Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Década de 2010 está destinada a ser a mais quente já registrada na história, diz ONU – Portal Plural
Connect with us

Clima/Tempo

Década de 2010 está destinada a ser a mais quente já registrada na história, diz ONU

Pável Bauken

Publicado

em



 

A atual década (2010-2019) está destinada a ser a mais quente já registrada na história, adverte a ONU em um relatório anual, no qual constata a aceleração das consequências da mudança climática. A Organização Meteorológica Mundial (OMM) indicou que as temperaturas globais superaram nos primeiros 10 meses do ano em 1,1 ºC a média da era pré-industrial (1850-1900).

No relatório apresentado por ocasião da Conferência sobre o Clima da ONU (COP25), a organização prevê ainda que 2019 será o “segundo ou terceiro ano mais quente” desde 1850, quando os registros sistemáticos começaram a ser feitos. “2016, que começou com um episódio de El Niño de intensidade excepcionalmente forte, continua sendo o ano mais quente”, afirma o documento. Cada uma das últimas quatro décadas foi mais quente que a anterior.

Além disso, as emissões provocadas pelo homem devido, por exemplo, aos combustíveis fósseis, a construção de infraestruturas, o aumento dos cultivos e o transporte provavelmente contribuirão para um novo recorde de concentração de dióxido de carbono, o que aumentará o aquecimento, afirmou a OMM.

Os oceanos, que absorvem parte dos gases do efeito estufa, continuam registrando temperaturas recordes e uma acidificação maior, o que ameaça os ecossistemas marinhos dos quais bilhões de pessoas dependem para alimentação ou trabalho. Em outubro, o nível do mar também alcançou um recorde, alimentado sobretudo pelas 329 bilhões de toneladas de gelo derretido na Groenlândia em um ano.

Até 22 milhões de deslocados

Milhões de pessoas já sofrem as consequências da mudança climática, o que evidencia que esta não é apenas uma ameaça para as futuras gerações. No primeiro semestre de 2019 mais de 10 milhões de pessoas foram deslocadas dentro de seus países, segundo o Observatório de Situações de Deslocamento Interno.

Deste total, sete milhões o fizeram por causas relacionadas com fenômenos meteorológicos extremos como tempestades, inundações e secas, um número que pode alcançar 22 milhões para o conjunto do ano. “Mais uma vez, em 2019, os riscos ligados ao tempo e ao clima afetaram duramente”, disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas. “As ondas de calor e as inundações que antes aconteciam uma vez por século estão se tornando eventos regulares”, advertiu.

Em 2019, foram registradas secas na América Central e Austrália, ondas de calor na Europa e Japão, assim, como supertempestades no sudeste da África e incêndios devastadores no Brasil e na Califórnia (EUA). Taalas destacou que a pluviometria mais irregular, somada ao crescimento demográfico, representará “desafios consideráveis em termos de segurança alimentar para os países mais vulneráveis”.

Em 2018, a tendência decrescente da fome no mundo foi revertida, com mais de 820 milhões de pessoas afetadas. Ao ritmo atual, a temperatura poderia aumentar até 4ºC ou 5ºC no fim do século. E inclusive se os países respeitarem seus compromissos atuais de redução das emissões, o aumento poderia superar 3 ºC, enquanto o Acordo de Paris prevê limitar o aquecimento a menos de 2 ºC e, de modo ideal, a 1,5 ºC.

Na COP25 de Madri, que começou na segunda-feira com o objetivo de estimular a luta contra o aquecimento global, os Estados “não têm desculpas para bloquear os avanços nem recuar quando a ciência mostra que é urgente atuar”, reagiu Kat Kramer, da ONG Christian Aid.

CP
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima/Tempo

Novos temporais podem vir para o Rio Grande do Sul a partir desta quarta

Reporter Global

Publicado

em

Instabilidade ingressa no Rio Grande do Sul pela Fronteira Oeste, vinda da Argentina e pode trazer temporais entre a quarta e quinta-feira (foto reprodução Sigma)

 

O avanço de novas áreas de instabilidade que atuam sobre o território Argentino neste momento, começam a se aproximar da fronteira oeste do Rio Grande do Sul nos próximos minutos.

 

 

Essas tormentas devem vir acompanhadas de alta densidade de descargas elétricas atmosféricas e rajadas de vento em alguns pontos. No decorrer do dia essas tempestades se espalham para as demais regiões do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e algumas regiões do estado do Paraná. No Uruguai essas instabilidades também devem fazer presença ao longo do dia, com possibilidade para temporais mais significativos na metade norte do país.

Segundo a Sigma Meteorologia, após um final de semana marcado por muita instabilidade e até tempo severo em algumas áreas do Cone Sul, a instabilidade mais intensa volta a afetar áreas do Sul do Brasil entre essa quarta e quinta-feira. Neste período, a passagem e intensificação de um centro de baixa pressão atmosférica sobre o estado do Rio Grande do Sul, deve contribuir com os movimentos verticais e de convergência da parcela de ar, num ambiente mais quente e úmido.

A presença de uma intensa corrente de ventos de origem tropical, associados ao Jato de Baixos Níveis (JBN), juntamente com outros fatores, deve servir como combustível para formação de nuvens de tempestade em diferentes regiões do RS, de SC e do PR ao longo do período. Até mesmo o Uruguai, sobretudo os departamentos próximos a divisa com o Rio Grande do Sul, teriam condição para chuvas e vendavais pontualmente fortes, acompanhados de descargas elétricas e granizo de maneira isolada.

Inicialmente, já nesta madrugada, as instabilidades devem afetar áreas da Argentina e Paraguai. No decorrer da manhã e principalmente na tarde desta quarta-feira (02/12), às instabilidades devem alcançar áreas do setor oeste do Rio Grande do Sul e oeste de Santa Catarina e do Paraná. Há condição para pancadas de chuva pontualmente fortes, acompanhada de descargas elétricas, sem descartar ventos fortes (> 70 km/h) e granizo de maneira isolada.

Entre o final da tarde e a noite de quarta e a madrugada e tarde de quinta-feira, conforme o sistema de baixa pressão se aprofunda sobre o RS, as instabilidades devem se intensificar sobre várias regiões dos três estados do Sul do Brasil. Apesar da divergência, alguns modelos sugerem inclusive, a formação e propagação de uma ampla e longa Linha de Instabilidade (LI) associada a um Sistema Convectivo de Mesoescala (SCM) sobre o Sul do Brasil, o que normalmente está associada a fortes rajadas de vento em superfície (70/90 km/h), não raro, potencialmente severas de maneira muito isolada.

Desta forma, há condição para chuvas fortes, intensas rajadas de vento e eventual precipitação de granizo em diferentes pontos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná no período. A chuva, no entanto, será muito irregular e de baixo acumulado em várias áreas, embora pontualmente possa ser intensa e volumosa.

 

 

Caderno7

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Clima/Tempo

Chuva avança pelo RS a partir do Oeste nesta quarta-feira, Previsão hoje em Santa Rosa:

Reporter Plural

Publicado

em

Chuva avança pelo RS a partir do Oeste nesta quarta-feira

O sol aparece com nuvens em grande parte do Rio Grande do Sul nesta quarta-feira, mas, no decorrer do dia, a nebulosidade aumenta no Estado. Áreas de instabilidade vão atingir inicialmente a Fronteira Oeste e no decorrer do dia se deslocam no sentido Leste, alcançando a maior parte do território gaúcho da tarde pra noite com chuva e trovoadas.

A MetSul Meteorologia alerta para o risco de chuva isoladamente forte a intensa com altos acumulados em curto período e ainda para a possibilidade de temporais localizados com vento forte e/ou queda de granizo. Os volumes de chuva é que devem variar demais de um ponto para outro, até dentro de uma mesma região. Não chega a fazer muito calor antes da chegada da chuva

PREVISÃO SANTA ROSA

Sol com algumas nuvens. Chove rápido durante o dia e à noite.

Noite com pancadas de chuva e trovoadas

Madrugada

Sol, pancadas de chuva e trovoadas

Manhã

Sol, pancadas de chuva e trovoadas

Tarde

Noite com pancadas de chuva e trovoadas

Noite

  • Temperatura
    21°32°
  • Chuva
    30mm – 80%
  • Vento
    NE – 11km/h
  • Umidade
    49%79%
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Clima/Tempo

Chuva avança pelo RS a partir do Oeste nesta quarta-feira

Reporter Global

Publicado

em

Linha de instabilidade avança pelo RS ao longo desta quarta-feira | Foto: Bruno Alencastro

 

Instabilidade atingirá área de Porto Alegre no fim do dia

 

O sol aparece com nuvens em grande parte do Rio Grande do Sul nesta quarta-feira, mas, no decorrer do dia, a nebulosidade aumenta no Estado. Áreas de instabilidade vão atingir inicialmente a Fronteira Oeste e no decorrer do dia se deslocam no sentido Leste, alcançando a maior parte do território gaúcho da tarde pra noite com chuva e trovoadas.

A MetSul Meteorologia alerta para o risco de chuva isoladamente forte a intensa com altos acumulados em curto período e ainda para a possibilidade de temporais localizados com vento forte e/ou queda de granizo. Os volumes de chuva é que devem variar demais de um ponto para outro, até dentro de uma mesma região. Não chega a fazer muito calor antes da chegada da chuva.

Em Porto Alegre, a quarta-feira será de sol e chuva, com as temperaturas variando entre 18°C e 29°C. O tempo volta a firmar na Capital até o fim da quinta-feira.

 

• Mínimas e máximas pelo RS
Porto Alegre 18°C / 29°C
Caxias 16°C / 27°C
Capão 19°C / 26°C
Santa Rosa 20°C / 28°C
Santa Cruz do Sul 18°C / 29°C
Santa Maria 18°C / 27
Livramento 16°C / 30°C
Pelotas 17°C / 28°C
Uruguaiana 22°C / 27°C

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×