Ex-CEO demitido por má conduta pagará US$ 100 mi ao McDonald’s - Portal Plural
Connect with us

Geral

Ex-CEO demitido por má conduta pagará US$ 100 mi ao McDonald’s

Publicado

em


NuveraAcademia Personatopo humbeto pluralFAST AÇAÍ

Steve Easterbrook deve pagar pacote milionário de demissão para encerrar processo judicial, aberto por mentir sobre “relacionamento consensual recente com funcionária”

McDonald’s acertou um processo com o ex-CEO Steve Easterbrook, forçando o executivo a pagar seu pacote de demissão de mais de US $ 100 milhões.

Easterbrook foi demitido em 2019 depois que o conselho da gigante do fast food determinou que ele violou a política da empresa ao demonstrar “julgamento insatisfatório envolvendo um relacionamento consensual recente com uma funcionária”.

Em agosto de 2020, o McDonald’s abriu um processo contra Easterbrook por mentir ao conselho sobre a extensão de seu relacionamento com funcionárias.

Em um arquivamento para a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos na última quinta-feira (16), o McDonald’s criticou Easterbrook por sua “má conduta, mentiras e esforços para impedir as investigações sobre suas ações” e que o acordo é o melhor caminho a seguir.

“Este acordo responsabiliza Steve Easterbrook por sua clara má conduta, incluindo a maneira como ele explorou sua posição como CEO”, disse Enrique Hernandez Jr., presidente do conselho de diretores do McDonald’s, no processo.

“A resolução evita um processo judicial demorado e nos permite seguir em frente.”

Easterbrook admitiu no processo da SEC que “às vezes falhou em defender os valores do McDonald’s e em cumprir algumas responsabilidades enquanto líder da empresa”. Ele também se desculpou com o conselho, ex-colegas de trabalho e franqueados e fornecedores da empresa.

O valor total de seu pacote de indenização é de US$ 105 milhões em dinheiro e ações – não está clara a divisão exata entre cada.

O processo do McDonald’s afirma que a empresa foi informada de outros relacionamentos de Easterbrook com funcionárias em julho, e abriu uma nova investigação que encontrou provas de três relações sexuais.

As evidências dessas relações, de acordo com o processo, vieram na forma de “dezenas de fotos e vídeos nus, parcialmente nus ou sexualmente explícitos de várias mulheres”, incluindo fotos das três funcionárias.

Easterbrook supostamente anexou as imagens a e-mails que enviou de seu trabalho para sua conta pessoal.

FONTE:CNN

 

Compartilhe
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

No Brasil, 62 jovens são assassinados por dia

Publicado

em

portal plural no brasil, 62 jovens são assassinados por dia; veja onde os crimes são mais frequentes
Foto: Haeckel Dias/Polícia Civil
topo humbeto pluralNuveraFAST AÇAÍAcademia Persona

A cada dia, 62 jovens são vítimas de homicídio no Brasil, uma realidade alarmante que desafia as autoridades a evitar a cooptação de novas gerações pelo crime organizado e a proteger grupos mais jovens da vitimização. Em 2022, quase metade (49,2%) dos 46,4 mil homicídios registrados no país foram de pessoas entre 15 e 29 anos.

Esses dados foram revelados na nova edição do Atlas da Violência, um relatório anual produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em colaboração com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Segundo o documento, em 2022, a cada cem mortes de jovens no Brasil, 34 foram por homicídio, muitos deles cometidos com armas de fogo.

Ao longo dos últimos onze anos (2012-2022), 321,4 mil jovens entre 15 e 29 anos foram vítimas de violência letal no país, predominantemente homens negros. Esses jovens, muitos dos quais são de áreas periféricas, são frequentemente recrutados pelo crime organizado, abandonam a escola precocemente e veem poucas oportunidades no mercado de trabalho, como destaca Samira Bueno, uma das coordenadoras do Atlas e diretora executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

A taxa de homicídios para essa faixa etária foi de 46,6 a cada 100 mil habitantes em 2022, representando uma redução de 4,9% em relação ao ano anterior. Apesar dessa queda, essa taxa ainda é muito superior à média nacional de 21,7 homicídios para cada 100 mil habitantes.

Samira ressalta que, especificamente para homens jovens entre 15 e 29 anos, a taxa de homicídios é quatro vezes maior, alcançando 86,7 por 100 mil habitantes. Além disso, nos últimos anos, essas mortes não estão mais concentradas apenas nas grandes capitais, mas também em cidades menores, onde o crime organizado expandiu suas operações.

O relatório destaca um crescimento significativo da taxa de homicídio juvenil em estados como Piauí (64,6%), Bahia (23,5%) e Amazonas (19,5%) em 2022, enquanto Distrito Federal, São Paulo e Goiás registraram as maiores reduções nessa taxa.

São Paulo teve a menor taxa de homicídios para jovens em 2022 (10,8), seguido por Santa Catarina (13,3) e Distrito Federal (19,3). Em contraste, Bahia (117,7), Amapá (90,2) e Amazonas (86,9) apresentaram os maiores indicadores de letalidade para essa faixa etária.

Em relação à vitimização racial, pessoas negras (pretas e pardas) corresponderam a 76,5% do total de homicídios registrados no país em 2022, com uma taxa de 29,7 homicídios por 100 mil habitantes desse grupo. Em comparação, a taxa para pessoas não negras (brancas, indígenas e amarelas) foi de 10,8 homicídios por 100 mil habitantes.

O Atlas da Violência destaca que, entre 2012 e 2022, os homicídios de jovens resultaram em uma perda de 15,2 milhões de anos potenciais de vida perdidos, com armas de fogo sendo responsáveis pela maior parte dessas mortes prematuras.

Esses números refletem uma tragédia evitável que requer políticas públicas mais eficazes para reduzir a violência e proteger a juventude brasileira.

Fonte: Estadão

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Homem ganha luva com dedos impressos em 3D depois de acidente de trabalho

Publicado

em

portal plural homem ganha luva com dedos impressos em 3d depois de acidente de trabalho
Foto: Open Bionics
NuveraAcademia Personatopo humbeto pluralFAST AÇAÍ

Um homem de 52 anos se tornou o primeiro do mundo a experimentar uma luva com dedos impressos em 3D, após um acidente de trabalho onde perdeu quatro dedos.

Desde o incidente há uma década, Michael Altheim finalmente recuperou a capacidade de segurar e manipular objetos, graças à luva chamada Hero Gauntlet, controlada pelo movimento de seu pulso.

“Quando coloquei a Hero Gauntlet e movi meu pulso, meus dedos se moveram junto com ele – pensei: ‘Ah, sim, isso funciona'”, compartilhou Michael. A luva é personalizada para ele e também é à prova d’água.

O acidente aconteceu enquanto Michael trabalhava com uma máquina industrial para lixar um campo esportivo. Um incidente prendeu sua luva na esteira da máquina, resultando na amputação dos dedos.

Agora, após uma década, Michael se destaca como pioneiro ao utilizar essa luva revolucionária, desenvolvida pela empresa britânica Open Bionics, especializada em robótica para reabilitação.

Ele descreveu a experiência com a luva como incomparável com qualquer outra solução anterior que tentou. “As soluções anteriores eram pesadas, com operação limitada e não à prova d’água”, explicou.

Com a nova luva, ele pode realizar tarefas como dobrar uma toalha ou segurar objetos grandes e pesados que anteriormente eram difíceis. “Nunca pude segurar corretamente uma chave de fenda ou um amarelo, mas agora posso usá-los perfeitamente sem problemas”, comentou com bom humor.

O protótipo da luva foi feito sob medida para a amputação de Michael, utilizando digitalização e impressão 3D. Durante os testes, ele continuou a se surpreender com a funcionalidade da luva, que foi ajustada para suas necessidades específicas.

Além de ser à prova d’água, a tecnologia proporciona conforto e funcionalidade para uso diário, melhorando significativamente sua qualidade de vida.

Para Samantha Payne, diretora de operações e cofundadora da Open Bionics, ver o impacto positivo imediato dessa tecnologia nas atividades diárias de Michael é uma grande realização.

“A empresa está colaborando com grupos em toda a Alemanha para oferecer essa tecnologia a pessoas com amputações parciais das mãos”, acrescentou.

Fonte: Só notícia boa

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Esportes

Piloto argentino de 9 anos morre após acidente no autódromo de Interlagos

Publicado

em

portal plural piloto argentino de 9 anos morre após acidente no autódromo de interlagos
Foto: Divulgação/ Redes Sociais
FAST AÇAÍtopo humbeto pluralNuveraAcademia Persona

O piloto argentino Lorenzo Somaschini, de apenas nove anos, faleceu na noite desta segunda-feira (17) após sofrer um acidente no Autódromo de Interlagos durante um treino livre na última semana. Segundo o SuperBike Brasil, Lorenzo estava internado no Hospital Albert Einstein, na zona sul de São Paulo, em estado grave desde a madrugada de sábado (15). Seu falecimento foi registrado por volta das 19h43 desta segunda-feira.

“Todos da equipe do SuperBike Brasil estão consternados com o acontecimento e manifestam sinceros sentimentos a todos os familiares e amigos de Lorenzo”, lamentou o SuperBike Brasil em nota de pesar nas redes sociais.

O Acidente

O acidente ocorreu durante o primeiro treino livre da Jr Cup, na 4ª etapa do SuperBike Brasil, na sexta-feira (14). Lorenzo sofreu uma queda no Autódromo de Interlagos e foi imediatamente atendido pelas equipes do local, sendo encaminhado para a sala de emergência. Após ter seu estado clínico estabilizado, ele foi transportado por uma UTI móvel para o Hospital Geral de Pedreira, onde permaneceu até a madrugada de sábado, quando foi transferido para o Hospital Albert Einstein.

A organização do evento afirmou que está prestando toda a assistência necessária aos familiares de Lorenzo desde o momento do acidente.

Fonte: CNN Brasil

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Compartilhe

[DISPLAY_ULTIMATE_SOCIAL_ICONS]

Trending

×

Entre em contato

×