Estão abertas as matrículas para o ano de 2020 na Rede Estadual de Ensino – Portal Plural
Connect with us

Ensino

Estão abertas as matrículas para o ano de 2020 na Rede Estadual de Ensino

Pável Bauken

Publicado

em



 

As rematrículas estão sendo realizadas de forma automática pelo Sistema de Gestão da Secretaria da Educação (Seduc), como ocorre anualmente, para alunos com 75% ou mais de frequência em sala de aula.

Para estudantes com índice inferior a 75% de frequência, será necessária a presença de pais e responsáveis na escola, caso o estudante seja menor de idade, para a realização do procedimento de forma presencial.

Pela primeira vez, os alunos maiores de idade que tiveram suas matrículas canceladas por infrequência em 2019, serão considerados alunos novos em 2020, realizando os procedimentos conforme datas propostas na Portaria de Matrículas, para ingresso e transferências.

Ingresso

O processo será realizado online pelo site da Secretaria da Educação. Quem quiser ingressar no 1º ano do Ensino Fundamental, Ensino Médio, Educação Profissional Integrada ao Ensino Médio, Ensino Médio Curso Normal, Aproveitamento de Estudos do Curso Normal e Educação Profissional, deve ficar atento ao prazo de 1º a 24 de novembro.

Transferências

As transferências de alunos do 2º ao 9º anos do Ensino Fundamental e do 2º e 3º anos do Ensino Médio deverão ser realizadas pelo site de 6 a 17 de janeiro de 2020. No caso da Educação para Jovens e Adultos (EJA), as inscrições e transferências, pela primeira vez, serão realizadas pelo site, de 6 a 22 de janeiro de 2020.

As inscrições e transferências online somente serão efetivadas com a matrícula presencial nas escolas, e mediante a entrega dos seguintes documentos:

* Certidão de nascimento do aluno e comprovante de escolaridade;
* Comprovante de residência do responsável;
* Para alunos do 1º ano do Ensino Fundamental: CNS (Cartão Nacional de Saúde), do NIS (Número de Identificação Social) e atestado de vacinação.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ensino

Programa Inova RS vai conceder bolsas para profissionais com experiência em gestão de projetos de inovação

Pável Bauken

Publicado

em



Com o objetivo de colocar o Rio Grande do Sul no mapa global da inovação, o Programa Inova RS visa a construção de parcerias estratégicas entre a sociedade civil organizada, setores empresarial, acadêmico e governamental, por iniciativa da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia do Governo do Estado.

Na região Noroeste e Missões a coordenação do Programa é da Unijuí, com a coordenação do professor Dr. Daniel Knebel Baggio e apoio técnico da Agência de Inovação e Tecnologia e Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica, a Criatec, vinculados à Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão. Com duração prevista de dois anos, para o desenvolvimento do Programa serão concedidas Bolsas de Gestão da Inovação e Tecnologia (GIT) a profissionais com experiência em gestão de projetos de inovação, ciência e tecnologia, para atuar nas atividades de suporte aos comitês locais e de gerenciamento de projetos estratégicos nos Ecossistemas Regionais de Inovação. “Teremos a participação, em comum acordo, de diversas Instituições e entidades que atuarão pensando em projetos. A grande preocupação é proporcionar o mapeamento de oportunidades existentes, articulando os atores em prol do desenvolvimento regional”, observa o coordenador do Programa na região, professor Daniel Knebel Baggio.

Para a sua execução contará com a contratação de três bolsistas remunerados que estarão situados nas cidades de Ijuí, Santo Ângelo e Santa Rosa. Cada bolsista será responsável por uma microrregião, apontando as oportunidades de negócio, buscando fortalecer as relações institucionais, promoção de eventos de atualização e capacitação dos atores, desenvolvimento de projetos de inovação e a futura publicização dos resultados. O prazo encerra no dia 17 de julho e as inscrições serão realizadas através do preenchimento do Formulário de Inscrição e envio de documentos pelo e-mail: [email protected]. A previsão de início do trabalho é para a segunda quinzena do mês de agosto. Confira o edital completo na página da AGIT.

O Projeto terá abrangência em 77 municípios, contemplando os COREDES Celeiro, Fronteira Noroeste, Missões e Noroeste Colonial, formando assim a região denominada no Programa Inova RS de Noroeste e Missões. Também serão parceiras no desenvolvimento da iniciativa na região, as seguintes instituições e entidades: Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – UERGS, Faculdade Horizontina – FAHOR, Horizonte Ambiente Empreendedor – HAE/FAHOR – Incubadora, Sindilojas Noroeste, Associação Comercial e Industrial de Ijuí, Associação Comercial, Industrial, Serviços e Agronegócios de Santa Rosa, Agência de Inovação de Ijuí, Agência de Desenvolvimento de Santo Ângelo, Associação dos Administradores do Noroeste do Estado, Associação dos Municípios das Missões, Faculdade CNEC Santo Ângelo, Faculdade Santo Ângelo – FASA, Faculdades Integradas Machado de Assis – FEMA, Instituto Federal Farroupilha Santo Ângelo, Mind7 Coworking e Espaço Corporativo, SebraeRS, ACISA-Associação Comercial Industrial de Santo Ângelo, Prefeitura de Ijuí, Sociedade Educacional Três de Maio – SETREM e Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões – URI.

Mais sobre o Programa

Desenvolvido pela SICT, em parceria com representantes da quádrupla hélice da inovação de diferentes regiões do Rio Grande do Sul, o INOVA RS teve sua metodologia inspirada em projetos já existentes no Brasil e no mundo, os quais apresentaram resultados positivos, quanto ao desenvolvimento econômico e social das regiões onde estão inseridos. Em Porto Alegre, o Pacto Alegre – que prevê o compartilhamento de recursos e parcerias entre o poder público e a iniciativa privada para impulsionar o crescimento da capital – é uma das referências.

Outra inspiração é a Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI). Foi lançada em 2008 com o objetivo de fortalecer a inovação industrial no Brasil e contribuir para o aprimoramento de políticas públicas relacionadas ao tema. Coordenada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), a mobilização cria um espaço de diálogo entre empresas, universidades e governo.

Fora do Brasil, os projetos [email protected], na Espanha, o qual provocou uma revolução urbana do distrito e a criação de uma zona de atividades econômicas diversas, e o Ruta N, em Medellín, reconhecido por promover a economia criativa e inovadora, sendo transformador da região, e colocando a cidade colombiana como referência internacional em melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, por meio da Ciência, da Tecnologia e da Inovação.

OBJETIVOS:

  • Conectar o RS para que seja referência global em inovação como estratégia de desenvolvimento local;

  • Fomentar a nova economia e promover a inovação em setores tradicionais;

  • Criar um ambiente de negócios mais ágil no Rio Grande do Sul;

  • Impulsionar a articulação regional e a participação social nesse movimento, por meio de novas políticas públicas inovadoras;

  • Fortalecer o desenvolvimento regional alinhado às políticas públicas e atividades empreendedoras mais vocacionadas em cada região do Estado;

  • Aumentar a capacidade de investimento do Estado;

  • Qualificar o aprendizado para a nova economia.

Confira todos os detalhes do Programa no site da Secretaria, neste link.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Ingresse no EaD da Unijuí com 30% de bônus nas três primeiras mensalidades

Pável Bauken

Publicado

em



A Unijuí está com ingresso aberto para novas turmas de Ensino a Distância até o dia 11 de setembro de 2020. São 15 cursos nas áreas de Gestão e Educação. E a Universidade preparou uma novidade especial para quem ingressar nesta modalidade: 30% de bônus nas três primeiras mensalidades. Este bônus pode ser acessado para os ingressantes pelo Vestibular da Modalidade ou pelas diversas opções de ExtraVestibular. Confira todos os detalhes e faça sua inscrição neste link.

Mais sobre o Ensino a Distância da Unijuí

A organização do estudo ocorre em módulos. Cada módulo é composto por três disciplinas, duas de 80 horas e uma de 40 horas, no entanto, alguns módulos podem possuir quatro disciplinas, sendo três de 40 horas e uma de 80 horas, totalizando 200 horas a cada módulo concluído. Uma das disciplinas terá o objetivo de integrar todos os conhecimentos trabalhados a cada módulo. Esses Projetos Integradores trabalharão a pesquisa por meio da interdisciplinaridade, proporcionando ao estudante um perfil profissional conectado com a realidade.

As avaliações são parte do processo de aprendizagem e acontecem ao final de cada módulo. A cada disciplina você irá construindo seu aprendizado por meio de materiais, fóruns e trabalhos até culminar na avaliação final. Suas provas são agendadas com antecedência e você precisará comparecer à sede ou a um polo da Universidade três vezes ao ano para realizá-las. Mas não se preocupe! É você quem escolhe a data e horário mais adequados, de acordo com a sua organização pessoal.

Contate um Polo perto de você:

Ijuí

(55) 3332-0200 Ramal: 2430

(55) 99108-5034

[email protected]

Rua do Comércio, 3000

Santa Rosa

(55) 3511-5200 Ramal: 4430

(55) 99106-8499

[email protected]

Rodovia RS 344, KM 39, 1100

Bloco C – Bairro Timbaúva

Panambi

55) 3375-4466 Ramal: 6430

(55) 99108-5034

[email protected]

Rua Prefeito Rudi Franke, 540

Bairro Arco Iris

Três Passos

(55) 3522-2122 Ramal: 8430

(55) 99108-5034

[email protected]

Rua Ricardo Rücker, 235

Centro

Palmeira das Missões

(55) 3742-6207

(55) 98405-6862

[email protected]

Rua República, 414, Bairro Operário

Tenente Portela

(55) 3551-1989

(55) 99960-2678

[email protected]

Av. Itapiranga, 117, Centro

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

Enem com medidas sanitárias terá custo extra de R$ 70 milhões

MEC definiu aplicação das provas para janeiro de 2021

Pável Bauken

Publicado

em

Enem será realizado em janeiro de 2021 | Foto: Chinnapong Schutterstock / CP Memória

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) anunciaram na quarta-feira, 8, que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será aplicado nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. Mais de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos para o exame, que terá custo adicional de R$ 70 milhões por causa de medidas sanitárias decorrentes da pandemia do coronavírus.

A prova, inicialmente prevista para novembro deste ano, foi adiada por causa da pandemia do coronavírus. Escolas de todo o País tiveram atividades presenciais suspensas para evitar a propagação do vírus.

O MEC também informou ontem a possibilidade de que seja realizado mais um Sisu, sistema que reúne vagas no ensino superior público, em 2021. Se isso ocorrer, serão três seleções no ano que vem. “Há toda uma reação em cadeia quando se define a data do Enem. Essa nota do Enem serve de critério primeiro para entrar em uma universidade pública, pelo Sisu.

Se não entrar, tem a possibilidade de conseguir bolsa pelo ProUni. E, se não conseguir, pode ter o Fies”, disse Vogel.

“Se deixasse para maio, os ingressos (no ensino superior) seriam só no segundo semestre. Perderíamos o semestre inteiro. Por isso estamos com a opção aberta, e vamos avaliar junto com instituições de ensino superior, de fazer outro Sisu ao longo de 2021”, disse Vogel.

O Estadão antecipou, na manhã de ontem, que o Enem seria realizado em janeiro. A aplicação da prova no mês de janeiro foi defendida por secretários de educação e universidades em reuniões com o governo. Em enquete realizada a pedido do ex-ministro Abraham Weintraub, a maior parte dos estudantes (49,7%) votou para que o Enem fosse realizado apenas em maio. Outros 35,3% optaram por janeiro. Mas, depois que Weintraub foi demitido, a direção do Inep não se comprometeu em seguir o resultado da pesquisa e anunciou que ouviria representantes dos Estados e do ensino superior para tomar uma decisão.

Segundo fontes que estavam presentes às reuniões feitas com o Inep, maio foi considerado um mês inviável pela maioria, pelo que causaria ao calendário do ensino superior. Universidades particulares também não queriam um Enem tão tarde porque os estudantes esperam o resultado da prova e do Sisu para ver se conseguiram vaga em instituições públicas e só depois partem para uma particular. O exame em maio prejudicaria mais ainda um mercado já fragilizado, com perda de estudantes e alta inadimplência.

Segundo Alexandre Lopes, presidente do Inep, a enquete com os estudantes não foi o único parâmetro para definição da data. “Entendemos que seria importante ouvir secretários estaduais de Educação e instituições de ensino superior públicas e privadas. Todas as informações foram levadas em consideração. Mais da metade optou por (fazer a prova em) dezembro e janeiro. Também estamos atendendo a esse público.”

Segundo o governo, o nível da prova será modificado em função das dificuldades de ensino durante a pandemia, já que os itens que compõem o teste foram elaborados antes da covid. O governo também informou que prevê gasto extra de R$ 70 milhões com a aplicação neste ano em função da pandemia – no ano passado, o exame custou R$ 537 milhões. A covid-19 deve obrigar que a aplicação ocorra com menos estudantes em sala para evitar contaminação, o que pode elevar o número de locais de prova.

Também deverão ser fornecidos álcool em gel e máscaras.

O MEC ainda anunciou que a reaplicação da prova impressa, que ocorre quando há falhas como falta de luz no local do exame, será nos dias 24 de fevereiro e 25 de fevereiro de 2021.

Estaduais
As novas datas do Enem devem embaralhar os vestibulares das universidades estaduais paulistas. A Universidade de São Paulo (USP), que utiliza as notas do exame para a seleção de parte dos estudantes, deve divulgar comunicado hoje sobre seu processo seletivo.

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Estadual Paulista (Unesp) também debatem eventuais alterações. Indagado sobre continuar utilizando as notas do Enem como forma de seleção de parte dos estudantes no próximo vestibular, o reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, disse que “não sabe se vai conseguir”, mas ainda estuda as possibilidades. A Unesp terá reunião nesta semana.

Por meio de nota, a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) disse ser fundamental que a prova seja “tecnicamente exitosa e com concorrência democrática”. Segundo a associação, a data anterior não apresentava condições necessárias, como segurança de alunos e profissionais e equidade entre os candidatos.

AE

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

×