Enem 2021: 10 dicas para tirar nota máxima na redação – Portal Plural
Connect with us

Good News

Enem 2021: 10 dicas para tirar nota máxima na redação

Publicado

em



 

Praticar antes, cuidado com as citações, ler sobre assuntos variados e ter alguns repertórios que funcionam para qualquer tema são algumas delas.

 

Tirar nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é objetivo de muitos jovens, mas poucos conseguem. Na edição de 2020, por exemplo, foram 28.

Veja, abaixo, 10 dicas para atingir esse objetivo. E, às 14h desta quinta-feira (21), acompanhe no canal do g1 do YouTube (https://www.youtube.com/c/g1), uma live com 3 alunos que obtiveram a nota 1 mil.

1. Pratique seu texto
A redação, assim como as demais disciplinas, precisa de estudo e de prática. Portanto, separe um tempo para estudar a estrutura do texto, que deve ser dissertativo-argumentativo, leia sobre temas possíveis de caírem na prova e acima de tudo, pratique.

Para Lucas Felpi, nota 1 mil no Enem 2018, escrever ao menos uma redação por semana é fundamental. “Tudo bem não gostar de fazer redação e ser algo que te demanda muito, mas é muito importante ter essa frequência de escrever para pegar o jeito e tornar a escrita mais automática.”

Pedir que alguém corrija o texto também é importante. Pode ser um professor, um amigo, ou mesmo um pai ou responsável.

2. Releia as redações
Ler, na semana anterior à prova, as redações que você escreveu pode ajudar a refrescar a memória para citações e outros repertórios. Lucas, que citou em sua redação nota 1 mil o livro “1894” de George Orwell e a série “Black Mirror” da Netflix diz que reler suas redações anteriores foi fundamental para a nota que tirou.

“Eu tinha muito medo de não lembrar de repertórios na hora da prova e todos os que citei na redação final eu já havia citado em outras redações. Foi mesmo essa última semana em que refresquei minha memória com esses repertórios que me fez lembrar na hora de escrever a redação”, garante.

3. Tenha repertórios diversos
Não dá para prever qual será o tema da redação, então é importante se preparar para o máximo de temas possíveis. Leia sobre atualidades e garanta que você tenha conhecimentos sobre assuntos diversos.

“É bom que o candidato tenha um repertório mais cultural, mais da ciência ou filosófico, enfim, para que não corra o risco de ir [realizar a prova] com um único conhecimento e aquele não encaixar no tema”, aconselha a professora Marcelle Pimentel, do SAS Educação.
Essa diversidade de conhecimentos pode ser aplicada nas redações-teste durante o período de preparação para estimular o desenvolvimento de argumentos em cada assunto.

4. Tenha coringas à mão
Aline Soares, nota 1 mil em 2020, sugere que o candidato tenha repertórios que podem ser considerados coringas, por se aplicarem em vários temas. No caso dela, a Constituição Federal de 1988.

“Ela engloba todos os temas possíveis, todos os direitos fundamentais, então aconselho que dê uma olhada na Constituição e tente encaixá-la na redação quando não houver outra possibilidade de repertório”.

5. Saiba usar citações
O objetivo da prova do Enem é avaliar o conhecimento do aluno nas diversas áreas do conhecimento e na redação não é diferente. Por isso, é importante inserir no texto seu repertório, e isso muitas vezes é feito através de citações de especialistas.

É fundamental que as citações sejam sempre creditadas ao autor, filósofo ou estudo responsável por elas. E não tem problema se você não souber escrever o nome do autor corretamente, contanto que o crédito seja dado e a citação esteja relacionada ao tema proposto. Segundo Marcelle Pimentel, do SAS Educação, erros no nome do autor citado não costumam significar pontos a menos.

Mas atenção, não é recomendado que o texto esteja cheio de citações. Para Lucas, uma única citação bem usada já é suficiente. “O candidato pode treinar diferentes formatos para este repertório. Pode ser na introdução da redação ou no desenvolvimento, até ver onde está mais confortável”, diz ele, que prefere começar o texto com a citação.

Ele alerta, no entanto, que não é ideal colocar a citação no final do parágrafo, já que isso compromete o desenvolvimento da trama em paralelo com o tema proposta. Portanto, utilize o começo ou meio do parágrafo, seja na introdução ou no desenvolvimento, para inserir sua citação.

6. Não copie o texto motivador
A proposta da redação sempre vem acompanhada de textos motivadores que contextualizam o assunto e apresentam pontos a serem considerados pelo candidato. Eles norteiam o que a banca examinadora espera do texto.

Reproduzir partes do texto motivador em sua própria redação não é indicado pois pode configurar plágio.

“O aluno precisa trazer seu próprio repertório, uma argumentação concreta e coerente. Isso não quer dizer que ele não possa usar algo do texto motivador. Pode usar um dado, um conceito, mas a partir de quatro palavras iguais seguidas já configura cópia, então é preciso ter cuidado com isso”, alerta a professora Marcelle.

7. Não fuja do tema proposto
O tema da redação está descrito na prova e não pode ser alterado pelo candidato, por isso é importantíssimo que ele se mantenha fiel ao que foi pedido. O formato dissertativo-argumentativo também deve ser respeitado.

8. Estruture seu texto por parágrafos
Pensar na estrutura da redação antes de começá-la também é importante, segundo a professora. Assim, o candidato pode decidir a melhor maneira de introduzir o tema, dividir seus argumentos e finalizar o texto. Quatro ou cinco parágrafos, respeitando o limite de linhas da proposta, são ideais. Treinar essa estrutura antes da prova pode fazer a diferença no momento decisivo.

A redação precisa estar com parágrafos bem estruturados, escrita com letra legível e seguindo o espaçamento disponibilizado na folha de resposta. Isso faz com que o texto fique mais atrativo para o avaliador.

Primeiro parágrafo: Introduza, de maneira genérica, o que vai ser abordado na redação. Separe assuntos relacionados ao tema sobre os quais consiga falar e os apresente na introdução. Eles serão desenvolvidos nos próximos parágrafos. Indique os problemas do tema.
Segundo e terceiro parágrafos: Desenvolva os assuntos relacionados ao tema da redação. Eles são positivos? Por quê? São negativos? Explique. Não causam impactos? Contextualize. É aqui que fica a chamada parte argumentativa do texto. Use um parágrafo extra se precisar.
Quarto parágrafo: Conclua as ideias que foram apresentadas nos parágrafos anteriores. Use conjunções conclusivas como “Conclui-se”, “Enfim”, “Em suma”. E lembre-se de propor uma solução ao problema exposto, indicando quem vai resolvê-lo e como vai fazer isso.

📝Dica: Não é recomendado exagerar no tamanho da redação, porque a prova indica a quantidade de linhas a serem usadas e é importante respeitá-la. Textos grandes também podem confundir as ideias apresentadas e dificultar a conclusão.

9. Coloque a proposta de intervenção no último parágrafo
A proposta de intervenção, ou a resolução para o problema abordado na redação, deve estar no último parágrafo. Especificamente neste trecho do texto, os avaliadores consideram quatro pontos:

Agente: o responsável por resolver o problema;
Ação: o que o agente deve propor para combater o dilema apresentado;
Efeito/finalidade: o objetivo da ação, ou o que o agente visa alcançar com a proposta;
Meio/detalhamento: como o agente vai colocar a ação em prática.
Lembre-se de que todos esses elementos precisam estar contidos na sua proposta: quem vai resolver o problema, o que vai ser feito, o objetivo e como será feito

10. Inove, mas com cautela
Apesar do tema da redação ser surpresa, a estrutura do texto cobrado na prova, não é. Então, é importante inovar nas ideias, mas ficar atento para que isso não signifique desrespeitar os parâmetros estabelecidos pela prova.

 

FONTE: G1

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Good News

Tarifa Social: como saber se tenho direito aos descontos na conta de luz?

Publicado

em



 

A Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) é um projeto criado através da Lei 10.438, de 26 de abril de 2002, que visa conceder descontos na conta de luz dos consumidores enquadrados na Subclasse Residencial de Baixa Renda.

 

 

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o programa concede descontos conforme o consumo mensal até o limite de 220 kWh, podendo ter até 65% de atenuação na conta de luz. Confira a tabela abaixo!

As famílias indígenas e quilombolas inscritas no Cadastro Único que atendam aos requisitos também possuem descontos, contudo, com atenuação de 100% até o limite de consumo de 50 kWh/mês (quilowatts-hora por mês).

Como saber se tenho direito ao programa Tarifa Social?
Têm direito ao benefício do Tarifa Social as famílias inscritas no CadÚnico, com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário-mínimo, ou que recebam o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC).

De acordo com a Aneel: para ter direito ao benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), deve ser satisfeito um dos seguintes requisitos:

Família inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – Cadastro Único, com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário-mínimo nacional; ou
Idosos com 65 (sessenta e cinco) anos ou mais ou pessoas com deficiência, que recebam o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social – BPC, nos termos dos arts. 20 e 21 da Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993; ou
Família inscrita no Cadastro Único com renda mensal de até 3 (três) salários-mínimos, que tenha portador de doença ou deficiência (física, motora, auditiva, visual, intelectual e múltipla) cujo tratamento, procedimento médico ou terapêutico requeira o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para o seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica.

Como solicitar o Tarifa Social?
Um dos integrantes da família deve solicitar à sua distribuidora de energia elétrica a classificação da sua casa na classe de baixa renda, informando:

Nome, CPF e Carteira de Identidade ou, na inexistência desta, outro documento de identificação oficial com foto, ou ainda, o RANI, no caso de indígenas;
Código da unidade consumidora a ser beneficiada;
Número de identificação social – NIS e/ou o Código Familiar no Cadastro Único ou o Número do Benefício – NB quando do recebimento do Benefício de Prestação Continuada – BPC; e
Apresentar o relatório e atestado subscrito por profissional médico, somente nos casos de famílias com uso continuado de aparelhos.

Algumas mudanças no cadastro do Tarifa Social
Contudo, em setembro deste ano, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a Lei 14.203/2021 que permite a inscrição automática dos integrantes do Cadastro Único no Tarifa Social. A nova regra entrará em vigor em janeiro de 2022, 120 dias depois de publicada no Diário Oficial da União (DOU), conforme informou a Agência Brasil. Ou seja, a solicitação conforme mencionada acima, possivelmente, não será necessária – mas vale conferência junto à prefeitura local.

O TSEE beneficia atualmente cerca de 11 milhões de pessoas. A estimativa é que um número considerável de pessoas que têm direito não goza do benefício e, por isso, a lei de inscrição automática foi implementada.

“Potenciais beneficiários não estariam sendo informados de forma adequada de seu direito ou não estariam sendo capazes de apresentar toda a documentação exigida para a comprovação, sendo excluídos do referido benefício, ainda que enquadrados nos requisitos”, justificou a Secretária-geral da Presidência da República, em nota.

Em caso de dúvidas, é possível contatar a ANEEL através do telefone 167. Para saber como se inscrever no Cadastro Único entre em contato com a prefeitura local, ou acesse a página do Ministério da Cidadania.

 

fonte: Olhar Digital

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Good News

Nova função do Android vai permitir usar o celular como chave do carro

Publicado

em



 

O Google anunciou várias novidades em funções para seu SO em um post em seu blog hoje. Um dos destaques é que com o Pixel 6, Pixel 6 Pro e Samsung Galaxy S21, uma função do Android vai permitir usar o celular como chave do carro para “veículos BMW compatíveis”.

 

Segundo o Google, a função “chave de carro” do Android vai funcionar para modelos BMW de 2020 e 2022, mas a companhia tem planos para expandir o serviço para mais veículos no futuro. A opção foi anunciada em maio, com a companhia mencionando especificamente que estava trabalhando com a BMW.

Além disso, o Android Auto vai contar com uma opção para iniciar uma interface própria para veículos assim que o celular se conectar com o carro. Isso inclui um botão único para começar a tocar conteúdo, ícone de busca simplificado para músicas, e opção de responder mensagens de texto por voz.

Outras novidades são um widget para o YouTube Music, que dá acesso às faixas tocadas recentemente; e outro para o Google Play Livros, com atalho para a biblioteca. O Google Fotos também vai receber uma atualização para buscar fotos com pessoas ou animais escolhidos, além de mostrar uma curadoria de fotos de datas especiais, como aniversários ou festas de Natal.

Por fim, o Google está expandindo a função de reset de permissão de acesso a dados para apps que não são usados com frequência, atualmente só disponível no Android 11, para versões a partir do Android 6.

A função de chave de carro digital do Android já está disponível a partir de hoje (nos EUA), enquanto as outras novidades devem aparecer “nos próximos meses”, segundo o Google.

 

fonte: Olhar Digital

 

 

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Good News

Alexa agora informa se sua máquina de lavar parou ou se a torneira está aberta

Publicado

em



A Amazon introduziu um novo recurso para que a Alexa ouça alguns tipos de sons, o Custom Sound Detection. Agora, a empresa está adicionando mais dois novos detectores de som específicos para “água correndo” e “apito de aparelho” que podem ser usados ​​para configurar rotinas ou lembretes.

 

Além disso, também foi lançado uma série de outros novos recursos para coisas como recargas de prescrição, detecção de movimento por ultrassom e muito mais. Sendo assim, se já era possível que Alexa identificasse esses dois sons específicos, imagine com a nova atualização em que você não terá que se preocupar com mais nada.

Você pode usar o aplicativo da Alexa para enviar uma notificação quando a lavadora emitir um bipe para indicar que sua roupa está pronta. Também pode pedir para que lembre de desligar a pia de alguém se alguém deixou a torneira aberta.

A atualização inclui a introdução de detecção de movimento por ultrassom para rotinas em dispositivos Echo selecionados. Em setembro, a Amazon disse que um recurso chegaria aos dispositivos de quarta geração, projetados para usar uma “onda de ultrassom inaudível” para detectar se há pessoas em uma sala, por exemplo.

Portanto, com as novas rotinas, as pessoas podem usar o Alexa para acender as luzes quando for detectado movimento próximo ao dispositivo ou abaixar o termostato quando nenhum movimento for detectado.

Outro recurso permite que os clientes da Amazon Pharmacy peçam a Alexa para reabastecer as receitas e obter atualizações quando forem entregues. Ademais, há também os recursos que incluem “ensino de preferência”, que permite que você ensine a Alexa qual comida ou esportes você gosta.

Os recursos já estão disponíveis para dispositivos Alexa, embora alguns possam ser limitados por região.

 

fonte: Olhar Digital

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

PLURAL AGÊNCIA DE PUBLICIDADE LTDA
ME 33.399.955/0001-12

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×

Entre em contato

×