Brasil vai sediar nova reunião entre governos de Venezuela e Guiana em 2024
Connect with us

Internacional

Brasil vai sediar nova reunião entre governos de Venezuela e Guiana em 2024

Publicado

em

AHMAD GHARABLI, Patrick T. FALLON / AFP

topo humbeto pluralFAST AÇAÍNuveraAcademia Persona

Os governos da Venezuela e da Guiana voltarão a se reunir nos próximos três meses, ou “em outro momento acordado”, desta vez no Brasil, para tratar de “qualquer assunto com implicações” para Essequibo – um território de cerca de 160 mil quilômetros quadrados rico em petróleo e disputado por Caracas e Georgetown. A decisão foi tomada nesta quinta-feira, 14, em São Vicente e Granadinas, em uma primeira reunião entre as partes. O compromisso está contido em uma declaração conjunta, lida após a reunião no país insular entre os presidentes venezuelano, Nicolas Maduro, e guianense, Irfaan Ali. A reunião, inicialmente agendada para o primeiro trimestre do próximo ano, também vai abordar uma atualização a ser apresentada pela agora criada “comissão conjunta de ministros das Relações Exteriores e técnicos dos dois Estados”, a fim de “tratar de questões mutuamente acordadas”.

As partes também concordaram que o primeiro-ministro de São Vicente e Caribe e presidente rotativo da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), Ralph Gonsalves; o primeiro-ministro de Dominica e presidente da Comunidade do Caribe (Caricom), Roosevelt Skerrit; e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), “continuarão a tratar do assunto como interlocutores”. Por sua vez, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, atuará “como observador, com a concordância permanente” de Maduro e Ali. O documento enfatiza que, “para evitar dúvidas, o papel” de Gonsalves “continuará mesmo depois que São Vicente e Granadinas deixar” a presidência da Celac, e que Skerrit continuará como “membro da mesa” da Caricom.

Caracas e Georgetown concordaram em não se ameaçar mutuamente ou usar a força em nenhuma circunstância, incluindo aquelas “decorrentes de qualquer controvérsia”, como a disputa sobre Essequibo. Além disso, eles “cooperarão para evitar incidentes em campo que levem a tensões” e, caso isso ocorra, “vão se comunicar imediatamente entre si”, com a Caricom, com a Celac e com Lula para “conter, reverter e evitar que se repitam”. A controvérsia aumentou depois que a Venezuela aprovou a anexação de Essequibo – criando um estado chamado Guiana Essequiba – em um referendo unilateral no dia 3 de dezembro, e o governo de Maduro ordenou o estabelecimento de uma divisão militar perto da área disputada, além de uma autoridade para administrar a região.

 

Fonte: Jovem Pan.

Compartilhe

Geral

Princesa Kate compartilha primeira foto após diagnóstico de câncer e comenta sobre quimioterapia: ‘Há dias bons e ruins’

Publicado

em

portal plural princesa kate posta primeira foto após revelar câncer e fala sobre quimioterapia 'há dias bons e ruins'
Foto: Divulgação
topo humbeto pluralNuveraFAST AÇAÍAcademia Persona

A princesa Kate Middleton compartilhou nas redes sociais nesta sexta-feira (14) sua primeira foto desde que revelou seu diagnóstico de câncer em março. Ela também atualizou sobre seu tratamento: “Estou progredindo bem, com dias bons e ruins”.

“Estou progredindo bem, mas, como qualquer pessoa passando por quimioterapia sabe, há dias bons e dias ruins. Nos dias ruins, você se sente fraco, cansado e precisa ceder ao corpo para descansar. Mas nos dias bons, quando você se sente mais forte, quer aproveitar ao máximo a sensação de bem-estar”, disse a princesa de Gales.

A princesa Kate também mencionou que está “vivendo um dia de cada vez” após o diagnóstico de câncer: “Estou aprendendo a ser paciente, especialmente com a incerteza. Estou vivendo um dia de cada vez, ouvindo meu corpo e permitindo-me este tempo necessário para me curar.” O príncipe William havia comentado que Kate “está melhorando” durante um encontro com veteranos de guerra nas comemorações do Dia D no início do mês.

Kate anunciou em 22 de março que foi diagnosticada com câncer após uma cirurgia abdominal no início do ano e que, por isso, está sendo submetida a um tratamento. Na ocasião, ela afirmou que estava bem, mas o gabinete de comunicação do casal declarou que não forneceriam atualizações regulares sobre sua saúde e que Kate não retornaria às funções públicas até que seus médicos a liberassem.

Na publicação desta sexta-feira (14), Kate Middleton confirmou que participará do Desfile de Aniversário do rei Charles III neste sábado (15), marcando sua primeira aparição pública desde o anúncio do câncer. “Estou ansiosa para participar do desfile de aniversário (…) e espero participar de alguns compromissos públicos durante o verão, embora saiba que ainda não estou fora de perigo”, afirmou a princesa. O aniversário do rei Charles III é em novembro, mas o Desfile de Aniversário do Soberano é uma celebração oficial realizada no primeiro ou segundo fim de semana de junho, contando com um desfile militar dos soldados da Divisão da Casa Real.

Kate também expressou sua gratidão pelo apoio que tem recebido nos últimos meses. “Realmente fizeram uma enorme diferença para mim e para William, ajudando-nos a passar por alguns dos momentos mais difíceis”, disse a princesa de Gales.

Atualização de Saúde por Príncipe William

A última atualização sobre a saúde de Kate foi dada pelo príncipe William durante um encontro com veteranos de guerra no Dia D, em 5 de junho. William disse que Kate “está melhorando”, mas não forneceu mais detalhes.

William respondeu a um veterano da Segunda Guerra Mundial durante as celebrações pelos 80 anos do “Dia D” — quando tropas aliadas atacaram tropas nazistas na Normandia, na França.

Nesta quarta-feira, William respondeu a um veterano que o questionou sobre a saúde de Kate:

“Eu ia te perguntar se a sua esposa está melhorando”, perguntou o veterano.

“Sim, ela está melhorando. Ela adoraria estar aqui hoje. Eu estava lembrando a todos que a avó dela serviu (ao Exército) em Bletchley”, respondeu o príncipe.

Fonte: CNN Brasil

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Incêndio em Mercado na Tailândia causa a morte de mais de 1.000 animais exóticos

Publicado

em

portal plural incêndio em mercado na tailândia causa a morte de mais de 1.000 animais exóticos
Foto: Reuters
FAST AÇAÍtopo humbeto pluralNuveraAcademia Persona

Um incêndio devastador  nesta terça-feira (11) no amplo mercado da capital da Tailândia, Bangkok, resultou na morte de mais de mil animais exóticos, répteis e animais de estimação, além de destruir mais de uma centena de lojas, relataram as autoridades.

Equipes de bombeiros e resgate foram prontamente mobilizadas para a cena, onde se depararam com um cenário desolador de carcaças, gaiolas destruídas, paredes carbonizadas e telhados de metal desabados.

“Estou atordoada. Sinto uma vontade de chorar, mas as lágrimas não vêm”, compartilhou Suwannee Sangdee, proprietária de uma loja de peixes betta, temendo o pior para seu modesto negócio e seus preciosos peixes. “Preciso manter a calma e encontrar uma maneira de lidar com a situação financeira”, acrescentou.

De acordo com o superintendente da polícia Phuwadon Ounpho, uma investigação preliminar aponta para uma falha elétrica como a causa provável do incêndio.

Fonte: CNN Brasil

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Internacional

Onda de calor na Índia causa 14 mortes em um único dia no estado de Bihar

Publicado

em

portal plural onda de calor na Índia causa 14 mortes em um único dia no estado de bihar
Foto:© Lusa
FAST AÇAÍAcademia PersonaNuveratopo humbeto plural

Pelo menos 14 pessoas morreram em um único dia no estado de Bihar, no nordeste da Índia, devido à onda de calor que atinge grande parte do país. Além disso, um tribunal indiano instou o governo a declarar emergência nacional diante da intensa onda de calor que o país enfrenta há vários dias e que, segundo a instância judicial, já matou “centenas de pessoas”.

O Tribunal de Recurso do Rajastão afirmou que a Índia deveria declarar futuras ondas de calor como “calamidades nacionais”, permitindo a mobilização dos serviços de segurança, tal como ocorre durante outros desastres naturais, como inundações ou ciclones.

Segundo o tribunal, as autoridades não tomaram medidas adequadas para proteger a população do calor e deliberou que o governo local crie um fundo para indenizar as famílias das vítimas das altas temperaturas. “Devido às temperaturas extremas sob a forma de onda de calor, centenas de pessoas perderam a vida durante o mês”, referiu o tribunal.

“Não temos um planeta B no qual possamos nos instalar. Se não tomarmos medidas rigorosas agora, perderemos para sempre a oportunidade de ver nossos filhos crescerem”, argumentou a instância judicial.

A Índia está enfrentando temperaturas extremas há vários dias, com várias cidades registrando valores superiores a 45°C. O atual recorde nacional, 51°C, foi registrado em 2016 em Phalodi, na orla do deserto de Thar, no Rajastão.

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Compartilhe

[DISPLAY_ULTIMATE_SOCIAL_ICONS]

Trending

×

Entre em contato

×