Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Como proteger seus dados de ciberladrões? – Portal Plural
Connect with us

Uncategorized

Como proteger seus dados de ciberladrões?

Reporter Cidades

Publicado

em

| Foto: Pexels


Estamos cada vez mais online e, com isso, com nossos dados mais expostos. Segundo um levantamento da Kapersky publicado nessa semana, um quinto dos brasileiros entrevistados teve suas informações privadas publicadas sem o seu consentimento.

Esse mesmo estudo, chamado “Defesa da privacidade digital: levando a proteção pessoal ao próximo patamar”, indica que 74% dos entrevistas brasileiros declararam ter tentado remover dados de sites ou mídias sociais. Porém, quase um quarto (24%) não sabe como fazê-lo.

Mas não é apenas a publicação de dados que traz insegurança. As constantes ligações telefônicas de números desconhecidos, os casos de clonagem de WhatsApp com golpes pedindo dinheiro, e as fake news colaboram para reforçar a sensação de insegurança. De acordo com a LastPass by LogMeIn, serviço de gerenciador de senhas freemium, dinheiro é o principal objetivo dos criminosos e golpistas.

Eles costumam agir de duas formas: diretamente, drenando contas bancárias, vendendo ações, reivindicando reembolso de impostos; ou indiretamente, procurando obter informações pessoais de usuários para, no final das contas, conseguir ainda mais dinheiro – como registros médicos, por exemplo.

A questão é que muitas vezes nos colocamos em risco, mesmo sem saber, por conta do que fazemos – ou deixamos de fazer – online todos os dias. Para ajudar você a se tornar menos ‘hackeável’, confere os 5 hábitos online indicados pela LastPass:

Ignore telefonemas desconhecidos

Bancos, Imposto de Renda, corretoras online, empresas de software respeitáveis…O que todas essas organizações têm em comum? Eles nunca ligam solicitando informações confidenciais, senhas ou pedindo para instalar softwares de segurança em dispositivos pessoais. Se alguém está ligando insistentemente a respeito disso, é, com certeza uma fraude. Nestes casos, a melhor escolha é desligar o telefone, ou melhor ainda, sempre evitar atender ligações de números desconhecidos.

Mantenha os dispositivos limpos

Todos querem experimentar o novo jogo para smartphone ou baixar o aplicativo legal de produtividade que ouviram falar e, geralmente, com um pouco de pesquisa online, é possível confirmar se esses softwares são seguros e de empresas conceituadas. Apesar disso, manter uma máquina limpa também significa verificar periodicamente os complementos ou extensões instaladas no navegador e desinstalar os que não são usados. O mesmo vale para aplicativos no smartphone. Também é importante fazer uma varredura antivírus e ao encontrar qualquer suspeita, limpar completamente o dispositivo. Neste caso também convém entrar em contato com um técnico em computação para garantir que todos os traços de malware realmente desapareceram.

Mantenha um perfil online discreto

As redes sociais são maravilhosas para acompanhar amigos, familiares e colegas próximos e distantes. Infelizmente, as pessoas também costumam exagerar no compartilhamento de informações. É preciso ter cuidado com o que é publicado e quando. Publicar sobre uma viagem pode alertar ladrões de que a casa estará sozinha por uma semana, por exemplo. É essencial ser seletivo na hora de aceitar o convite de amizade de outros usuários, e aproveitar as configurações de privacidade para manter o perfil protegido de estranhos.

Use senhas longas e aleatórias

Senhas fortes e únicas para todas as contas ajudarão a proteger os usuários contra o acesso não autorizado. Dessa forma, mesmo que um serviço online sofra uma violação de dados, essa senha vazada não permitirá que hackers façam login em outras contas online, talvez mais valiosas. Gerenciadores de senhas são uma ótima opção.

Ative a autenticação multifatorial

Uma defesa em camadas é uma defesa forte. A autenticação multifatorial (MFA) ou a autenticação de dois fatores (2FA) garante que, mesmo que uma senha seja roubada, alguém ainda não poderá fazer login na conta sem uma segunda informação. Pode ser um código gerado a partir de um aplicativo no smartphone ou enviado em uma mensagem de texto. O MFA é amplamente compatível com mídias sociais, banco online, comércio eletrônico, email, gerenciamento financeiro e muito mais. É importante sempre conferir as configurações de contas pessoais e ativar o MFA quando possível.

Bella+ / Correio do Povo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Uncategorized

Inflação do aluguel sobe e acumula 24,52% em 12 meses

Reporter Global

Publicado

em

Marcelo Camargo/ Agencia Brasil

 

Pesquisa foi feita em todo o país pela FGV

 

 

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) – usado no reajuste dos contratos de aluguel do país, teve inflação de 3,28% em novembro deste ano. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o percentual é maior que o de outubro: 3,23%.

Com o resultado, o IGP-M acumula inflação de 24,52% em 12 meses, índice seis vezes maior do que o acumulado em novembro de 2019.

O índice vem sendo puxado pelo preço das commodities agropecuárias, como o milho, trigo e bovinos.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o atacado, teve inflação de 4,26%. O Índice de Preços ao Consumidor, que mede o varejo, ficou em 0,72%. Já o Índice Nacional de Custo da Construção registrou variação de 1,29%.

 

 

Agencia Brasil

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Uncategorized

Quase 900 multas por falta de máscara são aplicadas no estado de São Paulo

Reporter Global

Publicado

em



 

O estado de São Paulo registra 41,1 mil mortes por Covid-19, com 1,2 milhão de casos confirmados.

 

Entre os dias 2 de julho e 17 de novembro, o governo de São Paulo, gestão João Doria (PSDB) aplicou 876 multas por falta de máscara no estado. O uso do item em locais públicos é obrigatório em todo o território paulista desde o dia 1º de julho. A utilização da proteção é uma das medidas para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.
De acordo com informações da Secretaria Estadual da Saúde, foram feitas 93.453 inspeções no estado desde julho. Destas, 876 resultaram em autuações, sendo 549 estabelecimentos e 327 pessoas. A pasta promete intensificar as ações de fiscalização a partir desta sexta-feira (20).

Na capital, a prefeitura, gestão Bruno Covas (PSDB), afirma que 2.498 munícipes foram abordados pelas equipes de fiscalização em grandes centros comerciais e locais de grande circulação de pessoas. Não foram aplicadas multas, pois, segundo a administração municipal, tem-se optado “por ações educativas, reforçando à população a necessidade do uso correto das máscaras, não fazendo desta uma ação punitiva.

A resolução sobre a obrigatoriedade do item de proteção, publicada no dia 30 de junho pelo governo estadual, estabelece que a máscara deve ser usada em “ambientes de trabalho, de estudo, de cultura, de lazer, de esporte ou de entretenimento, casas de espetáculos, teatros, cinemas, bares, lanchonetes, boates, restaurantes, praças de alimentação, centros comerciais, bancos e similares, supermercados, açougues, padarias, farmácias e drogarias, repartições públicas, instituições de saúde, escolas, museus, bibliotecas, espaços de exposições, transporte coletivo”, entre outros.

A multa para os cidadãos que forem flagrados sem máscara nesses locais é de R$ 524,59. Para os estabelecimentos, a penalidade é de R$ 5.025,02 para cada pessoa que estiver descumprindo a regra.

Aumento nas internações Os casos de Covid-19 vêm aumentando em São Paulo ao longo do mês de novembro. Na rede estadual, o número de internações em leitos de enfermagem cresceu 26,5% na comparação com o dia 1º. A quantidade de pacientes em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) subiu 21,1%. Ao todo, são 8,6 mil pessoas internadas pela doença nos hospitais do governo paulista.

Na rede municipal, as internações totais aumentaram 33,8% em novembro. Já o número de pacientes em UTI teve um acréscimo de 26,2%. Os dados incluem tanto os hospitais da prefeitura quanto as unidades contratualizadas.

O estado de São Paulo registra 41,1 mil mortes por Covid-19, com 1,2 milhão de casos confirmados.

 

 

Noticias ao Minuto

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Empresas enquadradas na Substituição Tributária já podem aderir ao Regime Optativo de Tributação para 2021

Reporter Global

Publicado

em



 

O prazo para adesão ao Regime Optativo de Tributação da Substituição Tributária (ROT-ST) para 2021 já está aberto e se encerra em 15 de dezembro.

 

Podem aderir todas as empresas varejistas da categoria geral. Assim, passam ao mecanismo de tributação amparadas pela definitividade, ou seja, deixa de ser exigida a complementação e também não existe restituição por parte do Estado do ICMS-ST pago.

Para 2021, a Receita Estadual estendeu o regime optativo, que já vigorou neste ano, para empresas de qualquer faixa de faturamento. Empresas com faturamento acima de R$ 78 milhões por ano (cerca de 350 companhias), que atualmente estão na obrigatoriedade de fazer o ajuste (complementando e restituindo) desde março de 2019, também poderão fazer a adesão se desejarem.

As cerca de 5 mil empresas gaúchas com faturamento abaixo de R$ 78 milhões também se enquadram no regime que será prorrogado para 2021. Empresas com faturamento abaixo de R$ 3,6 milhões por ano, optantes ou não do Simples Nacional, continuam fora da obrigatoriedade de realização do ajuste e, assim, não precisam aderir ao ROT-ST para a dispensa de tal apuração. As empresas que aderiram ao Regime Optativo em 2020 devem renovar a adesão para o próximo ano.

Para fazer a adesão, as empresas precisam acessar o Portal e-CAC no site da Receita Estadual e manifestar interesse. O ROT-ST para 2021 foi regulamentado pelo Decreto 55.521/2020, e as Instruções Normativas constam na IN RE nº 087/20.

 

Sobre o ICMS-ST

As mudanças na apuração do ICMS-ST estão sendo implementadas após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de outubro de 2016, que abrange todos os Estados. A norma prevê a restituição ao contribuinte do ICMS-ST pago a maior – ou seja, quando a base de cálculo presumida do produto for superior ao preço final efetivamente praticado, mas também a complementação ao Estado do valor pago a menor – quando a base de cálculo presumida for inferior ao preço final.

 

 

Estado.rs.gov

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

O que você achou do site novo do Portal Plural?

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×