Definido o reajuste de 2020 dos aposentados que ganham acima do salário mínimo – Portal Plural
Connect with us

Geral

Definido o reajuste de 2020 dos aposentados que ganham acima do salário mínimo

Pável Bauken

Publicado

em



O INSS definiu o reajuste de 2020 dos aposentados e pensionistas que ganham acima do salário mínimo. Esperado desde sexta-feira (10), o índice foi publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (14). Ficou o esperado de 4,48%, que foi o fechamento de 2019 do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), divulgado na semana passada pelo IBGE.

O aumento vale de forma retroativa, ou seja, desde 1º de janeiro. A determinação está na portaria do Ministério da Economia. Ainda conforme o texto, o teto do INSS passa para R$ 6.101,06.

“A partir de 1º de janeiro de 2020, o salário de benefício e o salário de contribuição não poderão ser inferiores a R$ 1.039,00 (um mil e trinta e nove reais), nem superiores a R$ 6.101,06 (seis mil, cento e um reais e seis centavos).”, diz trecho da portaria.

O INSS havia informado que publicaria o reajuste no dia em que o IBGE divulgasse o INPC de 2019, ou seja, na última sexta-feira ainda. Só que a inflação veio bem acima do esperado e do percentual que o governo federal aplicou para quem ganha benefícios no valor do salário mínimo. Certamente, a discussão sobre o assunto atrasou a definição. E agora está sendo debatida no Ministério da Economia a possibilidade de aumentar o piso nacional acima do que tinha sido anunciado, que foi um reajuste de 4,1% que entrou em vigor ainda em 1º de janeiro de 2020.

Com o reajuste, as alíquotas de recolhimento do INSS, de 1º de janeiro de 2020 a 29 de fevereiro de 2020 passam para:
Salário de contribuição: até R$ 1.830,29
Alíquota: 8%
Salário de contribuição: de 1.830,30 até 3.050,52
Alíquota: 9%
Salário de contribuição: de R$ 3.050,53 até R$ 6.101,06
Alíquota: 11%

A partir de 1º de março de 2020, as alíquotas passam passam para:
Salário de contribuição: até R$ 1.039
Alíquota: 7,5%
Salário de contribuição: de 1.039,01 até 2.089,60
Alíquota: 9%
Salário de contribuição: de R$ 2.089,60 até R$ 3.134,40
Alíquota: 12%
Salário de contribuição: de R$ 3.134,40 até R$ 6.101, 06
Alíquota: 14% 

Gaúcha/ZH

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Ação entre grupo da FUMSSAR e colaboradores viabilizou almoço para desabrigados

Pável Bauken

Publicado

em



Uma ação da direção  e grupo de servidores da FUMSSAR, viabilizou a entrega de almoço para pessoas que estão desabrigadas pelas fortes chuvas que ocorreram em Santa Rosa.

O grupo arrecadou valores, e adquiriram marmitas que foram servidas às famílias na manhã de qunita-feira (09). Foram servidos 25 almoços, e também máscaras que foram doadas pelo Frigorífico Alibem. A ação foi acompanhada pela Secretária de Desenvolvimento Social Rosângela Andrade. Segundo Jairo Beal a contribuição chegou em boa hora, uma vez que os moradores beneficiados  estavam tentando limpar suas residências, e os locais estavam com acumulo de lama, ficando inviável a produção de alimentos.

Na sexta-feira, um outro grupo estará  beneficiando, os moradores com os almoços, e o diretor do Frigorífico Juscelino Gonçalves também sinalizou a ajuda aos desabrigados.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

IBGE mostra que indústria e varejo tiveram melhora em maio no Estado

Reporter Cidades

Publicado

em



 

A economia do RS apresentou melhora nos setores da indústria e do varejo em maio, mostram dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) Regional. Divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (8/7), o levantamento  apontou crescimento de 13,3% entre abril e maio na atividade industrial gaúcha.

A alta é a quarta maior entre os Estados e supera a média da indústria nacional, que registrou aumento de 7% no mesmo período. Em época de pandemia, os dados são um indicativo de que o RS, além de registrar números abaixo da média nacional em relação à proporcionalidade envolvendo casos confirmados e óbitos por Covid-19, está conseguido manter a liberação das atividades econômicas acima da média de outras regiões do país.

De acordo com o pesquisador do Departamento de Economia e Estatística (DEE) do Estado, Martinho Lazzari, o resultado positivo reflete medidas adotadas pelo governo, como a possibilidade de retomada de atividades por meio do modelo de distanciamento controlado. “Em maio, praticamente todos os setores aumentaram suas produções. A gente chama atenção para as indústrias de móveis, calçados, máquinas, equipamentos e veículos automotores. Com a diminuição de algumas restrições, a maioria dos setores pôde produzir mais”, explica.

Quando comparados os meses de maio de 2020 com maio de 2019, o Estado apesenta queda de 27,3% no setor industrial, resultado que coloca o RS entre as unidades da federação mais afetadas pela desaceleração econômica. No acumulado do ano, a indústria gaúcha também acompanhou a retração de outros estados e registrou -16,6%.

“O nível de produção do Estado em maio relacionado ao mesmo mês em 2019 ainda está 1/4 abaixo do que era um ano atrás. Os efeitos da pandemia ainda estão presentes”, afirma Lazzari.

Vendas comércio JUN19 MAI20

No comércio varejista ampliado – índice que contempla os grupos de atividades do varejo e mais os segmentos de veículos e motocicletas, peças e de material de construção – o RS acompanhou tendência de alta nas 27 unidades da federação, registrando aumento de 27,9% nas vendas de maio de 2020 em comparação ao mês de abril. A taxa está bem acima do crescimento nacional de 19,6%.

Segundo Lazzari, os dados revelam que comércio conseguiu recuperar partes das perdas registradas em março e abril. “Em maio, o Estado apresentou o segundo melhor desempenho do país no comércio varejista ampliado, ficando atrás apenas do Amazonas. É uma notícia muito positiva porque viemos de dois meses de queda: -18,8% em março e -11,8% em abril. Então esse crescimento de 27,9% é bastante animador”, afirma.

No comparativo dos meses de maio de 2020 e de 2019, o comércio gaúcho vendeu 8,4% a menos. O economista do DEE explica que, embora o nível de venda esteja negativo, o desempenho é superior à média nacional, que registrou decréscimo de 14,9% no mesmo período.

Texto: Guilherme Hamm
Edição: Marcelo Flach/Secom

Fonte: Estado RS

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Pronta para atender a população, Defesa Civil Estadual completa 50 anos

Reporter Cidades

Publicado

em



 

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Rio Grande do Sul completa 50 anos nesta quinta-feira. Ela foi criada no dia 9 de julho de 1970, depois que fortes chuvas atingiram o Estado, causando inundações e deixando cerca de 7 mil pessoas desabrigadas.

Tem como missão o desenvolvimento de ações de prevenção, mitigação, preparação, resposta e recuperação de áreas sob risco ou atingidas por desastres. É um órgão integrante do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, atuando em conjunto com o Centro Nacional de Monitoramento de Desastres Naturais e com a Sala de Situação da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Infraestrutura.

O Centro de Operações funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, monitorando as condições meteorológicas e hidrológicas, emitindo alertas e informações para que a população possa se preparar para a chegada de eventos adversos. O quadro de pessoal é formado por servidores da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros.

Distribuídas estrategicamente em nove coordenadorias regionais compostas por equipes técnicas qualificadas, e com suporte de tecnologia da informação, auxilia os gestores públicos municipais na identificação de vulnerabilidades, elaborando medidas de proteção e contingenciamento, além de prestar resposta imediata nos casos de desastres.

A Defesa Civil também auxilia nos processos de homologação e reconhecimento de situação de emergência e de estado de calamidade pública, condições especiais que permitem aos municípios acesso a uma série de recursos de ajuda humanitária e reconstrução de áreas e estruturas afetadas.

Conta, ainda, com a Central de Doações que recebe e distribui diariamente alimentos, agasalhos e cobertores para entidades que atendem a pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Neste ano de 2020, além de suas atividades ordinárias, a Defesa Civil do Estado compõe o Comitê de Logística e Abastecimento do Gabinete de Crise para o Enfrentamento da Covid-19, no qual atua na coordenação de recebimento, triagem e distribuição de centenas de milhares de itens doados e destinados ao combate da pandemia, contando com o esforço coletivo de todas as secretarias de Estado, do Comando Militar do Sul e do Corpo de Bombeiros Militar.

Para marcar a data, uma live, com participação do governador Eduardo Leite, será realizada nesta quinta-feira (9/7), às 17h30, na página da Defesa Civil no Facebook.

Defesa Civil completa 50 anos de atuação no RS

Canal oficial do governo gaúcho. INSCREVA-SE e saiba em primeira mão as notícias do Rio Grande do Sul. Siga também nossos perfis no twitter @governo_rs, facebook GovernodoRS e no portal do governo: http://www.rs.gov.br/ Acesse este espaço também par Crédito: Governo do Rio Grande do Sul

Texto: Ana Paola Dalla Barba/Ascom Defesa Civil
Edição: Marcelo Flach/Secom

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

×