Especialistas discutem perspectivas para retomada de aulas presenciais – Portal Plural
Connect with us

Ensino

Especialistas discutem perspectivas para retomada de aulas presenciais

Agravamento da crise sanitária frustrou a expectativa inicial

Publicado

em

© REUTERS / Amanda Perobelli/direitos reservados


A presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE), Maria Helena Guimarães de Castro, disse hoje (24) que é impossível prever, com algum grau de segurança, quando as escolas e faculdades do Brasil poderão retomar as aulas presenciais.

Ao participar de seminário virtual realizado pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes), a presidente do órgão responsável por formular e avaliar a política nacional setorial e assessorar o Ministério da Educação, disse que o aumento do número de casos da covid-19 e o consequente agravamento da crise sanitária em todo o país frustrou a expectativa inicial dos especialistas.

“As orientações e normas que o CNE aprovou durante 2020 sinalizavam para uma situação muito diferente da atual. Nossa expectativa era iniciar 2021 com uma situação mais tranquila, com as escolas se preparando para retomar as atividades presenciais, mas não é isto o que está acontecendo”, disse Maria Helena, lembrando que colégios que anunciaram uma retomada gradual das atividades presenciais tiveram que voltar atrás, enquanto instituições de ensino superior mantêm a perspectiva de, na melhor das hipóteses, só voltar a ocupar os campi universitários no segundo semestre.

“Estamos lidando com uma agenda de planejamento imprevisível. Não sabemos quando as escolas poderão retornar ao seu efetivo funcionamento”, reconheceu Maria Helena ao defender que todos os profissionais que trabalham na área da  educação, do ensino infantil à universidade, sejam vacinados o quanto antes possível. “Sem isso será muito difícil retomarmos [as atividades] com segurança”.

Já a pneumologista e pesquisadora da Fiocruz Margareth Dalcolmo, reforçou a importância de se priorizar a imunização dos trabalhadores do setor.

“Estou segura de que, após vacinar os idosos e os profissionais de saúde, temos que imunizar todo o pessoal da educação. Só assim poderemos reativar o sistema com alguma segurança”, disse a pesquisadora após declarar que o Brasil vive, hoje, o momento mais grave da pandemia, com o sistema de saúde exaurido e taxas de transmissão da covid-19 muito altas.

Segundo a especialista, para controlar a doença, além de restringir atividades em várias regiões por, no mínimo, duas semanas, o Brasil deveria vacinar ao menos 1 milhão de pessoas por dia. Embora reconhecendo que, em outras condições, a meta seria factível, dada a experiência e a capilaridade do Sistema Único de Saúde (SUS), Margareth disse que o ritmo atual é condicionado pela oferta de vacinas no mercado global

“O ritmo de vacinação, no momento, está correto no sentido do planejamento, porque obedece a uma oferta, e não à demanda. Ele está ocorrendo de acordo com o que há de existente. Por isso temos que ter todas as negociações possíveis, para termos mais vacinas”, disse a pesquisadora da Fiocruz, frisando que, no ritmo atual, o país demoraria cerca de um ano para imunizar cerca de 70% da população e, assim, começar a conter a disseminação do vírus – e, isso, contando com que não surjam novas variantes do Sars-CoV-2. “E se não cobrirmos ao menos 70% da população ainda neste semestre, teremos um 2021 ainda muito difícil”.

O presidente da Abmes, Celso Niskier, fez coro aos palestrantes, enfatizando a importância da imunização dos trabalhadores da educação. “O setor tem defendido que as escolas sejam as últimas a fechar e as primeiras a reabrir. Devido ao impacto enorme para o futuro das próximas gerações, efeitos que serão sentidos por gerações, será necessário não só recuperarmos a aprendizagem, mas também reprogramarmos todo o calendário”, disse Niskier.

ebc

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ensino

IFFar oferta 50 vagas para curso gratuito de Introdução à Eletrônica Digital

Publicado

em



O IFFar – Campus Santa Rosa, por meio do Edital nº 89/2021, abre inscrições para o curso de extensão gratuito Introdução à Eletrônica Digital, na modalidade a distância.

O curso objetiva apresentar aos participantes os conceitos básicos de eletrônica digital, sistemas de numeração e portas lógicas. A formação obtida neste curso possibilitará a evolução nos estudos em direção a novas formações voltadas à programação de microcontroladores, automação residencial e industrial, manutenção de equipamentos eletroeletrônicos, entre outros.

São oferecidas 50 vagas. As inscrições ocorrem até 09 de junho. A seleção será realizada por meio de ordem de inscrição, classificando automaticamente os primeiros inscritos.

Para se inscrever, o candidato precisa preencher o formulário on-line, através do link:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeU5HpA18Krw4YS9CivsyKanU0NzW17xrXy4G9JKgCi3LuGXQ/viewform

O curso é gratuito e tem carga horária de 40 horas, com aulas síncronas, às 19h, e assíncronas. O participante que obtiver 80% de frequência terá direito a um certificado de participação.

A previsão para o início das aulas é dia 10 de junho. Mais informações através do e-mail: [email protected]

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

Ministro da Educação diz em rede social que o Enem 2021 será realizado nos dias 21 e 28 de novembro

Publicado

em



 

 

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse no Twitter que a edição 2021 do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), impressa e digital, será realizada nos dias 21 e 28 de novembro.

 

A inscrição para a prova, segundo o ministro, ocorrerá entre 30 de junho e 14 de julho. Ele afirma que os editais com as principais informações sobre a prova serão publicados no Diário Oficial da União ainda nesta semana.

“Conforme eu já havia anunciado dias atrás, o Enem 2021 acontecerá e será aplicado neste ano. As provas serão aplicadas nos dias 21 e 28 de novembro, para as versões impressa e digital. É isso mesmo! A mesma prova, nas mesmas datas, para as duas modalidades”, disse Ribeiro em um post.

“A segurança e a isonomia do Enem serão sempre mantidas pelo Inep e pelo MEC”, afirmou o ministro em uma segunda postagem. A edição de 2020 passou por problemas como o adiamento do exame, devido à pandemia, salas lotadas em que alunos foram barrados para que fosse possível manter o distanciamento social, e suspensão da aplicação no Amazonas e cidades de Rondônia, devido à alta de casos da pandemia.

Na última edição, 5,7 milhões de candidatos estavam confirmados para fazer a prova do Enem. A abstenção foi recorde: mais da metade (55,3%) não compareceu.

Corrida contra o tempo

O possível adiamento para 2022 chegou a ser confirmado pela presidente do Conselho Nacional de Educação. No mesmo dia, documentos internos mostraram que a avaliação estava marcada para 16 e 23 de janeiro de 2022 com o uso de termos como “ratifica” e “datas definidas”. Milton Ribeiro afirmou depois que eram apenas “conversas de bastidores”.

O governo terá que correr para cumprir os prazos de elaboração das provas para a realização nesses dois dias de novembro. Pessoas familiarizadas com o processo de organização do Enem disseram em meados de maio que o prazo é “apertado” ou até “impossível” de ser cumprido.

Também ressaltam que, caso as etapas de impressão e distribuição das provas sejam aceleradas para garantir a realização em 2021, é possível que haja comprometimento da qualidade e segurança.

Falta uma definição mais clara do orçamento: por enquanto, há R$ 200 milhões para cumprir a etapa do planejamento, o que não inclui a aplicação da prova. Entre as metas globais para o ano do Inep, a aplicação do exame não estava prevista.

Em 2020, para se ter uma ideia, esse edital foi publicado no “Diário Oficial da União” em 22 de abril, e as inscrições ocorreram de 11 a 22 de maio. Ainda se planejava aplicar inicialmente o Enem em 1º e 8 de novembro de 2020.

A definição do cronograma do Enem interfere em diversas outras agendas. Em 2020, o adiamento do exame, de novembro para janeiro deste ano, atrasou o calendário do Sisu (Sistema de Seleção Unificada).

A divulgação dos jovens aprovados saiu depois que o semestre nas universidades já estava em andamento. Também prejudicou quem queria se inscrever no Prouni e Fies, programas de acesso ao ensino superior, que tiveram inscrições abertas antes da divulgação das notas do Enem.

Enem digital

O Enem digital, que teve a primeira aplicação na edição de 2020, com 96 mil inscritos, ainda não teve a definição de quantas vagas serão oferecidas para esta modalidade neste ano.

Quando anunciou a prova em computadores, o MEC estimava elevar o número de inscritos ano a ano, até tornar o Enem 100% digital em 2026. Caso o governo anuncie mais vagas para as provas digitais, será preciso levantar locais para aplicá-las. As provas digitais do Enem não são feitas na casa dos estudantes. Elas são aplicadas em computadores localizados em salas de aplicação, sem conexão à internet.

 

FONTE: O Sul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Ensino

Colégio Dom Bosco completa 61 anos em Santa Rosa

A data foi marcada por momentos especiais ao longo da semana

Publicado

em



Para responder a um anseio por uma educação/ensino de qualidade, entremeada de valores humanos, sociais e espirituais, os salesianos chegaram a Santa Rosa em 1960. A programação para celebrar as mais de seis décadas de história começaram no fim de semana.

As comemorações para os 61 anos do Colégio Dom Bosco tiveram início com uma missa no sábado (22). A celebração especial contou com a coroação da Nossa Senhora Auxiliadora, que tem o seu dia na mesma data do aniversário do Colégio, 24 de maio. No domingo, em parceria com a Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, foi realizada uma carreata, marcada pela presença de diversas famílias e benção nos carros.

Na segunda-feira (24), data de aniversário da escola, foi realizada uma celebração on-line com os alunos. Nesse momento, foram feitas diversas homenagens para a instituição de ensino e para todos que fazem parte dessa história. Uma homenagem especial foi realizada para o exímio professor de Química Omar Kohler, que acompanhou a construção do Dom Bosco desde o seu início.

Com as crianças, da tarde, foi feito um passeio on-line pela escola apresentado pelos alunos da primeira série. Para finalizar o dia de comemorações, ocorreu a Live de Adoração do Santíssimo, que possibilitou a união em uma corrente de oração. Para a Diretora Executiva do Colégio Dom Bosco, Ieda Gruber, “o aniversário busca rememorar a história do Dom Bosco e homenagear todos que fazem parte dessa escola que oferece uma educação salesiana que educa, evangeliza e transforma”.

A atuação da escola na cidade de Santa Rosa teve início no ano de 1960 e após tantos anos de inovação e trabalho para uma educação de excelência, o colégio continua a crescer. Já o Padre Diretor, Arcangelo Deretti, declarou que esse aniversário é a marca de muita história, “São 61 anos de escola, de ensino, de aprendizagens, de corredores e pátio, de salas de aulas e quadras esportivas, de valores morais e religiosos que tem nos muitos ex-alunos os frutos da competência, do profissionalismo e dedicação aos diversos trabalhos e profissões, verdadeiros empreendedores para o bem pessoal, familiar e social; verdadeiros cidadãos que cuidam da cidade, e verdadeiros cristãos que zelam pela vida, pelo bem espiritual pessoal e familiar”.

Atualmente, o Colégio Dom Bosco tem 730 alunos em 34 turmas, da educação infantil ao ensino médio. Os próximos desafios do colégio estão nas adaptações para a Base Nacional Comum Curricular e para atendar as novas demandas da educação. A pedagogia do Sistema Preventivo de Dom Bosco busca promover homens e mulheres entusiastas pela vida. O tripé Razão-Religião-Coração faz a unidade da pessoa das ciências e das relações humanas. Com esses princípios cada um vai se tornando um cidadão de bem, participativo e colaborativo, e um cristão compenetrado dos valores da justiça e da paz.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

Trending

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×