Canadá vive onda de frio extremo, e sensação térmica chega a -50ºC – Portal Plural
Connect with us

Mundo

Canadá vive onda de frio extremo, e sensação térmica chega a -50ºC

Reporter Global

Publicado

em



O oeste do Canadá enfrenta nesta quarta-feira (15) uma intensa onda de frio, com sensação térmica que chega a -50 graus Celsius, o que fez as companhias de energia divulgarem alertas sobre o consumo elevado na região.

Nas três províncias do oeste do país – Columbia Britânica, Alberta e Saskatchewan -, os termômetros registraram temperaturas de 30 graus Celsius abaixo de zero. A situação piora devido aos fortes ventos que acompanham o frio, jogando a sensação termina para -50ºC.

Meteorologistas disseram que a onda de frio foi provocada por uma massa de ar polar vinda da Sibéria. Ela deve seguir na região até o fim de semana, quando os termômetros voltarão a registrar temperaturas mais próximas a 0ºC nas três províncias.

O Serviço Meteorológico do Canadá alertou hoje que quase um terço do país está sob alerta de condições adversas pelas baixas temperaturas.

Em Alberta, a companhia que opera o sistema elétrico informou que o alto consumo para amenizar o frio congelante a obrigou a usar as reservas enérgicas para manter o abastecimento.

Para não provocar interrupções no serviço, a empresa pediu aos clientes corporativos que reduzissem o consumo de eletricidade na noite de ontem.

Em Edmonton, o frio provocou problemas no sistema de trens da cidade, causando atrasos no transporte público nas primeiras horas do dia. À noite, os termômetros na cidade marcaram -34ºC, um recorde para essa época do ano.

Nos últimos dias, 11 pessoas foram hospitalizadas em Edmonton por congelamentos em suas extremidades.

R7

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Novo coronavírus pode causar perdas de quase 30 bilhões de dólares a companhias aéreas

Reporter Global

Publicado

em

Valor foi estimado pela Associação Internacional do Transporte Aéreo | Foto: Genya Savilov / AFP / CP

A atual epidemia relacionada ao novo coronavírus pode causar perdas de quase 30 bilhões de dólares para as companhias aéreas em todo o mundo e desta forma quase metade seria afetada pelo mercado interno chinês, estimou, nesta quinta-feira, a Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA).

No total, as perdas poderiam chegar a 20,3 bilhões de dólares em todo o mundo. A queda líquida no número de passageiros em comparação a 2019 pode ser de 8,2% em 2020 na região Ásia-Pacífico, estima a associação. Pela primeira vez desde a crise financeira de 2008-2009, as reservas aéreas poderiam sofrer um revés em todo o mundo, segundo a IATA. “Nesse cenário, isso resultaria em uma perda de receita de 27,8 bilhões de dólares em 2020 para as operadoras da região”, afirmou o comunicado.

Somente na China, as perdas podem chegar a 12,8 bilhões de dólares. O ano de 2020 “será um ano muito difícil para as companhias aéreas”, advertiu o diretor geral da Iata, Alexandre de Juniac. “Frear a propagação do vírus é a prioridade absoluta”, insistiu a diretriz. Várias companhias aéreas, como British Airways, Delta, Lufthansa, Air France ou Air Canada cancelaram seus voos para a China continental devido à crise sanitária.

A Air France-KLM estima os prejuízos entre janeiro e abril na ordem de 150 a 200 milhões de dólares. 

Correio do Povo

Mantemos seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam esse serviço possível. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações.

Continue Lendo

Mundo

2ª Guerra: histórica tomada de Monte Castello completa 75 anos

Além do poder bélico alemão, o inverno foi adversário do Brasil

Reporter Global

Publicado

em

© Agência Brasil

O dia 21 de fevereiro de 1945 marcou a participação dos militares brasileiros na 2ª Guerra Mundial. A data refere-se à Tomada de Monte Castello, um objetivo estratégico contra o Exército alemão, a fim de garantir a evolução dos Aliados para o Norte da Itália. Não foi uma tarefa fácil.

Antes, os brasileiros já haviam tentado obter êxito nos dias 24, 25 e 29 de novembro, e também em 12 de dezembro de 1944. Além da artilharia inimiga do alto da montanha, os brasileiros enfrentaram o inverno rigoroso na Europa.

Setenta e cinco anos após aquele episódio, ex-combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB) lembram em detalhes aqueles momentos, como o então cabo Vasco Duarte Ferreira, que tinha apenas 20 anos de idade quando foi para o front de batalha. Ele atuou como radiotelegrafista. “Era uma montanha sobre uma outra montanha. Eu carregava o equipamento que pesava mais de 10 quilos com uma antena de mais de três metros”, diz o pracinha às vésperas de completar 96 anos de idade.

Confira essa e outras histórias sobre a Tomada de Monte Castello no especial  Vitória no inverno: os 75 anos da Tomada de Monte Castello.

Mantemos seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam esse serviço possível. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações.

Continue Lendo

Mundo

Brasil tem apenas um caso suspeito do coronavírus

Reporter Global

Publicado

em

© Divulgação/Josué Damacena (IOC/Fiocruz)

O Brasil tem, atualmente, apenas um caso suspeito do novo coronavírus (Covid-19). Trata-se de uma criança de 2 anos de idade, em São Paulo, considerada suspeita desde ontem (19) por ter um histórico de viagem à China, mas não à Wuhan, o epicentro da contaminação. A informação foi dada por representantes do Ministério da Saúde, na tarde de hoje (20), em Brasília.

O ministério, no entanto, continua atento ao surto ocorrido na China e trabalha com a possibilidade de aumento dos casos suspeitos, principalmente a partir do final de abril, quando as doenças respiratórias começam a aparecer no país.

De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Wanderson de Oliveira, existe uma série de circunstâncias que freiam o aparecimento de vários casos suspeitos, como a quarentena imposta na China, o fato do Brasil estar no verão e não termos voos diretos para aquele país. Mas um aumento não é descartado.

“Não quer dizer que não possa aumentar. Podemos ter mudanças de definição de casos no futuro se um outro país entrar como área e transmissão ocidental. É muito dinâmico e prematuro dizer que vai continuar baixo”, disse.

Segundo o ministério, os exames têm sido feitos com maior celeridade e, com isso, casos considerados suspeitos são descartados rapidamente e sequer entram no balanço diário da pasta.

Ainda não existe nenhum caso confirmado na América do Sul. Até o momento, 75.778 casos foram contabilizados no mundo, conforme dados da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos. Só a China reúne 74,5 mil casos.

Curas e idosos

O Ministério da Saúde tem acompanhado o crescente número de pessoas curadas, sobretudo na China. Atualmente, são 16.882 curados. Segundo o Wanderson de Oliveira, tratamentos específicos têm sido testados, mas as curas estão ocorrendo “de forma espontânea”.

“Essas curas estão ocorrendo, quase que a totalidade delas, de forma espontânea. É o organismo da pessoa. Mais de 80% dos casos na China são de moderados a leve. Isso não quer dizer que foi um tratamento específico que curou aquelas pessoas e sim o tratamento sintomático, o isolamento, [o uso de] respiradores, ou seja, toda uma conduta para evitar que essas pessoas evoluíssem para casos graves e óbitos”.

Outra tendência verificada é a letalidade maior em idosos. Se em crianças e adultos até cerca de 40 anos de idade o número de mortes beira o zero, a partir de 60 anos de idade essa curva aumenta rapidamente, chegando a 15% de mortes entre pessoas de 80 anos de idade. “Os casos graves e de óbito na China estão totalmente concentrados em pessoas acima de 60 anos de idade. Isso é importante para nós nos prepararmos para o caso de haver a situação do vírus no Brasil. A nossa preocupação terá que ser preferencialmente os idosos”, disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo.

ebc

Mantemos seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam esse serviço possível. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações.

Continue Lendo

Trending

×