Estelionatários fingem ser delegados da Polícia Civil do RS para aplicar golpe dos nudes – Portal Plural
Connect with us

Uncategorized

Estelionatários fingem ser delegados da Polícia Civil do RS para aplicar golpe dos nudes

Publicado

em



 

Criminosos que aplicam o chamado golpe dos nudes estão usando fotos de delegados da Polícia Civil do RS para extorquir as vítimas. Nesta modalidade de estelionato, perfis falsos de mulheres nas redes sociais adicionam homens — preferencialmente casados — e trocam mensagens e fotos eróticas. Com prints dessas conversas, os golpistas se passam por policiais, ameaçam as vítimas e exigem dinheiro, alegando a existência de suposta investigação por pedofilia.

Também conhecido como “sextorsão”, esse tipo de crime faz vítimas até mesmo fora do país. Foi o que aconteceu com um empresário brasileiro que vive em Roma, na Itália. À reportagem, ele disse que estava sendo extorquido por um delegado do Rio Grande do Sul, depois de ter conhecido uma mulher pela internet.

— No perfil dela no Facebook, existiam fotos. Belíssima, muito elegante. Pela conversa, me mostrava ser adulta — diz o empresário.

Mesmo sem ter enviado fotos eróticas, a vítima disse que passou a ser extorquida. Em um primeiro momento, por um suposto tio da jovem e, depois, por um delegado que seria titular em Lajeado, no Vale do Taquari. O criminoso criou uma conta de WhatsApp e usou uma foto do delegado José Romaci Reis, retirada da internet.

— Fiquei surpreso, porque, na verdade, a gente nunca espera que vai acontecer com a gente, que alguém pegaria minha foto e usaria para cometer golpes. Achei muito estranho. Até porque é muita ousadia de um indivíduo querer dar golpe usando fotos e nomes de outras pessoas — surpreendeu-se o delegado.

A ONG Safernet, especializada em segurança na internet, contabilizou 243 situações de extorsões com uso de fotos eróticas este ano em todo o país. O Rio Grande do Sul é o terceiro Estado em número de casos. Em Osório, um caminhoneiro engrossa a estatística.

Depois de adicionar uma jovem no Facebook — ele diz que costuma aceitar todos os pedidos de amizade na rede social, — o caminhoneiro conta que passou a receber mensagens de um suposto delegado de São Leopoldo que disse estar investigando queixas de parentes da moça. Ela, segundo o suposto policial, seria adolescente.

— Senti pânico. Na hora, a gente chega até a pensar em pagar, até por uma coisa que não fez — conta o caminhoneiro.

Até uma cópia de boletim de ocorrência forjado os criminosos enviaram ao caminhoneiro. Mesmo assim, a vítima decidiu não pagar os R$ 3 mil solicitados pelo suposto delegado. Ao procurar o policial, descobriu a farsa.

— Embora haja um logotipo da Polícia Civil do Rio Grande do Sul fora do padrão oficial, para o leigo que recebe um documento deste é um elemento de convicção de que aquilo procede, de que está sendo procurado pelas autoridades — explica o delegado Eduardo Hartz, de São Leopoldo.

Em Santa Catarina, um funcionário público chegou a depositar R$ 5 mil em uma conta indicada pelo golpista. O estelionatário alegou ser policial civil no Rio Grande do Sul e disse que estaria investigando esquema de pedofilia.

— Fiz o primeiro depósito pra esse (suposto policial) que me ameaçou, de R$ 2 mil. E ele me deu mais dois dias pra eu arrumar mais R$ 3 mil — lembra a vítima.

Com base nos dados da conta bancária na qual o homem fez os depósitos, os policiais chegaram a dois presos que estão na Penitenciária Estadual de Charqueadas. Com eles, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) apreendeu três telefones celulares e dinheiro.

Para a psicóloga e diretora da ONG Safernet, Juliana Cunha, a exposição a esse tipo de situação gera constrangimento e até quadros de ansiedade, o que faz com que muitas vítimas cedam às ameaças.c

— É um tipo de impacto que ninguém quer, que a família saiba, ou que isso chegue ao trabalho. Então, claro que todo mundo fica receoso e preocupado — afirma a especialista.

A Delegacia de Repressão aos Crimes informáticos da Capital investiga diversos casos e orienta as vítimas desse tipo de extorsão a procurarem as autoridades e não realizarem pagamentos.

Gaúcha/ZH

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

DRACO SANTA ROSA com novidades

Publicado

em



Uma novidade foi lançada em Santa Rosa/RS a DRACO agora conta com um número de whats próprio para denúncias e informações, 24hrs, 7 dias por semana.

”A idéia é proporcionar um canal para a comunidade se comunicar com a Polícia Civil de forma fácil e sigilosa.” destacou o delegado Tiago Tescke.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

O CRA/RS promove a interiorização e discute a sua inserção nas comemoração dos 100 anos da Setrem

Publicado

em



Capitaneados pelo Delegado Regional do CRA, o Administrador Carlos Norberto Filipin, a Setrem sediou reunião de interiorização do Conselho Regional de Administração do RS, e discutiram junto com a Amufron ações para comemoração dos 100 anos da instituição.

No último dia 01 de outubro de 2021, as 14 horas, realizou-se uma reunião de interiorização do Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul – CRA/RS na cidade de Três de Maio, capitaneados pelo Delegado Regional do CRA/RS, o administrador Carlos Norberto Filipi, tendo como local o Campus da Setrem, e teve a representação da Direção da instituição, citando a presença dos administradores, Sandro Ergang, Mauro Alberto Nuske e Alexandre Chapoval Neto, e ainda contou com a presença de toda a Diretoria do Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul – CRA/RS, liderados pela presidente do CRA-RS, Adm. Claudia Abreu, na oportunidade este participando o prefeito de Boa Vista do Buricá e Presidente da Amufron, Joãozinho Sehnem, onde se discutiu a inserção do CRA/RS nos 100 anos da Setrem, reafirmando a importância do trabalho da representação do Conselho, que registra um marco importante para a profissão.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Uncategorized

Câmara aprova repasse adicional a municípios; impacto em 2022 é de R$ 1,6 bilhão

Publicado

em



Porcentual vai se elevando ano a ano até atingir 1% em 2025, quando o repasse será o equivalente a R$ 4,6 bilhões

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (6) um repasse adicional de 1% das receitas com Imposto de Renda e IPI aos municípios. Como a proposta de emenda à Constituição (PEC) foi votada em segundo turno e já foi aprovada pelos senadores, o texto vai à promulgação. Não cabe possibilidade de veto do presidente da República.

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) celebrou a aprovação da proposta, que significará um incremento de R$ 1,6 bilhão no caixa das prefeituras em setembro de 2022, o equivalente a 0,25% das receitas com IR e IPI. O porcentual vai se elevando ano a ano até atingir 1% em 2025, quando o repasse será o equivalente a R$ 4,6 bilhões (em valores de hoje).

A proposta teve apoio massivo no plenário da Câmara, inclusive da base governista. O texto foi aprovado por 456 votos a três. O resultado da votação, porém, foi considerado ruim pela área econômica, pois resulta em menos receitas para a União.
Os municípios já recebem hoje um repasse de 22,5% das receitas com IR e IPI por meio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Além disso, nos últimos anos foram aprovados 1% adicional nos meses de dezembro e mais 1% nos meses de julho.

As investidas das prefeituras para abocanhar mais 1% de FPM nos meses de setembro vêm desde 2015. O texto foi aprovado no Senado em 2017 e recebeu aval dos deputados em primeiro turno no fim de 2019.
Em dezembro do ano passado, a proposta foi pautada para o segundo turno de votação a pedido da própria base do governo, o que levou a uma mobilização no Ministério da Economia para barrar a medida.

Fonte : estadão

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

PLURAL AGÊNCIA DE PUBLICIDADE LTDA
ME 33.399.955/0001-12

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×

Entre em contato

×