Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Desemprego recua e atinge mais de 12 milhões de pessoas, diz IBGE – Portal Plural
Connect with us

Geral

Desemprego recua e atinge mais de 12 milhões de pessoas, diz IBGE

Pável Bauken

Publicado

em



 

A taxa de desocupação no Brasil, no trimestre encerrado em junho de 2019, recuou 0,7% e ficou em 12% e a subutilização foi de 24,8%. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio – Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São 12,8 milhões de pessoas sem trabalho no país e 28,4 milhões que trabalham menos horas do que poderiam.

Houve ligeira queda na comparação com o trimestre anterior, quando a desocupação estava em 12,7% e a subutilização em 25%. No mesmo período do ano passado, as taxas eram de 12,4% e 25,5%, respectivamente. O número de desalentados – pessoas que desistiram de procurar trabalho – se manteve recorde no percentual da força de trabalho, com 4,4%, que soma 4,9 milhões.

De acordo com o IBGE, a população ocupada soma 93,3 milhões e cresceu em ambas as comparações: 1,6% (mais 1.479 mil pessoas) em relação ao trimestre anterior e 2,6% (mais 2.401 mil pessoas) na comparação como o mesmo período de 2018. Já população fora da força de trabalho (64,8 milhões de pessoas) recuou em ambas as comparações: -0,8%, ou menos 494 mil pessoas frente ao trimestre anterior e -1,0%, ou menos 621 mil pessoas frente ao mesmo trimestre do ano anterior.

Setor privado e autônomos 

O número de empregados no setor privado com carteira assinada (exclusive trabalhadores domésticos) foi de 33,2 milhões de pessoas, subindo em ambas as comparações: 0,9% (mais 294 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 1,4% (mais 450 mil pessoas) frente ao mesmo período de 2018. Mas o número de empregados sem carteira assinada (11,5 milhões de pessoas) também subiu em ambas as comparações: 3,4% (mais 376 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 5,2% (mais 565 mil pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2018.

O número de trabalhadores por conta própria (24,1 milhões) bateu novo recorde da série histórica e subiu nas duas comparações: 1,6% (mais 391 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 5,0% (mais 1.156 mil pessoas) frente ao mesmo período de 2018.

O rendimento médio real habitual (R$ 2.290) caiu 1,3% frente ao trimestre anterior e não teve variação significativa frente ao mesmo trimestre de 2018. Já a massa de rendimento real habitual (R$ 208,4 bilhões) ficou estável em relação ao trimestre anterior e cresceu 2,4% (mais R$ 4,8 bilhões) frente ao mesmo período de 2018.

Fonte Correio do Povo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

‘Casseta e Planeta’: humoristas se revoltam com ausência em especial da Globo

Reporter Cidades

Publicado

em



Humoristas do Casseta e Planeta usaram as redes sociais para criticar o especial sobre os 70 anos da TV no Brasil exibido no Globo Repórter da última sexta-feira, 18, no qual o grupo diz ter sido “ignorado”.

“20 anos de sucesso. Alguém consegue explicar por que o Casseta foi apagado pela Rede Globo no programa sobre os 70 anos da TV brasileira?”, escreveu Helio de La Peña. A postagem foi compartilhada por Marcelo Madureira.

Beto Silva também reclamou da escolha: “O Casseta e Planeta não foi nem citado quando se falou de humor no Globo Repórter sobre os 70 anos da TV. Por que a Globo ‘cancelou’ o Casseta e Planeta?”

Em postagem no Facebook, Claudio Manoel escreveu: “Em vários aspectos, o programa foi pioneiro e revolucionário, gerando uma legião de admiradores, seguidores e imitadores. Estão comemorando 70 anos da TV brasileira, em 20 destes, estivemos presentes”.

“Por que nenhuma linha, nenhuma citação, absolutamente nada? [.. ] Por que esse apagamento tão ostensivo, arbitrário, mal educado e, sobretudo, covarde? Que crimes ou delitos foram cometidos?”, encerra.

Estadão Conteúdo

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Marco Aurélio libera R$ 500 mi bloqueados da Andrade Gutierrez

Reporter Global

Publicado

em



 

O ministro Marco Aurélio, do STF (Supremo Tribunal Federal), autorizou a livre movimentação de mais de R$ 500 milhões da Andrade Gutierrez Engenharia que estavam bloqueados por decisão do TCU (Tribunal de Contas da União).

A indisponibilidade de bens foi decretada pela Corte de Contas em maio de 2018 no âmbito de auditoria que fiscalizou as obras civis da Usina Termonuclear de Angra 3, pelo prazo de um ano.

O bloqueio de bens determinado pelo TCU atingiu mais de R$ 508 milhões da empreiteira, sendo que a fixação de tal montante levou em consideração “bens necessários para garantir o integral ressarcimento do débito que era investigado, no valor original de R$ 290.613.598,39”.

Os advogados da Andrade Gutierrez recorreram ao Supremo alegando suposta omissão do TCU, sob o argumento de que a empresa continua sofrendo os efeitos da decisão mesmo após a expiração de seu prazo legal de vigência, “o que vem agravando significativamente os danos suportados”.

Na análise do pedido, o ministro Marco Aurélio verificou que a situação de constrição permanece, conforme dados de relatório emitido pela CNIB (Central Nacional de Indisponibilidade de Bens) juntado à petição inicial.

“Surge relevante a causa de pedir atinente ao decurso de prazo”, concluiu o relator, ao deferir a liminar para autorizar a livre movimentação dos bens da empresa.

O relator determinou a notificação do TCU para que cientifique os órgãos de registro e o envio dos autos para ciência da AGU (Advocacia-Geral da União). Posteriormente, também no prazo máximo de 10 dias, será colhido parecer da PGR (Procuradoria-Geral da República).

 

 

R7

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

DetranRS adota novas medidas para minimizar impactos da pandemia nos exames de habilitação

Na primeira quinzena de outubro, começará uma força-tarefa de provas práticas, com previsão de atuação por 90 dias

Reporter Cidades

Publicado

em

- Foto: Ascom DetranRS / Arquivo

Neste cenário atípico de pandemia, o DetranRS trata com prioridade a aplicação dos exames teóricos e práticos do processo de habilitação de condutores. Diante da necessidade de atendimento da população, diversas medidas foram adotadas pelo órgão, mas, ainda assim, houve acúmulo no volume de exames. Há cerca de 103 mil candidatos com processo de habilitação em andamento e que concluíram a fase das aulas, 43 mil em condições de fazer a prova teórica e 60 mil, a prática.

Para manter os atendimentos da melhor forma possível, priorizando sempre a preservação da saúde de todos, sejam profissionais envolvidos no processo de habilitação ou candidatos, o DetranRS instituirá, na primeira quinzena de outubro, uma força-tarefa de provas práticas, com previsão de atuação por 90 dias.

Nesse período, servidores do quadro que atuam em atividades internas, mas que têm formação para exercício de examinador de trânsito, serão remanejados para a função, aumentando a capacidade de atendimento para as provas. A expectativa é que, com a força-tarefa, a oferta de vagas seja ampliada em todo o Estado.

As provas práticas ocorrem regularmente no RS com restrições e rígidos protocolos de higienização e segurança (que continuarão a ser observados enquanto perdurarem os efeitos da pandemia). Cada um dos 266 Centros de Formação de Condutores tem suas datas, horários e locais de prova preestabelecidos pelo DetranRS. Assim, os examinadores do DetranRS vão até o local atender os candidatos previamente agendados pelo CFC, respeitadas as vagas disponibilizadas pela autarquia.

Mesmo adotando este agendamento, existe um fator que é imprevisível, e que pode ocasionar cancelamentos de exames sem aviso antecipado: a constatação de sintomas em examinadores, o que ocasiona, de imediato, o afastamento da atividade, para testagem e, caso positivo, quarentena para tratamento.

Sobre o prazo para que o candidato conclua seu processo de habilitação, foi estendido de 12 para 18 meses, a contar da data de abertura, conforme definição do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Diante da situação de represamento de candidatos, o DetranRS solicitou nova prorrogação do prazo de validade do processo de primeira habilitação, para que não haja ainda mais prejuízos aos candidatos.

A recomendação para quem aguarda agendamento de exames é manter contato com o CFC para acompanhar a disponibilidade de vagas. Recomenda-se também acessar o site do DetranRS, o protocolo a ser seguido para realização de exame prático de direção, disponível em detran.rs.gov.br > menu Habilitação > Provas/Exames > Protocolo para realização de exame prático.

Outras ações emergenciais já adotadas pelo DetranRS:
• atendimento individualizado aos CFCs que solicitam permutas (trocas de vagas de exame teórico por exame prático, ou vice-versa);
• projeto piloto de provas teóricas aplicadas nos CFCs do RS, na modalidade remota, com a supervisão online de um servidor do DetranRS. A possibilidade de adesão dos CFCs foi iniciada em agosto;
• força-tarefa de provas teóricas, implementada também no início de agosto para atender a demanda represada que aguarda prova teórica (que impede o avanço do aluno à etapa de aulas práticas) dos CFCs que eram atendidos exclusivamente nas salas de provas eletrônicas do DetranRS. Com a redução das vagas ofertadas nas salas (em razão dos protocolos, como o distanciamento mínimo obrigatório), para dar vazão a essa demanda represada, em força-tarefa especial, os examinadores vão até os CFCs aplicar exames teóricos impressos.

Entenda o contexto

O acúmulo de candidatos aguardando agendamento de provas é uma situação excepcional. Com a pandemia, vieram as restrições exigidas pela situação de crise. Devido ao risco de contágio do novo coronavírus, o DetranRS suspendeu os exames teóricos e práticos no Estado em 19 de março.

A atividade só pode ser retomada pouco mais de dois meses depois, em 25 de maio, com a aplicação de provas teóricas na sala de Porto Alegre, estendendo-se depois para as regionais e posteriormente para os CFCs. Os exames práticos voltaram a ser aplicados no RS, também gradualmente, a partir de 1° de junho.

Com a implantação do Distanciamento Controlado do governo do Estado, foi necessária a readequação a essa nova realidade, em que as vagas oferecidas são em menor número, o que nem sempre atende às necessidades de todos. A oferta de vagas é menor em respeito ao distanciamento mínimo entre alunos na sala de provas teóricas, bem como o tempo necessário para a higienização dos equipamentos e dos veículos a cada novo candidato nas provas práticas.

A adoção das medidas emergenciais pelo DetranRS busca a ampliação do número de vagas disponíveis para provas, minimizando, assim, o impacto da pandemia no atendimento da população que procura por serviços de habilitação.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×