As 10 habilidades no trabalho mais procuradas no mundo, segundo o LinkedIn – Portal Plural
Connect with us

Artigos

As 10 habilidades no trabalho mais procuradas no mundo, segundo o LinkedIn

Pela primeira vez, a capacidade de lidar com a tecnologia blockchain subiu ao topo da lista

Publicado

em

Pela primeira vez, a capacidade de lidar com a tecnologia blockchain subiu ao topo da lista (Foto: Getty Images via BBC News)


Há uma década, surgiu uma tecnologia associada a criptomoedas que poucos entendiam e aparentemente tinha um alcance limitado.

Nada mais longe da realidade. Mas o blockchain ganhou tanta força que agora se tornou essencial.

Blockchain é uma espécie de livro contábil digital público que registra transações e informações de maneira verificável e permanente, o blockchain requer profissionais especializados que possam lidar com isso.

E adivinhe quem são os profissionais mais em demanda no mundo: os especialistas em blockchain, de acordo com uma análise da plataforma profissional LinkedIn.

As habilidades de trabalho desses profissionais estão sendo usadas em inúmeras áreas — serviços financeiros, setor jurídico, energia, saúde, agricultura e até no varejo.

Basicamente, são profissionais com a capacidade de armazenar, validar, autorizar e mover dados pela internet usando essa tecnologia.

E esta área não está aberta apenas para os codificadores.

Como o blockchain é usado em contratos, é provável que seja necessário que equipes de advogados especialistas em tecnologia analisem as complexidades de como as cadeias de blocos se encaixam no direito contratual tradicional.

Até o Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês) incluiu “especialistas em blockchain” em uma lista de profissões cuja importância aumentará nos próximos quatro anos.

É a primeira vez que esses profissionais ficam no topo da lista de habilidades profissionais do LinkedIn.

A empresa mediu a demanda por mão de obra observando os perfis de seus usuários para determinar a frequência com que as pessoas eram contratadas de acordo com suas habilidades.

A seguir, as 10 habilidades (ou conhecimentos) mais procuradas no mundo:

– Gerenciamento de blockchain;
– Computação na nuvem: a tecnologia que permite armazenar e gerenciar dados na internet. Envolve a arquitetura, design e entrega de sistemas em nuvem;
– Raciocínio analítico: a capacidade de interpretar dados e descobrir ideias que ajudem a tomar decisões de negócios.
– Inteligência artificial: a combinação de algoritmos para máquinas desenvolverem capacidades semelhantes às do ser humano.
– Design UX (Experiência do usuário): design com foco na experiência dos usuários do produto, em particular na tecnologia.
– Análise comercial
– Marketing
– Vendas
– Computação científica
– Produção de vídeo

Na área de “soft skills”, relacionada à capacidade dos trabalhadores em estabelecer relacionamentos, a criatividade ficou no topo da lista.

No entanto, a inteligência emocional subiu para o “top 5”, entendida como a capacidade de perceber, avaliar e responder aos colegas.

Em ordem decrescente, os mais importantes são: criatividade, persuasão, colaboração, adaptabilidade e inteligência emocional.

Época Negócios

Compartilhe
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos

Agroindústria de Santa Rosa é incluída no Programa Estadual de Agroindústria Familiar

Publicado

em



A Apicultura Grings avançou mais um passo importante para sua formalização e consolidação no município de Santa Rosa e região. Nesta segunda-feira (07/12), o apicultor Ivamar Grings recebeu das mãos do médico veterinário do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, Guilherme Dahmer, e do extensionista do Escritório Regional, médico veterinário Jorge João Lunardi, o certificado de inclusão no Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf-RS). Isso significa que o empreendimento atende aos requisitos ambientais, sanitários e tributários para seu financiamento.

Diante da demanda local por um produto de qualidade e formal, o apicultor buscou orientações técnicas da Emater/RS-Ascar e desde o ano passado o empreendimento avançou para sua consolidação. Também contou com o apoio do Sistema de Inspeção Municipal (SIM) e da Secretaria Municipal de Agricultura, conquistando o Alvará Sanitário em novembro de 2021. A inclusão no Peaf-RS é passo fundamental para obter o Susaf-RS, sendo que a intenção do produtor é poder comercializar em todo o Estado.

A conquista foi a realização de um sonho, inspirado na vocação de sua família e para o qual buscou capacitação. Com o empreendimento legalizado, fornece mel e extrato de própolis a consumidores finais, assim como presta serviços de extração a outros apicultores. Atualmente a capacidade de produção dos apiários está em aproximadamente 3 mil kg/ano, com estimativa de ultrapassar os 5 mil quilos em dois anos. Já a agroindústria dispõe capacidade para processamento de 4 mil quilos mensais e, pensando no aproveitamento total de sua capacidade se dispõe a executar a colheita e processamento do mel de outros apicultores, que por falta de tempo e/ou equipamentos, queiram realizar a parceria.

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Artigos

Gestão de conflitos através de mecanismos alternativos

Publicado

em



Tuani Josefa Wichinheski

Acadêmica do curso de Direito da Unijuí

 

Os conflitos são fatos corriqueiros que acontecem no dia a dia de todo mundo, é algo normal que muitos tendem a enfrentar em alguma situação ao longo da vida, que afetam as pessoas de certa forma, em sentido negativo. Fiorelli e Malhadas Júnior (2008, p. 6) destacam que o conflito “desempenha o papel de mola propulsora que permite à humanidade sobreviver em um planeta de recursos limitados”. Para isso, existem medidas que podem auxiliar nessas situações, buscando a identificação, compreensão e a forma de interpretar, de modo que venha a tentar um diálogo entre os envolvidos.

Um elemento baseado em valores, principalmente focado no respeito, é o objetivo que uma Conferência Restaurativa possibilita, em que os integrantes do conflito têm a oportunidade de participar de forma coletiva, para então poder expor sentimentos e diálogo, que devem ser respeitosos, bem como a observação dos fatos expostos, sem mérito de julgar o que estaria certo ou errado, ou em acusar quem é culpado, buscando alternativas que atendam à necessidade do pedido de reparação.

Através das necessidades expostas dos envolvidos, destaca-se também como cada pessoa foi afetada na situação, e com olhar de empatia a perceber que não só aquele que cometeu o ato, mas também as partes que estavam envolvidas acabaram sendo atingidas e, de certa forma, sofrem também as consequências do ato.

Outro elemento importante é a Mediação, a qual atua de forma autocompositiva para resolução do conflito, onde se tem o mediador, que atua com papel de facilitador no diálogo, o qual fortalece os vínculos preexistentes que foram prejudicados de forma respeitosa para ambos os lados, tendo como consequência um acordo que desencadeia o bom relacionamento que estava interrompido pelo conflito. São usadas técnicas para conseguir realizar a mediação. Podemos destacar algumas, como por exemplo: a escuta ativa, sessões individuais, diálogo, inversão de papéis e técnica de realidade.

A Conferência Restaurativa e a Mediação não têm enfoque em acordo, mas sim na exposição de diálogo entre as partes, de forma que venham a praticar uma comunicação não violenta, que possam se expressar, sem nenhum julgamento, de forma honesta e transparente, estabelecendo mudanças em que seja necessário atender a necessidade do outro. O acordo é uma mera consequência que pode vir depois dessas gestões que, em suma, são muito importantes pois dão a oportunidade para todos se envolverem, até mesmo a comunidade afetada, diferente do âmbito retributivo, em que as partes são representadas não possuem voz ativa diante de uma resolução, pois a parte que praticou o ato responde pelo dano ocorrido de forma individual.

Se consegue obter uma responsabilidade perante o ofensor, pois o mesmo assume o papel em que, na maioria dos casos, se arrepende do ato praticado, expõe os motivos ao qual desencadeou a prática de tal ato e propõe a reparação para o mesmo de forma respeitosa para com todos. Ocorre também na mediação atos semelhantes em que é possível se ter o vínculo que havia sido rompido novamente, até mesmo com um pedido de perdão pelas partes envolvidas, o que já desencadeia o sentimento que foi abalado pelo ato, fazendo com que os envolvidos assumam responsabilidades com o resultado, tendo a vítima respostas que lhe ajudem no processo de cura, bem como transformação, de forma que as duas partes consigam se perdoar ou, ao menos tentem, de modo que consigam redimensionar o conflito.

 

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Artigos

Comunicação Não-Violenta em meio à Conferência Restaurativa e Mediação

Publicado

em



Gabriel Missio, acadêmico de Direito da Unijuí

No meio social em que se tem a convivência com diversos indivíduos, temos como base para o julgamento de uma conduta errada a jurisdição, as leis e normas criadas com o decorrer do tempo através de princípios e costumes, sendo que diariamente ocorrem situações conflituosas diante das relações entre as pessoas. Dessa maneira, Max Weber tinha o entendimento que “o conflito é algo inerente ao ser humano”, entretanto, devemos ter fundamentos apropriados para resolvê-los da forma mais correta e eficiente possível.

A partir disso surge, como uma forma alternativa de resolução dos empasses, a Conferência Restaurativa e a Mediação, ambas visando buscar uma solução pacífica, cooperativa, amigável, dando enfoque ao diálogo e transparência quanto aos sentimentos pessoais dos envolvidos, trazendo a sua real necessidade e, no caso da Conferência Restaurativa, até mesmo de terceiros, que não necessariamente são atingidos diretamente, mas acabam por sofrer de alguma maneira com o ocorrido, surgindo como uma possibilidade e não uma necessidade, o acordo. Assim sendo, fica evidente que se distingue da justiça tradicional, voltada ao âmbito penal, pois essa tem principalmente um caráter punitivo, onde se analisa apenas o caso concreto conforme a “letra da lei”.

Para que se tenha uma concretização dos fatos ambas se utilizam de algumas técnicas de comunicação para que os envolvidos consigam se expressar verdadeiramente, tais como a Arte de Perguntar, onde se direcionam às questões; o Resumo e Parafraseamento, visando enaltecer o sentido de uma frase trazendo nova perspectiva; a Despolarização, onde se demonstra que ambos estão dispostos a resolver a lide; a Geração de Opções, que facilita a busca de ideias conjuntas trazendo soluções, entre outras.

Entretanto, há distinção para com elas, nesse sentido, para que se tenha uma mediação, os envolvidos já devem ter tido, no passado, uma relação, um vínculo, de amizade por exemplo. Também se observa o fato de que o mediador é um juiz que poderá dar alternativas da consolidação do acordo sendo necessário, ainda, a presença dos advogados. Por outro lado, na Conferência Restaurativa, não são necessários tais participantes, citados anteriormente. Nesta, os envolvidos “trazem” consigo indivíduos tidos como importantes para si, como um professor, tio ou mãe, por exemplo, que poderão trazer alternativas para solucionar o conflito.

A partir desse cenário, é adequado a todos utilizar-se de técnicas da Comunicação Não-Violenta, tendo uma visão mais crítica e analítica nos casos de situações cotidianas, como uma mera discussão amorosa, por exemplo, ou ainda quando cometido um delito, como um furto, procurando, assim, saber o real motivo, a carga emocional, a situação de vida, ou seja, todo o contexto, “por trás” do fato. Evitando, dessa forma, o julgamento, deixando de tratar indivíduos de formas pejorativas e grotescas, por  algo feito de forma isolada.

 

Compartilhe
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

PORTAL PLURAL LTDA
ME 33.399.955/0001-12

© 2022 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×

Entre em contato

×