Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Estudos indicam que os óleos essenciais protegem a saúde – Portal Plural
Connect with us

Medicina & Saúde

Estudos indicam que os óleos essenciais protegem a saúde

Pável Bauken

Publicado

em



 

Estudos indicam que os óleos essenciais protegem a saúde e atenuam sintomas de enfermidades, já que são capazes de aliviar dores, melhorar o humor e reduzir náuseas. Essas substâncias podem ser usadas de diversas formas, especialmente na composição de cosméticos, em massagens ou em banhos terapêuticos. “Possuem uma composição muito complexa, sendo extraídos de flores, frutos e folhas. Não possui adição de qualquer componente como água ou álcool, sendo, assim, extremamente puros e, consequentemente, muito fortes”, salienta a nutricionista Stefani Hoffmann, graduada em Nutrição e pós-graduada em Nutrição Clínica na Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), acrescentando que, de acordo com o seu princípio ativo, é possível direcionar a sua prescrição.

A nutricionista observa que as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais podem auxiliar no fortalecimento e no equilíbrio da saúde física, mental e emocional. “Eles podem ser ansiolíticos, antidepressivos, anti-inflamatórios e imunoestimuladores”, explica. “Embora seja natural, seu uso não deve ser descuidado. Podem ser inalados ou aplicado diretamente na pele, mas não devem ser ingeridos”, afirma.

Stefani ressalta que os óleos essenciais são ótimos para tratamentos de estresse, principalmente por seu mecanismo de ação, que ativa o sistema límbico, responsável pelas emoções. “Quando inalamos, suas partículas são levadas para o cérebro, que recebe mensagens eletroquímicas associadas ao cheiro. O sistema límbico é ativado e o cérebro reage alterando o humor”, afirma. A inalação é a forma mais rápida, prática e segura de uso dos óleos essenciais.

Outra forma de utilização é topicamente, mas é necessário conhecimento para ser usado, principalmente devido a seu mecanismo de ação. “Não deve ser aplicado na região de olhos e mucosas, por exemplo. E devem ser guardados fora do alcance de crianças”, adverte. A nutricionista argumenta que muitos profissionais passaram a prescrever os óleos essenciais em tratamentos dietéticos e de patologias. Inclusive sugerem sua utilização em preparações como bolos, chás e sucos. “São prescrições errôneas, por conta da grande toxicidade a que expõem os pacientes”, assinala. Stefani acrescenta que cada gota de óleo possui alta concentração de compostos. “Se ingeridos sem diluição, não são toleradas por nosso organismo, agredindo mucosas e o sistema hepático. Para se ter uma ideia, uma gota corresponde ao consumo de 25 xícaras de chá. Alguém consome esta quantidade de chá em apenas um dia?” Ela lembra ainda que há quem sugira o uso no preparo de receitas da culinária. “Isso também é errado, já que uma gota deve ser diluída em 30 litros de água ou óleo para a preparação do alimento, o que não vale a pena, sendo muito mais fácil e saudável utilizar a planta in natura”, adverte.

Stefani ainda revela que aromas diferentes estimulam respostas distintas no cérebro. Recente estudo da Universidade de São Paulo, realizado com estudantes da área da Saúde, concluiu que os acadêmicos que passaram por tratamento com inalação de óleos essenciais tiveram redução nos níveis de estresse. As substâncias também são alvo de pesquisa de laboratório, como alternativa para acabar com a gripe e células cancerígenas. São conhecidas desde a antiguidade por possuírem propriedades antibacteriana, antifúngica e antioxidante. Antigas civilizações já usavam ervas e aromas como recurso terapêutico.

Os óleos são extraídos por destilação a vapor ou por prensagem de flores, plantas e frutas. “Devido à elevada concentração de matéria-prima, não podem ser usados puros, diretamente na pele.” Os óleos podem ser utilizados na aromaterapia em difusores pessoais, de ambiente e diluídos em óleos vegetais para massagem e também em cosméticos.

O óleo essencial de lavanda é o mais usado, pois tem diversas aplicações. É analgésico, antisséptico, anti-inflamatório e anticonvulsivo. Igualmente, é um excelente cicatrizante, além de calmante, indicado para combater insônia, o ronco e variações de humor. “As associações destas propriedades fazem do óleo essencial de lavanda excelente sedativo natural com potencial inclusive para redução da pressão arterial.” Já os cítricos, como limão e laranja, são digestivos, diuréticos e ansiolíticos. Entre as ervas, o alecrim é o queridinho, por auxiliar na memória, concentração e no enfrentamento de dores de cabeça.

FUNÇÕES DE ALGUNS ÓLEOS ESSENCIAIS:

Lavanda: Relaxa e alivia a tensão pré-menstrual. Ameniza sintomas de confusão mental e depressão. Diminui a ansiedade, a insônia e a enxaqueca.

Laranja: Diminui a ansiedade e melhora o humor.

Sálvia: Interfere positivamente na memória e na atenção. Age como regulador menstrual, redutor dos sintomas da pré-menopausa e da endometriose.

Alecrim: Melhora a precisão em tarefas mentais, além de produzir sensação de frescor, aumentando a energia e reduzindo a fadiga.

Hortelã: Alivia o estresse, reduz a fadiga e o desejo por chocolate.

Canela: Aumenta a concentração e reduz a frustração.

Copaíba: Tem função anti-inflamatória, antisséptica e cicatrizante. Também possui função antibactericida e antiviral.

Eucalipto: Propriedades antissépticas, prevenindo e tratando doenças das vias respiratórias.

Gerânio: Benefícios para a pele, já que atua como agente anti-idade, antirrugas, hidratante e tonificante. Ajuda a combater manchas e estrias.

Lemongrass: Também conhecido como erva-cidreira, capim-limão, capim-santo e chá de estrada, é excelente para a memória. Auxilia na concentração e no raciocínio.

Limão siciliano: Ideal para tratar celulite, pele, acne e mãos manchadas. Ajuda a curar garganta inflamada e resfriados.

Manjerona: Tem atividade biológica antibacteriana, antifúngica e antioxidante.

Sândalo: Descongestionante linfático e venoso, desintoxica o organismo e fortalece os tecidos.

Fonte Correio do Povo

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Medicina & Saúde

Ansiedade: conheça 13 sintomas que merecem sua atenção

Reporter Plural

Publicado

em

Ilustração Google

Ansiedade é um termo geral para vários distúrbios que causam nervosismo, medo, apreensão e preocupação.

A ansiedade é uma reação que todo indivíduo experimenta diante de algumas situações do dia a dia, como falar em público, expectativa para datas importantes, entrevistas de emprego, vésperas de provas, exames de saúde entre outras.

Contudo, algumas pessoas vivenciam esta reação de forma mais frequente e intensa, que pode ser considerada patológica e comprometer a saúde emocional.

Como saber quando a ansiedade normal ultrapassa os limites e pode ser considerada um transtorno?

Ansiedade e Medo

De acordo com o DSM-5 (Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais) os transtornos de ansiedade incluem aqueles que compartilham características de medo e ansiedade excessivos e perturbações comportamentais relacionadas.

Assim, medo é a resposta emocional à ameaça iminente real ou percebida, enquanto ansiedade é a antecipação de ameaça futura.

O medo é com mais frequência associado a períodos de excitabilidade aumentada, necessária para luta ou fuga, pensamentos de perigo imediato e comportamentos direcionados a escapar de alguma situação.

Os ataques de pânico se destacam dentro dos transtornos de ansiedade como um tipo particular de resposta ao medo.

Como controlar a ansiedade?

Aprendemos a controlar a ansiedade quando descobrimos seus gatilhos emocionais. Desse modo, uma das melhores ferramentas atuais para lidar com os momentos ansiosos é a psicoterapia.

É possível identificar gatilhos por conta própria ou com o terapeuta. Às vezes, podem os caminhos são óbvios, como o consumo excessivo de cafeína, álcool ou cigarro. Outras vezes, eles podem ser menos óbvios.

Eventualmente, problemas de longo prazo como dificuldades financeiras ou relacionadas ao trabalho podem levar algum tempo até serem descobertos.

Assim, podemos ser impactados por uma data de vencimento, uma pessoa ou a situação e não percebermos. Isso pode exigir algum apoio extra, por meio da terapia, ou com amigos e mentores.

Quando você descobrir seu ou seus gatilhos, tente limitar sua exposição, se puder. Entretanto, se você não consegue ou não pode reduzir o contato, como no caso de um ambiente de trabalho estressante, que não pode ser alterado no momento, o uso de outras técnicas de enfrentamento pode ajudar.

O que caracteriza o transtorno de ansiedade?

Os transtornos de ansiedade se diferenciam do medo ou da ansiedade normais, adaptativos,  por serem excessivos ou persistirem além de períodos apropriados ao nível de desenvolvimento.

Ansiedade: conheça 13 sintomas que merecem sua atenção

Assim, eles diferem do medo ou da ansiedade provisórios, com frequência induzidos por estresse, por serem persistentes.

Quais são os Sintomas de ansiedade?

Veja quais são principais sintomas que podem estar relacionados a transtornos de ansiedade, e merecem atenção:

  1. Enxergar perigo em tudo;
  2. Apetite desregulado;
  3. Alterações de sono;
  4. Tensão Muscular;
  5. Medo de falar em público;
  6. Preocupações em excesso;
  7. Ficar sempre próximo de ataques de nervos;
  8. Medos irracionais;
  9. Inquietação constante;
  10. Sintomas físicos;
  11. Pensamentos obsessivos;
  12. Perfeccionismo;
  13. Problemas digestivos.

Veja mais detalhes sobre cada um deles abaixo!

1 – Enxergar perigo em tudo

Indivíduos com transtornos de ansiedade em geral superestimam o perigo nas situações que temem ou evitam. Da mesma maneira, o medo ou a ansiedade são excessivos ou fora de proporção.

Você já conheceu alguma pessoa que não viaja de avião por que tem medo de acidente aéreo? Está sempre pensando que o avião vai cair? Já imagina inclusive a cena de luto?

Outro exemplo é alguém que passa por um procedimento ou exame médico simples e teme ter uma doença grave ou ficar incapacitado após o exame. Em casos mais extremos chega até a cogitar a possibilidade de morrer no procedimento.

2 – Apetite desregulado

Não faltam casos de pessoas que encontram na comida uma solução para seus problemas emocionais. Isto é, ao menor sinal de preocupação você recorre ao brigadeiro, a um docinho ou qualquer outro alimento para aliviar a tensão.

Em geral, mastigam pouco o alimento e ingerem grande quantidade de comida em pouco tempo.

Comer indiscriminadamente, sem fome, por ansiedade, estresse ou outra emoção negativa é um sinal de alerta. E cuidado! Esta atitude também pode desencadear uma compulsão alimentar.

3 – Alterações de sono

Sentem dificuldade para dormir ou apresentam episódios de insônia em vésperas de reuniões importantes e eventos. Não conseguem se desligar do que fizeram ao longo do dia no trabalho e passam a noite processando o que farão no dia seguinte.

Algumas vezes chegam a sonhar e despertar pensando em soluções possíveis para determinada questão.

 4 – Tensão muscular

É comum sofrer com dores nas costas, ombros e nuca. Os músculos do pescoço ficam travados e a dor é tanta que mal dá para virar de lado.

Essa tensão muscular, quase constante, geralmente acompanha os transtornos de ansiedade. Quanto maior a preocupação e o desânimo, maior a possibilidade de transferir as tensões para a região cervical.

 5 – Medo de falar em público

Somente ao pensar na necessidade de realizar uma apresentação para uma plateia sinais como sudorese excessiva, mãos geladas, taquicardia, falta de ar e respiração ofegante aparecem.

Esse medo pode estar relacionado às preocupações com o ego, receio de julgamento e a apreensão, o que aumenta a ansiedade.

6 – Preocupações em excesso

Estão sempre preocupados com o futuro. Ainda mais em épocas de crise econômica, é comum ver pessoas pensando na manutenção do emprego.

A preocupação excessiva é uma fonte direta de dores de cabeça, úlceras, ansiedade e stress, podendo inclusive afetar o sistema imunológico.

Além disso, essa angústia e o volume de detalhes para pensar afeta muito a atenção da pessoa com ansiedade, o que faz com que seja difícil se focar.

Assim, ela perde eficiência em suas atividades diárias, e isso amplia as preocupações, tornando tudo um ciclo que pode gerar desespero e outros problemas.

7 – Ficar sempre próximo um ataque de nervos

Pessoas que estão a ponto de entrar em um ataque de nervos, podem passar da euforia ao pranto rapidamente.  Sintomas como irritabilidade e mudanças de humor repentinas, sem explicação aparente, surgem em momentos de maior pressão e estresse.

8 – Medos irracionais

Medos de estar perdendo alguma coisa, de não ser bom o suficiente, medo do fracasso, pânico de ficar sozinho ou de não ser aceito também perseguem pessoas ansiosas.

Campeões de autocrítica, são os primeiros a não se sentir capazes o suficiente para concluir uma determinada atividade. O excesso de medo pode comprometer a segurança nas relações pessoais, seja no trabalho ou na família.

9 – Inquietação constante

Ansiedade: conheça 13 sintomas que merecem sua atenção

Dificuldade de concentração, inquietação e fadiga. O indivíduo apresenta uma angústia intensa, não consegue ficar quieto, caminha de um lado para o outro, desespera-se.

Fatores que geram grande desconforto ao atrapalhar a conclusão de uma tarefa, além de afetar a qualidade de vida da própria pessoa e também de quem está ao seu lado.

10 – Sinais físicos

Nos momentos de ansiedade, podem surgir sintomas físicos que vão além das dores musculares:

  • tremores;
  • cansaço
  • sensação de falta de ar ou asfixia;
  • coração acelerado;
  • suor excessivo;
  • mãos frias e suadas;
  • boca seca, tontura;
  • náuseas;
  • diarreia;
  • desconforto abdominal;
  • ondas de calor;
  • calafrios;
  • micção frequente;
  • dificuldade para engolir;
  • sensação de engasgo.

11 – Pensamentos obsessivos

O pensamento obsessivo é uma incapacidade de ganhar controle sobre pensamentos e imagens, angustiantes e recorrentes. Estudos de imagem cerebral indicam que está associado a uma disfunção neurológica de causa desconhecida que força os pensamentos em ciclos repetitivos.

Dessa forma, o pensamento obsessivo também pode estar associado a transtornos do humor, incluindo distimia, depressão e transtorno bipolar. É também o sintoma definidor de Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC), Transtorno de Pânico e muitas outras condições psicológicas.

12 – Perfeccionismo

O perfeccionismo caracteriza-se pela insistência em estabelecer padrões altos e pela busca incessante em alcançá-los.

De fato, os perfeccionistas muitas vezes têm alto desempenho – mas o preço desse sucesso pode ser a infelicidade e insatisfação crônicas. O perfeccionismo excessivo pode estar fortemente ligado ao medo de errar e a comportamentos de autossabotagem, como a procrastinação.

Desse modo, como a perfeição é algo praticamente impossível de se atingir, pessoas perfeccionistas acabam sofrendo com a ansiedade por não conseguir atingir o objetivo estabelecido.

13 – Problemas digestivos

Um sistema muito afetado pelo estresse e ansiedade é o gastrointestinal. Dores, má digestão, mal-estar no abdômen, diarreia e azia são alguns dos sinais.

Consequentemente, ansiedade excessiva e estresse agudo podem alterar as funções gastrointestinais por meio do sistema nervoso.

Como consequência dessas alterações podem surgir úlceras, gastrites, doenças inflamatórias, refluxo gastroesofágico e síndrome do intestino irritável.

Estratégias para controlar a ansiedade

Controlar a ansiedade é um desafio, mas existem estratégias, recursos e até mesmo mudanças que você pode fazer em seu dia a dia que vão auxiliar com isso!

Separamos alguns abaixo. Veja:

Sessões de Psicoterapia

A Psicoterapia é um processo que pode ajudar, e muito, os indivíduos que sofrem com ansiedade. É um tratamento colaborativo baseado na relação entre um indivíduo e um psicólogo.

Baseado em diálogo, ele fornece um ambiente de apoio que permite falar abertamente com alguém que é objetivo, neutro e sem julgamento.

Você e seu psicólogo trabalharão juntos para identificar e mudar os padrões de pensamento e comportamento que o impedem de sentir o seu melhor, aumentando o autoconhecimento e a resiliência.

Uma das abordagens bastante eficientes no tratamento de quadros ansiosos é a Terapia Cognitivo Comportamental, que tem uma atuação bastante focal e direta.

Praticar atividade física

Reserve um tempo para uma caminhada, corrida ou qualquer atividade física que te proporcione prazer.

Atividade física realizada de forma regular ajuda a fortalecer o sistema imunológico, prevenir doenças cardiovasculares e obesidade. Igualmente, ela aumenta o bem-estar, a disposição para atividades do dia a dia e a produtividade no trabalho.

Também diminui a insônia e melhora a saúde mental, prevenindo a depressão. Entretanto, se você é do tipo competitivo, estabeleça uma meta, como por exemplo correr uma prova de 5 ou 10 km.

Como resultado, a prática frequente de atividade física regula o sono, pois a prática de exercícios libera endorfina, que proporciona bem-estar e diminui a ansiedade e o estresse.

Praticar meditação

Neurocientistas já comprovaram que a prática de meditação contribui para aumentar a região do córtex pré-frontal esquerdo, região responsável pelo sentimento de felicidade.

Assim, cinco minutos diários para observar a respiração já são eficientes para o começo. Se possível estimule sua equipe a meditar também, os ganhos serão enormes.

Mindfulness é uma das intervenções mais eficientes para reduzir o estresse e o sistema imunológico. Eu gosto bastante e uso o Headspace.

Inclusive, descobri recentemente o app da Vivo Meditação, já em português. Quem sabe você não começa a meditar hoje mesmo?

Ouvir música

Ansiedade: conheça 13 sintomas que merecem sua atenção

A música ajuda relaxar, extravasar, expressar, dançar, celebrar, interiorizar, descansar… Ainda mais no Brasil, onde a narrativa social e o cotidiano são musicais.

Ela é um elemento terapêutico por excelência. É algo medicinal e sem contra-indicações. Quando foi a última vez que você curtiu sua música preferida?

Manter uma alimentação saudável

Um cérebro saudável é a primeira linha de defesa contra a ansiedade, depressão e outros transtornos do humor.

De fato, algumas vitaminas são necessárias para a formação de neurotransmissores que estimulam o bom humor, enquanto outras fornecem energia para células cerebrais ou as protegem de danos. Assim como os nossos órgãos, o nosso cérebro precisa de certas vitaminas para funcionar normalmente.

Todos passamos por momentos de ansiedade e stress. Se forem muito frequentes ou muito intensos, podem indicar a necessidade de auxílio de profissionais especializados.

 

Fontes:
Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais 5.ª edição (2013)

Site: www.health.com

 

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Medicina & Saúde

Sobreviventes da Covid-19 produzem anticorpos que atacam o corpo

Reporter Plural

Publicado

em

Foto: Reprodução

Autoanticorpos foram encontrados em pacientes graves que sobreviveram e a descoberta pode beneficiar casos com tratamentos de doenças autoimunes

Alguns sobreviventes da Covid-19 carregam autoanticorpos semelhantes aos de pacientes com lúpus e artrite reumatoide, doenças autoimunes. Esse autoanticorpos têm como alvo o material genético das células humanas em vez do vírus. Isso é o que demonstrou um estudo realizado por pesquisadores da Emory University, nos Estados Unidos, publicado recentemente no periódico científico MedRxiv.

Foram analisados 52 pacientes com Covid-19 grave internados no sistema de saúde Emory, em Atlanta, nos Estados Unidos, sem histórico de doenças autoimunes.

Os pesquisadores detectaram autoanticorpos em quase metade dos pacientes. Entre os mais graves, 70% tinham autoanticorpos. Também foi observado um anticorpo contra uma proteína chamada “fator reumatóide” e outras que levam à coagulação do sangue.

A infecção grave por SARS-CoV-2 está ligada à presença de autoanticorpos contra múltiplos alvos. Também pode explicar sintomas persistentes que permanecem meses depois que o vírus já foi embora, ressalta o estudo.

A descoberta pode contribuir para o tratamento da Covid-19, pois ajuda a identificar pacientes que possam se beneficiar de tratamentos usados para doenças autoimunes. Lúpus e artrite reumatoide, por exemplo, não têm cura, mas dispõem de tratamentos que reduzem a frequência e a gravidade das crises.

O novo coronavírus é capaz de alterar o sistema imunológico que passa a atacar o próprio corpo, provocando mais danos que o vírus. Normalmente, os linfócitos T são capazes de reconhecer e combater o vírus, mas em doenças autoimunes como o lúpus, em vez disso, elas produzem autoanticorpos que se confundem com o vírus. O estudo afirma que algo semelhante ocorre com a Covid-19.

Esses autoanticorpos também seriam responsáveis por sintomas persistentes, que podem permanecer por toda a vida em sobreviventes de Covid-19. Essa memória de autoanticorpos ocorre também nas doenças autoimunes, afirma o estudo.

 

 

FONTE PORTAL IN FOCO RS

 

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Medicina & Saúde

Tendência do STF é adotar posição favorável à vacinação obrigatória

Reporter Plural

Publicado

em

Ilustração Google

O Supremo Tribunal Federal (STF) tende a adotar uma postura favorável à vacinação compulsória, se houver eficácia comprovada, em dois julgamentos distintos que devem ser levados ao plenário da Corte nos próximos meses – um deles tratando da covid-19 e outro sobre se pais têm direito de não aplicar nos filhos vacinas que fazem parte do calendário oficial de vacinação definido pelas autoridades sanitárias.

Ontem, o presidente Jair Bolsonaro disse entender que a vacinação “não é uma questão de Justiça, mas uma questão de saúde”. Na semana passada, o presidente da Corte, ministro Luiz Fux, chegou a dizer que a judicialização sobre o tema será “importante” e “necessária”. Já para Bolsonaro, “não pode um juiz decidir se você vai ou não tomar vacina, isso não existe”.

Os dois julgamentos não têm data. A obrigatoriedade entrou no horizonte do tribunal por causa de quatro novas ações, movidas por partidos na semana passada, a maior parte contrária às declarações de Jair Bolsonaro. O relator é o ministro Ricardo Lewandowski, que já pediu informações ao Planalto.

Antes desse julgamento sobre a vacinação da covid-19, porém, o Supremo deverá decidir, em outra ação, de relatoria do ministro Luís Roberto Barroso, se os pais podem deixar de vacinar o filho, tendo como fundamento convicções filosóficas, religiosas, morais e existenciais. O ponto em comum entre os julgamentos é o embate entre o direito coletivo à saúde e a liberdade individual de não se vacinar. A composição atual do STF inclina-se a privilegiar o bem coletivo, ou seja, a vacinação obrigatória.

Embora Barroso não adiante posicionamento, é dado como certo que vai votar a favor de que filhos não podem deixar de tomar vacina prevista no calendário oficial de vacinação determinado pelas autoridades sanitárias, incluindo o Ministério da Saúde. “Não posso antecipar meu voto, mas a minha visão é de valorização da ciência e do conhecimento técnico”, disse.

A ação específica que será discutida – com repercussão geral – foi apresentada por uma família de São Paulo que entende que o filho não deve ser vacinado, após o Ministério Público ter obtido decisão judicial que obriga a vacinação. Barroso disse ao Broadcast Político/Estadão que quer levar a ação ao plenário ainda neste ano. Um dos aspectos que devem ser colocados em debate pelo relator neste primeiro julgamento – e que pode voltar no processo da covid-19 – é a politização, tendo em conta o crescimento do movimento antivacina. Esse julgamento, portanto, trará sinalizações importantes sobre a legalidade de o Estado impor ou não a vacinação obrigatória.

Nas ações protocoladas pelos partidos, não há um pedido formal. Entre as demandas apresentadas, o PDT quer que a Corte reconheça a competência de Estados e municípios para determinar ou não a vacinação compulsória da população. Em linha oposta, o PTB, da base de apoio ao governo, solicita que essa possibilidade seja declarada inconstitucional. Nesse ponto, a tendência é de que o Supremo estabeleça que Estados e municípios são autônomos. Essa decisão deve ir na mesma linha da que foi tomada em abril, quando a Corte decidiu que prefeitos e governadores podem tomar providências normativas relativas à pandemia.

Ontem, em mensagem a apoiadores, Bolsonaro condicionou a compra de uma vacina contra covid-19 pelo Brasil à certificação e sem “correria”. “Todo mundo diz que a vacina que menos demorou até hoje foram quatro anos, não sei por que correr em cima dela”, afirmou.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×