Com apenas 11 jogadores e sem goleiros, Seleção inicia treinos para amistosos

Equipe fará jogo contra times africanos | Foto: Lucas Figueiredo / CBF / CP
Apoiadores:

 

Bastante desfalcada, a Seleção Brasileira iniciou nesta segunda-feira a preparação para os amistosos que fará em Cingapura contra equipes da África. Sem a presença de qualquer goleiro, o técnico Tite comandou uma atividade com a presença de apenas 11 jogadores no Kallang Sport Hub. Foi o primeiro trabalho para o duelo de quinta-feira, contra Senegal, às 9h – no domingo, o adversário será a Nigéria. Ambos os duelos serão no Estádio Nacional de Cingapura.

Com poucos jogadores e a maioria deles tendo atuado no fim de semana, a comissão técnica adotou uma carga leve de treinos. O volante Casemiro e o zagueiro Thiago Silva, por exemplo, apenas deram voltas no gramado com o preparador físico Ricardo Rosa. O restante do grupo já à disposição de Tite fez um trabalho de aquecimento com bola, em campo reduzido.

Participaram desse trabalho os zagueiros Marquinhos e Éder Militão, o lateral-direito Daniel Alves, os meio-campistas Fabinho, Lucas Paquetá e Philippe Coutinho, e os atacantes Neymar, Richarlison e Roberto Firmino. Lucas Paquetá, Marquinhos e Éder Militão, que atuaram pouco ou nem foram utilizados nos seus respectivos clubes no último fim de semana, ainda fizeram exercícios técnicos específicos em separado.

A Seleção Brasileira voltará a treinar nesta terça-feira no Kallang Sport Hub. A atividade está agendada para as 6h30min. Nestes amistosos, o time espera voltar a vencer após a conquista da Copa América, no início de julho. Desde o título, os comandados de Tite empataram com a Colômbia (2 a 2) e perderam para o Peru (1 a 0), em duelos realizados nos Estados Unidos. “Sempre é importante o resultado. Tite exige desempenho, fazer bom trabalho, exercer ideias dentro de campo. Mas somos competitivos, queremos vencer. Importante para bom ambiente”, disse o zagueiro Marquinhos.

O jogador do Paris Saint-Germain, porém, não crê em facilidade nestes amistosos, lembrando que a seleção senegalesa foi finalista recentemente da Copa Africana de Nações – é, também, a equipe melhor ranqueada do seu continente no ranking da Fifa, em 20º lugar, enquanto os nigerianos ocupam a 34ª colocação. “Conheço bastante e sei das qualidades deles. Senegal é vice-campeã da Copa da África, time bem intenso, difícil. Temos que fazer grande jogo, impor nosso ritmo”, comentou o zagueiro, que enfrenta vários dos jogadores rivais dos próximos dias no Campeonato Francês.

“São adversários muito intensos, agressivos, com imposição física e jogo técnico também. Vemos grandes jogadores disputando grandes campeonatos na Europa, muitos deles no Francês”, acrescentou. Embora atue no PSG, precisou comentar sobre os desfalques provocados nos clubes brasileiros pela convocação de Tite.

O zagueiro destacou que o calendário do futebol nacional, sem paralisação no Campeonato Brasileiro, causa problemas para todos, inclusive para o treinador da seleção. “Também temos de pensar em todos os lados, não só dos torcedores, dos treinadores, mas também pensar no lado da seleção, no lado do Tite. Como é que ele vai organizar, testar os jogadores que tem de testar? Toda convocação é difícil para ele, tem de pensar nos jogadores que quer convocar, mas não pode. Está tendo que limitar as convocações de jogadores do Brasil. É muito difícil para o treinador da seleção”, disse.

CP

Apoiadores:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui