é menos grave se podemos dizer assim, que é aquele repentino, que surge de uma depressão profunda e o autor não chega a ter tempo de medir as consequências. Mas a pessoa que tira a vida após planejar, às vezes até deixando uma carta, ou quem compra uma arma, corda, veneno, ou escolhe local fora de seu itinerário para consumá-lo, este se compromete gravemente com o Criador e certamente passará por períodos bem amargos quando de retorno à espiritualidade.

Devemos sempre pensar que para tudo na vida existe uma solução. Pode até ser que não seja a solução ideal ou a que esperávamos, mas sempre vamos receber auxilio quando elevarmos o pensamento a Deus. Pelo menos vamos ter a ajuda para enfrentar as dificuldades e carregar o fardo, fardo que todos nós temos, seja com mais ou com menos peso.

Muita força amigos e resistamos todos aos momentos de fraqueza.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Estrada Iluminada

Autoridade: quem sai e quem prossegue?

Nilton Moreira

Publicado

em



Aproximamo-nos do momento derradeiro para Autoridades Legislativas e Executivas municipais. É a fase final das convenções, articulações, composições e registro de candidaturas. Momento tenso, pois não deixa de ser avaliação e eleição. Momento em que os mesmos que estenderam tapetes vermelhos, podem puxar este mesmo tapete como fizeram com Jesus.

François Nicolas Madeleine, Cardeal Marlot, nos trouxe em 1863 a seguinte mensagem “a autoridade é uma delegação de que terá de prestar contas àquele que se ache dela investido. Não julgueis que lhe seja ela conferida para lhe proporcionar o vão prazer de mandar, nem, conforme o supõe a maioria dos potentados da Terra, como um direito, uma propriedade. Se fosse um privilégio inerente às suas personalidades, seria inalienável. A ninguém cabe dizer que uma coisa lhe pertence, quando lhe pode ser tirada sem seu consentimento”.

“Deus confere a autoridade a título de missão, ou de prova, quando o entende, e a retira quando julga conveniente. Quem quer que seja depositário de autoridade, desde a do senhor sobre o seu servo, até a do soberano sobre o seu povo, não deve olvidar que tem almas a seu cargo. Que responderá pela boa ou má diretriz que dê aos seus subordinados e que sobre ele recairão as faltas que estes cometam os vícios a que sejam arrastados em consequência dessa diretriz ou dos maus exemplos, do mesmo modo que colherá os frutos da solicitude que empregar para os conduzir ao bem”.

“Todo homem tem na Terra uma missão, grande ou pequena, qualquer que ela seja sempre lhe é dada para o bem. Falseá-la em seu princípio é, pois, falir ao seu desempenho. Assim como pergunta ao rico: “Que fizeste da riqueza que nas tuas mãos deverá ser um manancial a espalhar a fecundidade ao teu derredor”, também Deus inquirirá daquele que disponha de alguma autoridade: Que uso fizeste dessa autoridade? Que males evitaste? Que progresso facultaste? Se te dei subordinados, não foi para que os fizesses escravos da tua vontade, nem instrumentos dóceis aos teus caprichos ou à tua cupidez; fiz-te forte e confiei-te os que eram fracos, para que os amparasses e ajudasses a subir ao meu seio”.

A mensagem de François é muito apropriada aos dias de hoje e a vemos eclodindo a cada momento pelo mundo.

Efetivamente não viemos a Terra a passeio ou para levar uma vida contemplativa, principalmente quem detém alguma autoridade seja no nível que estiver investida, por eleição, concurso, ou nomeação. A responsabilidade é tamanha e teremos de prestar contas de nossos atos quando de retorno à Espiritualidade Maior, isso se não tivermos consequências já nesta vida.

Neste momento o Criador já sabe quem sai e quem prossegue.

Lembremos sempre que nada acontece por acaso.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Estrada Iluminada

Encontros e desencontros

Nilton Moreira

Publicado

em



Há alguns dias me questionaram o motivo pelo qual o relacionamento de uma pessoa não dava certo, visto que já havia tido vários namorados e quando parece que tudo se encaminha para viver juntos, algo acontece que atrapalha. Houve casos inclusive de noivos que desencarnaram nas vésperas.

De fato o relacionamento a dois é bem mais complexo do que imaginamos, pois não depende exclusivamente de nossa vontade o encontro com a pessoa que vamos compartilhar a trajetória nesta vida.

Muitos vêm predestinados a viverem sem companhia, motivo pelo qual lutam tanto por um relacionamento sério e acabam sempre sozinhos.

É preciso compreender que em razão de termos sido Criado para sermos eternos segundo a vontade do Pai, nossos encontros e desencontros nesta vida tem relação com vidas passadas e muitas vezes levamos tempo para encontrar em alguma existência a pessoa que será a companhia verdadeira.

Quando estamos na espiritualidade, isto antes de nascer, programamos com os benfeitores a nossa vinda a Terra, e alguns acontecimentos obedecem a um determinismo, pois são compromissos assumidos anteriormente. O reencontrar pessoa que faz parte de uma parentela espiritual é um dos casos, por isso existe uma busca constante em encontrar aquela companhia que vai nos completar.

É comum nos encontrarmos aqui e no início despertar um desejo muito grande pela outra pessoa no campo das emoções sensuais. Isso tem por objetivo envolver as partes para que ecloda mais tarde uma parceria de comprometimento sério, pois a beleza e a euforia dos primeiros encontros ao esmorecer-se passam para um bom relacionamento e acontece um amor muito profundo que se resumirá em amizade e união fraterna duradoura.

Os relacionamentos conturbados, de desconfiança e que envolve brigas do casal e que desperta raiva entre ambos, deve ser relevado até o limite, mas quando não da mais deve se desfazer, evitando assim comprometimento maior em vidas futuras.

Quantas vezes estranhamos relacionamentos em que o homem é alcoólatra e tem encontros fora do casamento e a esposa o releva e tenta de todas as maneiras levar o enlace adiante, esperando que ele mude, pois que devota ao companheiro um carinho especial que nem sabe explicar. Certamente esses espíritos tem um comprometimento de outras vidas e agora se reencontraram para tentar pelo amor resgatar o passado e superar as diferenças.

Todos nós estamos aqui para rever nossos relacionamentos e nos tornarmos melhores em tudo.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×