Brasil ainda está longe de superar 1ª onda da covid-19, dizem analistas – Portal Plural
Connect with us

Geral

Brasil ainda está longe de superar 1ª onda da covid-19, dizem analistas

Publicado

em

Ilustração Google


Enquanto a Europa volta a se fechar para conter a segunda onda da covid-19, o Brasil continua estável na primeira, sem previsão de queda ou aumento significativo do número de casos a curto prazo. O caso do Brasil é único no mundo e intriga infectologistas, epidemiologistas e estatísticos. Segundo os especialistas, o País ainda está longe de debelar a primeira onda.

A segunda onda só ocorre depois de um primeiro pico infeccioso agudo, seguido de uma queda considerável no número de casos e mortes, chegando praticamente a zero. Subitamente, há um aumento importante dos registros, superior a 50%. É o que está acontecendo em vários países da Europa, como França, Espanha e Alemanha, que voltaram a anunciar medidas de lockdown para conter a disseminação do vírus.

O padrão brasileiro é bem diferente. Houve um pico epidemiológico entre junho e julho, seguido de uma ligeira queda e de uma estabilização no número de casos e mortes. Durante alguns meses, o número de mortos girou em torno de mil por dia. Nas últimas semanas está próximo dos 500, patamar considerado ainda muito alto.

“No Brasil todo estamos na primeira onda ainda; tivemos uma queda, mas estabilizamos em níveis muito altos e não conseguimos baixar”, explicou o coordenador do projeto Covid-19 Analytics, da PUC-Rio, Marcelo Medeiros, especialista em estatísticas. “Ou seja, seguimos em mar revolto, mas nada indica que teremos uma segunda onda por enquanto.”

Na análise de especialistas, o lockdown implementado por diversos países da Europa durante a primeira onda da epidemia foi muito mais radical do que o imposto no Brasil. Essa seria uma explicação para a queda abrupta do número de casos europeus e, agora, para o seu aumento, após um período de flexibilização das medidas de isolamento. No Brasil, além de o lockdown não ter sido tão rigoroso, ele não teria sido eficiente em comunidades de grande densidade populacional, caso das favelas e periferias. A dificuldade de controle passa, também, pela baixa testagem dos casos.

Ápice longo

“No Brasil, não tivemos propriamente um pico, tivemos um ápice longo e uma descida muito lenta”, explica Alexandre Naime, chefe do Departamento de Infectologia da Unesp. “Nossa taxa de transmissão continua alta, nosso R é menor do que 1 (ideal), mas ainda está muito próximo de 1, por isso o decréscimo é tão lento ”

Para os cientistas, o importante agora seria ampliar consideravelmente a testagem, para localizar as cadeias de transmissão. “Devemos nos preocupar em controlar o que está acontecendo hoje”, disse a pneumologista Margareth Dalcolmo, da Fiocruz. “As medidas foram muito relaxadas. Será que precisávamos abrir cinemas, quando se sabe que a transmissão ambiental é crucial?”

O epidemiologista Amílcar Tanuri, do Instituto de Biologia da UFRJ, concorda com a colega. “Temos de monitorar mais os casos e chegar a uma taxa de incidência segura para, por exemplo, liberar as crianças para a escola”, disse. “Para poder mos voltar com coisas importantes e sacrificar outras, como ficar em bares até a madrugada.”

Especialista em gestão de saúde da UFRJ, Chrystina Barros frisa que cada um deve cumprir o seu papel. “A doença continua se disseminando, precisamos manter os cuidados”, afirmou. “Os governos precisam ser coerentes, dar o exemplo e mandar mensagens claras, e a população precisa fazer sua parte, manter o distanciamento, higienizar as mãos e usar máscara.”

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

FONTE CONTEUDO ESTADÃO

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curiosidades

Illuminati: 12 curiosidades sobre uma das sociedades secretas mais fascinantes da história

Publicado

em



 

Ordem dos Illuminati ou dos Illuminati da Baviera?  Veja o que se sabe sobre a famosa organização clandestina.

Emblema dos Illuminati da Baviera — Foto: BBC

Illuminati é o nome dado tanto a uma sociedade real formada há 245 anos, quanto a uma sociedade fictícia.

A versão fictícia até hoje alimenta teorias de conspiração, incluindo alegações de que se trataria de uma organização global secreta e misteriosa cuja intenção seria dominar o mundo.

Supostamente, eles estariam por trás de algumas das maiores revoluções e assassinatos da história.

Mas quem realmente eram os Illuminati? É verdade que eles controlam o planeta?

Veja o que se sabe sobre esta que se tornou uma das sociedades secretas mais fascinantes da história.

1. Quem eram os Illuminati originais?

A Ordem dos Iluminados, ou Illuminati, foi uma sociedade secreta formada na Baviera (hoje parte da Alemanha contemporânea) que existiu de 1776 a 1785. Seus membros originalmente se referiam a si próprios como perfetibilistas.

O grupo foi inspirado pelos ideais do Iluminismo e fundado pelo professor de direito canônico Adam Weishaupt (1748-1830). Ele queria promover a educação da razão e da filantropia e se opor à superstição e à influência religiosa na sociedade.

Weishaupt buscava mudar a forma como os Estados eram governados na Europa, removendo a influência da religião no governo e dando ao povo uma nova fonte de “iluminação”, ou esclarecimento.

Acredita-se que a primeira reunião dos Illuminati da Baviera ocorreu em uma floresta perto de Ingolstadt em 1º de maio de 1776. Lá, cinco homens estabeleceram as regras que orientariam a ordem secreta.

Com o tempo, os objetivos do grupo se concentraram em influenciar decisões políticas e mudar instituições como a monarquia e a Igreja.

Alguns membros dos Illuminati se juntaram aos maçons para recrutar novos membros.

Um pássaro conhecido como a ‘coruja de Minerva’ (Minerva é a antiga deusa romana da sabedoria) acabou se tornando seu símbolo principal.

2. Qual é a relação entre os Illuminati e os maçons?

Os maçons são uma ordem que se desenvolveu a partir de agremiações de construtores de catedrais da Idade Média.

Em alguns países, especialmente nos Estados Unidos, existe uma certa paranoia histórica sobre os maçons. Em 1828, um movimento político conhecido como Partido Antimaçônico foi estabelecido com o único objetivo de combater a ordem.

Como os Illuminati recrutaram originalmente os maçons, os dois grupos costumam ser confundidos um com o outro.

3. Como era possível se unir aos Illuminati?

Para se juntar aos Illuminati, você precisava ter o consentimento total dos outros membros, possuir riqueza e ter uma boa reputação dentro de uma família considerada adequada.

Além disso, havia um sistema hierárquico para os membros dos Illuminati.

Depois de entrar como “novato”, você se graduaria como “minerval” e depois para um “iluminado minerval”. Mais tarde, essa estrutura se tornou mais complicada, exigindo 13 graus de iniciação para se tornar um membro.

4. Os Illuminati tinham rituais?

Eles faziam rituais – embora a maioria permaneça desconhecida – e usavam pseudônimos para manter as identidades dos membros em segredo.

No entanto, graças a documentos secretos apreendidos, sabe-se como os novatos conseguiam passar para um nível superior na hierarquia dos Illuminati:

  • Produzir um relatório sobre todos os livros que possuíam
  • Escrever uma lista de seus próprios pontos fracos
  • Revelar os nomes de seus próprios inimigos.

O novato então prometia sacrificar interesses pessoais pelo bem da sociedade.

5. O que é o olho que tudo vê?

Pirâmide e "olho que tudo vê", símbolos usados ​​no Grande Selo dos Estados Unidos (usado para autenticações) e impressos em papel-moeda no país. — Foto: Getty Images via BBC

O “Olho da Providência”, um símbolo que lembra um olho dentro de um triângulo, aparece em igrejas ao redor do mundo, bem como em edifícios maçônicos e na nota de um dólar americano.

Além de ser associado à Maçonaria, também foi associado aos Illuminati como um símbolo do controle e vigilância do mundo pelo grupo.

Originalmente um emblema cristão, “o olho que tudo vê” tem sido usado em pinturas para representar a vigilância de Deus sobre a humanidade.

No século 18, começou a ser usado de novas maneiras, por exemplo, na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de Jean-Jacques-François Le Barbier (1738-1826), uma versão ilustrada do documento de direitos humanos aprovado pela Assembleia Nacional Constituinte de França em 1789.

Nesse caso, indicava um instrumento que representava o policiamento de uma nação que há pouco tempo havia se tornado democrática.

Não há uma ligação oficial entre o olho que tudo vê e os Illuminati; a conexão atribuída a eles provavelmente se deve ao fato de que o grupo original compartilhava semelhanças com os maçons, que usavam a imagem como símbolo de Deus

6. Os Illuminati conseguiram dominar o mundo?

Algumas pessoas acreditam que os Illuminati controlam o mundo hoje. Segundo essa tese, eles seriam tão discretos que conseguiriam ter todo esse poder sem que a sociedade tivesse clareza sobre isso.

Como muitos membros da Ordem dos Illuminati se misturaram aos maçons e vice-versa, é difícil julgar o sucesso dos Illuminati, mas a maioria dos historiadores acredita que o grupo original só conseguiu ter uma influência moderada.

7. Houve algum membro famoso entre os Illuminati?

Em 1782, os Illuminati haviam crescido para cerca de 600 membros, incluindo nobres alemães como o Barão Adolph von Knigge, que, como ex-maçom, ajudou a moldar a organização e a expansão do grupo.

Inicialmente, os alunos de Weishaupt eram os únicos membros, mas médicos, advogados e intelectuais logo passaram a fazer parte.

Em 1784, estima-se que havia entre 2 mil e 3 mil membros Illuminati. Algumas fontes dizem que o renomado escritor Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832) também aderiu ao grupo, mas isso é contestado.

8. Os Illuminati desapareceram?

Em 1784, Karl Theodor, duque da Baviera, proibiu a criação de qualquer tipo de sociedade que não fosse previamente autorizada por lei. No ano seguinte, ele aprovou uma segunda regra, proibindo expressamente a existência dos Illuminati.

Durante a prisão de membros suspeitos dos Illuminati, documentos comprometedores (defendendo ideias como ateísmo e suicídio) foram encontrados em sua posse, bem como instruções para a realização de abortos.

Isso cimentou a crença de que o grupo era uma ameaça tanto para o Estado quanto para a Igreja.

Depois disso, a Ordem dos Illuminati parece ter desaparecido, embora alguns acreditem que ela continue ativa.

9. O que aconteceu com Adam Weishaupt?

Johann Adam Weishaupt (1748-1830), filósofo alemão, fundador da Ordem da Sociedade Secreta dos Illuminati. — Foto: Getty Images via BBC

Adam Weishaupt acabou sendo destituído de seu posto na Universidade de Ingolstadt.

Depois de ser exilado da Baviera, ele passou o resto de sua vida em Gotha, na Turíngia (Alemanha), e morreu em 1830.

10. Por que o mito dos Illuminati continuou vivo?

A partir do momento em que foram dissolvidos, as teorias da conspiração sobre os Illuminati começaram a se estabelecer.

Em 1797, o padre jesuíta Augustin Barruel sugeriu que sociedades secretas como a Ordem dos Illuminati haviam liderado a Revolução Francesa. Barruel é considerado o pai da Antimaçonaria.

O primeiro presidente dos EUA, George Washington (1732-1799), escreveu uma carta no ano seguinte dizendo acreditar que a ameaça dos Illuminati havia sido evitada, acrescentando mais combustível à ideia de que a ordem ainda existia.

Livros e sermões condenando o grupo continuaram aparecendo, e o terceiro presidente dos Estados Unidos, Thomas Jefferson (1743-1826), foi falsamente acusado de ser um de seus membros.

11. Por que tanta gente ainda acredita nos Illuminati hoje em dia?

A ideia da existência de Illuminatis dominando o mundo nunca desapareceu totalmente e ainda se insinua na cultura popular.

Em 1963, um texto chamado “Principia Discordia” foi publicado, promovendo um sistema de crenças alternativo conhecido como ‘Discordianismo’. O conteúdo apelava à anarquia e à desobediência civil perpetrando informações falsas, e entre seus seguidores estava o escritor Robert Anton Wilson (1932-2007).

Alguns seguidores do discordianismo enviaram cartas falsas a revistas afirmando que eventos como o assassinato do presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy (1917-1963), havia sido obra dos Illuminati.

Wilson posteriormente publicou um livro com Robert Shea, “The Illuminatus! Trilogy”, que se tornou um sucesso e inspirou um novo gênero de ficção de conspiração, incluindo o romance do americano Dan Brown (e filme subsequente) “Anjos e Demônios”.

Nestas obras, os Illuminati também estavam ligados ao satanismo e a outros ideais que estavam muito distantes daqueles associados ao grupo bávaro original do século 18.

12. O que é a nova Ordem Mundial e como ela se conecta aos Illuminati?

Aqueles que acreditam na teoria de uma Nova Ordem Mundial defendem a ideia de que um grupo de pessoas da elite global estaria tentando governar o mundo.

Além dos presidentes dos Estados Unidos, várias estrelas pop foram acusadas de serem membros, incluindo até Beyoncé e Jay-Z. Ambos negam as acusações.

 

FONTE: G1

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Empresário com Covid morre três dias após ser batizado em leito de hospital

Publicado

em



 

Um empresário, de 34 anos, tinha manifestado vontade de receber sacramento antes de adoecer e planejava casar na igreja.

 

Capelão do hospital realizou cerimônia na quinta, e paciente morreu no domingo (13).

Ramon Kobelnik de 34 anos, que estava internado no Hospital das Clínicas (HC) com Covid-19, morreu no domingo (13) três dias após ser batizado e crismado no próprio leito.

O empresario estava no Centro de Terapia Intensiva (CTI) há 43 dias. Segundo o hospital, a mulher dele, Jussara Carvalho, contou aos médicos que, antes de adoecer, o marido disse que tinha vontade de receber os sacramentos católicos. O plano dele era se casar com ela na igreja e o filho do casal levaria as alianças até o altar.

Na quinta-feira (10), o padre Josirlei Silva, capelão do HC, atendeu ao pedido do paciente e realizou uma cerimônia no CTI para batizar e crismar Kobelnik. Médicos e enfermeiros acompanharam as orações em silêncio.

Desde o início da pandemia, o religioso não parou de percorrer as alas para levar palavras de fé e esperança aos pacientes e aos profissionais de saúde, como parte do tratamento humanizado.

“Durante tudo isso que estamos passando, muitas vezes nos perguntamos onde está Deus que não responde às nossas orações. Ele está aqui e a resposta dele se dá através da mão de cada profissional de saúde. Deus não silenciou, ele se faz presente”, disse.

Ramon Kobelnik estava internado no HC Ribeirão Preto e morreu com Covid três dias após ser batizado — Foto: Reprodução/Facebook

Após a cerimônia, Jussara usou o perfil em uma rede social para agradecer o carinho e o cuidado do padre e da equipe médica do hospital.

“Foi lindo e emocionante, agradeço a toda equipe o cuidado diário com o Ramon. Agradeço ao padre por realizar o desejo dele”, escreveu.

Passados três dias, o quadro de saúde do empresário se agravou, e ele morreu às 12h30 do domingo, segundo o hospital. Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram a morte do empresário.

 

FONTE: G1

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Geral

Menino de 8 anos salva irmã engasgada com técnica que aprendeu em programa de TV

Publicado

em



 

Graças a um episódio em que o ator e lutador John Cena ensina primeiros socorros para crianças, ele conseguiu ajudar a irmã de 1 ano e 8 meses.

 

O norte-americano Jaxson Dempsey tem apenas oito anos, mas conseguiu salvar a vida da irmã mais nova. Quando Leila, de 1 ano e 8 meses, se engasgou, ele usou uma técnica que aprendeu em um programa de TV para ajudá-la.

Os irmãos estavam no carro, junto com o pai, quando a menina engasgou com um pedaço de nugget. Dempsey contou a um programa de TV local que ficou desesperado, mas logo se lembrou de uma cena que tinha assistido.

“Fiquei assustado porque pensei que ela iria morrer, mas então essa cena veio à minha cabeça“, contou.
Segundo o pai deles, Matt Dempsey, Leila estava vermelha e não conseguia respirar. Então, o irmão pediu para o pai parar o carro e inclinou a cabeça da irmã para a frente enquanto batia levemente nas costas dela. Assim, ela conseguiu se salvar antes mesmo que o pai conseguisse abrir a porta do carro para socorrê-la.

“Eu não consegui perceber porque ela não estava tossindo, não estava em pânico. Ela simplesmente não tinha ar passando pela garganta, não estava respirando. Graças a Deus Jaxson estava lá porque sem ele, eu não sei se Leila estaria aqui”, contou.

Jaxson aprendeu a técnica em um episódio do programa “O Substituto”, no qual o ator e lutador John Cena ensina primeiros socorros para uma turminha. Exibido no canal Nickelodeon, o programa leva celebridades disfarçadas de professores substitutos para escolas infantis.

O menino disse que se sente um herói e foi homenageado por bombeiros de sua cidade, Hazleton, na Pensilvânia, com um desfile de caminhões.

 

FONTE: G1

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

ENQUETE

Trending

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×