Funerária troca corpos de vítimas da Covid e um acaba indo para crematório por engano – Portal Plural
Connect with us

Funerária troca corpos de vítimas da Covid e um acaba indo para crematório por engano

 

Caso aconteceu na noite de domingo, mas só foi descoberto na segunda, quando uma das famílias foi buscar o corpo e deparou com o erro

 

Duas famílias de Cruz Alta tiveram os corpos de dois idosos vítimas da Covid-19 trocados por uma funerária ao deixarem o Hospital São Vicente de Paulo para serem sepultados. Os dois homens morreram no último domingo, mas o engano só foi descoberto na segunda-feira, quando a família de João Figueira, 69 anos, foi buscá-lo e deparou com o corpo errado. No lugar dele, estava Arno Germano Kohn, 76 anos.

No hospital, os familiares de Figueira foram informados de que o corpo estava no crematório da cidade de Santa Rosa, pois havia sido enviado por engano. O erro foi percebido a tempo de evitar a cremação do corpo errado. Após a constatação do equívoco, o corpo foi transferido de vota pela funerária para o enterro em Cruz Alta. A família registrou ocorrência na Delegacia de Polícia.

Na sequência, o corpo correto, o de Arno Kohn, foi enviado para a cremação.

Em nota publicada no Facebook, o hospital informou que o equívoco foi de responsabilidade da empresa funerária, que não observou a identificação e o nome dos pacientes na etiqueta, ocasionando a troca dos corpos. A instituição também prestou condolências e fez um pedido de retratação aos familiares de João Figueira pelos danos e transtornos causados.

O hospital informa que está apurando as responsabilidades pelo erro. “Durante este último ano, enfrentamos um inimigo invisível e mortal, sem jamais recuar do nosso compromisso de preservar, cuidar e salvar vidas. Seguiremos em frente, trabalhando e prestando assistência a todas as pessoas que necessitam de cuidado e tratamento”, afirma a nota do São Vicente de Paulo

Nos comentários da postagem do hospital, no entanto, os familiares de Kohn reclamaram que o nome dele não foi citado na nota de retratação. “Sim, pedem desculpas e retratação pelo seu Figueira, mas não falam de meu pai Arno Germano Kohn. Também passamos por momentos sufocantes!”, escreveu Helena Kohn Ritter.

Já Marcio Figueira, filho de João Figueira, contemporizou e escreveu que o importante, agora, é que erros assim não voltarão a ocorrer. “O hospital teve parte do erro, assim como a Funerária Fátima e Freitas, que foi a grande autora de toda essa confusão! A partir desse fato irão rever os procedimentos para evitar acontecer isso de novo. Isso é o que importa, vai gerar uma melhoria nesse procedimento”, escreveu Marcio.

FUNERÁRIA SE RETRATA
A reportagem do Bei entrou em contato com a Funerária Nossa Senhora de Fátima e Freitas, que informou que na noite em que o corpo foi retirado do necrotério, a etiqueta não foi conferida pelo funcionário responsável. A empresa garante que já entrou em contato com as duas famílias e se retratou sobre o acontecido.

NOTA:

O Portal Plural vem esclarecer que na notícia vinculada recentemente com o título “Funerária troca corpos de vítimas da Covid e um acaba indo para crematório por engano”, o crematório Dom José da cidade de Santa Rosa, não teve nada a ver com a situação causada pela Funerária Nossa Senhora de Fátima e Freitas da cidade de Cruz Alta que relatou que a etiqueta não foi conferida pelo funcionário responsável causando assim a situação. O crematório Dom José nos relatou que apenas prestaria o serviço para a funerária que era total responsável.

FONTE: BEI.NET.BR

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×