Coronavírus. Fé. Deus é Justo! – Portal Plural
Connect with us

Estrada Iluminada

Coronavírus. Fé. Deus é Justo!

Nilton Moreira

Publicado

em



Deixamos de direcionar nossas metas de evolução e crescimento no âmbito da moral, e pior ainda, nos preocupamos com coisas materiais que não nos levam a nada, a não ser nos dar prazer e encantamentos, exaltando nosso orgulho.

Jesus, o Ser mais perfeito que passou pela Terra, quando esteve aqui atuou também como medico. Foi o médico dos médicos. Manipulava os fluidos com uma capacidade impar curando pessoas com imposição de mãos, e lhes dizia para que não pecassem mais. Ora! O que acontece hoje em dia é o contrário! Vivemos em meio a guerras, dificuldades em saúde, clima, fome, catástrofes e desastres de várias proporções. Continuamos a “pecar”.

Nos momentos difíceis elevamos o pensamento, rezamos, mas quando a situação volta ao normal nos esquecemos de tudo, abandonamos tudo! É como se o lado espiritual só existisse para momentos difíceis da vida. Agora mesmo estamos em meio a mais uma epidemia mundial. Quantos precisarão morrer fisicamente?

Diante de tanta tecnologia sofisticada vemos que somos impotentes perante o Criador e não estamos preparados para enfrentamentos desta natureza. Faltam hospitais e os exames laboratoriais demoram muito. Por outro lado, falando do espiritual, a maioria dos cientistas não acredita na Inteligência Suprema, e sim apenas em suas respectivas capacidades intelectuais, pois do contrário qualquer descoberta teria de ser compartilhada com o Altíssimo e isso lhes ofuscaria o orgulho. Está sendo providenciado repatriamento de brasileiros que estão na região onde iniciou o surto, os quais ficarão em isolamento. São situações que nos entristece, afinal qualquer um de nós pode ser acometido pelo vírus e acabar segregado do convívio familiar.

Já vivenciamos epidemias antes, e somos uma raça planetária que teimamos em não nos modificar moralmente. Continuamos a transgredir a Lei Divina.

Pelo que se comenta o vírus tem muito a ver com higiene, pois orientam também lavar bem as mãos, já que ele pode alojar-se até em uma maçaneta de porta. Notemos então que a mensagem a nós passada é de que devemos valorizar mais nosso corpo material e ao habitat planetário. Quer dizer, enfatizar uma mente mais limpa, mais pura, com boas ações, nos moldes que Jesus sugeriu, mas também cuidar de nosso globo, pois não basta um corpo limpo, uma casa limpa, e jogarmos os resíduos no meio ambiente.

É necessário reforma íntima, pois assim mudaremos a Aura de nossa Terra e certamente epidemia como esta não aparecerá mais, afinal somos Seres em evolução, caminhando em direção à perfeição possível de ser alcançada. Uns conseguirão atingir antes, mas os que se dedicam ao mal ou se comprazem nele demorarão mais na caminhada e sofrerão consequências. Devemos sempre lembrar que não estamos sozinhos no mundo e se o mal existe é porque está faltando o bem ser exercitado.

Mantenhamos a fé, pois pegará o coronavírus apenas quem o merecer, pois nada acontece por acaso. Deus é Justo!

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estrada Iluminada

Os Zombeteiros

Nilton Moreira

Publicado

em



Existe uma infinidade de crenças e cada um se comporta com o que é pregado onde frequenta. Mas tem pessoas que vão a tudo, e a vida acabada indo sempre de mal a pior, e não é de admirar, pois não podemos ter mais de uma crença! Lembram-se do que Jesus falou sobre servir a Deus e a Mamon?(Lucas 16:13). Devemos seguir os parâmetros do crédulo que acreditamos ser o certo e cada um tem o direito de escolher o que melhor lhe convém.

Temos um amigo que vai a tudo embora se diga seguidor de uma só religião, mas me disse que quando as “coisas” se complicam tem de procurar “algo mais forte”. Eu acho hilariante, pois é uma fé de vários parâmetros, e fico imaginando como se divertem os espíritos de menos evolução que gostam de zombetear. Sim, pois os que se foram e eram debochados, irresponsáveis quando estavam aqui, e ainda não se encontraram na espiritualidade, continuam da mesma maneira agora sem o corpo carnal praticando caçoadas, “pregando peças” como se diz, perturbando invisivelmente os que aqui ficaram!

O ato de praticarmos rituais, adorar imagens, figas, ferraduras, pé de coelho, ter amuletos pendurados no pescoço, fitas em braços, venerar tatuagens, estátuas, monumentos, ou promover espetáculos de exorcismo e tantas outras práticas, só dificultam a vida que temos de trilhar aqui na Terra.

Sempre digo que somos espíritos que já vivemos muitas e muitas vidas, pois fomos criados pelo Pai para sermos eternos e desde que saímos das cavernas, há bilhões de anos, adotamos costumes e rituais que até hoje temos dificuldades de nos livrar. Isso é considerado normal e cada um tem o direito de em comunhão compactuar do mesmo pensamento e seguir tais costumes e doutrinas.

Interessante é que Jesus o Ser mais perfeito que passou pela Terra nunca se utilizou de qualquer tipo de amuleto, adorno, ou acessório. Limitou-se apenas a nos ensinar uma oração para que nos conectássemos com o Pai, visando aliviar dores nos momentos necessários. Portanto qualquer ritual diferente ou paramento é mera necessidade que através dos tempos foi adotado para fortificar a fé, e compreendemos que muitas pessoas necessitam de algo palpável para se religarem a Deus, mas muitas crenças já passaram dessa dependência e se utilizam apenas da prece para entrar em sintonia com o Altíssimo, mas considerando que Deus ama incondicionalmente acolhe todos os pedidos que são realizados das mais diversas maneiras aclamadas, desde que estas saiam do coração, e nos dizem os espíritos amigos que nenhuma prece se perde quando é feita com fervor e compromissada no bem.

Um dia todas as crenças se unirão numa só voz, nos padrões que Jesus nos ensinou, pois Deus é único.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Estrada Iluminada

Heranças, negócios…

Nilton Moreira

Publicado

em



É normal darmos importância ao que acontece no âmbito de nosso campo de visão, os chamados acontecimentos físicos para os quais normalmente estamos preparados para enfrentar. Mas existem as investidas sorrateiras e invisíveis que acontece regularmente e não nos damos conta e que são praticadas pelos nossos irmãos que estão na erraticidade, isto é, aqueles que já retornaram ao plano espiritual.

Somos espíritos num corpo material perecível, e sendo visível temos a facilidade de ver nosso agressor que também se apresenta da mesma forma, mas quando se trata de agressor invisível que pode fazer um grande estrago quando nos ataca, promovendo desarmonia principalmente no campo de nossa saúde, é preocupante! São os denominados inimigos desencarnados, e Jesus quando orienta a nos reconciliemos com nosso adversário enquanto temos tempo aqui na terra, nos da também a entender das complicações futuras que poderemos enfrentar com os inimigos ocultos, aqueles que estão na erraticidade, que já não estão com o corpo carnal, cujo ódio lhes ainda é pertinente, e com a invisibilidade nos podem prejudicar, pois que a morte física não lhes causa entrave de modo algum.

Fora da matéria o obsessor encontra campo hábil para a prática do mal, podendo nos perseguir facilmente, nos intuindo a tomar decisões equivocadas, precipitadas, instigando conflitos familiares que culminam em confrontos trágicos, estragando inclusive negociações como compras, vendas, heranças etc… É comum tentarmos fazer determinado negócio e este não prosperar como esperado, ficando evidente que ações de obsessor agem nas conversações. Mas o êxito dessa modalidade perturbadora só terá sucesso se nossas defesas estiverem debilitadas.

Quando estamos com nossa guarda desprotegida em razão da má condução de nossos atos e atitudes, mesmo que temporariamente, isso facilita a ação dos obsessores. Em razão da nossa imperfeição deixamos brechas para que sejamos influenciados pelos maldosos que já se foram. Parece estranho falar-se assim quanto a pessoas que já partiram desta vida, mas continuamos sendo os mesmos após o passamento. Ninguém fica bonzinho só porque morreu. Vamos daqui com todas as imperfeições, dai o motivo pelo qual podemos continuar com nosso ódio e concretizar vinganças contra os ditos vivos.

Por isso temos o posicionamento de que penalizar uma pessoa ruim com a morte, a exemplo do que acontece nos finais das novelas, não fará com que o mal cesse. Só com esclarecimento e colocando Jesus no coração é que haverá evolução tanto para perseguidor e perseguido.

Que nossa conduta seja fortificada nos princípios ensinados pelo Mestre.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Estrada Iluminada

Apego material e poder

Nilton Moreira

Publicado

em

ilustrativa google

Planejar o futuro de certa maneira pode parecer válido quando temos metas no curto prazo. Já planos que enveredam pelos anos são meras projeções que servem apenas para mostrar aos outros que o futuro está idealizado, pois na maioria não se concretizam.

Disse um filósofo que devemos viver intensamente o presente, já que o passado não volta e o futuro é o hoje que já chegou. O apego aos bens materiais para demonstrar cada vez mais poder nos faz deixar de usufruir possibilidades ou permitir que outros usufruam além de nos escravizarmos a exemplo daquelas pessoas que vão ao banco diariamente consultar o saldo, mesmo tendo aplicativo que podem ver a distância, mas não se contentam, tem de irem conversar com alguém do banco para saber como as “coisas” estão, e aproveitam para “filar” um cafezinho.

Aglomeramos riquezas e deixamos de levar ou proporcionar uma vida mais confortável aos nossos familiares próximos! Privarmo-nos do conforto, do laser, do comer melhor, de vestir melhor ou auxiliar o próximo são formas íntimas de exteriorizar o egoísmo.

Na realidade, toda a fortuna e bens materiais que acumulamos se terminam no momento que retornamos a pátria espiritual, pois na partilha a fortuna fragmenta-se deixando de ser riqueza para se tornar frações que serão administradas pelos que ficaram, e às vezes com outros objetivos e finalidades que seriam abominadas pelo então acumulador.

Viva o hoje sem acumulação. A justificativa de juntar para deixar aos filhos é desculpa para esconder o apego à matéria e ter cada vez mais centralização de poder. Proporcione a outrem o que é mais importante, a possibilidade de alcançar o conhecimento através do estudo, cursos, assim se tornarão autossuficientes e conquistarão a sua própria fortuna.

0 Planeje, mas com objetivos concretos, sem utopias. Jesus quando esteve aqui nos ensinou e demonstrou procederes, e naquela ocasião disse: “não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam, porque onde estiver o vosso tesouro, ai estará também o vosso coração”. Estas palavras embora tenham sido ditas há quase 2000 anos devemos vivenciar cada vez mais, pois só assim quando retornarmos ao plano espiritual menos ansiedades nos acometerá.

Desenvolvamos neste ano recém chegado a capacidade de menos apego material. Paz a todos.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


error: Conteúdo protegido, para ter acesso seja nosso parceiro entre em contato no whats (55) 984161736
×