Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Governo atinge 900 serviços digitalizados em 20 meses – Portal Plural
Connect with us

Geral

Governo atinge 900 serviços digitalizados em 20 meses

A estimativa de economia é de mais de R$ 2 bilhões por ano

Reporter Cidades

Publicado

em



Mais de 900 serviços do governo federal podem ser acessados pelo celular, tablet ou computador. Somente no período da pandemia de covid-19, o governo já digitalizou 345 serviços, com uma média de três novos serviços a cada dois dias, desde março. Entre eles, estão o auxílio emergencial de R$ 600 e o seguro desemprego do empregado doméstico. No total, desde janeiro de 2019, são 918 serviços que podem ser acessados pelos cidadãos pela internet, segundo dados do Ministério da Economia.

Com a digitalização, há possibilidade de solucionar 67,5 milhões de demandas por ano sem exigir deslocamentos da população. A estimativa de economia é de mais de R$ 2 bilhões por ano. Desse total, mais de R$ 1,5 bilhão são de redução de custos para a população, que não precisa ir até o local do atendimento. Para o governo, a economia é de aproximadamente R$ 531 milhões, com a redução de servidores para processar os serviços, além de menos gastos, por exemplo, com energia elétrica, água e papel.

O secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro, destaca que o serviço digital é 97% mais barato. “Todo o processamento e análise de pedidos deixam de ser feito por pessoas”, destaca. Ele citou o caso do Certificado Internacional de Vacinação, que antes precisava do trabalho de 700 funcionários e hoje feito por menos de 100 pessoas.

De acordo com o secretário, com a digitalização, servidores públicos deixam de fazer atividades operacionais, como receber formulários e checar dados, e são realocados em outras funções, como emitir parecer ou avaliar um processo. E no caso de serviços terceirizados, há uma readequação dos contratos, com redução de empregados. “Quando são servidores públicos, o esforço produtivo é deslocado para atividades intensivas em conhecimento e não atividades operacionais”, disse.

O secretário destacou que a pandemia tornou fundamental a digitalização, devido às restrições de deslocamento dos cidadãos. Além disso, a pandemia trouxe como consequência um aumento de acessos a serviços já existentes. Atualmente 60% dos 3,7 mil serviços existentes são digitais, com o Meu INSS (do Instituto Nacional do Seguro Social), a carteira de trabalho e carteira de trânsito, cujos aplicativos são alguns dos mais procurados nas lojas oficiais do governo.

O auxiliar administrativo Moisés Augusto Maciel, de 40 anos, usa os serviços digitais há mais de 1 ano. “Eu comecei com o passe livre interestadual. Hoje eu tenho a carteira de trabalho digital, o acesso à [poupança social digital por meio do aplicativo] Caixa Tem para o saque do FGTS Emergencial. Facilita muito porque não preciso me locomover e ficar na fila para atendimento”, disse.

Aprimoramento

Monteiro afirmou que o governo está sempre aprimorando os serviços oferecidos. De acordo com o ele, assim que o serviço digital fica disponível, os próprios usuários podem solicitar melhorias. Além disso, equipes do governo avaliam o que precisa ser ajustado constantemente. Há ainda o trabalho voluntário de 300 pessoas que testam os aplicativos.

O secretário acrescentou que a estratégia digital é um complemento ao atendimento presencial, que continua a ser oferecido para quem não tem acesso à internet.  Segundo Monteiro, “se por um lado temos uma fatia da população com baixo ou nenhum acesso à internet, temos outra fatia, que são três quartos da população, ou 136 milhões, que acessam a internet. Mais de 90% dos jovens acessam a internet todos os dias, independentemente de classe social ou região geográfica”.

Para o secretário, essa parcela que acessa a internet cresce em velocidade muito maior do que a velocidade do próprio governo. Na avaliação dele, esse aumento dos serviços digitalizados permite ao governo prestar um atendimento de boa qualidade também ao cidadão que não está incluído. Nossa estratégia não é de substituição de canais, é de complementação. Aquele um quarto da população que hoje não tem acesso, encontra seu serviço de forma mais confortável porque três em cada quatro pessoas migraram para o canal digital”, destacou.

Atualmente, 60% dos 3,7 mil serviços do governo federal são digitais. A meta é 1 mil serviços digitalizados no biênio 2019-2020 e 100% de digitalização em 2022.

ebc

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Novos prazos para votação das alterações do Plano Diretor

Pável Bauken

Publicado

em



O Projeto de Lei Complementar nº 160/2020, que trata das alterações no Plano Diretor Participativo de Desenvolvimento Sustentável não entrou na Ordem do Dia na sessão desta segunda-feira, 26, conforme estava programado no Cronograma Especial de Tramitação, que definiu a data de ontem como entrada para primeira discussão junto ao plenário.

O cronograma precisou ser alterado pela Mesa Diretora após o recebimento do Ofício nº 38, enviado pelo Executivo, cuja Mensagem Retificativa sugeria alterações no texto original do projeto em tramitação na Câmara.

Diante disto, e com a apresentação de emendas por parte dos vereadores, a Mesa Diretora, visando a celeridade do processo, encaminhou ao Instituto Gama de Assessoria a Órgãos Públicos de Porto Alegre, a emenda retificativa para análise e orientação técnica a fim de que o processo tenha sua continuidade.

No ofício encaminhado à Câmara na manhã desta segunda-feira, 26, o Executivo lembrou que houveram questionamentos em reunião realizada no último dia 19 e que a Comissão Técnica de Revisão do Pano Diretor formada por técnicos do Poder Executivo e representantes de entidades técnicas da sociedade civil identificou impropriedade redacional no artigo 10 do de PCL 160, apresentando assim, reformulações pontuais.

Após recebimento do parecer do IGAM, o projeto será encaminhado às Comissões Permanentes da Câmara para análise e assim, ter sequência desejada.

No início de outubro a Mesa Diretora havia definido por antecipar prazos a fim de que o projeto pudesse ter agilidade em seus prazos, considerando a necessidade da retomada do crescimento econômico do município pós-pandemia e o apelo da classe empresarial e comunidade.

Audiência Pública presencial junto ao Plenário Etore Alberto Beltrame e Consulta Pública sobre o projeto, junto ao site do Poder Legislativo, foram realizadas, além de período para que vereadores apresentassem emendas à proposta.

O Projeto de Lei Complementar nº 160/2020, que altera o Plano Diretor Participativo de Desenvolvimento Sustentável, iria para o plenário para primeira discussão na sessão do dia 26 e para segunda discussão e votação, no dia 3 de novembro, prazos que agora precisarão ser alterados.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Governo do RS autoriza retomada de casas noturnas, shows e festas, mas proíbe pistas de dança

Atividades têm limite de público e, em ambiente fechado, só podem ocorrer em regiões com bandeira amarela ou laranja há 28 dias

Pável Bauken

Publicado

em



O governo do Rio Grande do Sul liberou, nesta terça-feira (27), a retomada de eventos sociais e de entretenimento que estavam proibidos desde março, permitindo a reabertura de casas noturnas e a realização de shows, festas de aniversário, formaturas e casamentos. Apesar das liberações, o governo do Estado proíbe o uso de pistas de dança.

A flexibilização foi autorizada por meio do decreto 55.559, publicado um dia antes no Diário Oficial do Estado. As liberações só valem para regiões que estão em bandeira amarela (risco baixo) ou laranja (risco médio), e há previsão de limite de público. A retomada desses eventos poderá ocorrer apenas em municípios que já encaminharam a volta das atividades escolares.

No caso dos eventos realizados em ambientes fechados e com público em pé, o que inclui a maioria das festas e celebrações, a liberação vale apenas para regiões que estejam há 28 dias seguidos em bandeira amarela ou laranja. Na bandeira amarela, o público máximo permitido é de cem pessoas e, na bandeira laranja, de 70 pessoas —considerando tanto trabalhadores quanto anfitriões e convidados.

Também é preciso respeitar o teto de ocupação de oito metros quadrados por pessoa. Para ambas as bandeiras, os eventos podem durar no máximo quatro horas.

Os protocolos sanitários inclui o uso obrigatório de máscara, “à exceção do momento do consumo de alimentos ou bebidas, repondo imediatamente depois”. Além disso, é exigida a “disponibilização de totens e dispensers de álcool gel com acionamento automático, sem contato, e em diferentes locais estratégicos”. O trecho seguinte indica que é “vedado uso de pista de dança”.

O governo do Estado liberou, no mesmo decreto, a realização de eventos em ambiente aberto, com público em pé. A intenção é atender, especialmente, eventos abertos de grande porte em espaços públicos, como o Natal Luz, em Gramado, e o Festival de Balonismo, em Bento Gonçalves.

A lotação máxima permitida para esses eventos abertos é de 40% do previsto no Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI), quando houver consumo de alimentos ou bebidas, e 50% nas demais áreas. Essas atividades de entretenimento também podem durar, no máximo, quatro horas.

O governo já havia liberado, nas últimas semanas, com restrições, a retomada de atividades com público exclusivamente sentado em teatros, auditórios, casas de espetáculos, casas de show, circos e similares. Também já havia autorizado eventos infantis, corporativos e feiras.

Gaúcha / ZH

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Abertura de evento de Plantas Bioativas e Homeopatia reúne mais de 700 pessoas em live

Pável Bauken

Publicado

em



Um público superior a 700 pessoas acompanhou, na manhã desta segunda-feira (26/10), a live de abertura do 5º Seminário Regional de Plantas Bioativas e Homeopatia que, juntamente com a 2ª Jornada Sul-Brasileira de Pesquisa em Plantas Medicinais e Homeopatia e a 14ª Reunião Técnica Estadual de Plantas Bioativas, ocorrerão até a próxima sexta-feira (30/10), sempre de forma virtual por causa da pandemia de Covid-19. Os eventos estão sendo transmitidos pelas redes sociais, Youtube e Facebook da Emater/RS-Ascar e a programação completa pode ser conferida no site www.fasurgs.edu.br/plantasbioativashomeopatia.

Abrindo a atividade, o presidente da Emater/RS Geraldo Sandri salientou a importância do encontro, especialmente em tempos de pandemia. “É um momento em que, naturalmente, lançamos olhar para o simples, para aquilo que possa representar desenvolvimento de forma sustentável e com saúde”, salientou. Com o tema central “A arte de cuidar da vida com homeopatia e as plantas bioativas”, os cinco dias de atividades contarão com programação variada que abrangerá as temáticas A arte de cuidar da mente (26/10), do corpo (27/10), das plantas (28/10), dos animais (29/10) e do outro (30/10), em conversas e palestras online.

“A ideia será a de proporcionar momentos de trocas de conhecimentos, saberes e experiências sobre plantas bioativas e homeopatia na saúde humana, vegetal e animal”, destacou a extensionista da Emater/RS-Ascar e coordenadora do evento Doriana Miotto. Congregando pesquisadores, professores, estudantes, técnicos, extensionistas e pesquisadores a semana oportunizará e estimulará a divulgação de pesquisas científicas desenvolvidas por diversas instituições de ensino e relatos de experiências variados, tendo como ponto central às plantas bioativas e a homeopatia.

Primeira palestrante da manhã, a médica cirurgiã e especialista em intercuralidade e saúde Vivian Camacho promoveu uma série de reflexões sobre a importância da saúde como direito universal, que jamais deveria ser tratada como mera “mercadoria”. “A gente aprende no atual modelo de hospital, de consumo de medicamentos, de planos de saúde que há uma hegemonia no que se relaciona a este tema”, analisou. “E, assim, é ignorada a importância dos saberes ancestrais, da medicina dos povos e da cura pela espiritualidade, suas cerimônias, ofertas e rituais, como prática complementar”, destacou.

Em sua fala, Vivian reforçou ainda a importância da busca por políticas públicas e programas que visem à manutenção dos saberes que estão distantes das grandes corporações, sempre mantendo uma postura de diálogo e de respeito. “Somos seres comunitários e não individualistas”, lembrou, enquanto apresentava uma série de ações realizadas por povos tradicionais, inclusive com o objetivo de amenizar os efeitos da pandemia de Covid-19. “E, para além das plantas medicinais, vale o mesmo para o alimento, para o acesso ao saneamento, para a inclusão social e para o trabalho como forma de gerar bem-estar”, pontuou.

Na segunda palestra, o médico homeopata Ariovaldo Ribeiro Filho, destacou desde os princípios fundamentais da homeopatia, passando pela comprovação do método homeopático até chegar à abordagem integral e individual. Em sua fala, resgatou as primeiras experiências em homeopatia, feitas pelo médico alemão Samuel Hahnemann, que viriam a consolidá-la como experiência a partir da geração de um banco de dados pioneiro. Como pilar do método homeopático, afirmou ser este capaz de gerar no homem, a partir da aplicação de remédios em doses pequenas, sintomas semelhantes as das doenças a serem curadas.

Também como parte da atividade da manhã foram programados os sorteios que ocorreriam dentro do Espaço do Cuidado e que podem receber inscrições no site bit.ly/3m3xCLR. Tradicional nas outras edições, o Espaço ocorrerá de forma virtual e tem o objetivo de oportunizar terapias, práticas integrativas e atendimentos online. Todas as informações sobre o evento podem ser encontradas no site https://www.fasurgs.edu.br/plantasbioativashomeopatia/. Uma das promotoras do evento, a Emater/RS-Ascar atua de forma vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Governo do Estado.

Além da Emater/RS-Ascar, a programação gratuita conta com a realização da Universidade de Passo Fundo (UPF), Prefeitura de Passo Fundo, Museu Zoobotânico Augusto Ruschi (Muzar), Associação Brasileira de Homeopatia Popular, 6ª Coordenadoria Regional de Saúde, Cáritas, Cresol, Fasurgs, Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IF/RS), ICMBio, Natupharma, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Pastoral da Saúde, Coasa e Universidade Federal Fronteira Sul – campus Passo Fundo e Erechim e Tahisa Velloso.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×