Do cimento da Praça 10 de Agosto, para a referência estadual

Apoiadores:

 

Associação SOJÃO Basquete Clube nasceu com o objetivo de formação de atletas para prática de basquete e inclusão social. O basquete promove o espírito de grupo, de hierarquia e liderança, trabalha equilíbrio, força e resistência, melhora a coordenação motora, raciocínio lógico e criatividade, na saúde tonifica membros inferiores e superiores, além do alto gasto calórico e auxílio no controle do colesterol e da pressão sanguínea.

O SOJÃO Basquete Clube iniciou suas atividades em agosto de 2014, fruto da união de amantes do basquete na cidade de Santa Rosa. Alguns veteranos costumavam praticar o esporte na Praça 10 de Agosto, ponto de encontro dos ‘basqueteiros’ da cidade, e perceberam um grande potencial em função das crianças e adolescentes que acompanhavam os mais antigos.

O próximo passo foi organizar um time, alugando um ginásio e convidando todos os já praticantes e outros interessados em participar. Em seguida foi escolhido o nome: a cidade de Santa Rosa é considerada o “Berço Nacional da Soja”; logo, o nome SOJÃO foi prontamente adotado pela comunidade. Atualmente o projeto envolve mais de 400 pessoas, entre crianças, adolescentes, atletas, diretoria e pais.

“Era visto um potencial muito grande para a formação de um clube, nos organizamos, jogamos o campeonato municipal, perdendo a final …para a equipe do Três Preto, então chamamos eles, nos unimos e fizemos um time de basquete. Disputamos a Liga Noroeste, jogamos em Uruguaiana e Passo Fundo. Em 2015 sediamos a primeira etapa da liga, foi muito difícil entrar nessa competição pois é muito concorrida até hoje. São nove equipes com formato estabelecido e chegamos a final da primeira etapa, algo extraordinário para nós. Jogar o estadual era um sonho distante, não imaginávamos que no quarto ano de existência disputaríamos a final. Começamos a melhorar e em 2016 fomos campeões da Liga Noroeste”, disse George Alessio Volkweis, ex presidente do Sojão.

O Sojão começou com duas equipes de adultos e veteranos, depois que começaram a disputar competições os jovens foram chegando: “Começamos a disputar competições em 2014, então vieram muitas crianças e jovens para formar as categorias de base do clube. Devido a isso fundamos o sub-17 depois o sub-15, sub-13, sub 11 e agora tem a iniciação com crianças de 7 anos. Durante os treinos é lindo, um ‘formigueiro’ de crianças e jovens, iniciando no basquete e com certeza vamos colher esse fruto daqui dez anos, formando uma cultura de basquete, isso vale também para a torcida, jovens que vão começar a jogar. Hoje a cidade já tem uma estrutura grande de estudo, medicina e conforme for melhorando, essas pessoas vão ficando em Santa Rosa . Em linhas gerais, o que vai refletir nessa gurizada jogando basquete, quanto mais gente jogando, mais atletas vão poder jogar pelo time adulto”, afirma Aléssio.

“Olhamos muito pelas categorias de base, pelo trabalho social que é desenvolvido, temos atletas muito jovens de escolas públicas. Um jovem puxa o outro, os atletas que vem da escola pública não pagam nada, nem mensalidade, nem alojamento, comida, transporte nem uniforme. Esse é nosso trabalho social: inclusão social por intermédio do esporte”

Alessio Volkweis

A inclusão social sempre foi o norte do SOJÃO: as crianças e adolescentes carentes, oriundas das localidades mais humildes da cidade. O clube não têm qualquer participação pecuniária e todos os jovens das escolas públicas recebem gratuitamente toda a estrutura: educador físico, fisioterapeuta, ginásios, alimentação, deslocamentos, uniformes, etc. É realizado constantemente um trabalho de divulgação junto aos educadores físicos das escolas da rede pública do município, tanto municipais como estaduais.

Atletas das categorias de base do Sojão integram a seleção gaúcha de basquete com dez atletas convocados, tanto na categoria masculina quanto feminina: “Foram sete meninas para seleções de base sub 13 e sub-15, e dos meninos foram três atletas sub-13 e sub-15. Quando começamos disputar o estadual parecia um sonho e agora temos atletas sendo convocados para a seleção gaúcha de basquete”, ressalta Aléssio.

O Sojão começou a disputar o campeonato estadual em 2017 ficando em terceiro lugar e em 2018 sendo vice-campeão. No mês de outubro de 2019 a equipe começa a disputa pelo campeonato estadual adulto da Federação Gaúcha de Basquete (FGB), em Caxias do Sul. “Quando começamos jamais imaginávamos que em quatro anos estaríamos disputando uma final de estadual. Ano passado ficamos vice-campeão, por critérios de arbitragem (quem é do meio e assistiu o jogo nas mídias sociais diz que o Sojão foi campeão gaúcho, mas não vale a pena entrar detalhes), mas quem viu o jogo não tem dúvida disso”, afirma Aléssio.

Quando perguntado sobre o que podemos esperar do Sojão para o campeonato estadual 2019 e o futuro, Aléssio diz: “Vamos muito forte, temos confiança que estaremos na final novamente com muita chance de sermos campeões. O futuro vamos com organização e pé no chão; o objetivo é ser campeão gaúcho. Mais tarde, além de consolidar o clube, sonhamos em jogar uma competição nacional, a Liga Ouro, por exemplo”.

Apoiadores:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui