Implantação de terraços avança no Noroeste gaúcho – Portal Plural
Connect with us

Agro

Implantação de terraços avança no Noroeste gaúcho

Publicado

em



 

Prática importante para a conservação dos solos e da água nas lavouras, o terraceamento tem avançado na região administrativa de Santa Rosa, com incentivo da Emater/RS-Ascar. Desde 2015, quando teve início o Programa Regional de Conservação de Solos e Água, que se integrou à Política Estadual, já foram demarcados na região 15.877 hectares de terraços em 44 municípios.

Em diversas propriedades rurais de Três de Maio, por exemplo, práticas conservacionistas do solo têm sido adotadas, com vistas à preservação de recursos naturais e melhorias na produtividade e na renda. O terraceamento foi priorizado pelo Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, sendo que apenas em 2019 já foram demarcados 410 hectares de terraços em 39 propriedades. No total, desde 2015, o terraceamento orientado pela Emater/RS-Ascar já chegou a 1.990 hectares de lavouras de produtores locais.

A principal parceria para a implantação é da Secretaria Municipal de Agricultura, que disponibiliza trator e terraceador para a construção dos terraços. “O Conselho Municipal de Agropecuária também foi importante neste processo, uma vez que levantou a demanda como prioridade para o trabalho da Emater”, relata o chefe do Escritório Municipal de Três de Maio, Leonardo Rustik.

Com o intuito de preservar a base da produção agropecuária e melhorar a rentabilidade no meio rural, ações de conservação de solo têm se intensificado também em Santa Rosa. Somente de 2015 até agora, o Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar já atendeu à demanda de 105 agricultores e demarcou e orientou a construção de 781 hectares de terraços. Destes, 130 ha apenas em 2019.

No município de Campina das Missões, o terraceamento também tem conquistado espaço. Já foram demarcados pela equipe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, entre 2015 e 2019, 503 hectares de terraços, contemplando 117 produtores.

Na última semana de agosto, na propriedade de Neimar Backes, na Vila Teresa, foi realizada, com o apoio da Prefeitura, a implantação de terraços de base larga em sete hectares. Com a implantação dos novos terraços, o agricultor já se organiza para a correção do solo com calcário, superfosfato triplo, cloreto de potássio e matéria orgânica. Após a correção e descompactação, será implantada na área de cultura de milho.

A demanda surgiu a partir dos problemas de erosão, com remoção dos resíduos culturais em lavouras locais, após fortes enxurradas. Além de contribuir com a redução de perdas de solo e de água por erosão hídrica, o terraceamento retém nas lavouras adubos químicos e orgânicos, assim como herbicidas e inseticidas, resultando em economia para o produtor, ao mesmo tempo em que evita a contaminação de mananciais hídricos.

Outras finalidades do terraço são direcionar a semeadura no sentido transversal ao declive e, com a retenção e armazenamento de parte da água da chuva que não infiltra no solo, auxiliar na conservação das estradas.

Existem terraços adequados para cada tipo de solo, sistema de cultivo e perfil de propriedade. Para buscar mais informações, procure o escritório da Emater/RS-Ascar de seu município.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro

RTC e cooperativas iniciam projeto pioneiro na prevenção de doenças da soja

Publicado

em



Com o objetivo de aprimorar o conhecimento técnico e prático na área da fitopatologia, a Rede Técnica Cooperativa – RTC promoveu o treinamento sobre a utilização de coletores de esporos para monitoramento de oídio e ferrugem na cultura da soja.

O treinamento simboliza o início de um projeto pioneiro conduzido entre a RTC e as cooperativas, baseado em uma rede de coletores de esporos distribuídos pelo Estado, com o propósito de monitorar a flutuação do inóculo de Phakopsora pachyrhizi e Microsphaera diffusa, fungos causadores de ferrugem e oídio, respectivamente.

O evento ocorreu no dia 05 de outubro, na área de pesquisa e tecnologia da CCGL, e contou com 12 das cooperativas associadas participantes da primeira fase do projeto.

Participam da primeira fase do projeto as cooperativas: Coopatrigo, Cotripal, Agropan, Cotrijal, Cotriel, Cotrisal, Coopermil, Cotricampo, Cotrisul, Cotrijuc, Cotribá e Coasa, além da CCGL, cooperativa que coordena a iniciativa por meio do projeto da RTC.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Agro

Otimismo marca abertura oficial da colheita do trigo no RS

Publicado

em



Em meio a um cenário positivo para a safra de trigo, com aumento de área e de preço, foi aberta oficialmente nesta segunda-feira (18/10) a colheita do trigo no Rio Grande do Sul. A cerimônia aconteceu na Fazenda Santa Terezinha, em Cruz Alta. Até o momento, as máquinas já colheram mais de 5%, ou seja, aproximadamente 60 mil hectares de uma produção estimada pela Emater/RS-Ascar em 3,59 milhões de toneladas.

Puxado pela demanda aquecida, o preço do trigo subiu. A saca de 60 kg, em média, vale R$ 80,70. No mesmo período do ano passado o produto era cotado em R$ 62,13.

A confiança dos produtores no cereal elevou o trigo à principal safra de inverno, à frente da aveia branca grãos (799.714 t), cevada (129.934 t) e canola (55.672 t). A área cultivada com o grão no Estado superou um milhão de hectares, o que não acontecia desde 2014. Dos 915,7 mil hectares cultivados na safra do ano passado neste ano a área cultivada foi de 1.177.487 hectares.

Em que pesem perdas registradas, principalmente no Noroeste gaúcho, o cenário é “positivo”, na avaliação de Tarcísio Minetto, coordenador da Câmara Setorial do Trigo, uma das 23 câmaras setoriais da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Agro

Massey Ferguson lança revista da Turma da Mônica sobre a evolução da agricultura no Brasil

Publicado

em



Publicação será distribuída gratuitamente para produtores rurais

A história da Massey Ferguson no Brasil será contada em quadrinhos pela Turma da Mônica. Referência no mercado agrícola brasileiro, a marca lança no mês das Crianças um gibi especial sobre a trajetória e a evolução da agricultura brasileira. A iniciativa é parte das celebrações dos 60 anos da inauguração da sua primeira fábrica no Brasil.

Com o título “Plantando tecnologia e colhendo boas histórias”, a aventura se passa no sítio de Chico Bento, que também comemora 60 anos em 2021. Cebolinha, Mônica e Magali conhecem um pouco do dia a dia do campo e a importante contribuição da marca para o processo de mecanização agrícola e desenvolvimento da agricultura de precisão no país.

A produção da revista especial em quadrinhos, pelo estúdio Mauricio de Sousa, teve assessoria da equipe da empresa de tratores e equipamentos agrícolas passando, em uma linguagem simples e bem humorada, esta história que se mistura com o desenvolvimento da agricultura no Brasil.

As publicações serão distribuídas gratuitamente a partir de outubro para produtores rurais, filhos de funcionários e escolas de algumas regiões do país. Os gibis ainda estarão disponíveis, também gratuitamente, nas concessionárias da Massey Ferguson.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

PLURAL AGÊNCIA DE PUBLICIDADE LTDA
ME 33.399.955/0001-12

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×

Entre em contato

×