Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Ipea: trabalho doméstico é exercido por mulheres mais velhas – Portal Plural
Connect with us

Geral

Ipea: trabalho doméstico é exercido por mulheres mais velhas

Pável Bauken

Publicado

em



 

Em 2018, 6,2 milhões de pessoas tinham como ocupação o serviço doméstico remunerado, que assume variadas formas, como as atividades desempenhadas por diaristas, babás, jardineiros e cuidadores. Ao todo, 92% (5,7 milhões) eram mulheres, das quais 3,9 milhões eram negras.

Naquele ano, constatou-se um aumento no número de idosas que se tornaram parte da categoria. O índice saltou de 3% para 7%, quando confrontados os patamares de 1995 e 2018.

De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a proporção de mulheres exercendo esse tipo de trabalho sofreu queda de 1995 até o ano passado, o último servido como referência para o estudo intitulado Os Desafios do Passado no Trabalho Doméstico do Século XXI: reflexões para o caso brasileiro a partir dos dados da Pnad Contínua. A pesquisa revela que, a despeito do recuo, jamais se modificou, no decorrer do tempo, o fato de que as mulheres negras constituam a maior parcela de trabalhadores domésticos.

No primeiro ano da série, a média de mulheres ocupadas no trabalho doméstico era de 17,3%, índice que caiu, ao longo dos 14 anos, para 14,6%. Entre as mulheres brancas, o indicador passou de 13,4% para 10%, enquanto o das mulheres negras baixou de 22,5% para 18,6%.

Desproteção social e novas possibilidades

De acordo com as pesquisadoras do Ipea, ainda que cada vez mais mulheres do segmento tenham conquistado o reconhecimento formal de direitos trabalhistas, o avanço observado “não foi capaz de proporcionar, nem mesmo à metade das trabalhadoras, a segurança e a proteção social garantidas àquelas que possuem carteira assinada”.

Em 1995, somente duas (17,8%) em cada dez domésticas estavam amparadas pelo registro em carteira. Embora tenha melhorado em 2016, quando se elevou para 33,3%, o contingente encolheu dois anos depois, atingindo 28,6%.

“Uma das maiores marcas do trabalho doméstico no país está em sua informalidade e, mais ainda, na persistência desta informalidade”, dizem as pesquisadoras, no estudo.

As trabalhadoras domésticas têm outra característica em comum: pertencem a famílias de baixa renda e têm baixa escolaridade. Isso, segundo as pesquisadoras do Ipea, significa dizer também que, à medida que tais mulheres têm acesso à escola, acabam deixando esse tipo de ocupação e buscando vagas em outros ramos, como os serviços de telemarketing, que, avaliam, são “menos estigmatizados, mas não necessariamente menos precários”.

“Assim, assiste-se a uma recomposição da força de trabalho no emprego doméstico em termos etários: as trabalhadoras jovens, de até 29 anos de idade, perdem espaço, passando de quase metade para pouco mais de 13% da categoria, em 2018; e as trabalhadoras adultas (entre 30 e 59 anos de idade) passam de 50%, em 1995, para quase 80% do total ao final da série aqui acompanhada. As idosas (com 60 anos ou mais de idade) também crescem ao longo dos anos, ainda que sigam representando uma parcela mais restrita da categoria, como se poderia esperar”, avaliam.

O estudo traz reflexões complementares, como aquelas que relacionam a separação entre o espaço da casa e da profissão e, por conseguinte, do descanso e do trabalho. “Se ainda persistem práticas de exploração e violência contra essas mulheres, a separação entre o espaço da casa, da vida privada, da família própria e o espaço do trabalho, da vida e da família do empregador constitui-se importante movimento na direção de uma maior profissionalização e, certamente, da constituição de espaços de privacidade e intimidade para as trabalhadoras domésticas”, escrevem as pesquisadoras.

A pesquisa pode ser lida, na íntegra, no site do Ipea.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Xuxa monta um exército de famosos e declara guerra a Sikêra Jr., após apresentador afirmar que a loira é criminosa

Reporter Global

Publicado

em



 

“Quem fala o que quer, ouve o que não quer”, provavelmente você já ouviu este ditado popular que serve de alerta para todos que não têm ‘papas na língua’ e fala o que bem entende como é o caso do apresentador e jornalista Sikêra Jr.

 

Recentemente durante a apresentação do telejornal ‘Alerta Nacional’, exibido pela RedeTV, Sikêra Jr. atacou duramente a apresentadora Maria da Graça Xuxa Meneghel, e eterna ‘rainha dos baixinhos’.

Na ocasião Sikêra Jr. afirmou que Xuxa fazia apologia as drogas e que estava ligada ao grave crime contra crianças, associando o nome da apresentadora a pedofilia.

Nesta terça-feira (27), a briga entre Sikêra e Xuxa ganhou um novo contorno, a rainha dos baixinhos reuniu, além de sua filha Sasha e do marido, Junno Andrade, para participarem da campanha “Zoofilia não é piada”.

A campanha foi criada após Sikêra Jr. exibir no ‘Alerta Nacional’ um abuso contra um animal e fazer piada cobre o crime.

Xuxa reuniu um time de famosos de ‘peso’, entre eles estão, Ana Maria Braga, Angélica, Camila Pitanga, Carolina Dieckmann, Luisa Mell, Paola Oliveira, Paulo Gustavo, Ratinho, Rita Lee, além do deputado estadual Bruno Lima (PSL – SP), aparecem nos vídeos, publicados pela “rainha dos baixinhos”, onde é dita a seguinte frase: “Zoofilia é crime, não é piada”.

A ‘peleja’ entre Xuxa e Sikêra Jr. está longe de acabar, o apresentador será denunciado junto ao MP-SP (Ministério Público de São Paulo) pelos ataques contra Xuxa Meneghel no Alerta Nacional da última sexta-feira (23). Durante o programa exibido pela RedeTV!, o apresentador associou a “rainha dos baixinhos” à pedofilia por publicar um livro infantil sobre uma criança com duas mães.

 

 

Diario ao Vivo

 

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Gusttavo Lima vai pagar 54 salários mínimos de pensão, R$ 56,5 mil, para Andressa Suita e filhos após separação

Reporter Plural

Publicado

em

EXTRAA

A primeira decisão em torno do divórcio milionário de Gusttavo Lima e Andressa Suita já saiu. Na semana passada, a Justiça determinou os valores de pensão que o cantor vai pagar para os dois filhos e também para a modelo. Gusttavo vai desembolsar 54 salários mínimos por mês.

Para Andressa serão 24 salários mínimos mensais, R$ 25.080,00, durante um ano, e para cada um dos filhos mais 15 salários mínimos, R$ 15.675,00, para as despesas básicas. Escola e planos de saúde, por exemplo, serão custeados à parte pelo sertanejo.

Os advogados do cantor também propuseram um acordo aos de Andressa sobre os bens que ela pleiteia, mas a modelo não aceitou e entrou na disputa pela partilha. A liminar que dava direito de Andressa viver na fazenda de Bela Vista de Goiás, onde os dois passaram toda a quarentena, foi derrubada e a mansão segue com Gusttavo.

A amigos mais íntimos, ele diz que não quer brigar com a ex-mulher por conta de dinheiro. Apesar de serem casados pelo regime de separação total de bens, Gusttavo e Andressa deverão dividir parte do patrimônio do cantor, avaliado em R$ 150 milhões. A modelo estaria buscando pelo menos 30% desse montante, algo em torno de R$ 45 milhões, pelas aquisições feitas após o casamento dos dois.

 

Saiba o valor da pensão que Gusttavo Lima pagará para Andressa Suita e os  filhos! - POPline

 

FONTE EXTRA

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Mesmo parado, seu carro necessita de cuidados

Reporter Plural

Publicado

em

Crédito: Divulgação/Shell

Nos últimos meses, muitas pessoas deixaram o automóvel na garagem. Mas é bom lembrar que, mesmo estacionado ou andando pouco, ele requer atenção. Confira a seguir como cuidar de seu carro como ele merece.

1. Aprenda a verificar o nível do óleo e da água

Dependendo da quantidade de quilômetros que você faz por mês, esta tarefa deverá ser realizada ao menos uma vez a cada quinze dias. Mas fique tranquilo que isso não exigirá muito conhecimento técnico.

Com relação ao óleo, a primeira coisa a aprender é que ele só deve ser verificado com o motor desligado há pelo menos 10 minutos, com o automóvel em um lugar plano. Com isso, você pode olhar o nível, que deve estar entre o mínimo e o máximo da vareta. Lembre-se também dos prazos de troca, que geralmente ficam entre 10 mil e 15 mil quilômetros.

O liquido do arrefecimento, que é composto por água e um aditivo para conservar as peças, também deve ser verificado com o motor frio. Se estiver pouco abaixo do nível, basta completar. E ele também precisa ser trocado a cada 10 mil quilômetros.

 

2. Mantenha o carro limpo

Limpar o carro não é só uma questão de estética. A sujeira, tanto no interior como no exterior compromete a pintura, pode provocar manchas e ainda é capaz de causar danos nocivos à saúde do condutor e dos passageiros.

 

3. Limpe o motor do automóvel

A cada um ou dois anos, leve o carro à lavação para limpar o motor. Quando está limpo, ele trabalha muito melhor e ainda permite que o condutor perceba fugas ou vazamentos com antecedência, imprescindível para evitar gastos desnecessários.

 

4. Dirija com precaução

Ao conduzir de maneira cautelosa, o condutor está zelando pelo bem estar, tanto dele próprio quanto do veículo, evitando colisões, raspões e uma série de outras avarias nocivas ao carro.

 

5. Estacione na sombra

A tinta do carro é a primeira barreira contra diversos fatores, protegendo o veículo das ações do tempo e evitando o aparecimento da ferrugem, por exemplo. Por este motivo, é importante tomar muito cuidado com a exposição prolongada ao sol e a incidência dos raios ultravioleta, que desgastam e corroem a tinta do carro.

 

6. Faça alinhamento e balanceamento

A cada 10 mil quilômetros ou após trocas de pneus e outros componentes, faça o alinhamento e o balanceamento das rodas. Isso evita o desgaste irregular dos pneus e aumenta a segurança dos passageiros.

 

7. Fique atento à pressão dos pneus

A pressão correta dos pneus reduz o consumo do combustível, evita o superaquecimento, o desgaste precoce e ainda elimina o risco de acidentes. A pressão adequada para os pneus do seu veículo pode ser verificada no manual que o acompanha.

 

8. Tire o pé da embreagem

Ao dirigir, evite deixar o pé constantemente sobre a embreagem. Essa ação mantém o engate desacoplado, já que o conjunto da peça funciona por fricção, ocasionando o desgaste prematuro e até mesmo quebra da embreagem.

9. Use peças originais na reposição

As peças genéricas não passam por testes rigorosos de qualidade. Por este motivo, sempre que precisar repor as peças do veículo, escolha as originais. Com isso você evita problemas mecânicos, acidentes e até mesmo perda de garantia.

 

10. Substitua os filtros

Tanto o filtro do ar, do óleo e do combustível têm como missão a proteção do motor. Por este motivo, substitua-os sempre que necessário, de acordo com as datas do manual do fabricante.

 

Viu só? Com essas dicas para cuidar do carro, você evita uma série de problemas desnecessários e ainda mantém a segurança e a longevidade do seu veículo.

 

 

 

 

FONTE LITORAL CAR

 

 

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×