Acesse aqui
Rádio Web Portal Plural
Ao menos três regiões do Rio Grande Sul registram marcas negativas nesta terça – Portal Plural
Connect with us

Clima/Tempo

Ao menos três regiões do Rio Grande Sul registram marcas negativas nesta terça

Pável Bauken

Publicado

em



 

Em uma terça-feira gelada, pelo menos três regiões do Rio Grande do Sul registraram marcas negativas: Fronteira Oeste, Sul e Centro. A frente fria que se instalou no Estado derrubou as temperaturas em várias localidades, tais como Campanha e Serra, onde os termômetros marcaram 0ºC. No Noroeste, o dia amanheceu com 2ºC, enquanto no Planalto a mínima foi de 5ºC.

Porto Alegre não escapou do frio e durante a madrugada a temperatura registrada foi de 5ºC, segundo a MetSul Meteorologia. Com o passar das horas, as marcas na Capital aumentaram para 6,8ºC, número bem abaixo dos 12ºC sentidos na manhã desta segunda-feira. O dia começou com neblina em quase todo o Estado, com exceção para a metade Sul.

Em Santa Rosa, no Noroeste do Rio Grande do Sul, os termômetros marcaram 10ºC, mas a chuva fraca deixou a cidade com sensação térmica de uma temperatura mais baixa. Nas primeiras horas da manhã, poucas pessoas caminhavam pelas ruas e, quem se arriscava enfrentar a chuva e o frio, buscou proteção.

De acordo com a MetSul, alguns pontos na divisa com Santa Catarina devem registrar precipitação no começo da tarde. O mesmo deve ocorrer em municípios da Metade Norte, Noroeste, Serra e Litoral da tarde para a noite. A temperatura irá aumentar em Porto Alegre, mas a máxima não deve passar dos 15ºC. Pode ocorrer inclusive uma precipitação fraca na Capital e região Metropolitana durante a noite.

Correio do Povo 

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima/Tempo

Dois ciclones ao mesmo tempo na costa do Brasil

Reporter Plural

Publicado

em

metsul

, , ,

 

Dois ciclones vão atuar na costa do Brasil nas próximas horas. Um já está formado no litoral da Região Sudeste e outro vai se originar amanhã no Sul do Brasil. Nenhum dos sistemas traz ameaça maior de vento e o risco em ambos é a ocorrência de chuva com volumes altos.

A Marinha do Brasil confirmou em sua carta sinótica das 21h do domingo (25), publicada em seu sítio na madrugada de hoje, a formação da tempestade subtropical Mani na costa do Sudeste do Brasil, indicando uma pressão mínima central do sistema de 1006 hPa com 22ºS de latitude Sul e 39º de longitude Oeste, movendo-se lentamente na direção Leste-Sudeste, afastando-se do continente.

Ao evoluir do status de depressão subtropical (não é nomeada) para uma tempestade subtropical pela intensificação do vento, o sistema acabou nomeado e recebendo o nome de Maní.

Em seu aviso de mau tempo para a navegação, a Marinha do Brasil adverte para vento com força 7 a 8 (50 a 70 km/h) e rajadas de até força 9 na escala Beaufort (88 km/h) na área marítima, com o vento mais forte se concentrando sobre o Oceano Atlântico junto ao Sudeste do Brasil e a área costeira da Bahia, mais ao Sul.

A última tempestade subtropical no Atlântico Sul antes de Mai foi a Kurumí, que atuou entre os dias 23 e 25 de janeiro deste ano, e se formou na mesma região em que agora está Mani. Normalmente, estes sistemas considerados anômalos ou atípicos se formam nos meses de verão e do outono, quando as águas do Atlântico estão mais aquecidas, logo uma tempestade subtropical ainda no mês de outubro foge ao que normalmente é observado.

A tempestade subtropical Maní traz chuva forte para pontos do Sudeste do Brasil. Sua circulação de umidade ao interagir com o ar tropical quente e úmido pode causar chuva localmente forte e volumosa em parte de Minas Gerais, no Rio de Janeiro e no Espírito Santo. O estado mais atingido, entretanto, deve ser o Espírito Santo com chuva volumosa e que pode exceder 100 mm em diversos municípios. Por efeito de orografia (relevo), algumas áreas podem ter mais.

No Sul do Brasil, um vórtice ciclônico vai se formar na terça-feira sobre o Leste do Rio Grande do Sul com o centro de baixa pressão avançando para o Atlântico a Sudeste do Chuí.

Este sistema vai impressionar nas imagens de satélite porque o eixo do ciclone (a espiral) estará sobre o continente e justamente na parte Leste do Rio Grande do Sul, que inclui Porto Alegre.

Este vórtice ciclônico da terça pode trazer vento moderado e ocasionais rajadas no Leste gaúcho, mas a MetSul não espera que seja um sistema gerador de vento intenso. O grande risco associado a este sistema será chuva forte e volumosa com possibilidade de alagamentos em pontos do Leste e do Nordeste gaúcho, sobretudo na área da Lagoa dos Patos e seu entorno, o Litoral, os vales, a Grande Porto Alegre e a Serra.

Os acumulados de precipitação apenas da noite de hoje e da terça-feira podem ficar perto ou mesmo podem superar os 100 mm em pontos do Leste gaúcho, especialmente na área da Lagoa dos Patos e seu entorno. Porto Alegre e a região metropolitana estão entre as áreas com risco de chuva forte.

 

FONTE: METSUL

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Clima/Tempo

Temporais que rumam pro Sul do Brasil trazem estragos na Argentina

Pável Bauken

Publicado

em



Uma frente fria avança pela Argentina e encontra na sua dianteira ar muito quente que elevou a temperatura a mais de 40ºC na tarde deste domingo (25) em províncias do Norte e do Nordeste do país como Chaco, Santiago del Estero e Formosa. Em Misiones, a temperatura passou de 37ºC. Ao encontrar o ar quente, o sistema frontal tem formado frentes de rajadas com vendavais.

Na sua passagem por Trebol, província de Santa Fé, no Centro da Argentina, a frente fria trouxe tempestade severa com vento destrutivo que fez muitos estragos como quedas de árvores, postes, destelhamentos e destruição de silos na zona rural.

A frente avança para o Norte e o Nordeste argentino, além do Sul do Brasil, provocando mais temporais fortes a severos de vento e granizo

O risco é maior para as partes Norte de Santa Fé e Entre Rios, e as províncias de Corrientes, Misiones, Chaco e Santiago del Estero entre domingo e a segunda-feira.

Alguns temporais na Argentina devem ser fortes a severos com danos por vento e queda de granizo, não se descartando tornados isolados.

Os temporais vão atingir também o Uruguai. As condições meteorológicas devem se deteriorar muito neste final de domingo no território uruguaio a partir do chamado Litoral Oeste e as tempestades devem seguir em parte do país ainda na segunda-feira.

A MetSul Meteorologia antecipa chuva localmente forte e volumosa e alta probabilidade de tempestades fortes a severas com risco de danos por vento e granizo.

Alguns vendavais isoladamente podem ser intensos e há risco de “turbonadas”, nome dado pelos uruguaios para eventos isolados e severos de vento com característica de microexplosão. Montevidéu está na área de risco de tormentas fortes.

Amanhã, segunda-feira, as fortes tempestades devem atingir também o Paraguai à medida que o sistema avança pelo Norte da Argentina e o Sul do Brasil.

Uma linha de temporais muito intensa e organizada deve avançar pelo Nordeste argentino e áreas a Oeste do Sul do Brasil, devendo alcançar o Paraguai ao longo da segunda. É muito alto o risco de tormentas fortes a severas de granizo e, especialmente, de vento forte com probabilidade de danos.

MetSul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Clima/Tempo

**ALERTA** Temporais isolados e vórtice ciclônico no Rio Grande do Sul

Pável Bauken

Publicado

em



A MetSul Meteorologia alerta que uma frente fria avançará pelo Sul do Brasil neste começo de semana com chuva mais ampla e alto risco de temporais nos três estados do Sul. O sistema frontal de forte intensidade já começou a ingressar no Rio Grande do Sul pelo Oeste agora no final deste domingo com probabilidade de chuva localmente forte a torrencial e ainda a possibilidade de tempestades de vento (vendavais) e granizo, como já ocorreu na Argentina.

A máxima atividade frontal deste sistema deve ocorrer no Oeste do Sul do Brasil. Por isso, a MetSul Meteorologia antecipa que o risco de temporais mais fortes é valido para a Metade Oeste do Rio Grande do Sul, o Oeste e o Meio-Oeste de Santa Catarina e a Metade Oeste do Paraná, apesar da possibilidade de tempo severo isolado em outras áreas dos três estados.

No Rio Grande do Sul, nesta segunda-feira, o sistema frontal traz chuva, trovoadas e temporais isolados desde cedo para a Metade Oeste e o Sul. No Leste e no Nordeste do Estado, em muitas áreas o sol chega a aparecer com nuvens e abafamento antes da mudança do tempo. Será o caso de Porto Alegre que começa o dia com tempo firme e abafado, mas depois deve ter chuva, especialmente da tarde para a noite.

Ao longo da segunda, a frente avança e traz chuva para todas as regiões. Serão precipitações irregulares, mas, isoladamente, ocorrem pancadas fortes com risco de temporais localizados de vento forte e granizo. Na Metade Oeste, depois de um começo de dia chuvoso, o tempo melhora da tarde pra noite e o sol pode aparecer em muitas cidades à tarde.

A chuva, apesar de ampla, será irregular. Em muitos locais deve chover menos de 10 mm ou 20 mm na passagem desta frente e é possível que em alguns poucos a precipitação até “falhe”, mas muitos locais terão chuva de 20 mm a 30 mm na passagem do sistema e em algumas cidades os acumulados podem ficar perto ou acima de 50 mm.

Esta frente fria, diferentemente do que é comum nesta época do ano e mais normal de se ver no inverno, conseguirá avançar pelo interior do continente e vai alcançar com chuva e temporais, alguns fortes a severos de vento e granizo, os estados do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso entre segunda-feira e terça. Também parte do estado de São Paulo pode ter chuva e temporais associados a esta frente, mas o sistema frontal deve enfraquecer ao se deslocar pelo Sudeste do Brasil.

Aviso de vórtice ciclônico

A MetSul antecipa que um vórtice ciclônico vai se formar na terça-feira sobre o Leste do Rio Grande do Sul com o centro de baixa pressão situado sobre o mar e que depois vai avançar para a área da Lagoa dos Patos. Este sistema vai impressionar nas imagens de satélite porque o eixo do ciclone estará sobre o continente e justamente na parte Leste do Rio Grande do Sul, que inclui Porto Alegre.

Este vórtice ciclônico da terça pode trazer vento moderado e ocasionais rajadas no Leste gaúcho, mas a MetSul não espera que seja um sistema gerador de vento intenso. O grande risco associado a este sistema será chuva forte e volumosa com possibilidade de alagamentos em pontos do Leste e do Nordeste gaúcho, sobretudo na área da Lagoa dos Patos e seu entorno, o Litoral, os vales, a Grande Porto Alegre e a Serra.

MetSul

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


×