MEC quer criar fundo para financiar universidades federais – Portal Plural
Connect with us

Ensino

MEC quer criar fundo para financiar universidades federais

Publicado

em



 

O Ministério da Educação (MEC) quer criar um fundo de natureza privada, cujas cotas serão negociadas na Bolsa de Valores, para financiar as universidades e institutos federais. Esse fundo contará, inicialmente, com R$ 102,6 bilhões. A maior parte desses recursos, R$ 50 bilhões, virá do patrimônio da União. A intenção é que esse esses recursos financiem pesquisa, inovação, empreendedorismo e internacionalização das instituições de ensino.

O fundo é a principal estratégia do programa Future-se, apresentado hoje (17) pelo MEC. O fundo será composto ainda por R$ 33 bilhões de fundos constitucionais, por R$ 17,7 bilhões provenientes de recursos angariados com leis de incentivos fiscais e depósitos à vista, por R$ 1,2 bilhão de recursos da cultura e por R$ 700 milhões provenientes da utilização econômica do espaço público e fundos patrimoniais.

Os recursos serão voltados para a instalação de centros de pesquisa e inovação, bem como parques tecnológicos; assegurar ambiente de negócios; criação de startups, ou seja, de empresas com base tecnológica; aproximar as instituições das empresas; estimular intercâmbio de estudantes e professores, com foco na pesquisa aplicada; firmar parcerias com instituições privadas para promover publicações de periódicos fora do país; entre outras ações.

A intenção que essas ações gerem também recursos que serão remetidos ao fundo e também às instituições e aos próprios pesquisadores. A adesão das universidades e institutos será voluntária. O MEC não detalhou os critérios de distribuição de recusos entre as instiuições.

“A gente quer premiar as boas práticas, a gente não acredita no assistencialismo, quer premiar a cultura do esforço, quer premiar o bom desempenho, por isso estamos lançando esse programa. A gente quer permitir que se formem cada vez mais talentos e quer reter esses talentos”, disse o secretário de Educação Superior do MEC, Arnaldo Barbosa.

Como funciona o fundo

O fundo será composto principalmente pelo patrimônio da União, como terrenos que foram, segundo Barbosa, cedidos pelo Ministério da Economia para esse fim. Por isso, os recursos serão integralizado com fundos de investimento imobiliário.

“Isso que hoje é despesa vai virar receita para o fundo do Future-se”, destacou Barbosa. “O que a gente ganha a partir do momento que transforma esse terreno em cotas [é] que o setor empresarial constrói um shopping, isso vira sociedade de propósito específico, vira um shopping. Um terreno construído vai ser valorizado, então as cotas [se] valorizam. O dinheiro aumenta, e a própria rentabilidade das salas comerciais vai agregar valor a esse programa. Volta tudo para o Future-se”, explicou.

Esse fundo de rendimento multimercado poderá também receber investimentos, segundo o secretário, de interessados, por exemplo em realizar pesquisas na Amazônia. “Esse fundo vai ter política de investimento, vai ter regulamento, vai estar disposto sobre os riscos, tudo será transparente”, diz.

Organizações sociais

De acordo com o MEC, a operacionalização do Future-se ocorrerá por meio de contratos de gestão firmados pela União e pela instituição de ensino com organizações sociais (OSs). As OSs são entidades de caráter privado que recebem o status “social” ao comprovar eficácia e fins sociais, entre outros requisitos.

Os contratos de gestão poderão ser celebrados com organizações sociais já qualificadas pelo MEC. Além disso, as fundações de apoio poderão ser qualificadas como organizações sociais.

A organização social contratada, segundo a pasta, poderá manter escritórios, representações, dependências e filiais em outras unidades da Federação. A instituição de ensino pode viabilizar a instalação física em suas dependências.

Sem mensalidade

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, garantiu que a proposta não inclui a cobrança de mensalidade nas graduações das instituições públicas. “[As instituições] continuarão públicas e os estudantes NÃO pagarão pela graduação”, disse em publicação no Twitter.

A proposta será disponibilizada nesta quarta-feira para consulta pública. A sociedade poderá colaborar com sugestões até o dia 7 de agosto. O MEC irá, então, submeter ao Congresso Nacional um projeto de lei para viabilizar as mudanças. As universidades seguirão, segundo a pasta, contando com o orçamento público.

Fonte Agência Brasil

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ensino

CMEI Caminhos Inovadores de Três de Maio recebe impressora 3d

Publicado

em



Equipamento será utilizado pelos alunos do Programa Robótica Espacial

Na manhã de sexta-feira, 8 de outubro, o Centro Municipal de Educação Integral (CMEI) Caminhos Inovadores recebeu uma impressora 3D, para ser utilizada no Programa Robótica Espacial, do governo federal.
A iniciativa é da Universidade de Brasília e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, com apoio técnico da Agência Espacial Brasileira.

Conforme a secretária de Educação, Vera Kuhler, no Programa Robótica Espacial é utilizada uma plataforma de simuladores para que os alunos vivenciem, de forma bem realista, a criação e montagem de robôs, inspirados no projeto Artemis, liderado pela NASA, do qual o Brasil faz parte, por meio da Agência Espacial Brasileira.

A secretária adjunta da pasta, Gelci Assmann, salienta que o projeto conta com 250 escolas em todo o país, sendo que no Rio Grande do Sul, 34 escolas receberam a impressora 3D.

O prefeito municipal, Marcos Corso, esteve em Gramado recebendo o equipamento e participando da entrega da impressora 3D aos alunos do CMEI Caminhos Inovadores, que já montaram o equipamento.
Conforme os estudantes que participam do Programa Robótica Espacial em Três de Maio, a impressora 3D possibilitará a conclusão dos projetos já em execução e o início de novos

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

Profissional do Futuro: primeira missão está liberada para acesso dos estudantes

Publicado

em



Se você é aluno do Ensino Médio, não perca a chance de participar do Profissional do Futuro – evento promovido pela Unijuí e que busca aproximar os estudantes da Universidade.

A iniciativa, que foi gamificada neste ano, desafia os jovens a cumprir quatro missões, concorrendo, ao final do jogo, a uma série de prêmios. Para participar, basta acessar unijui.edu.br/pf.

A primeira missão, Descobrindo o Universo, foi lançada na última quarta-feira, dia 6, e propõe aos estudantes um jogo com perguntas e respostas sobre as profissões do futuro. Nesta semana, dia 13 de outubro, será lançada a próxima missão – Caminhos para o Futuro, que vai proporcionar um tour virtual, 360º, nas estruturas da Instituição, nos campi de Ijuí, Panambi, Santa Rosa e Três Passos.

Na Missão 3, chamada de Ataque às Dúvidas, os alunos vão conhecer os cursos de graduação ofertados, por meio da interação com professores, estudantes e egressos, através do Youtube. O lançamento dessa missão acontece no dia 20 de outubro e será ao vivo para os participantes. Por fim, na Missão 4, Um Pequeno Grande Passo, os alunos se inscrevem e participam do Vestibular de Verão da Unijuí.

Os estudantes que participarem das quatro missões, realizando o processo seletivo e, no caso da aprovação, também efetivando a matrícula, concorrerão a vários prêmios: uma bolsa de estudos de 50% para todo primeiro semestre de 2022 e duas bolsas de estudos de 25% em todo primeiro semestre de 2022. Essas bolsas são válidas para todos os cursos de graduação presenciais da Unijuí, exceto Medicina. Os jogadores que completarem as quatro missões ainda concorrem a cinco bolsas integrais em curso de inglês online; um notebook e um kindle.

As escolas que fecharem o mínimo de 20 estudantes inscritos e que completarem as três primeiras missões do Profissional do Futuro serão habilitadas a participar do sorteio de uma TV smart 32” e uma caixa de som.

Mais informações podem ser obtidas em unijui.edu.br/pf. O estudante inscrito receberá, por e-mail e SMS, informações sobre o lançamento de cada missão. Escolas de toda região podem participar do evento.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

IV Conferência Nacional de Educação – 2022

Publicado

em



Etapa Intermunicipal – Campina das Missões e Cândido Godói

Aconteceu no dia 4 de outubro a Etapa Intermunicipal – Campina das Missões e Cândido Godói – da IV Conferência Nacional de Educação tendo como temática: “COMPROMISSO COM A INCLUSÃO, EQUIDADE E QUALIDADE: compromisso com o futuro da educação brasileira”.
A abertura oficial contou com a presença de diversas autoridades e com os pronunciamentos das Coordenadoras do Fóruns Municipais de Educação Leani Ines Beck e Jaqueline dos Anjos Pinto, e dos prefeitos Valdi Luis Goldschmidt e Carlos Justen.
Para aprofundar os conhecimentos sobre o texto referência e da conjuntura atual da educação brasileira contamos com as contribuições da Professora Fátima Ellert. Na Sequência, foram realizadas as plenárias de Eixo que abordaram: O PNE 2024 – 2034: avaliação das diretrizes e metas; Uma escola para o futuro: tecnologia e conectividade a serviço da educação e a Criação do SNE: avaliação da legislação inerente e do modelo em construção. Em seguida, foram apresentadas e aprovadas as demandas que serão levadas para a Conferência Estadual com o intuito de contribuir com a melhoria da Educação brasileira. Na finalização dos trabalhos aconteceu um momento cultural com a participação de dançarinas do Grupo Troyka.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

PLURAL AGÊNCIA DE PUBLICIDADE LTDA
ME 33.399.955/0001-12

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×

Entre em contato

×