A gravidez está durando menos e esse é o motivo, segundo pesquisa – Portal Plural
Connect with us

Curiosidades

A gravidez está durando menos e esse é o motivo, segundo pesquisa

Reporter Cidades

Publicado

em



 

Ser mãe é um sonho para muitas mulheres e a gravidez pode ser uma fase especial para elas. Algumas mulheres conseguem engravidar logo que decidem que estão prontas para ter um filho e outras depois de algum tempo e de algumas tentativas. Mas o que elas têm em comum são as transformações, alegrias e dificuldades que acontecem com seus corpos.

Os sintomas da gravidez podem vir antes da menstruação atrasada, mas por serem bastante sutis, somente aquelas mulheres, com muita consciência do seu corpo podem chegar a percebê-los. Em seu período total, a gravidez dura até 40 semanas. Mas esse tempo, já conhecido por todos, pode estar prestes a mudar.

O aquecimento global e todas as mudanças climáticas estão mudando não somente as paisagens e clima no planeta. Com as altas temperaturas animais estão deixando de existir, cidades estão sumindo e populações correm o risco de ficarem, sem lugar para morar. Além disso, as mudanças climáticas podem também estar mudando o tempo de gestação. De acordo com estudos anteriores, foi provado que a poluição leva a infertilidade masculina e pode até atravessar a placenta. Mas esse estudo foi o primeiro em que os especialistas relacionaram os danos no meio ambiente e o período de gravidez.

Análise

Essa análise foi feita pelos pesquisadores americanos, Alan Barreca e Jessamyn Schaller. Eles analisaram os dados de gestações ao redor do mundo e focaram nos Estados Unidos. Os pesquisadores também compararam a taxa de natalidade de cidades diferentes e suas variações de temperatura.

“Nosso modelo compara as taxas de natalidade em um determinado dia quente, em um município específico, com as taxas de natalidade, no mesmo dia do mesmo município em outros anos em que aquela data não foi tão quente”, escreveram.

Nos dias que fizeram 32º Celcius, as taxas de natalidade aumentaram em 0,97 nascimentos a cada 100 mil mulheres. Isso quando comparados aos dias em que a temperatura ficou entre 15 e 21ºC. Nos dias quentes, os nascimentos aumentaram cerca de 5%.

Outra percepção dos cientistas foi a de que, dois dias depois de altas temperaturas, a taxa de natalidade atingiu 0,57 a cada 100 mil nascimentos. E ela continuava um pouco menor, por até duas semanas depois.

“Essas diminuições representam a ausência de nascimentos, evidência de uma mudança nas datas dos partos”, disseram.

Estudo

De acordo com o estudo, essa situação era mais grave com mulheres negras, em comparação com mulheres brancas. Isso porque a taxa de natalidade demorou mais tempo, para voltar ao normal entre as mães negras depois de períodos mais quentes. Isso sugere que os bebês perdem mais dias de gestação, por causa do calor.

Os pesquisadores americanos dizem que, se a Terra continuar esquentando, até o fim do século, aproximadamente 253 mil dias de gestação terão sido perdidos por ano. “Afetando quase 42 mil nascimentos, se as emissões de carbono continuarem altas”, alertam.

Se a gravidez for mais curta, isso pode atrapalhar o desenvolvimento do feto no útero. Além do que, gestações mais curtas estão relacionadas com problemas de saúde no bebês prematuros e com dificuldades, no desenvolvimento cognitivo dessas crianças.

Fonte: Fatos Desconhecidos

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curiosidades

Impeachment relâmpago: o presidente do Brasil que foi demitido em 3 dias

Pável Bauken

Publicado

em



O suicídio de Getúlio Vargas, em agosto de 1954, balançou o país.

De olho naquela cadeira, na cadeira de presidente, tinha um monte de gente: de militares a Carlos Lacerda, o mais importante político de oposição.

Há correntes históricas que afirmam que Getúlio decide se matar para frear um golpe encabeçado pelo partido da oposição, a UDN, e pelas Forças Armadas.

Bem, com a morte de Getúlio, assume o vice.

Quem era o vice? Um ex-goleiro do Alecrim Futebol Clube, do Rio Grande do Norte: Café Filho.

O vice, naquela época, era votado independente, portanto Café Filho e Getúlio não faziam uma mesma chapa.

O ex-goleiro assumiu com os olhos abertos. Assumiu depois de uma dinamite explodir. A morte de Getúlio mexeu ainda mais com o país.

Qual foi a estratégia adotada por ele? Lotou os ministérios com políticos da UDN, quebrou com as ideias de Getúlio e prometeu seguir tranquilamente até o próximo passo político do Brasil.

Parecia que, depois do maremoto, haveria um pouco de calma. A calma que precede o esporro. Só que não.

Só que não mesmo.

A eleição para a presidência em 1955 colocou frente a frente o governador de Minas Gerais, Juscelino Kubitscheck, e o general Juarez Tavora, apoiado por Café Filho, pela UDN, pelos militares.

JK venceu, mas não foi com uma diferença esmagadora. O vice ainda seria João Goulart, do mesmo partido de Getúlio Vargas.

Tilte de novo. “Como assim esses caras venceram? Como assim?”, muitos perguntaram, em especial o coronel Jurandir Mamede.

Mamede fez um discurso pesado. Qualificou a vitória de JK como mentira democrática, inclusive atacando o a democracia. Falou também que os comunistas estavam por trás.

Entra nesse momento um personagem importantíssimo: general Henrique Lott, ministro da Guerra. Por mais que tenha apoiado Juarez, Lott entendia que faz parte do jogo democrático perder e vencer. E não teve nada de errado naquela eleição.

Quando o ministro tenta falar com Café Filho sobre a necessidade de se aplicar uma dura repressão em Mamede, ele fica sabendo de uma bomba…

Café Filho teve um problema no coração e foi internado. Estava fora de combate.

Quem assumiria a presidência de maneira interina? Quem? Quem? Quem?

Carlos Luz.

O ano de 1955 foi enlouquecedor. Saiba os motivos da queda de Carlos Luz. Por que o navio que ele estava foi atacado? Aperta o play que o Tá na História te conta:


Por Thiago Gomide do Tá na História.
Parceria HISTORY e Tá Na História

THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário “O Acre em uma mesa de negociação”. Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM – RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade.


Imagem:  Arquivo Nacional, via Wikimedia Commons

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Curiosidades

‘Jatos azuis’ são flagrados pela Estação Espacial Internacional.

Reporter Regional

Publicado

em



Usando equipamentos especiais instalados na Estação Espacial Internacional (ISS), um grupo de cientistas conseguiu um registro raro de um “jato azul”, um tipo específico de relâmpago gerado nas nuvens de tempestade e que vai em direção ao espaço. A observação foi descrita em um artigo publicado na Nature, na última quarta-feira (20).

Conforme explicam os autores do estudo, os jatos azuis são “descargas elétricas atmosféricas semelhantes a raios com várias centenas de milissegundos de duração, que se espalham em cones à medida que se propagam do topo das nuvens de tempestade para a estratosfera”.

Ainda de acordo com os cientistas, eles viram pelo menos cinco raios azuis disparando do topo das nuvens, cada um com duração variando entre 10 e 20 milissegundos e podendo chegar a até 50 km de altura na estratosfera. A animação a seguir, criada pela Agência Espacial Europeia (ESA), mostra como o fenômeno acontece. Veja:

Esses jatos azuis foram observados em fevereiro de 2019, durante uma tempestade sobre a ilha de Nauru, no Oceano Pacífico. Eles são originados a partir de uma “pane elétrica” gerada pelo encontro entre duas nuvens com cargas diferentes, enquanto a tonalidade azulada é efeito do estímulo ao nitrogênio estratosférico.

Impossível de ver da superfície terrestre

Devido à distância e também por causa das nuvens das tempestades que os escondem, os jatos azuis não podem ser observados a partir da superfície da Terra. Neste caso específico, o registro foi feito com equipamentos do Monitor Europeu de Interações Atmosféricas Espaciais (ASIM) presentes na Estação Espacial.

Segundo os astrônomos, o estudo deste tipo de fenômeno, também conhecido como Emissões de Luz e Perturbações de Frequência Muito Baixa devido a Fontes de Pulso Eletromagnético (Elves, na sigla em inglês), ajuda a entender como ele pode afetar a propagação das ondas de rádio, interferindo nas comunicações, além de indicar como os raios influenciam a concentração de gases do efeito estufa na atmosfera.

 

Fonte: TecMundo.

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Curiosidades

Quem é a pessoa estampada nas cédulas do real?

Pável Bauken

Publicado

em



Todos os dias da nossa vida nós pegamos em dinheiro, notas vão e vem o tempo todo, seja para comprar uma balinha ou para pagar as contas. Nos acostumamos tanto a isso que deixamos de prestar atenção aos pequenos detalhes. Por exemplo, quem é a mulher estampada nas nossas notas?

Após sucessivas trocas monetárias (réis, cruzeiro, cruzeiro novo, cruzado, cruzado novo) o Brasil adotou o Real em 01 de julho de 1994. A moeda foi implantada no mandato do presidente Itamar Franco, sob o comando de Fernando Henrique Cardoso. O nome “Real” foi escolhido por fazer referência à primeira moeda do Brasil, os “Réis”, e principalmente por trazer um sentido de realidade, ou seja, uma moeda que demonstra o real valor da unidade.

Sim é uma mulher e o nome dela é “Marianne”. Que representa a razão, a pátria e principalmente as virtudes da república.

A origem do nome é bem incerta, mas a maioria dos historiadores concordam que se trata da junção de dois nomes de mulher mais comuns na frança: Mari e Anne. Sendo assim, Marianne se tornou o símbolo da república.

Antigamente era comum representar ideais, fenômenos e entidades abstratas, em deuses e personificações alegóricas, esta prática foi menos comum na idade media, mas acabou ressurgindo durante o renascimento.

Segundo os pesquisadores a razão pela qual foi escolhida uma mulher para representar a república, foi que uma alegoria feminina simbolizava uma ruptura com o antigo regime autocrático chefiado por homens.

Ela também está na estátua da liberdade

A Estátua da Liberdade — localizada em Nova York —, como você deve saber, foi um presente da França aos EUA em comemoração ao centenário da assinatura da Declaração da Independência.

A estátua foi produzida pelo escultor francês (e maçom) Frédréric Auguste Bartholdi, trata-se de uma versão maçônica de Marianne. Mas voltando ao assunto das cédulas, se você observar a nota de US$ 1 com um pouco mais de cuidado, vai encontrar na face reversa o famoso “olho que tudo vê”, mais um famoso símbolo da maçonaria que todos os dias passam pelas mãos de milhões de pessoas, assim como a moça das notas de real.

Fatos desconhecidos

[mailpoet_form id="1"]
Continue Lendo

Trending

© 2020 PORTALPLURAL.COM.BR Todos os direitos reservados.


error: Conteúdo protegido, para ter acesso seja nosso parceiro entre em contato no whats (55) 984161736
×