Flávio Bolsonaro diz que devolverá dinheiro público usado para comprar passagens – Portal Plural
Connect with us

Grêmio

Flávio Bolsonaro diz que devolverá dinheiro público usado para comprar passagens

Publicado

em

Ilustração Google


Após falar em “equívoco”, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) prometeu devolver, na próxima terça-feira, 3, os R$ 1.617,66 da cota para o exercício de atividade parlamentar que utilizou para viajar até Fernando de Noronha a passeio. A informação foi confirmada pelo Senado Federal.

O site do Senado já não registra mais o ressarcimento feito ao senador diante do aviso de que ele devolverá, no próximo dia útil, o dinheiro público que utilizou para comprar as passagens aéreas para o badalado arquipélago, onde passará seis dias.

“Solicito com urgência a retirada das passagens aéreas abaixo relacionadas do Portal da Transparência do Senado Federal. Brasília/Recife (LATAM) – 28/10/2020: R$259,47. Recife/Fernando de Noronha/Brasília (Azul) – 29/10/2020: R$ 1.361,19. As passagens acima discriminadas foram enviadas em decorrência de um equívoco administrativo. Declaro que reembolsarei os devidos valores ao Senado Federal via GRU no próximo dia útil, dia 03/11/2020 (terça-feira)”, diz um documento de meia página enviado por Flávio Bolsonaro ao Senado no sábado, 31.

O aviso de devolução do dinheiro só foi feito pelo senador após a notícia, publicada inicialmente pelo site Metrópoles, de que teve seu voo bancado pelos cofres públicos. Até a noite do sábado, constava no site do Senado que o parlamentar havia recebido o dinheiro.

O uso de dinheiro da chamada cota parlamentar para comprar passagens aéreas só é permitido quando o deslocamento é a trabalho, o que não era o caso.

A assessoria de imprensa do senador disse que não há compromissos previstos nos seis dias em que passará em Noronha, a 543 quilômetros do Recife. Ainda segundo a assessoria, Flávio também fez pedido para recebimento de diárias durante o período, mas os valores não foram revelados.

“O gabinete do senador Flávio Bolsonaro informa que houve um equívoco da equipe que emitiu as passagens para Fernando de Noronha. As passagens foram pagas pelo próprio senador, mas a equipe, por engano, pediu reembolso. Ele já fez a solicitação para cancelar o reembolso e para também cancelar os pedidos de diárias”, afirma a nota divulgada no sábado.

O primeiro voo de Flávio Bolsonaro foi de Brasília ao Recife na noite da quarta-feira, 28 de outubro. Essa passagem foi comprada com bastante antecedência, em 29 de setembro. Então, em nova compra, feita no dia 13 de outubro, o senador rumou do Recife a Noronha em voo marcado para as 8h45. O regresso de Noronha para Brasília está programado para acontecer em um voo direto às 11h50 da terça-feira, 3 de novembro.

Esse tipo de verificação de gasto público de senadores até o ano passado não podia ser feito, pois o Senado não disponibilizava as informações de reembolsos realizados e as notas fiscais apresentadas pelos parlamentares.

O jornal O Estado de S. Paulo publicou reportagens no ano passado mostrando manobras da presidência do Senado, que vinha desde a gestão de Renan Calheiros (MDB-AL) até a de Davi Alcolumbre (DEM-AP), para manter sob sigilo os gastos, com argumentos como o de que a exposição dos dados poderia ameaçar a segurança dos representantes eleitos pelo povo.

O próprio Flávio Bolsonaro usou um parecer de 2016, produzido na gestão Renan Calheiros, para negar acesso a dados que o jornal O Estado de S. Paulo solicitou via Lei de Acesso à Informação.

A ONG Transparência Internacional-Brasil se manifestou no Twitter sobre a notícia de que Flávio Bolsonaro usou dinheiro público para bancar viagem a Noronha. Segundo a ONG, o caso exemplifica a importância da transparência sobre gastos públicos

CONTEUDO ESTADÃO
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Grêmio

Renato Portaluppi deixa o cargo de técnico do Grêmio

Publicado

em



Renato Portaluppi não é mais técnico do Grêmio. O fim do ciclo do ídolo tricolor foi definido nesta quinta-feira (15), em reunião entre os membros do Conselho de Administração do clube, realizada horas após a derrota de 2 a 1 para o Independiente del Valle, que culminou na eliminação da Libertadores antes mesmo da fase de grupos.

Treinador recordista em jogos no comando do time gremista, Renato estava na Arena desde setembro de 2016, sendo o profissional que há mais tempo ocupava o cargo no futebol brasileiro. No início de março, inclusive, a diretoria havia acertado a sua renovação do contrato até dezembro de 2021.

Além de Renato, o auxiliar Alexandre Mendes — que comandou o time nas últimas partidas enquanto o treinador esteve afastado por conta da covid-19 —, também deixará o clube. Até que um novo comandante seja anunciado, o time gremista deverá ser comandado pelo treinador da equipe de transição, Thiago Gomes.

O próximo compromisso será nesta sexta-feira (16), quando o Tricolor visita o Caxias em rodada atrasada do Gauchão. A estreia na Sul-Americana se dará na outra quinta-feira (21), contra o La Equidad-COL, na Arena.

Fonte: GZH

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Esportes

Em prévia da final da Copa do Brasil, Grêmio empata com o Palmeiras pelo Brasileirão.

Publicado

em



Na prévia da final da Copa do Brasil, o Grêmio ficou devendo desempenho, mas compensou por não desistir e buscou um empate de 1 a 1 com o Palmeiras na noite desta sexta-feira em São Paulo. O time paulista saiu na frente com Raphael Veiga no primeiro tempo, de grande domínio dos mandantes, enquanto Diego Souza igualou nos minutos finais.

Com o resultado, o time gaúcho foi a 50 pontos e ingressou, ao menos momentaneamente, no G-4 do Brasileirão. O Tricolor precisa que o Flamengo seja derrotado pelo Goiás na segunda-feira para permanecer no grupo dos quatro primeiros.

Com Lucas Silva suspenso e Maicon voltando de lesão, o técnico Renato Portaluppi optou por escalar Thaciano ao lado de Matheus Henrique e Jean Pyerre no meio-campo, deixando Darlan no banco. No Palmeiras, o português Abel Ferreira mandou a campo uma equipe mista. O time que iniciou a partida tinha cinco mudanças em relação ao que enfrentou o River Plate pela Libertadores, na terça-feira.

Mas pareceu que o Palmeiras estava com time completo. A equipe de Abel Ferreira pressionou o Grêmio e foi amplamente superior durante todo o primeiro tempo. Logo com 30 segundos, após uma bola perdida por Jean Pyerre no meio-campo, Breno Lopes saiu na cara de Vanderlei, que fez uma bela defesa para impedir o 1 a 0.

 

O Palmeiras voltou a chegar com perigo aos 11 minutos em cruzamento fechado de Marcos Rocha. A partir daí foi uma série de situações. Antes de balançar as redes, o time paulista acertou a trave em três oportunidades. A mais clara foi de Rony, aos 22. Completamente sozinho após cruzamento de Breno Lopes, ele tentou tirar de Vanderlei, mas exagerou. Willian, de fora da área, e Breno Lopes, em chute cruzado, acertaram o poste.

 

A pressão alviverde se transformou em vantagem no placar aos 32 minutos e foi em um lance que exemplificou a diferença de intensidade dos dois times. A bola parecia ser mais de Rodrigues, mas Willian deu o carrinho e ficou com ela. O camisa 29 cruzou para a área, que tinha mais jogadores palmeirenses que gremistas. A bola passou por Viña e Rony, mas Raphael Veiga não perdoou. Ele chutou, Vanderlei até tocou na bola, mas não conseguiu evitar o gol que o Palmeiras merecia ter feito antes.

 

Só após o gol que o Grêmio conseguiu sair um pouco do seu campo. Aos 37, Alisson chutou de fora da área e Weverton mandou para escanteio.  O Palmeiras voltou a ameaçar com Willian, que parou em mais uma defesa de Vanderlei, o único jogador gremista que se salvou no primeiro tempo.

 

Mesmo com a atuação ruim, Renato não fez nenhuma mudança no intervalo. Sem troca, o Grêmio demonstrou, pelo menos, uma postura mais agressiva no começo do segundo tempo. A melhora, porém, não foi suficiente para levar perigo a Weverton, que apenas trabalhou sem muita dificuldade em chute de fora da área de Pepê aos 5.

 

O Palmeiras, menos ofensivo que no primeiro tempo, quase foi letal em sua primeira chegada. Aos 20, Viña cruzou para Rony, que encontrou Willian no meio da área. Ele finalizou de voleio e Vanderlei fez uma grande defesa para impedir o segundo gol. O goleiro gremista trabalhou na sequência novamente em chute de Willian.

 

Renato decidiu fazer a primeira troca apenas aos 26 minutos. O chileno Pinares entrou no lugar de Thaciano. Nome minutos depois, Luiz Fernando e Maicon foram chamados para os lugares de Alisson e Matheus Henrique, que deixou o campo mancando.

 

E as trocas surtiram efeito. Em uma jogada que envolveu Maicon e Luiz Fernando, o atacante cruzou para Diego Souza, que foi letal. O centroavante apareceu na área e cabeceou para empatar o jogo. Nos acréscimos, Diego Souza quase virou. Ele bateu uma falta com perfeição e Weverton fez uma grande defesa para manter o 1 a 1.

Fonte: GZH

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Grêmio

Grêmio empata aos 54 do 2° tempo com o América de Cali e avança em 1° do grupo

Publicado

em

Ilustração Google

Em uma noite cheia de erros, um gol no último lance do jogo salvou o Grêmio de derrota na Copa Libertadores. Diego Souza garantiu o 1 a 1 com o América de Cali, em Porto Alegre, e a primeira colocação do Grupo E aos gaúchos.

O gol da igualdade saiu apenas aos 54 minutos do segundo tempo, em uma bela e segura cobrança de pênalti de Diego Souza. Num jogo que começou com escalação equivocada de Renato Gaúcho, gol contra e expulsão de Kannemann, e um pênalti desperdiçado por Robinho ainda com 0 a 0 no placar, o empate acabou sendo um prêmio valioso ao Grêmio.

Beneficiado pela derrota do arquirrival Internacional (2 a 1 para a Universidad Católica), o time avançou em primeiro. Foi o primeiro gol de Diego Souza na Libertadores. Decidiu de pênalti após abrir mão de uma cobrança por Robinho.

Dependendo de apenas suas forças para se garantir em primeiro no Grupo E, o Grêmio entrou em campo com importantes desfalques. Além de Alisson, machucado e fora por três semanas, Renato Gaúcho ganhou um problema de última hora: o resultado positivo para covid-19 de Matheus Henrique.

Para buscar a vitória e a primeira colocação em sua Arena, o treinador gaúcho “inventou” o lateral-direito Orejuela como atacante. E colocou Robinho na armação. A inovadora escalação não deu resultado no primeiro tempo, a ponto de o Grêmio quase não criar. Uma cobrança de falta de Lucas Silva foi o que de melhor o time criou numa etapa de nível baixo, muitas faltas e cartões amarelos.

Renato assumiu que errou ao retornar do intervalo com mudanças ousadas. Tirou Orejuela, a aposta que não rendeu frutos, e Lucas Silva para a entrada dos atacantes Isaque e Luiz Fernando. Se foi cauteloso na etapa inicial, optou por se expor na fase final

Com quatro atacantes em campo, a ordem era partir para cima do América de Cali. Nada de se arriscar em perder a primeira colocação. O Grêmio queria vencer. E, enfim, ameaçou o gol de Graterol.

A grande chance de abrir o marcador surgiu com cinco minutos. Luiz Fernando sofreu pênalti após tabelar com Diego Souza. Ainda em busca do primeiro gol na competição, todos imaginavam que o centroavante assumiria a cobrança. Porém, foi Robinho quem pegou a bola.

O meia ajeitou e bateu muito mal, na mão de Graterol. O goleiro não teve dúvidas em iniciar um contragolpe rapidamente. Deu lançamento longo para Vergara que cruzou e viu Kannemann desviar contra as próprias redes. A chance grande de abrir o placar virou desvantagem ao Grêmio.

O jogo, então, ficou completamente aberto e indefinido. Era o Grêmio buscando o empate a todo custo e deixando brechas na defesa, com os colombianos não caprichando para ampliar. Everton, de cabeça, mandou a oportunidade clara de empate para fora. O nervosismo gaúcho jogava contra.

Pela vaga, o América tinha de ganhar, torcer por derrota do Inter e ainda descontar um saldo de cinco gols. Mas o 1 a 0 no Sul parecia um sonho e, restando 15 minutos, o time começou a jogar para segurar o resultado mínimo.

O Grêmio, mais na base da vontade do que na organização, buscou a igualdade até o fim. Porém, esbarrava na boa marcação colombiana. Kannemann fechou a noite desastrosa com cartão vermelho após bater boca com Cabrera já nos acréscimos, o que rendeu mais três minutos de acréscimos aos já cinco dados pela arbitragem. Tempo extra que seria decisivo para o placar.

A derrota gaúcha parecia inevitável quando, aos 53, surgiu novo pênalti no jogo, agora em jogada criada por Isaque, com a bola batendo na mão de Velasco. Desta vez Diego Souza assumiu a responsabilidade, pegou a bola e foi para a cobrança. Com direito a paradinha, o Grêmio salvou uma noite desastrosa com o gol de empate. Um gol doloroso aos colombianos, que perderam a vaga para a Copa Sul-Americana.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO 1 x 1 AMÉRICA DE CALI

GRÊMIO – Vanderlei; Victor Ferraz, Pedro Geromel, Kanneman e Diogo Barbosa; Lucas Silva (Isaque), Maicon (Everton), Robinho (Thaciano) e Orejuela (Luiz Fernando); Pepê (Ferreira) e Diego Souza. Técnico: Renato Gaúcho.

AMÉRICA DE CALI – Graterol; Arrieta, Marlon Torres, Segovia e Velasco; Paz, Sierra (Jaramillo) e Carrascal; Moreno (Cabrera), Vergara e Juan Pérez (Arias). Técnico: Juan Cruz Real.

GOLS – Kanneman (contra), aos 7, e Diego Souza, aos 54 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Lucas Silva, Maicon e Thaciano (Grêmio); Arrieta, Segovia, Velasco, Vergara, Marlon Torres e Cabrera (América de Cali).

CARTÃO VERMELHO – Kanneman (Grêmio).

ÁRBITRO – Fernando Rapallini (Argentina).

RENDA E PÚBLICO – Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL – Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS).

 

FONTE CONTEUDO ESTADÃO

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

Trending

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×