“A Pequena Sereia” vai virar musical para TV – Portal Plural
Connect with us

Cinema / Séries

“A Pequena Sereia” vai virar musical para TV

Pável Bauken

Publicado

em



 

A Pequena Sereia vai ganhar um musical para a televisão americana, conforme anunciou a revista Variety. Segundo a publicação, a produção será adaptada para o canal ABC, que pertence à Disney.

Neste musical, a protagonista Ariel ficará a cargo da atriz Auli’i Cravalho, que dublou a personagem Moana na animação de mesmo nome da Disney, enquanto que Queen Latifah será a vilã Ursula. O cantor jamaicano Shaggy viverá o caranguejo, Sebastião. Outros nomes para o elenco ainda devem ser anunciados. De acordo com a Variety, o especial terá músicas da animação original e da versão teatral da Broadway composta por Alan Menken, que venceu o prêmio Tony.

“A Pequena Sereia” será a primeira versão musical ao vivo produzida pela ABC. A atração deve se basear nos musicais televisivos como “Hairspray”, “The Wiz” e “Jesus Christ Superstar”. A exibição deve ir ao ar no dia 5 de novembro deste ano.

“A Pequena Sereia” também ganhará um live-action com a cantora de R&B Halle Bailey, de 19 anos, no papel de Ariel. Depois das versões refilmadas com atores de verdade em “Mogli”, Dumbo”, “Aladdin” e o “Rei Leão”, a Disney vai iniciar as filmangens de “A Pequena Sereia” no próximo ano. A data de estreia não foi divulgada.

Fonte Correio do Povo

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cinema / Séries

Com mais de 60 milhões de assinantes no mundo, Disney+ chega ao Brasil em novembro

Plataforma vai reunir produções da Disney, Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic

Pável Bauken

Publicado

em

Plataforma vai reunir produções da Disney, Pixar, Marvel, Stars Wars e National Geographic | Foto: Disney+

A Disney anunciou nesta quinta-feira, 13, de maneira oficial, que o serviço de streaming Disney+ chegará ao Brasil e a todos os países da América Latina em novembro de 2020. A empresa ainda não confirmou o valor da assinatura, mas usuários no exterior que tentaram criar uma conta no serviço com dados do Brasil se depararam com um valor: R$ 28,99.

A plataforma de streaming – que funcionará no mesmo formato da Netflix, HBO Go e outros – será a casa de produções da Disney, Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic. Todos os títulos originais produzidos por e para o Disney+, assim como as coleções completas de todos os conteúdos disponíveis das marcas em todos os formatos (cinema, séries, curtas, shows e documentários) estarão disponíveis exclusivamente na plataforma, segundo a empresa.

Novas histórias da Marvel Studios vão chegar na região com lançamento simultâneo aos EUA, atualmente programados para 2020 e 2021. Entre elas, Falcão e o Soldado Invernal, com Sam Wilson/Falcão (Anthony Mackie) e Bucky Barnes/O Soldado Invernal (Sebastian Stan).

WandaVision, a série de comédia que combina o estilo das comédias clássicas com o Universo Cinematográfico da Marvel (MCU), no qual Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany) vivem uma vida suburbana ideal, até começarem suspeitar que nem tudo é o que parece; e também Loki, uma nova série na qual Tom Hiddleston reprisa seu papel como Loki.

Os oito episódios que compõem a primeira temporada de The Mandalorian, a série live-action da saga Star Wars que acumula 15 indicações ao Emmy, estarão disponíveis no lançamento. A segunda temporada será lançada ao mesmo tempo que nos EUA. Star Wars: The Clone Wars, a animação, também estará no Disney+.

Clássicos da animação, como A Dama e o Vagabundo, Branca de Neve, Cinderela e O Rei Leão, bem como todos os filmes da Marvel, de Homem de Ferro a Vingadores: Ultimato e os da saga Star Wars serão outras das atrações do Disney+. A plataforma já acumula mais de 60 milhões de assinantes no mundo todo.

AE

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Cinema / Séries

No aniversário do Homem-Aranha, as versões do herói

Personagem criado por Steve Ditko e Stan Lee estreou nos quadrinhos

Pável Bauken

Publicado

em

Em agosto de 1962, a 15ª edição da revista "Amazing Fantasy" publicou sua primeira versão | Foto: Reprodução / Facebook / CP

Peter Parker faz aniversário nesta segunda-feira, 10. O personagem nasceu em 10 de agosto de 2001, provavelmente em referência à data em que chegou às bancas, em agosto de 1962, a 15ª edição da revista Amazing Fantasy, na qual o herói fez sua estreia nos quadrinhos.

O Homem-Aranha, personagem criado por Steve Ditko e Stan Lee, já teve diversas versões diferentes nos quadrinhos e no cinema. Relembre algumas das principais fases do herói:

Oito braços

Entre setembro e novembro de 1971, a Marvel explorou uma das primeiras mudanças no visual do Homem-Aranha, com o herói tendo seis braços para replicar os oito membros de uma aranha. A história tinha roteiro de Stan Lee e Roy Thomas com arte de Gil Kane e Frank Giacoia.

Simbionte

Durante a primeira grande saga da Marvel nos quadrinhos, ‘Secret Wars’ (1984), que reuniu seus principais heróis pela primeira vez, o Homem-Aranha encontrou um alienígena que se uniu ao seu corpo e mais tarde daria origem ao vilão Venom.

Homem-Aranha Ciborgue

Após um combate com o Sexteto Sinistro, o Homem-Aranha ficou gravemente ferido e foi salvo por um cientista que implantou uma prótese mecânica em seu braço em uma história de 1992.

Homem-Aranha futurista

Em uma reinvenção futurista do Homem-Aranha, quem assume seu manto é Miguel O’Hara, que ganha poderes em 2099 por um acidade de laboratório com engenharia genética. O arco também é de 1992.

Aranha Escarlate

O personagem Ben Reilly é um clone de Peter Parker que se tornou uma versão alternativa do Homem-Aranha, a Aranha Escarlate, em uma trama de 1994.

Trilogia de Sam Raimi

Tobey McGuire não foi o primeiro ator a encarnar o Homem-Aranha no cinema, mas as versões anteriores do herói no audiovisual (incluindo uma versão japonesa licenciada pela Marvel com todo o estilo “tokusatsu”, à moda de Ultraman e outros clássicos) não foram exatamente um sucesso. Já a trilogia de filmes dirigidos por Sam Raimi a partir de 2002 revolucionou a popularidade do personagem entre o público geral.

Homem-Aranha do passado

Assim como há uma versão futurista do herói, também há uma versão do passado: em 1602, o jovem Peter Parquagh é picado por uma aranha e usa seus poderes recém-adquiridos para defender a Londres elizabetana em uma série de quadrinhos de 2003 que recriou diversos heróis da Marvel em outros períodos históricos.

Aranha de Ferro

Durante a saga Guerra Civil (2006), que opôs ideologicamente o Homem de Ferro e o Capitão América, Tony Stark dá a Peter Parker a armadura Iron Spider, que também apareceu no cinema em Vingadores: Guerra Infinita (2018).

Homem-Aranha Noir

Enquanto os EUA sofriam os efeitos da crise financeira de 2008, a série Spider-Man Noir (2009) colocou o herói na Grande Depressão americana como um pistoleiro que luta pela justiça em um cenário desolado.

Miles Morales

O jovem Miles Morales assumiu em 2011 o manto do Homem-Aranha e logo se tornou um dos principais personagens do universo Marvel, transportando os temas do herói, como bullying, adolescência e dificuldades do crescimento para a realidade de um jovem negro.

Duologia de Mark Webb

O ator Andrew Garfield viveu o Homem-Aranha nos dois filmes dirigidos por Mark Webb, reboot da franquia nos cinemas que não foi tão bem-sucedido quanto a versão anterior, com Tobey Maguire.

Homem-Aranha de Tom Holland

Em 2017, Homem-Aranha: De Volta ao Lar trouxe Tom Holland como Peter Parker e, em Vingadores: Guerra Infinita (2018) e Vingadores: Ultimato (2019), o herói usou um uniforme que remente à Iron Spider dos quadrinhos.

AE
[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Cinema / Séries

18 filmes para você ver com os filhos na quarentena

Canal de maternidade VamosCriar, da colunista Camila Saccomori, traz sugestões para maratonar

Reporter Cidades

Publicado

em

| Foto: Divulgação

A essa altura do campeonato, você já sabe de cor as falas dos desenhos infantis preferidos do seu filho. Eles gostam de repetição e de histórias conhecidas. Não é à toa que um dos personagens dos saudosos Teletubbies tinha um bordão: DE NOVO! DE NOVO!

Sim, crianças adoram saber o que vai acontecer em uma historinha. Traz aconchego, traz uma sensação de segurança. Muitas mães se queixam de que é difícil fazer os filhos assistirem a coisas novas.

Aqui em casa, depois de muitos “truques”, eu já descobri o que mais funciona. Simplesmente ligo a TV ou o notebook e começo a assistir sozinha, mas comentando em voz alta comigo mesma: “Uau, que demais” ou então “Que bichinho mais fofo!”. Qualquer coisa para chamar a atenção. Não demora muito e já tenho minha filha do lado para acompanhar. (Mas se eu deixar, ela ainda vai querer ver os filmes de sempre).

Dito isso, tenho uma seleção de 18 filmes que talvez possam ajudar aí na sua quarentena com os pequenos em casa. Nove são animações e 9 são filmes-nostalgia, aqueles que marcaram a sua infância/adolescência. Impossível alguém com mais de 35 anos não ter assistido a pelo menos 1 deles. Fale do enredo, mostre cenas e faça a tradução da época para envolver os filhos na viagem. Será que eles conseguem supor como era ser criança sem celular e internet? Eis um grande exercício de imaginação!

DIVERTIDAMENTE – Gerenciar emoções

Filme indubitavelmente campeão para falar de sentimentos neste período tão delicado que vivemos. Importante mostrar às crianças que tá tudo bem se sentir triste às vezes… Com raiva ou com medo…⠀⠀

ABOMINÁVEL- Perdas, saudade e medo

A morte de um ente querido é um tema tão difícil de abordar! Assim como a dificuldade de lidar com o medo das perdas. O luto da personagem permeia a história e, ao longo do caminho, ela entra em contato com seus sentimentos.

PROCURANDO NEMO – Resiliência

Suportar momentos difíceis é complicado até para os adultos, mas este filme mostra aos pequenos que, quando temos um objetivo, a gente vai até o fim!

PROCURANDO DORY – Empatia

Palavrinha que anda em alta nestes tempos na teoria, mas este filme traz empatia na prática. Dory tem dificuldades e encontra no caminho personagens que a entendem, sem julgamentos, e ajudam na jornada.

VIVA! A VIDA É UMA FESTA – Amor

SIM! Um filme ambientado nas celebrações de Finados do México traz, na verdade, uma  homenagem ao amor por quem se foi, as lembranças e as memórias, mas também pelos que estão vivos.

VALENTE – Igualdade de gêneros

A cena mais emblemática é quando a independente e forte princesa Merida está com arco e flecha para disputar sua própria mão oferecida em casamento.

TROLLS – Positividade

Os Trolls sabem celebrar a vida e valorizar a felicidade dos pequenos e grandes momentos. Eles ensinam até mesmo o mais ranzinza do grupo (e também os “vilões” da história) que é sempre melhor enxergar o copo meio cheio em vez de meio vazio!⠀

WALL-E – Senso de coletividade

A Terra repleta de lixo, abandonada pelos próprios humanos que a destruíram. Filme que fala da importância de cuidar o meio ambiente!

NEXT GEN – Bullying

É um filme de ação que não se aprofunda muito no tema, mas dá para pegar o gancho e dialogar sobre o que é bullying e quão prejudicial é esse tipo de violência (física ou psicológica).

Animações extras que ajudam a passar boas mensagens: Sing, Monstros S.A., Toy Story, Moana, Croods, Pets, Meu Malvado Favorito, Shrek, Poderoso Chefinho, Frozen, Zootopia, Big Hero…

Qual a animação que você mais curte? Qual filme você já usou para ensinar alguma mensagem por aí?

Agora, 9 filmes que bateram ponto na Sessão da Tarde e que moram em nossa memória:

  • E.T.
  • Goonies
  • Gremlins
  • Labirinto
  • História sem fim
  • Curtindo a vida adoidado
  • De volta para o futuro
  • Querida, encolhi as crianças
  • Esqueceram de mim

por Camila Saccomori – Bella+ – Correio do Povo

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

×