Combate aos feminicídios: Experiência de Santa Rosa pode orientar organização dos municípios vizinhos – Portal Plural
Connect with us

Destaque

Combate aos feminicídios: Experiência de Santa Rosa pode orientar organização dos municípios vizinhos

Pável Bauken

Publicado

em



 

Referência em proteção às mulheres vítimas de violência e na redução dos casos de feminicídio, Santa Rosa pode servir de exemplo para a constituição de redes de proteção similares em municípios próximos. A constatação é do presidente da Comissão de Segurança e Serviços Públicos do Legislativo (CSSP), deputado estadual Jeferson Fernandes (PT), após ouvir os depoimentos de delegadas, policiais militares, policiais civis, defensoras públicas, professoras, vereadores e diversas lideranças que integram um esforço conjunto em favor da segurança das mulheres santa-rosenses. Os relatos ocorreram durante a primeira reunião regional da Força-Tarefa de Combate aos Feminicídios, liderada por Jeferson no Legislativo gaúcho, realizada em Santa Rosa, na sexta-feira (13/09). Durante o evento, que lotou o auditório da Câmara de Vereadores e contou com a presença do prefeito Alcides Viccini, constituiu-se um Grupo de Trabalho Regional para pensar, debater e compartilhar soluções voltadas ao enfrentamento dos casos de feminicídio na macrorregião.

Santa Rosa não registra um caso de feminicídio desde maio de 2017. Somente em 2018, houve uma tentativa de cometimento desse crime, mas que foi coibida pela polícia militar. Os baixos índices de feminicídios em Santa Rosa se devem, segundo a titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), Dra.Josiane Froehlich, à prioridade de ação de todos os integrantes da rede de proteção local, da qual fazem parte o Centro de Referência da Mulher; a própria Deam, o Conselho Tutelar, o Judiciário, o Ministério Público, a OAB, a Prefeitura, o Instituto Geral de Perícias, a Casa de Passagem, etc. “Quando há uma ocorrência, o Centro de Referência toma conhecimento; o posto de saúde, vai até lá; o Conselho Tutelar… Todos logo ficam sabendo”, contou. Ela alertou, porém, que o decréscimo no número de ocorrências de feminicídios não significa que não estejam observando maior gravidade nos atendimentos nas famílias. “Nossa preocupação é não só que os índices desses crimes se mantenham pouco significativos, mas o como devemos agir, o que fazer para evitar esta crescente no que se refere à intensidade dos fatos atendidos no dia a dia”, confidenciou.

A major Vanessa Peripolli Gerlach, subcomandante do 4 º BPAF lembra que 1/3 dos atendimentos da Brigada Militar em Santa Rosa se referem a ocorrências de agressões a mulheres. Porém, destaca que a rede de proteção local é de fato bastante forte, mas ainda carece da participação de homens. “Somos um grupo de mulheres que se conhecem e trabalham o tema, falando com mulheres. Queremos ter mais homens falando de violência contra as mulheres. Vamos capacitar homens para esta tarefa”, assinalou.

O déficit de investimento orçamentário em políticas públicas voltadas ao enfrentamento do feminicídio é um dos principais entraves apontados pelos participantes, o que compromete a prevenção efetiva à violência contra a mulher. Neste sentido, Jeferson informou que as experiências e observações registradas durante o trabalho da Força-tarefa deverão nortear uma proposta de Programa voltado à promoção de políticas transversais nas mais variadas áreas. “Queremos elaborar um plano que trabalhe os fatores que estimulam a prática delituosa, com medidas sociais por meio das quais o Estado garanta acesso ao emprego e a direitos como segurança, saúde, educação e moradia, evitando o avanço da violência entre os mais desassistidos”, explicou Jeferson. Ele também entende como necessárias políticas voltadas às prevenções secundária e terciária, para abarcar melhorias nos órgãos do sistema de justiça, que respondem pelo atendimento da vítima, como Polícias civil e militar, Defensoria Pública, etc; e terciária, com medidas que abrangem o tratamento penal de quem comete o crime e a reparação à família da vítima. “Estamos desafiando o governo Leite a combater o feminicídio com a mesma estrutura do Programa RS Mais Seguro que, em tese, é muito interessante, por abordar o tema sob 13 eixos, incluindo as prevenções primária, secundária e terciária a que me refiro. É uma pena que não contemple este crime tão terrível”, lamentou o parlamentar.

Por fim, o deputado federal Elvino Bohn Gass (PT) acrescentou que o assunto será prioridade na próxima reunião da bancada gaúcha, que ocorrerá no dia 24 de setembro. A ideia é apresentar a questão dos feminicídios como demanda urgente e que deve receber recursos para fortalecer estas iniciativas.

Violência em ascensão – De acordo com o 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, o RS é o terceiro estado em mortes de mulheres vítimas de feminicídio e teve um aumento de 41% no número de casos desse tipo, se comparado com o ano anterior. “O crescimento das mortes de mulheres por violência de gênero merece toda a atenção do Poder Público. Estamos trabalhando em parceria com diferentes autoridades, movimentos sociais e entidades para identificar as ações que mais demandam recurso público de modo que possamos frear estes números assustadores”, conclui Jeferson.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Policia cumpre mandado na RS 344 em Santa Rosa

Reporter Cidades

Publicado

em



A DRACO, Policia Civil com apoio da Brigada Militar cumpre mandado de busca e apreensão em uma residência na RS 344, na entrada da cidade de Santa Rosa. A operação ocorre na tarde dessa quarta-feira (03/06), um cão auxilia na buscas.

A operação é comandada pelo Delegado Tiago Tescke da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO). Durante a operação foi encontrado um tablete de maconha.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

OMS anuncia retomada de testes com hidroxicloroquina para covid-19

Pesquisa que invalidou cloroquina não apresenta argumentos, afirma OMS

Reporter Cidades

Publicado

em

© Reuters / Diego Vara / Direitos Reservados

Após a análise de um estudo publicado pela revista médico-científica The Lancet, Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), anunciou hoje (3) durante coletiva de imprensa que o grupo responsável retomará os protocolos com a cloroquina e sua variante mais recente, a hidroxicloroquina.

“Como vocês sabem, na última semana o Grupo Executivo dos Testes de Solidariedade [nome dado ao grupo de pesquisa que busca medicamentos eficazes contra o SARS-CoV-2] decidiu suspender o ramo de testes com hidroxicloroquina por preocupação no uso da droga. Essa foi uma decisão de precaução. Com base nos dados disponíveis, os membros recomendaram que não há razões para suspender o protocolo de testes”, afirmou Tedros.

A suspensão durou 10 dias (o anúncio foi feito em 25 de maio). Os testes com a hidroxicloroquina serão retomados com 3.500 pacientes em 35 países, informou o diretor-geral. Vários especialistas do mundo inteiro já haviam se manifestado contra a metodologia de mineração de dados usada pela Surgisphere – empresa responsável por coletar números para o estudo. “A OMS está comprometida em acelerar o desenvolvimento de terapias eficazes, vacinas e diagnósticos [contra a covid-19]  como parte do nosso compromisso em servir o mundo com ciência, resolução de problemas e solidariedade”, complementou.

Remessa

A decisão vem logo em seguida ao anúncio da doação de 2 milhões de doses de hidroxicloroquina ao Brasil feita pelos Estados Unidos. O presidente americano, Donald Trump, também enviou respiradores mecânicos.

ebc

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Entregue nova Ambulância do SAMU

Reporter Cidades

Publicado

em



O município de Três de Maio acaba de receber uma nova ambulância do SAMU. O veículo foi entregue pelo prefeito Altair Copatti para a Diretora Geral do Hospital Vida & Saúde, Vanderli de Barros. Profissionais que atuam no município e o Gerente regional do SAMU, Silvano Cervo também participaram do ato.

Esse ano, mais de 270 atendimentos já foram realizados no município. Segundo a Diretora Geral, Vanderli de Barros, “Ficamos muito felizes em receber uma ambulância nova, pois com certeza, irá qualificar ainda mais esse importante atendimento para Três de Maio”. O prefeito Copatti também destacou a relevância desse serviço realizado e gerenciado pelo Hospital Vida & Saúde para o município. A nova ambulância foi encaminhada pela União. O serviço está em funcionamento em Três de Maio desde 2009, desde então já foram realizados mais de 4 mil atendimentos.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

×