Homens causam mais acidentes de trânsito que mulheres, aponta estudo – Portal Plural
Connect with us

Carros

Homens causam mais acidentes de trânsito que mulheres, aponta estudo

Publicado

em



 

O estudo do Infosiga SP também aponta que o sexo feminino foi minoria na suspensão da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) nos três primeiros meses deste ano.

 

Ao contrário do que a sabedoria popular propaga, as mulheres são mais cautelosas que os homens no trânsito de São Paulo. É o que indica um estudo do Detran-SP divulgado nesta quarta (21).

Segundo dados do Infosiga SP, de janeiro a agosto de 2020, 122 mulheres (6,3%) se envolveram em acidentes de trânsito, contra 1.812 (93,5%) homens. O percentual é 16 vezes menor do que o número de ocorrências com pessoas do sexo masculino ao volante.

Se observado o número de acidentes com vítimas de janeiro a agosto deste ano, a tendência se confirma: o sexo feminino responde por apenas 15,5% do total, frente a 84,5% de homens.
Outro dado importante é que na maioria dos acidentes com mortes registrados, as mulheres não conduziam o veículo -39,4% eram passageiras e 31,9%, pedestres.

No período, o trânsito paulista matou 3.644 pessoas. Destas, 3.071 homens (80,6%) e 563 mulheres (17,8%). Em 1,6% dos casos, não havia registro do gênero da vítima.

“O dado é surpreendente porque conseguiu mostrar que a mulher dirige melhor o veículo que o homem, o que é uma boa notícia, já que a mulher representa 40% do total de motoristas”, afirma Neiva Doretto, vice-Presidente do Detran-SP. “O Detran continuará trabalhando em ações e campanhas educativas para todos os motoristas, independentemente do gênero, com foco na redução dos acidentes de trânsito”, completa.

Hannah Machado, coordenadora de Desenho Urbano da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, afirma que essa diferença é importante para orientar as ações de campanha, fiscalização e comunicação por parte do poder público, com a finalidade de orientar as mudanças de comportamento no trânsito.

“Os homens são os que mais provocam acidentes e os jovens do sexo masculino são os que mais morrem no trânsito. Um estudo feito pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) entre 2009 e 2015 comprova a afirmação: 94% das mortes no trânsito foram causadas por homens”, comenta Hannah Machado.

Para ela, os homens assumem comportamento de maior risco no trânsito e são mais inseguros ao volante. Também há desigualdade no deslocamento. As mulheres usam mais o transporte público e se deslocam a pé, se comparadas aos aos homens.

Para ter um comportamento mais seguro ao volante, é preciso evitar os fatores de risco, como excesso de velocidade, álcool e direção, o não uso de capacete e de dispositivos de retenção (cinto de segurança e cadeirinhas para bebês e crianças).

“A alcoolemia está mais atrelada ao sexo masculino. Nesta questão, o Detran tem feito um trabalho grande de fiscalização. No estado de São Paulo, temos sete bases que chamamos de Operação Direção Segura e fazemos as blitze constantemente. Nosso presidente já pediu um estudo sobre o assunto para ampliar isso”, afirma Doretto.

O estudo do Infosiga SP também aponta que o sexo feminino foi minoria na suspensão da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) nos três primeiros meses deste ano. De 91.500 carteiras suspensas, 23.790 (26%) eram de mulheres.

O órgão considera o período de janeiro a março porque, devido à pandemia de Covid-19, vários prazos do Detran ficaram suspensos.

De acordo com o Detran-SP, dos 26 milhões de condutores paulistas, 40% (10,4 milhões) são do sexo feminino.

 

 

Noticias ao Minuto

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carros

MUNDO: Com três dias de uso, carro elétrico de R$ 650 mil pega fogo com o motorista dentro

Publicado

em



 

Três dias após ser entregue, um carro elétrico da Tesla, modelo S Plaid 2021, comprado por cerca de R$ 650 mil, pegou fogo com o dono dentro, na última terça-feira (29/6).

 

O motorista conseguiu escapar das chamas sem ferimentos graves.

Inicialmente, o motorista, que diz ser um “executivo”, não conseguiu escapar do carro em chamas porque o sistema eletrônico da porta falhou. Ele, então, teve que “usar a força para empurrá-lo”.

O dono do veículo, que mora em Haverford (Pensilvânia, EUA) e não foi identificado, percebeu que algo estava errado depois de ver a fumaça saindo de trás do carro, segundo depoimento dele.

De acordo com a agência Reuters, o veículo então avançou alguns metros antes de entrar em erupção como uma “bola de fogo” em uma área residencial perto da casa do motorista.

O advogado do motorista, Mark Geragos, disse à Reuters:

“Foi uma experiência angustiante e assustadora. Este é um modelo totalmente novo. Estamos fazendo uma investigação.”

A Administração Nacional de Segurança no Trânsito (NHTSA, na sigla em ingles) disse que está “em contato com as agências relevantes e o fabricante para reunir informações sobre o incidente”.

Carro Tesla após pegar fogo

Carro Tesla após pegar fogo

FONTE: EXTRA

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Carros

STJ diz que antigo dono do veículo pode pagar multas, se não avisar venda

Publicado

em



 

Participe dos nossos grupos de WhatsApp de Plantão Policial, CLIQUE AQUI e não perca nenhuma notícia!

 

Sem a comunicação ao Detran, ex-proprietário do carro torna-se responsável por eventuais infrações

 

O antigo proprietário é responsável solidário por eventuais infrações cometidas posteriormente à venda não comunicada do automóvel ao órgão de trânsito. É o que define a primeira turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Após análise do recurso do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS), o STJ determinou que a vendedora do carro em questão não é responsável por infrações cometidas pelo novo proprietário. A ação foi solicitada pela antiga dona do automóvel que tem multas e pontos na carteira acumulados desde abril de 2009, após a venda do veículo.

Segundo o artigo 134 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o vendedor deve fazer a comunicação de venda e comprovar a transferência de propriedade para o órgão de trânsito do estado. Assim, não vai ter responsabilidade por eventuais multas futuras.

Leia o artigo 134 do CTB na íntegra:

No caso de transferência de propriedade, expirado o prazo previsto no § 1º do art. 123 deste Código sem que o novo proprietário tenha tomado as providências necessárias à efetivação da expedição do novo Certificado de Registro de Veículo, o antigo proprietário deverá encaminhar ao órgão executivo de trânsito do Estado ou do Distrito Federal, no prazo de 60 (sessenta) dias, cópia autenticada do comprovante de transferência de propriedade, devidamente assinado e datado, sob pena de ter que se responsabilizar solidariamente pelas penalidades impostas e suas reincidências até a data da comunicação.

Parágrafo único. O comprovante de transferência de propriedade de que trata o caput deste artigo poderá ser substituído por documento eletrônico com assinatura eletrônica válida, na forma regulamentada pelo Contran.

 

FONTE: SBT

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Carros

Três Ferraris milionárias se envolvem em acidente com perda total

Publicado

em



 

Batida aconteceu durante um evento de supercarros

 

Um encontro de supercarros costuma ser garantia de vídeos de acidentes para os espectadores postarem online. Não foi diferente em um evento na Filadélfia, Estados Unidos. E teve um bônus: dessa vez foram três Ferraris envolvidas em uma série de colisões em uma estrada.

A coisa toda foi filmada por um McLaren que seguia o comboio dos supercarros italianos. Uma bela 488 GTB disparou e viu que não conseguiria parar ao ver o tráfego apertar na sua frente. O que o motorista fez? Desvio pela direita, acertou uma Ferrari 488 Pista.

Ao bater na lateral dele, o carro deu uma guinada e conseguiu acertar uma 458 Italia que vinha pela esquerda. Quase que um pinball automotivo.

O vídeo do YouTube foi compartilhado por alguns veículos da imprensa americana e mostra que o resultado foi um prejuízo milionário. No Brasil, apenas a sucessora da 458 e 488 está à venda, a F8 Tributo, que custa R$ 3,8 milhões. É difícil fazer a conta, mas se tivesse ocorrido aqui, o acidente teria envolvido cerca de R$ 10 milhões.

 

FONTE: AUTOESPORTE

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

PLURAL AGÊNCIA DE PUBLICIDADE LTDA
ME 33.399.955/0001-12

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×

Entre em contato

×