As gravações do caso Robinho na justiça italiana: “A mulher estava completamente bêbada” – Portal Plural
Connect with us

Destaque

As gravações do caso Robinho na justiça italiana: “A mulher estava completamente bêbada”

Publicado

em

Foto: Ivan Storti/Santos FC


 

A sentença da Justiça italiana que condenou Robinho e um amigo em primeira instância a nove anos de prisão por violência sexual de grupo contra uma jovem de origem albanesa mostra que as interceptações telefônicas realizadas contra os envolvidos ao longo da investigação foram cruciais para o veredito.

 

A decisão do Tribunal de Milão, de novembro de 2017, ainda não é definitiva e foi contestada pelas defesas do jogador do Santos e de Ricardo Falco, o outro acusado brasileiro no crime. Os advogados dos dois apresentaram recurso.

A Corte de Apelo de Milão vai iniciar a análise do processo, em segunda instância, no dia 10 de dezembro.

O caso aconteceu numa boate de Milão chamada Sio Café na madrugada do dia 22 de janeiro de 2013. Além de Robinho e Falco, outros quatro brasileiros teriam participado do ato classificado pela Procuradoria de Milão como violência sexual. Como esses quatro deixaram a Itália no decorrer da investigação, eles estão sendo processados num procedimento à parte, disse ao ge o advogado Jacopo Gnocchi, que representa a vítima.

Robinho e Falco foram condenados com base no artigo “609 bis” do código penal italiano, que fala da participação de duas ou mais pessoas reunidas para ato de violência sexual – forçando alguém a manter relações sexuais por sua condição de inferioridade “física ou psíquica” (veja a íntegra do artigo no final do texto).

Ao ser interrogado, em abril de 2014, Robinho negou a acusação. Ele admitiu que manteve relação sexual com a vítima – mas disse que foi uma relação consensual de sexo oral – e sem outros envolvidos. No caso de Ricardo Falco, a perícia realizada por determinação da Justiça identificou a presença de seu sêmen nas roupas da jovem.

Diversas gravações de ligações telefônicas entre os acusados, feitas com autorização da Justiça, foram transcritas na sentença. Uma das mais decisivas para a condenação em primeira instância foi uma conversa de Ricardo Falco com Robinho que indicou ao tribunal que os envolvidos tinham consciência da condição da vítima.

A conversa aconteceu no carro de Robinho e em certo momento o jogador demonstra preocupação com a possibilidade de a vítima prestar depoimento. No diálogo, Falco aparentemente se contradiz a respeito da condição da vítima.

Falco: –Ela se lembra da situação. Ela sabe que todos transaram com ela.

Robinho: – O (NOME DE AMIGO 1) tenho certeza que gozou dentro dela.

Falco: – Não acredito. Naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si.

Robinho: – Sim.

Para a justiça italiana, as escutas realizadas a partir de janeiro de 2014 são “auto acusatórias”. Além dos telefones grampeados, a polícia instalou escutas no carro utilizado por Robinho na Itália. A sentença diz que “os conteúdos dão pleno conhecimento do que aconteceu”.

Logo no primeiro mês de monitoramento, por exemplo, uma interceptação mostrou o músico Jairo Chagas, que tocou naquela noite na boate, avisando a Robinho sobre a investigação. O jogador, segundo a transcrição, respondeu:

Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu.

Robinho completou:

Olha, os caras estão na merda… Ainda bem que existe Deus, porque eu nem toquei aquela garota. Vi (NOME DE AMIGO 2), e os outros foderam ela, eles vão ter problemas, não eu… Lembro que os caras que pegaram ela foram (NOME DE AMIGO 1) e (NOME DE AMIGO 2)…. Eram cinco em cima dela.

Ainda em janeiro de 2014, o músico e o jogador voltaram a falar sobre o episódio. O diálogo entre os dois transcrito na sentença é o seguinte:

Robinho: –A polícia não pode dizer nada, eu direi que estava com você e depois fui para casa.

Jairo: – Mas você também transou com a mulher?

Robinho: – Não, eu tentei. (NOME DE AMIGO 1), (NOME DE AMIGO 2), (NOME DE AMIGO 3)…

Jairo: – Eu te vi quando colocava o pênis dentro da boca dela.

Robinho: – Isso não significa transar.

Em outra ligação transcrita no processo, esta com (NOME DE AMIGO 3), o jogador ressaltou que “não havia prova de que fizemos alguma coisa”. Os quatro amigos de Robinho saíram da Itália e retornaram ao Brasil durante a fase de investigação.

Segundo a sentença, numa das conversas monitoradas dentro do carro de Robinho, o jogador e Ricardo Falco combinaram as respostas que dariam à Justiça. Falco comentou que a “nossa salvação” era que não tinha na boate nenhuma câmera que flagrasse eles com a jovem.

Em outra gravação, do telefone do músico Jairo Chagas, ele conversa com uma amiga. A transcrição traz uma frase dela: “Isso é coisa de covarde, pessoas de merda que dão realmente nojo”. Jairo respondeu que o que aconteceu tinha nome: “se chama estupro”. Diante dos juízes, o músico disse não ter visto cenas de sexo naquela noite.

 

A sentença da Justiça italiana que condenou Robinho e um amigo em primeira instância a nove anos de prisão por violência sexual de grupo contra uma jovem de origem albanesa mostra que as interceptações telefônicas realizadas contra os envolvidos ao longo da investigação foram cruciais para o veredito.

A decisão do Tribunal de Milão, de novembro de 2017, ainda não é definitiva e foi contestada pelas defesas do jogador do Santos e de Ricardo Falco, o outro acusado brasileiro no crime. Os advogados dos dois apresentaram recurso.

A Corte de Apelo de Milão vai iniciar a análise do processo, em segunda instância, no dia 10 de dezembro.

O caso aconteceu numa boate de Milão chamada Sio Café na madrugada do dia 22 de janeiro de 2013. Além de Robinho e Falco, outros quatro brasileiros teriam participado do ato classificado pela Procuradoria de Milão como violência sexual. Como esses quatro deixaram a Itália no decorrer da investigação, eles estão sendo processados num procedimento à parte, disse ao ge o advogado Jacopo Gnocchi, que representa a vítima.

 

O que diz a lei italiana

Artigos 609 octies e 609 bis do Código Penal Italiano:

609 octies
A violência sexual de grupo consiste na participação, da parte de várias pessoas reunidas, a atos de violência sexual referidos no artigo 609 bis.

609 bis
Qualquer um, com violência ou ameaça ou mediante abuso de autoridade, obriga outro a ter ou sofrer atos sexuais é punido com a reclusão de cinco a dez anos.

Quem induz alguém a ter ou sofrer atos sexuais está sujeito à mesma pena:

1) Abusando das condições de inferioridade física ou psíquica da pessoa ofendida no momento do fato;

2) Enganando a pessoa ofendida ao substituir o culpado por outra pessoa.

 

GE

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Painel – Vendas de Final de Ano

Publicado

em



O professor das Faculdades FEMA, Jonas Bordim, participou do evento “Vendas de Final de Ano”, promovido pelas Associações Comerciais da Região (ACI’s) em parceria com as Instituições de Ensino da Região – FEMA, FAHOR e SETREM.

O evento, que aconteceu no dia 25 de novembro, foi transmitido on-line e pode ser assistido no link: https://www.youtube.com/watch?v=pPmYZmcvmck. Ao lado do Jonas Bordim, participaram como painelistas os professores Marcelo Blume, da FAHOR, e Jesildo Moura de Lima, da Setrem.

 

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Santa Rosa é referência no 4º Seminário Estadual das Escolas Cívico-Militares

Publicado

em



Na última semana, a cidade de Santa Maria foi palco do 4º Seminário Estadual das escolas Cívico-Militares.

O evento aconteceu na Câmara Municipal de Vereadores do município. Na oportunidade, a Secretaria Municipal de Educação e Cultura junto a diretora da EMEF Cívico-Militar Cel. Raul Oliveira, Adriana Escobar, foram convidadas para palestrar. Elas relataram a experiência de Santa Rosa e os impactos positivos.

Santa Rosa foi o primeiro município do estado do Rio Grande do Sul que aderiu a proposta das escolas militares, e por isso, tem sido exemplo para as demais cidades. O seminário teve como objetivo principal mobilizar os demais municípios da região para conhecer essa proposta, bem como, os procedimentos a serem adotados pelos municípios. Durante o encontro também ocorreram debates sobre as mudanças ocorridas após sua implementação.

A escola de Santa Rosa conta com a presença de cinco monitores da Brigada Militar. Estes passaram a atuar na escola em novembro de 2021 com a finalidade de apoiar na recepção dos alunos, no controle de entradas e saídas da escola garantindo a segurança para toda comunidade escolar. Os monitores também desenvolvem o Projeto Valores, que envolve os temas de disciplina, respeito, responsabilidade, civismo, direitos e deveres.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Destaque

Zamboni esteve na Capital em busca de recursos.

Publicado

em



O Vereador Maicon Zamboni (Progressista) esteve semana passada no gabinete do Deputado Pedro Westphalen, em Porto Alegre, quando na oportunidade entregou ao Chefe de Gabinete, Rogério Reis, pedido de emenda parlamentar para ser destinada a saúde e a infraestrutura de Santa Rosa.

No Escritório do Senador Luis Carlos Heinze, o pedido foi para captação de recursos por meio de emenda parlamentar para serem destinados a área da saúde de nossa cidade. Zamboni foi recebido pelos Assessores Vinicius Loureiro e Roberto Silveira aos quais falou da importância deste valor para nossa cidade, e que estes investimentos serão revertidos em mais serviços que o município poderá oferecer à população.

“O Senador nunca mediu esforços para auxiliar nas demandas de nosso munícipio e região, desde os tempos em que era deputado, ressaltamos que há reconhecimento da população de Santa Rosa pela comprometida atuação de Heinze junto ao Senado Federal, da mesma forma o Dep. Westphalen possui uma forte ligação com nosso município ” completou Zamboni.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

PLURAL AGÊNCIA DE PUBLICIDADE LTDA
ME 33.399.955/0001-12

© 2021 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×

Entre em contato

×