Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Entidades e comunidade de Santa Rosa unem-se no movimento Aqui Dá – Portal Plural
Connect with us

Destaque

Entidades e comunidade de Santa Rosa unem-se no movimento Aqui Dá

Pável Bauken

Publicado

em



A Campanha Aqui Dá aproxima entidades e a comunidade de Santa Rosa em um contexto de ideias que buscam a superação de desafios e movimentam o desenvolvimento territorial.  O pontapé inicial, nesta quinta-feira (09/04), propõe e divulga à comunidade, alternativas de consumo  e formas de contribuir com a cadeia  e a economia local, contemplando os setores de indústria, comércios, serviços e agropecuário.

>>>> ACESSE www.aquida.com.br <<<<

No Manifesto, que embasa a campanha, escrito e apoiado por empresas, instituições de ensino e órgãos públicos, o grupo reconhece as severas consequências econômicas e sociais do contexto provocado pela pandemia da Covid-19 e destaca a emergência de um novo tipo de percepção e de mentalidade acerca das relações afetivas, humanas. É justamente neste quesito, que a proposta, gestada no âmbito da Agência de Desenvolvimento Fronteira Noroeste, busca a colaboração, a cooperação e a consciência coletiva para retomar a esperança de crescimento e de dias melhores. Para isso, é importante que as pessoas acreditem e fortaleçam o local em que vivem, seus supermercados, suas padarias, seus barbeiros, seus agricultores.

Como funciona

Como solução para sair crise, o Movimento Aqui Dá defende que a circulação de ativos, investimentos e os gastos que compõem o dia a dia sejam feitos dentro de nossas cidades e região, reconhecendo que temos profissionais, infraestrutura de comércio, serviços, varejo e indústria com expertise e qualidade para atender as demandas da população.

“Vídeos, spots, materiais impressos, produtos virtuais, camisetas e brindes são algumas das peças da campanha, sendo que todos poderão se utilizar deste selo local, de defesa e estímulo ao que é nosso, mostrar que Aqui Dá”, explica o presidente da Agência de Desenvolvimento da Fronteira Noroeste, Marcos Paulo Scherer.

Apoiadores

São diversos voluntários da comunidade, empresas, indústrias, órgãos públicos e instituições de ensino que já confirmaram apoio à campanha. Entre eles, a Agência de Desenvolvimento da Fronteira Noroeste, Prefeitura de Santa Rosa, Câmara de Vereadores, Acisap, CDL Santa Rosa, Fenasoja, Hortigranjeiros, Indumóveis, Instituto Federal Farroupilha (Iffar) – Campus Santa Rosa, Fema, Unijuí, Parceiros Voluntários, Interact Club de Santa Rosa, Sebrae, Simmers, Emater/RS-Ascar, Grupo de Jovens Empreendedores da Acisap, Sindilojas, Sinduscom e Sintralog.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

RS em bandeira vermelha

Pela primeira vez, todas as 21 regiões Covid estão em bandeira vermelha no mapa preliminar

Pável Bauken

Publicado

em



O Rio Grande do Sul passa pelo momento mais crítico da pandemia de coronavírus. Com o número de pacientes internados em leitos clínicos e em UTIs atingindo o pico da série histórica, o mapa preliminar da 30ª semana do Distanciamento Controlado, divulgado nesta sexta-feira (27/11), traz, pela primeira vez, todas as 21 regiões Covid em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto).

Na quinta-feira (26/11), o Estado chegou a 1.183 pacientes hospitalizados por conta do coronavírus e a 775 pessoas internadas em leitos de UTI. Com a manutenção do total de leitos e o aumento de 13% nos pacientes confirmados por Covid-19 internados em UTI, houve nova redução de leitos livres, chegando ao menor nível desde o início do Distanciamento Controlado: 0,67.

O quadro fez com que o indicador específico que mede a capacidade de atendimento do Estado como um todo recebesse a classificação de risco altíssimo (bandeira preta), cenário que se repete em cinco das macrorregiões (Metropolitana, Serra, Missioneira, Centro-Oeste e Norte).

Houve uma piora em diversos indicadores ao longo da última semana. O número de casos ativos para doença cresceu 13% e ultrapassou a marca de 21 mil pessoas que testaram positivo apenas nesse período.

Pela primeira vez, ao menos três regiões tiveram média ponderada que as aproximou da classificação final em bandeira preta: Bagé, Erechim e Uruguaiana. Além da situação piorar em toda a macrorregião Norte, Erechim foi a única que alcançou classificação de risco máximo nos quatro indicadores regionais.

A situação piorou significativamente no último mês. De 30 de outubro a 26 de novembro, os indicadores apontam elevação de 26% (de 830 para 1.047) no número de hospitalizações confirmadas pela doença e aumento de 30% (de 712 para 928) de internados em UTI por síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

Além disso, o número de internados em leitos clínicos com coronavírus cresceu 54% (de 768 para 1.183) e o número de óbitos subiu 31%, de 211 para 276.

O mapa mais avermelhado já visto pelo Estado foi o preliminar da 15ª rodada, que apresentou 16 regiões com risco alto. Após recursos, o mapa definitivo, vigente entre os dias 18 e 24 de agosto, trouxe 14 regiões em vermelho.

Veja o mapa preliminar da 30ª rodada: https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br

Das 21 regiões Covid – neste mapa preliminar, todas em bandeira vermelha –, apenas Uruguaiana, Bagé e Guaíba não apresentam protocolos próprios, geridos pelo sistema de cogestão regional.

As regiões em cogestão classificadas em bandeira vermelha podem adotar regras de bandeira laranja, e as classificadas em laranja podem adotar protocolos de bandeira amarela, basta que enviem protocolos próprios adaptados à Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios (Saam).

Os planos regionais aprovados estão disponíveis em https://planejamento.rs.gov.br/cogestao-regional

Paralelamente aos pedidos de cogestão, o Estado aceitará pedidos de reconsideração à classificação de risco, que podem ser feitos via associação regional por meio de formulário eletrônico (pelo link https://forms.gle/8SuLcENKajfXihPs5), no prazo máximo de 36 horas após a divulgação do mapa preliminar – até as 6h de domingo (29/11).

A adoção de protocolos alternativos não altera as cores do mapa definitivo, que será divulgado após análise dos recursos pelo Gabinete de Crise, na tarde de segunda-feira (30/11), por meio de notícia publicada no site do governo do Estado. A vigência das bandeiras da 30ª rodada começa à 0h de terça-feira (1°/12) e se encerra às 23h59 de segunda-feira (7/12).

Regra 0-0

Conforme o mapa preliminar da 30ª rodada, todos os 497 municípios do Rio Grande do Sul estão em bandeira vermelha, o que corresponde a 100% da população gaúcha (total de 11,3 milhões de habitantes).

Dos 497 municípios gaúchos, 207 (930.400 habitantes, 8% da população gaúcha) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

• Clique aqui e acesse a lista de municípios que se encaixam na Regra 0-0

 

RESUMO DA 30ª RODADA

Regiões que apresentaram piora (13)

LARANJA > VERMELHA

Santa Maria (em cogestão)
Guaíba
Lajeado (em cogestão)
Santo Ângelo (em cogestão)
Santa Rosa (em cogestão)
Cruz Alta (em cogestão)
Bagé
Taquara (em cogestão)
Cachoeira do Sul (em cogestão)
Santa Cruz do Sul (em cogestão)
Pelotas (em cogestão)
Caxias do Sul (em cogestão)
Porto Alegre (em cogestão)

Regiões que seguem igual

BANDEIRA VERMELHA (8)

Novo Hamburgo (em cogestão)
Passo Fundo (em cogestão)
Capão da Canoa (em cogestão)
Canoas (em cogestão)
Ijuí (em cogestão)
Palmeira das Missões (em cogestão)
Erechim (em cogestão)
Uruguaiana

• Clique aqui e acesse a nota técnica com as justificativas de classificações das regiões.

 

DESTAQUES DA 30ª RODADA

• número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com Covid-19 reduziu 11% entre as duas últimas semanas (de 1.172 para 1.047);
• número de internados em UTI por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) aumentou 12% no Estado entre as duas últimas quintas-feiras (de 827 para 928);
• número de internados em leitos clínicos com Covid-19 aumentou 17% entre as duas;
• últimas quintas-feiras (de 1.014 para 1.183);
• número de internados em leitos de UTI com Covid-19 aumentou 13% entre as duas últimas quintas-feiras (de 683 para 775);
• número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 reduziu 17% entre as duas últimas quintas-feiras (de 626 para 522);
• número de casos ativos aumentou 13% entre as duas últimas semanas (de 18.860 para 21.348);
• número de registros de óbitos por Covid-19 ficou praticamente estável entre as duas últimas quintas-feiras (de 282 para 276).

As regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, são Porto Alegre (238), Caxias do Sul (128), Passo Fundo (79), Novo Hamburgo (74) e Canoas (62).

Comparativo: situação entre 30 de outubro e 26 de novembro

• número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com Covid-19 aumentou 26% no período (de 830 para 1.047);
• número de internados em UTI por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) aumentou 30% no Estado no período (de 712 para 928);
• número de internados em leitos clínicos com Covid-19 aumentou 54% no período (de 768 para 1.183);
• número de internados em leitos de UTI com Covid-19 aumentou 35% no período (de 573 para 775);
• número de casos ativos aumentou 63% no período (de 13.061 para 21.343);
• número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 reduziu 34% no período (de 791 para 522);
• número de óbitos por Covid-19 acumulados em sete dias aumentou 31% no período (de 211 para 276).

Clique aqui e acesse o levantamento completo da 30ª rodada do Distanciamento Controlado

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Hemocentro encerra a Semana do Doador de Sangue com êxito

Pável Bauken

Publicado

em



O Hemocentro Regional de Santa Rosa realizou nessa semana, atividades variadas para receber os doadores de sangue, já que no dia 25 de Novembro, comemorou-se o Dia do Doador de Sangue, que é uma data que busca valorizar os doadores voluntários, bem como ser uma data que antecede final de ano, para garantir os estoques em níveis seguros de sangue.

A semana do doador contou com inúmeras atrações e atividades diversificadas. Na segunda-feira, foi lançada a Árvore dos Bons Desejos, momento que contou-se com a presença de autoridades locais para a abertura oficial da Semana do Doador, além do contador de histórias, o Dr. Alegria, representado por Jefferson Machado. Na terça-feira foi realizada a divulgação da semana do doador no Palácio Municipal com os servidores públicos. Na Quarta-feira, dia do doador de sangue, foram entregues cartões de doadores aos doadores fidelizados, juntamente com a Fenasoja. Além disso, neste dia, o Hemocentro ficou aberto das 7h30m às 17:30 sem fechar ao meio dia, para àqueles doadores que tem dificuldades de virem nos horários normais.

Já na quinta-feira, foi o momento de agradecimento às empresas amigas do Hemocentro, as quais contribuíram para a realização e sucesso da Semana do Doador, com a entrega do Certificado de Empresa Amiga do Hemocentro. Além das empresas, a equipe de trabalhadores também foi homenageada com o recebimento de um certificado e uma caneca personalizada. Na sexta-feira a equipe do Hemocentro foi juntamente com o Vermelhinho, na Loja GZT, realizar campanha com a equipe e clientes. Neste dia o Hemocentro também permaneceu aberto ao meio dia.

Durante a semana do doador de sangue, foram coletados mais de 200 bolsas de sangue, o que garante estoque seguro para o próximo mês.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Estado e municípios traçam novas estratégias para enfrentar pandemia de Covid-19

Objetivo do encontro foi reativar leitos hospitalares desativados no momento em que a curva epidemiológica começou a cair

Pável Bauken

Publicado

em

- Foto: Ascom SES

Em consequência das altas taxas de ocupação de leitos de Unidade de Tratamento Intensiva (UTI) nos hospitais do Rio Grande do Sul – atualmente variando próximo aos 70% na rede pública –, a Secretaria da Saúde (SES) está mobilizada para não deixar nenhum cidadão desassistido nas próximas semanas, seja por Covid-19 ou outros agravos. Na quinta-feira (26/11), a equipe diretiva voltou a se reunir com secretários municipais de Saúde, em especial aqueles em gestão plena, e com o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS) para reavaliar a situação da pandemia da Covid-19 em território gaúcho.

O objetivo do encontro foi reativar leitos hospitalares desativados no momento em que a curva epidemiológica da doença começou a cair. “Alguns leitos que estavam voltados exclusivamente ao atendimento de pacientes com Covid-19 foram desativados para dar espaço ao atendimento de pacientes não-Covid, ou por esgotamento dos profissionais de saúde ou mesmo por problemas operacionais”, explicou o diretor do Departamento de Regulação Estadual, Eduardo Elsade.

A secretária da Saúde, Arita Bergmann, lembrou que a rede hospitalar pública gaúcha mais que dobrou a capacidade de atendimento de terapia intensiva desde o início da pandemia, passando de 933 para 1.882 leitos de UTI adulto por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, diversas ações emergenciais foram tomadas durante os últimos meses para evitar a sobrecarga do sistema.

“As medidas de proteção básicas de distanciamento físico e higiene são fundamentais neste cenário”, reforçou Arita. “Sabemos que a população já está saturada de manter o isolamento, mas as equipes médicas estão ainda mais saturadas”, ressaltou a presidente do Cosems/RS, Claudia Daniel.

O diretor-geral de regulação do município de Porto Alegre, Jorge Luís Osório, frisou que, neste momento, tanto os casos de Covid-19 como os não-Covid estão no topo das prioridades de atendimento, em decorrência da agudização de agravos de saúde, e que geram filas de demanda reprimida.

“Precisamos traçar novas estratégias neste momento em que os números de casos e internações voltaram a subir. Temos agora novos fatores com que nos preocupar, como o cansaço dos profissionais na linha de frente, a saúde mental da população e os atendimentos não-Covid que não podem ser postergados. Mas acreditamos que unindo forças podemos vencer esse desafio”, completou Arita.

Os gestores assumiram o compromisso de manter aberto o máximo possível de vagas. Além disso, a SES está verificando junto aos hospitais onde existe a possibilidade de abertura de novos leitos de terapia intensiva, uma vez que há equipamentos adquiridos pelo governo Estado disponíveis para empréstimo.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×